Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Declarações de Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

Conhecer Deus é a senda para temer a Deus e evitar o mal

Cada um deve examinar novamente sua vida de fé em Deus para ver se, na busca de Deus, você realmente entendeu, verdadeiramente compreendeu e verdadeiramente chegou a conhecer Deus, se você realmente sabe que atitude Deus tem para com os vários tipos de seres humanos e se você realmente entende o que Deus está operando em você e como Ele define cada ato seu. Esse Deus que está ao seu lado, guiando a direção de seu progresso, ordenando seu destino e suprindo suas necessidades ─ em última análise, quanto você entende e quanto você realmente sabe sobre Ele? Você sabe o que Ele opera em você a cada dia? Você sabe os princípios e propósitos sobre os quais Ele baseia cada uma de Suas ações? Você sabe como Ele guia você? Sabe o meio pelo qual Ele provê para você? Conhece os métodos pelos quais Ele guia você? Sabe o que Ele deseja obter de você e o que Ele deseja alcançar em você? Você sabe que atitude Ele toma em relação às diversas formas como você se comporta? Sabe se você é uma pessoa amada por Ele? Sabe a origem de Sua alegria, ira, sofrimento e prazer, os pensamentos e ideias por trás deles e Sua essência? Sabe, afinal, que tipo de Deus é esse no qual você acredita? Essas e outras questões desse tipo são algo que você nunca entendeu ou em que você nunca pensou? Ao buscar sua crença em Deus, através da real apreciação e experiência das palavras de Deus, você esclareceu seus mal-entendidos sobre Ele? Depois de receber a disciplina e repreensão de Deus, você chegou a uma verdadeira submissão e genuíno cuidado? No meio do castigo e julgamento de Deus, você chegou a conhecer a natureza rebelde e satânica do homem e obteve um módico entendimento da santidade de Deus? Sob a direção e esclarecimento das palavras de Deus, você começou a ter uma nova perspectiva de vida? No meio da provação enviada por Deus, você sentiu Sua intolerância para com as ofensas do homem, assim como o que Ele requer de você e como Ele o está salvando? Se você não sabe o que é entender Deus mal ou como esclarecer esse mal-entendido, então pode-se dizer que você nunca entrou em verdadeira comunhão com Deus e nunca entendeu Deus ou, pelo menos, pode-se dizer que você nunca desejou entendê-Lo. Se você não sabe o que são a disciplina e o castigo de Deus, então certamente não sabe o que são submissão e cuidado ou, pelo menos, você nunca realmente cuidou de Deus nem se submeteu a Deus. Se você nunca experimentou o castigo e o julgamento de Deus, então certamente não saberá o que é a Sua santidade e você entenderá menos ainda o que é a rebelião do homem. Se você nunca teve realmente uma perspectiva correta da vida, ou uma meta correta na vida, mas ainda está num estado de perplexidade e indecisão sobre a sua futura senda na vida, até ao ponto de estar hesitante em seguir adiante, então é certo que você nunca recebeu realmente o esclarecimento e a direção de Deus, e pode-se também dizer que você nunca foi realmente suprido ou abundantemente provido pelas palavras de Deus. Se você ainda não se submeteu à provação de Deus, é desnecessário dizer que você certamente não saberá o que é a intolerância de Deus às ofensas do homem, nem compreenderia afinal o que Deus requer de você e, menos ainda, Sua obra de gerenciamento e salvação do homem. Não importa há quantos anos uma pessoa crê em Deus, se ela nunca experimentou ou nunca percebeu nada nas palavras de Deus, então com certeza ela não está trilhando a senda para a salvação, sua fé em Deus certamente não tem conteúdo real, seu conhecimento de Deus com segurança também é zero e, não é necessário dizer, ela não tem a menor ideia do que é reverenciar Deus.

O ser e as posses de Deus, a essência de Deus, Seu caráter ─ tudo se deu a conhecer em Suas palavras para a humanidade. Quando experimentar as palavras de Deus, o homem entenderá, no processo de executá-las, o propósito por trás das palavras que Deus profere, compreenderá a fonte e o contexto das palavras de Deus e entenderá e apreciará o efeito pretendido das palavras de Deus. Para a humanidade, essas são todas coisas que o homem deve experimentar, entender e acessar para aceder à verdade e à vida, entender as intenções de Deus, ser transformado em seu caráter, e tornar-se capaz de submeter-se à soberania e arranjos de Deus. Ao mesmo tempo em que o homem experimentar, entender e acessar essas coisas, ele terá gradualmente obtido um entendimento de Deus e, nesse momento, ele também terá obtido graus diferentes de conhecimento sobre Ele. Esse entendimento e conhecimento não vêm de algo que o homem imaginou ou compôs, mas do que ele aprecia, experimenta, sente e corrobora dentro de si. Só após apreciar, experimentar, sentir e corroborar essas coisas é que o conhecimento que o homem tem de Deus adquire conteúdo; só o conhecimento que ele obtém nesse momento é real, verdadeiro e exato, e esse processo ─ de alcançar um entendimento e um conhecimento genuínos de Deus pela apreciação e experiência, pelo sentir e corroborar Sua palavras ─ não é outra coisa senão a verdadeira comunhão entre Deus e o homem. No meio desse tipo de comunhão, o homem vem verdadeiramente a entender e compreender as intenções de Deus, vem verdadeiramente a entender e conhecer o ser e as posses de Deus, a essência de Deus, vem gradualmente a entender e conhecer o caráter de Deus, chega à verdadeira certeza e correta definição do fato do domínio de Deus sobre toda a criação, e obtém um rumo substancial para o conhecimento da identidade e posição de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem muda, passo a passo, suas ideias sobre Deus, não mais imaginando-O do nada nem dando rédeas a suas próprias suspeitas sobre Ele, ou entendendo-O mal, condenando-O ou julgando-O, ou duvidando Dele. Em consequência, o homem terá menos debates com Deus, terá menos conflitos com Deus e haverá menos ocasiões para que se rebele contra Deus. Em contrapartida, o cuidado por Deus e submissão do homem a Deus crescerão e sua reverência a Deus se tornará mais real assim como mais profunda. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente alcançará a provisão da verdade e o batismo da vida, mas, ao mesmo tempo, alcançará verdadeiro conhecimento de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente será transformado em seu caráter e receberá a salvação, mas, ao mesmo tempo, também adquirirá a verdadeira reverência e adoração de um ser criado para com Deus. Tendo tido esse tipo de comunhão, a fé do homem em Deus não mais será uma página em branco, ou uma promessa oferecida da boca para fora, ou uma forma de busca cega e idolatração; somente com esse tipo de comunhão a vida do homem crescerá em maturidade dia após dia e só então seu caráter gradualmente será transformado, sua fé em Deus passará, progressivamente, de uma fé incerta e vaga a uma genuína submissão e cuidado, a uma real reverência; o homem também, em sua busca por Deus, gradualmente progredirá de uma instância passiva para uma ativa, de alguém que sofre a ação para alguém que age positivamente; somente com esse tipo de comunhão o homem chegará à verdadeira compreensão e entendimento de Deus, ao verdadeiro conhecimento de Deus. Porque a grande maioria das pessoas nunca entraram em verdadeira comunhão com Deus, seu conhecimento de Deus para no nível da teoria, no nível das letras e doutrinas. Equivale a dizer que a grande maioria das pessoas, não importa quantos anos tenha crido em Deus, ainda está, no que diz respeito a conhecer Deus, no mesmo lugar onde começou, presa aos fundamentos das formas tradicionais de culto, com seus adornos de cores lendárias e superstição feudal. O fato do conhecimento de Deus pelo homem ficar paralisado no ponto de partida significa que ele é praticamente inexistente. A não ser pelo fato de o homem afirmar a posição e a identidade de Deus, a fé do homem em Deus ainda está num estado de vaga incerteza. Sendo assim, quanto pode o homem ter de verdadeira reverência a Deus?

Não importa quão firmemente você creia em Sua existência, isso não pode tomar o lugar do conhecimento de Deus nem o de sua reverência a Deus. Não importa quanto você tenha desfrutado de Suas bênçãos e de Sua graça, isso não pode tomar o lugar de seu conhecimento de Deus. Não importa quão desejoso e ansioso você esteja para consagrar e despender tudo de si por causa Dele, isso não pode tomar o lutar de seu conhecimento de Deus. Talvez você tenha se acostumado tanto com as palavras que Ele proferiu, ou as tenha até mesmo memorizado e possa recitá-las de trás para a frente, mas isso não pode tomar o lugar do seu conhecimento de Deus. Por mais intenção que o homem possa ter de seguir a Deus, se ele nunca teve uma genuína comunhão com Deus, ou uma genuína experiência das palavras de Deus, seu conhecimento de Deus não seria mais do que uma página em branco ou um devaneio interminável; por mais que você tenha sociabilizado com Deus de passagem ou O encontrado face a face, seu conhecimento de Deus ainda seria zero e sua reverência a Deus não mais do que uma frase de efeito vazia ou um ideal.

Muitas pessoas pegam as palavras de Deus para as ler dia após dia, até o ponto de cuidadosamente memorizar todas as passagens clássicas que contém e guardá-las como seu tesouro mais precioso e, além disso, pregar as palavras de Deus em todo lugar, provendo e ajudando os outros por meio de Suas palavras. Elas pensam que fazer isso é dar testemunho de Deus, dar testemunho de Suas palavras, que fazer isso é seguir o caminho de Deus; pensam que fazer isso é viver pelas palavras de Deus, que isso é aplicar as Suas palavras às próprias vidas, que fazer isso lhes permitirá receber os elogios de Deus e ser salvas e aperfeiçoadas. Mas, mesmo pregando as palavras de Deus, nunca cumprem com as palavras de Deus na prática ou tentam alinhar-se com o que está revelado nelas. Antes, elas usam as palavras de Deus para ganhar a adoração e confiança dos outros trapaceando, para entrar no gerenciamento por conta própria e defraudar e roubar a glória de Deus. Elas esperam, em vão, usar a oportunidade dada para divulgar as palavras de Deus para receberem a obra de Deus e Seus elogios. Quantos anos se passaram, mas essas pessoas não somente não conseguiram merecer os elogios de Deus no processo de pregar as palavras de Deus, não somente foram incapazes de descobrir o caminho que deveriam seguir no processo de dar testemunho das palavras de Deus, como também não ajudaram a suprir a si mesmas no processo de suprir e ajudar os outros por meio das palavras de Deus, foram incapazes de conhecer Deus e de despertar a si mesmas para uma reverência genuína a Deus, no processo de fazer todas essas coisas; mas, ao contrário, seus mal-entendidos sobre Deus aumentam cada vez mais, sua desconfiança em Deus se torna cada vez mais grave, e suas imaginações sobre Ele, mais hiperbólicas. Supridas e guiadas por suas teorias sobre as palavras de Deus, elas aparentam estar completamente em seu ambiente, como se estivessem exercendo suas habilidades com toda a facilidade, como se tivessem encontrado seu propósito na vida, sua missão, como se tivessem ganhado nova vida e fossem salvas, como se, com as palavras de Deus fluindo cristalinas de suas bocas em recital, elas tivessem obtido acesso à verdade, entendido as intenções de Deus e descoberto a senda para conhecer Deus, como se, no processo de pregar as palavras de Deus, elas ficassem frequentemente face a face com Deus. Ademais, elas são frequentemente “tocadas” ao ponto de ter ataques de choro e, geralmente, levadas pelo “Deus” nas palavras de Deus, elas aparentam estar incessantemente entendendo Sua sincera solicitude e gentil intenção e, ao mesmo tempo, ter compreendido a salvação do homem por Deus e Seu gerenciamento, ter chegado a conhecer a Sua essência e a ter compreendido Seu justo caráter. Com base nesse fundamento, elas parecem crer ainda mais firmemente na existência de Deus, ser mais cientes de Seu estado exaltado e sentir ainda mais profundamente Sua grandeza e transcendência. Embebidas nesse conhecimento superficial das palavras de Deus, pareceria que sua fé cresceu, que sua resolução para suportar o sofrimento foi fortalecida e que seu conhecimento de Deus foi aprofundado. Pouco sabem elas que, até que elas realmente experimentem as palavras de Deus, todo o seu conhecimento de Deus e suas ideias sobre Ele advêm de sua imaginação fértil e de conjectura. Sua fé não resistiria a qualquer tipo de teste de Deus, aquilo que chamam de espiritualidade e estatura simplesmente não resistiria à prova ou inspeção de Deus, sua resolução não passa de um castelo construído sobre a areia, e o suposto conhecimento de Deus também não é mais que uma invenção de sua imaginação. De fato, essas pessoas que, por assim dizer, investiram muito nas palavras de Deus, nunca perceberam o que é a verdadeira fé, o que é a verdadeira submissão, o que é verdadeiro cuidado por Deus nem o que é conhecimento real de Deus. Elas tomam a teoria, a imaginação, o conhecimento, o dom, a tradição, a superstição, e até mesmo os valores morais da humanidade, e os transformam em “capital de investimento” e “armas militares” para acreditar em Deus e buscá-Lo, tornando-os fundamentos da sua crença em Deus e sua busca por Ele. Ao mesmo tempo, elas também pegam esse capital e armas e os transformam em um talismã mágico para conhecer a Deus, para encontrar e contender contra inspeção, a provação, o castigo e o julgamento de Deus. No final, o que elas acumulam consiste em nada mais do que conclusões sobre Deus que estão mergulhadas em conotação religiosa, na superstição feudal e em tudo que é romântico, grotesco e enigmático, seu modo de conhecer e definir a Deus está gravado no mesmo molde que o das pessoas que creem apenas no Céu Acima, ou no Bom Velhinho no Céu, enquanto a realidade de Deus, Sua essência, Seu caráter, Suas posses e Seu ser, e assim por diante — tudo isso tem a ver com o Próprio Deus real — são coisas que o conhecimento delas não conseguiu captar, é completamente irrelevante e estão até mesmo em polos opostos. Dessa forma, embora elas vivam sob a provisão e nutrição das palavras de Deus, elas são incapazes de trilhar verdadeiramente a senda de temer a Deus e evitar o mal. A verdadeira razão para isso é que elas nunca se familiarizaram com Deus, nem tiveram contato genuíno ou comunhão com Ele, e assim é impossível que elas cheguem a um entendimento mútuo com Deus, ou que despertem em si mesmas uma crença genuína em Deus, busca por ou adoração a Deus. Que elas considerem as palavras de Deus assim, que elas considerem Deus dessa forma — essa perspectiva e atitude as condenou a retornar de mãos vazias dos seus esforços, condenou-as a nunca, em toda a eternidade, ser capazes de trilhar a senda de temer a Deus e evitar o mal. O alvo para o qual elas estão mirando e a direção na qual elas estão indo significam que elas são inimigas de Deus por toda a eternidade, e que através da eternidade elas nunca serão capazes de receber a salvação.

Se, no caso de um homem que seguiu Deus por muitos anos e desfrutou da provisão de Suas palavras por muitos anos, sua definição de Deus for, em sua essência, a mesma de alguém que se prostra em culto diante dos ídolos, então isso significaria que esse homem não alcançou a realidade das palavras de Deus. Isso é porque ele simplesmente não entrou na realidade das palavras de Deus e, por essa razão, a realidade, a verdade, as intenções e as exigências sobre a humanidade, todas as quais são inerentes às palavras de Deus, têm nada a ver com ele. Quer dizer, não importa quão arduamente um homem assim possa trabalhar no significado superficial das palavras de Deus, tudo é fútil: porque o que ele persegue são meras palavras, o que ele recebe também será necessariamente meras palavras. Quer as palavras proferidas por Deus sejam, na aparência exterior, claras ou abstrusas, são todas as verdades indispensáveis ao homem quando ele entra na vida; elas são a fonte de águas vivas que lhe permite sobreviver em ambos espírito e carne. Elas fornecem o que o homem precisa para se manter vivo; o dogma e credo para conduzir sua vida diária; a senda, a meta e a direção pela qual ele deve passar para receber a salvação; toda verdade que ele deve possuir como ser criado diante de Deus; e toda verdade sobre como o homem obedece e adora a Deus. Elas são a garantia que asseguram a sobrevivência do homem, elas são o pão diário do homem, e também são o firme suporte que permite que o homem seja forte e se levante. Elas são ricas na realidade da verdade da humanidade normal como é vivida pela humanidade criada, ricas na verdade pela qual a humanidade se liberta da corrupção e evade as armadilhas de Satanás, ricas no incansável ensino, exortação, encorajamento e consolo que o Criador dá à humanidade criada. Elas são o farol que guia e ilumina os homens para entender tudo o que é positivo, a garantia que assegura que os homens viverão e se apossarão de tudo que é justo e bom, o critério pelo qual as pessoas, eventos e objetos são medidos, e também o marcador de navegação que leva os homens para a salvação e a senda da luz. Somente na experiência real das palavras de Deus o homem é suprido com a verdade e a vida; somente aqui ele entende o que é a humanidade normal, o que é uma vida significativa, o que é um ser criado genuíno, o que é a verdadeira obediência a Deus; somente aqui ele compreende como deveria se importar com Deus, como cumprir o dever de um ser criado e como possuir a semelhança de um homem real; somente aqui ele compreende o que se entende por fé genuína e adoração genuína; somente aqui ele entende quem é o Governante dos céus e da terra e todas as coisas; somente aqui ele entende os meios pelos quais Aquele que é o Mestre de toda a criação governa, conduz e provê para a criação; e somente aqui ele chega a entender e compreender os meios pelos quais Aquele que é o Mestre de toda a criação existe, Se manifesta e opera… Separado da experiência real das palavras de Deus, o homem não tem conhecimento real nem percepção das palavras e da verdade de Deus. Tal homem é um evidente cadáver vivo, uma concha consumada, e todo conhecimento relativo ao Criador não tem nada a ver com ele. Aos olhos de Deus, tal homem nunca acreditou Nele, nem nunca O seguiu, e assim Deus não o reconhece nem como aquele que crê Nele nem como Seu seguidor, menos ainda como um ser criado genuíno.

Um ser criado genuíno deve saber quem é o Criador, para que serve a criação do homem, como cumprir as responsabilidades de um ser criado, e como adorar o Senhor de toda a criação, deve compreender, captar, conhecer e se importar com as intenções, desejos e demandas do Criador, e deve agir de acordo com o caminho do Criador — temer a Deus e evitar o mal.

O que é temer a Deus? E como evitar o mal?

“Temer a Deus” não significa medo e horror indescritível, nem evadir, nem se afastar, nem é idolatração ou superstição. Antes, é admiração, estima, confiança, compreensão, cuidado, obediência, consagração, amor, bem como a adoração, a retribuição e a rendição incondicionais e submissas. Sem o conhecimento genuíno de Deus, a humanidade não terá admiração genuína, confiança genuína, compreensão genuína, cuidado ou obediência genuínos, mas apenas medo e desconforto, apenas dúvida, incompreensão, evasão e fuga; sem conhecimento genuíno de Deus, a humanidade não terá verdadeiras consagração e retribuição; sem conhecimento real de Deus, a humanidade não terá adoração e entrega genuínas, apenas idolatração cega e superstição; sem conhecimento genuíno de Deus, a humanidade não pode agir de acordo com o caminho de Deus, ou temer a Deus, ou evitar o mal. Em contrapartida, toda atividade e comportamento em que o homem se envolver serão repletos de rebeldia e desafio, com imputações caluniosas e julgamentos caluniosos sobre Ele, e com conduta maligna contrária à verdade e ao verdadeiro significado das palavras de Deus.

Tendo verdadeira confiança em Deus, a humanidade realmente saberá como seguir a Deus e depender Dele; somente com verdadeira confiança e dependência de Deus, a humanidade pode ter uma genuína compreensão e entendimento; juntamente com a real compreensão de Deus, vem o cuidado real por Ele; somente com o cuidado genuíno por Deus, a humanidade pode ter uma obediência genuína; somente com obediência genuína a Deus, a humanidade pode ter consagração genuína; somente com a consagração genuína a Deus, a humanidade pode ter uma retribuição incondicional e submissa; somente com confiança e dependência genuínas, compreensão e cuidado genuínos, obediência genuína, consagração e retribuição genuínas, a humanidade pode verdadeiramente conhecer o caráter e a essência de Deus e conhecer a identidade do Criador; somente quando ela vier a conhecer o Criador verdadeiramente, a humanidade poderá despertar em si mesma a adoração e entrega genuínas; somente quando tiver adoração verdadeira e se render verdadeiramente ao Criador, a humanidade será realmente capaz de deixar seus maus caminhos, isto é, evitar o mal.

Isso constitui todo o processo de “temer a Deus e evitar o mal” e é também o conteúdo em sua totalidade de temer a Deus e evitar o mal, bem como o caminho que deve ser percorrido para chegar a temer a Deus e evitar o mal.

“Temer a Deus e evitar o mal” e conhecer a Deus estão indivisivelmente conectados por uma miríade de fios, e a conexão entre eles é evidente. Se alguém deseja alcançar o repúdio ao mal, deve primeiro ter verdadeiro temor a Deus; se alguém deseja atingir o real temor a Deus, deve primeiro ter conhecimento real de Deus; se alguém deseja alcançar o conhecimento de Deus, deve primeiro experimentar as palavras de Deus, entrar na realidade das palavras de Deus, experimentar repreensão e disciplina de Deus, Seu castigo e julgamento; se alguém deseja experimentar as palavras de Deus, deve primeiro ficar face a face com as palavras de Deus, ficar face a face com Deus e pedir a Deus que forneça oportunidades para experimentar as palavras Dele na forma de ambientes diversos envolvendo pessoas, eventos e objetos; se alguém deseja ficar face a face com Deus e com as palavras de Deus, primeiro deve possuir um coração simples e honesto, prontidão para aceitar a verdade, vontade para suportar o sofrimento, a resolução e a coragem para evitar o mal, e a aspiração de tornar-se um ser criado genuíno... Deste modo, avançando passo a passo, você se aproximará cada vez mais de Deus, seu coração se tornará cada vez mais puro, e sua vida e o valor de estar vivo serão, junto com seu conhecimento de Deus, cada vez mais significativos e brilharão cada vez mais radiantemente. Até que, um dia, você sentirá que o Criador não é mais um enigma, que o Criador nunca esteve oculto de você, que o Criador nunca escondeu Seu rosto de você, que o Criador não está, de modo algum, longe de você, que O Criador não é mais Aquele que você constantemente anseia em seus pensamentos, mas que você não pode alcançar com seus sentimentos, que Ele está real e verdadeiramente de guarda à sua esquerda e direita, suprindo sua vida e controlando seu destino. Ele não está no horizonte remoto, nem se ocultou no alto das nuvens. Ele está ao seu lado, presidindo sobre tudo o que é o seu, Ele é tudo o que você tem, e Ele é a única coisa que você tem. Tal Deus permite que você O ame de coração, apegue-se a Ele, mantenha-O perto, admire-O, tema perdê-Lo e não esteja mais disposto a renunciar a Ele, nem mais a desobedecê-Lo, ou evitá-Lo ou mantê-Lo à distância. Tudo o que você quer é ter cuidado por Ele, obedecê-Lo, retribuir tudo o que Ele lhe dá e entregar-se ao Seu domínio. Você não se recusa mais a ser guiado, suprido, cuidado e mantido por Ele, não se recusa mais ao que Ele lhe determina e ordena. Tudo que você quer é segui-Lo, andar ao lado Dele à Sua esquerda ou direita, tudo o que você quer é aceitá-Lo como sua única vida, aceitá-Lo como seu único Senhor, seu único Deus.

Anterior:O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus

Próximo:Como conhecer o caráter de Deus e o resultado de Sua obra

Coisas que talvez lhe interessem