Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

A Palavra manifesta em carne

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Capítulo 42

Assim que começa a nova obra, todas as pessoas têm uma nova entrada e elas avançam de mãos dadas Comigo, caminhamos juntos pela estrada larga do reino, e o homem e Eu temos grande intimidade. Para mostrar Meus sentimentos, para exibir Minha atitude para com o homem, Eu sempre falei para o homem. Parte dessas palavras, no entanto, pode ferir as pessoas, ao passo que algumas delas podem ser de grande ajuda para elas, e assim Eu aconselho as pessoas a escutar mais atentamente o que vem da Minha boca. Minhas declarações podem não ser elegantes e refinadas, mas todas elas são palavras que vêm do fundo do Meu coração. Porque o homem foi originalmente Meu amigo, Eu continuei a executar Minha obra entre os homens, e o homem também faz o melhor que pode para cooperar Comigo, profundamente temeroso de interromper Minha obra. Neste momento, Meu coração fica cheio de grande prazer, pois ganhei uma porção de pessoas e, assim, Meu “negócio” não está mais em baixa, não são mais palavras vazias, e Meu “mercado de franquias” não tem mais um desempenho vagaroso. As pessoas são sensatas afinal, todas elas estão dispostas a “dedicar a si mesmas” pelo Meu nome e à Minha glória e, desse modo, Meu “departamento de franquias” ganha alguns “bens” novos e, assim, no reino espiritual, muitos “clientes” vêm para comprar Meus “bens”. Somente nesse momento Eu ganho a glória, somente então as palavras ditas pela Minha boca deixam de ser palavras vazias. Eu fui triunfante e retornei com a vitória e todas as pessoas Me celebram. Para mostrar sua admiração por Mim, para mostrar que se dá por vencido sob Meus joelhos, nesse momento o grande dragão vermelho também vem “celebrar” e Eu sou glorificado nisso. Desde o tempo da criação até hoje, Eu travei muitas batalhas vitoriosas e fiz muitas coisas admiráveis. Muitas pessoas certa vez Me celebraram e Me deram louvor e dançaram para Mim. Embora fossem cenas comoventes e inesquecíveis, Eu nunca mostrei Meu sorriso, pois Eu ainda tinha de conquistar o homem e estava meramente fazendo parte da obra similar à da criação. Hoje é diferente do passado. Eu dou um sorriso sentado no trono, Eu conquistei o homem e todas as pessoas se curvam em adoração diante de Mim. As pessoas de hoje não são as do passado. Quando a Minha obra não foi feita por causa do presente? Quando não foi pela Minha glória? Por um amanhã mais brilhante, Eu evidenciarei toda a Minha obra no homem muitas vezes, de modo que toda a Minha glória “repouse” no homem que foi criado. Eu farei disso o princípio da Minha obra. Aqueles que estão dispostos a cooperar Comigo, levantem-se e trabalhem duro de modo que mais da Minha glória preencha o firmamento. Agora é a hora de realizar grandes planos. Todos aqueles que estão sob o cuidado e a proteção do Meu amor têm a chance de usar suas capacidades aqui, no Meu lugar e Eu manobrarei todas as coisas para que se “voltem” a favor da Minha obra. As aves voando no céu são Minha glória no céu, os mares sobre a terra são Meus feitos sobre a terra, o senhor de todas as coisas é Minha manifestação em meio a todas as coisas e Eu emprego tudo que existe sobre a terra como o capital para o Meu gerenciamento, fazendo com que todas as coisas se multipliquem, floresçam e prorrompam de vida.

No tempo da criação, Eu já determinara que Minha obra na terra acabaria por completo na era final. Quando Minha obra terminar, será justamente a hora em que todos os Meus feitos ficarão manifestos no firmamento. Eu farei com que as pessoas na terra reconheçam os Meus feitos e, diante do “assento do julgamento”, Meus feitos serão provados, de modo que eles serão reconhecidos entre as pessoas pela terra, que se submeterão. Por conseguinte, depois disso, Eu embarcarei em um empreendimento nunca antes realizado em eras passadas. A partir de hoje, Eu evidenciarei Meus feitos passo a passo, de modo que Minha sabedoria, Minha magnificência e Minha insondabilidade serão reconhecidos e provados em toda esfera da sociedade. Em particular, diante de todos os partidos governantes sobre a terra deverá haver um reconhecimento bem maior dos Meus feitos, de modo que Meus feitos serão julgados por “juízes” e “defendidos” por “advogados” e, em consequência, Meus feitos serão reconhecidos, fazendo com que todas as pessoas curvem suas cabeças e se submetam. Dessa hora em diante, Minhas ações serão reconhecidas por toda esfera da sociedade e esse será o momento em que Eu ganharei toda a glória na terra. Nesse tempo, Eu aparecerei ao homem e não mais estarei oculto. No presente, Meus feitos ainda têm de atingir o clímax. Minha obra está progredindo e quando atingir seu zênite será quando ela será finalizada. Eu conquistarei completamente as pessoas de todas as nações, Eu farei com que bestas ferozes fiquem mansas como ovelhas diante de Mim e farei com que o grande dragão vermelho se submeta a Mim como as pessoas na terra. Eu derrotarei todos os Meus inimigos no céu e farei com que todos os Meus adversários na terra sejam conquistados. Esse é o Meu plano e a magnificência dos Meus feitos. O homem só pode viver sob a influência da natureza sob a Minha orientação – ele não pode tomar decisões próprias! Quem pode escapar da Minha mão? Eu categorizei toda a natureza, fazendo com que exista em meio a leis e é só por causa disso que há leis como a calidez da primavera e o frescor do outono sobre a terra. A razão pela qual as flores sobre a terra mirram no inverno e florescem no verão é a magnificência da Minha mão, a razão pela qual os gansos voam para o sul no inverno é que Eu ajusto a temperatura e a razão pela qual os mares rugem é que Eu quero afundar as coisas que estão na superfície. O que não foi arranjado por Mim? Desse momento em diante, a “economia natural” do homem é inteiramente derrotada pelas Minhas palavras e as pessoas não mais erradicam a Minha presença por causa da existência de “leis naturais”. Quem alguma vez voltará a negar a existência do Soberano de todas as coisas? No Céu, Eu sou o Cabeça; no meio de todas as coisas, Eu sou o Senhor; e no meio de todas as pessoas, Eu sou o principal. Quem ousa cobrir isso levianamente com “pintura”? Falsidades poderiam desfazer a existência da verdade? Nessa preciosa oportunidade, Eu começo, uma vez mais, a obra das Minhas mãos, não mais sofrendo a interferência do homem, e mantenho as máquinas rodando.

Eu adicionei vários “temperos” às Minhas palavras e, em consequência, é como se Eu fosse o chef sênior do homem. Embora as pessoas não saibam que tempero foi adicionado, elas apreciam o sabor; segurando o “prato”, todas elas saboreiam as “iguarias” que preparei. Não sei por que as pessoas sempre querem comer mais das iguarias que Eu mesmo preparo. É como se levantassem demais os olhos para Mim, como se Me vissem como o mais elevado de todos condimentos e não têm nenhuma consideração por outros. Por ter autorrespeito em demasia, Eu não quero esmagar a “tigela de arroz” dos outros por razões Próprias. Por conseguinte, Eu aproveito a oportunidade para retirar-me da cozinha e permitir que outros tenham a chance de destacar-se. Só dessa maneira o Meu coração é firme; Eu não quero fazer com que as pessoas Me admirem e desprezem os outros, pois isso não está certo. De que vale ter um lugar no coração das pessoas? Sou realmente tão rude e insensato? Estou realmente disposto a assumir uma posição? Se é assim, por que estou embarcando nesse grande empreendimento? Não quero lutar por fama nem fortuna contra outros, Eu desdenho fama e fortuna terrenas, não é isso que Eu busco. Não vejo o homem como um modelo, Eu não luto nem arrebato, mas ganho a vida baseado no Meu “ofício” e não cometo atos impensados. Por conseguinte, quando ando em volta da terra, Eu faço primeiro e só depois exijo “pagamento por trabalho manual” – somente nisso consiste a equidade e razoabilidade de que fala o homem, não há exagero nisso, não foi diminuído nem minimamente, pois Eu falo de acordo com o sentido original dos fatos. Eu ando de um lado para outro entre os homens, procurando por aqueles que são equânimes e razoáveis, mas isso não fez efeito. E porque as pessoas gostam de barganhar, o preço ou é muito alto ou muito baixo e, assim, ainda estou fazendo o dever em Minhas mãos. Hoje ainda não sei por que o homem não cumpre o seu dever, por que ele não conhece o tamanho de sua estatura. As pessoas nem mesmo sabem se é várias gramas ou vários liang.[a] E, em consequência, elas ainda Me enganam. É como se toda a Minha obra tivesse sido em vão, como se Minhas palavras não passassem de um eco nas altas montanhas e ninguém jamais percebeu as raízes das Minhas palavras e declarações. E assim Eu uso isso como o fundamento para resumir o terceiro aforismo: as pessoas não Me conhecem, porque elas não Me veem. É como se, tendo comido Minhas palavras, as pessoas tomassem algum medicamento para auxiliar na digestão e, porque os efeitos colaterais do medicamento são muito fortes, elas sofrem de perda de memória e, assim, Minhas palavras se tornam aquilo que é esquecido, o lugar onde Eu estou se torna o recanto que elas esquecem, e por causa disso Eu suspiro. Por que fiz toda essa obra, mas não há prova nenhuma dela nas pessoas? Não pus nela esforço suficiente? Ou é porque Eu não captei o que o homem necessita? Fiquei sem ideias a esse respeito, Minha única opção é usar Meus decretos administrativos para conquistar todas as pessoas. Não serei mais uma mãe amorosa, mas gerenciarei toda a humanidade como um pai severo!

15 de maio de 1992

Nota de rodapé:

a. O “liang” é uma medida chinesa de peso; um liang equivale a 50 gramas.

Anterior:Capítulo 41

Próximo:Capítulo 43

Conteúdo Relacionado