Pergunta 3: Por que Deus encarnou nos últimos dias, tornando-se o Filho do homem para fazer a obra de julgamento? Qual é a diferença real entre o corpo espiritual do Senhor Jesus que foi ressuscitado da morte e o Filho do homem encarnado? Essa é uma questão que não entendemos. Por favor, compartilhe sua comunhão sobre isso.

Resposta:

A maioria dos crentes acredita que o Senhor aparecerá para eles em Seu corpo espiritual, ou seja, no corpo espiritual do Senhor Jesus, com o qual ele apareceu por 40 dias após a ressurreição. Nós crentes não temos dúvidas disso. Aparentemente o corpo espiritual do Senhor Jesus ressuscitado parecia com a imagem de Seu corpo encarnado, mas o corpo espiritual não é contido pelo mundo material, espaço e lugar. Pode aparecer e desaparecer à vontade, chocando e maravilhando o homem. Isso está registrado na Bíblia. Antes de o Senhor Jesus ser crucificado, Ele falou e trabalhou na humanidade normal da carne. Seja expressando a verdade, interagindo com os homens ou realizando milagres, todos pensavam que Ele era normal. O que os homens viram foi a carne realmente e de verdade realizando a obra, sofrendo realmente e de verdade o tormento e pagando o preço. No fim, foi essa a carne crucificada como oferenda pelo pecado do homem, completando a obra de redenção de Deus. Esse é um fato indiscutível. Mas pensem por um momento: Se era o corpo espiritual do Senhor Jesus que fazia a obra, ele poderia se reunir e conversar normalmente com os homens? Poderia realmente e de verdade sofrer a tortura e pagar o preço? Poderia ser crucificado? Ele não poderia fazer nada disso. Se fosse o corpo espiritual obrando, como nós humanos interagiríamos com Ele facilmente? Trairíamos nosso caráter corrupto? Formaríamos concepções sobre Ele? Ousaríamos nos rebelar e julgar Deus conforme nossa vontade? Isso seria impossível. Todos os homens estão imbuídos da humanidade normal e sujeitos aos limites do mundo material. O processo de pensamento do homem também é normal. Se o homem entrasse em contato com a obra de um corpo espiritual, ele ficaria aterrorizado e entraria em pânico. Seus pensamentos enlouqueceriam. Diante dessa situação, Deus teria dificuldade em atingir o sucesso de Sua obra de salvação da humanidade. Portanto, os efeitos de trabalhar dentro dos limites da humanidade normal são bem maiores do que usar o corpo espiritual. Através das eras, Deus escolheu pessoas que nunca tiveram experiência com a obra do corpo espiritual de Deus. O corpo espiritual seria certamente inadequado para expressar diretamente a verdade, interagir com as pessoas e pastorear igrejas.

A obra de julgamento que a segunda vinda de Deus executa nos últimos dias usa a palavra para purificar, salvar e aperfeiçoar o homem. Seu objetivo é também expor e eliminar os homens, avaliando cada um conforme seu tipo, recompensando os bons e punindo os ímpios. Se Deus se apareciasse ao homem em Sua forma espiritual, todos, bons e maus, prostrariam-se diante Dele. Como ele poderia, portanto, separar os bons dos maus? Além disso, se Deus aparecesse em Seu corpo espiritual, o homem entraria em pânico e o caos irromperia pelo mundo. Se fosse o caso, como Deus conduziria normalmente Sua obra de julgamento nos últimos dias? Como Deus cumpriria Seu Plano de completar um grupo de homens que vivem de acordo com a vontade de Deus antes das calamidades? Então, nos últimos dias, Deus ainda precisa se fazer carne, como o Filho do homem, humanidade normal. Só assim Ele pode trabalhar e viver no mundo humano e pode expressar a verdade, julgar e purificar o homem de maneira prática. Então o homem se afastará das influências de Satanás, será salvo por Deus e se tornará Seu povo. O Senhor Jesus encarnado trabalhou na humanidade normal para redimir os homens. O Senhor Jesus ressuscitou no corpo espiritual e apareceu ao homem para provar que Ele era a encarnação de Deus. Isso foi feito para fortalecer a fé do homem. Portanto, o corpo espiritual de Deus veio apenas para revelar-se ao homem, não para trabalhar. O Deus encarnado precisou ser uma humanidade normal para operar entre os homens e atingir a redenção e a salvação da humanidade. Então se Deus quiser salvar a humanidade em Sua obra de julgamento nos últimos dias, Ele deve encarnar e realizar Sua obra como humanidade normal para atingir o melhor resultado. Ele certamente não aparecerá ao homem no corpo espiritual do Senhor Jesus para fazer o julgamento nos últimos dias. Todos nós crentes devemos entender isso com clareza.

[…]

[…] Embora o corpo espiritual do Senhor Jesus possa aparecer e ficar face a face com o homem, esse corpo ainda permanece um mistério insondável e inatingível para o homem. Ele gera medo e apreensão nos corações humanos e os faz manter uma distância respeitosa. Como o corpo espiritual do Senhor Jesus não pode interagir normalmente com o homem nem operar e falar normalmente com eles, Ele é, portanto, incapaz de salvar a humanidade. Entretanto, o Deus encarnado é diferente. Ele interage com o homem de uma maneira prática e real. Ele rega e alimenta o homem, assim como o Senhor Jesus, que, vivendo junto com os homens, expressava a verdade para supri-los a qualquer momento. Seus discípulos se sentavam com Ele, ouvindo seus ensinamentos e discutindo de coração com Ele. Eles foram pastoreados e regados diretamente por Ele. O Senhor Jesus os ajudava a resolver qualquer problema que enfrentassem. Eles recebiam uma enorme provisão de vida. Descobriram que Deus era amável e encantador. Por essa razão, eles amaram e obedeceram a Deus de verdade. Apenas quando a encarnação de Deus desceu ao reino do homem, tivemos a oportunidade de interagir, vivenciar e conhecer Deus. Só então passamos a ver a sabedoria e a maravilhoso de Deus e a salvação prática da humanidade. Esse é um aspecto da significância e do valor prático da obra do Deus encarnado. O corpo espiritual não pode atingir esse efeito.

Esta comunhão deixou uma coisa bem clara. Apenas encarnando como o Filho do homem e obrando como uma humanidade normal, Deus pode julgar, conquistar e purificar o homem na prática. O corpo espiritual do Senhor Jesus não atingiria o mesmo efeito. A princípio, quando Deus vier encarnado como o Filho do homem para realizar a obra de julgamento e a purificação dos homens, nós trataremos Deus como um humano comum, porque ainda temos que distinguir quem a encarnação de Deus realmente é. Inclusive formaremos opiniões acerca do trabalho e das palavras de Deus. Trataremos Cristo sem respeito e nos recusaremos a obedecê-Lo. Falaremos mentiras para enganá-lo. Vamos julgá-Lo, nos opor e condená-Lo. A arrogância, rebeldia e resistência dos humanos ficarão aparentes diante de Cristo. Assim como diz Deus Todo-Poderoso: “O caráter corrupto do homem, sua rebeldia e resistência são expostos quando ele vê Cristo, e a rebeldia e a resistência expostas em tal ocasião são mais absoluta e completamente expostas que em qualquer outra. É por Cristo ser o Filho do homem — um Filho do homem que possui humanidade normal — que o homem nem O honra nem O respeita. É porque Deus vive na carne, que a rebeldia do homem é trazida à luz tão completamente e em detalhes tão vívidos. Então Eu digo que a vinda de Cristo desenterrou toda a rebeldia da humanidade e colocou sua natureza em plena evidência. Isso é chamado de ‘atrair um tigre para que ele desça a montanha’ e ‘atrair um lobo para fora da caverna’” (‘Aqueles que são incompatíveis com Cristo certamente são oponentes de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Deus julga, expõe, poda e lida com a humanidade de acordo com a realidade de sua rebeldia e resistência. A obra de Deus é prática e verdadeira e revela o homem como ele realmente é. Quando confrontado com tais evidências, os que aceitarem a verdade se convencerão e admitirão a própria rebeldia e resistência. Terão consciência dos santo, justo e inofendível o caráter de Deus e aceitarão o julgamento e o castigo de Deus de forma submissa. Assim, serão conquistados e salvos pela obra prática e realidade de Deus. Assim como diz Deus Todo-Poderoso: “O Deus encarnado é o inimigo de todos aqueles que não O conhecem. Ao julgar as noções e oposições do homem contra Deus, Ele revela toda a desobediência da humanidade. Os resultados de Sua obra na carne são mais aparentes do que aqueles da obra do Espírito. E assim, o julgamento de toda a humanidade não é realizado diretamente pelo Espírito, mas é a obra do Deus encarnado. Deus na carne pode ser visto e tocado pelo homem, e Deus na carne pode completamente conquistar o homem. Em sua relação com Deus na carne, o homem progride da oposição para a obediência, da perseguição para a aceitação, da noção para o conhecimento e da rejeição para o amor. Esses são os efeitos da obra do Deus encarnado. O homem só é salvo por meio da aceitação do Seu julgamento, somente vindo a conhecê-Lo, gradualmente, por meio das palavras de Sua boca, é conquistado por Ele durante sua oposição a Deus e recebe Dele o suprimento da vida durante a aceitação de Seu castigo. Toda essa obra é a obra de Deus na carne, e não a obra de Deus em Sua identidade como Espírito” (‘A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado’ em “A Palavra manifesta em carne”). Portanto, o homem só será purificado e salvo se a encanação de Deus realizar a obra de julgamento nos últimos dias.

Extraído de “Perguntas e respostas essenciais sobre o evangelho do reino”

Anterior: Pergunta 2: Embora aqueles que acreditam no Senhor saibam que o Senhor Jesus era Deus encarnado, pouquíssimas pessoas entendem a verdade da encarnação. Quando o Senhor retornar, se Ele aparecer exatamente como o Senhor Jesus apareceu, tornando-se o Filho do homem e operando, as pessoas realmente não terão como reconhecer o Senhor Jesus e acolher o Seu retorno. O que, então, é realmente a encarnação? Qual é a essência da encarnação?

Próximo: Pergunta 4: Deus usou Moisés para realizar a obra da Era da Lei, então por que Deus não usa as pessoas para fazer Sua obra de julgamento nos últimos dias? Ele realmente precisa Se tornar carne para Ele Próprio a fazer? Qual é a diferença essencial entre Deus encarnado e as pessoas que Deus usa?

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Conteúdo relacionado

1. Por que o Senhor Jesus amaldiçoou os fariseus e qual era a essência dos fariseus

Eles condenaram e blasfemaram contra o Senhor Jesus Cristo. A essência de sua resistência e blasfêmia contra Deus era inteiramente a mesma que a essência de Satanás e a resistência e blasfêmia do diabo contra Deus. Eles não apenas representavam humanos corruptos, porém mais ainda, eram a personificação de Satanás. Eram um canal para Satanás entre a humanidade, e eram os cúmplices e mensageiros de Satanás. A essência da sua blasfêmia e sua difamação do Senhor Jesus Cristo era a luta que travavam com Deus pelo prestígio, sua disputa com Deus, seus intermináveis testes de Deus.

5. O valor inerente à Bíblia e como se deve abordar a Bíblia de uma maneira que se conforme à vontade de Deus

“Crença em Deus” significa acreditar que há um Deus; esse é o conceito mais simples de fé em Deus. Mais ainda, acreditar que há um Deus não é o mesmo que crer verdadeiramente em Deus; antes é um tipo de fé simples com fortes implicações religiosas. Fé verdadeira em Deus significa experimentar as palavras e a obra de Deus com base na crença de que Deus é soberano sobre todas as coisas. Assim você será libertado de seu caráter corrupto, cumprirá o desejo de Deus e virá a conhecer Deus. Somente por meio de tal jornada se poderá dizer que crê em Deus.

1. Por que Deus ainda precisa fazer a obra de julgamento nos últimos dias, embora o Senhor Jesus tenha redimido a humanidade

Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens e não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e essa obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro