Aqueles que não aprendem e permanecem ignorantes: eles não são bestas?

À medida que você segue a senda de hoje, qual é o tipo de busca mais apropriado? Em sua busca, você deveria se ver como que tipo de pessoa? Cabe a você saber como você deveria abordar tudo o que lhe sobrevém hoje, sejam provações ou adversidades, ou castigo e maldição impiedosos. Confrontado com todas essas coisas, você deveria refletir sobre elas cuidadosamente em todos os casos. Por que digo isso? Eu digo isso porque as coisas que lhe sobrevêm hoje são, afinal de contas, provações de curta duração que ocorrem repetidamente; talvez, no que lhe diz respeito, elas não são particularmente exigentes para o espírito, e, assim, você deixa as coisas à deriva durante seu curso natural, e não as considera como recursos preciosos na busca de progresso. Como você é imprudente! Tanto que você pensa nesse recurso precioso como se ele fosse uma nuvem que flutua diante de seus olhos e você não preza esses golpes duros que caem sobre você vez após vez — golpes que são curtos e lhe parecem ser de pouco peso — mas, em vez disso, os vê frio desinteresse, não os levando a sério, e os trata meramente como um golpe casual. Você é tão arrogante! Para com esses ataques ferozes, ataques semelhantes a tempestades, que vêm repetidas vezes, você demonstra apenas uma despreocupação irreverente; às vezes, você chega até a dar um sorriso frio, revelando uma expressão de total indiferença — pois você nem uma vez se perguntou por que você continua sofrendo tais “infortúnios”. Poderia ser que estou sendo grosseiramente injusto para com o homem? Eu assumi a responsabilidade de encontrar defeitos em você? Muito embora os problemas com sua mentalidade possam não ser tão sérios como os descrevi, você tem, através de sua compostura externa, pintado um retrato perfeito de seu mundo interior há tempos. Não há necessidade de Eu lhe dizer que a única coisa escondida nas profundezas de seu coração é uma invectiva bruta e leves traços de tristeza que mal podem ser percebidos pelos outros. Por achar que é tão injusto ter sofrido tais provações, você pragueja; e porque essas provações fazem você sentir a desolação do mundo, você se enche de melancolia. Longe de ver esses repetidos golpes e atos disciplinares como a melhor proteção de todas, você os vê como a perturbação disparatada do Céu ou como uma retribuição correta contra você. Você é tão ignorante! Impiedosamente, você confina os tempos bons às trevas; vez após vez, você vê provações e atos disciplinares maravilhosos como ataques de seus inimigos. Você não sabe como se adaptar ao seu ambiente, e está muito menos desejoso de tentar fazê-lo, pois você não está disposto a ganhar qualquer coisa desse castigo repetido e, a seu ver, cruel. Você não faz nenhuma tentativa nem de buscar nem de explorar e, simplesmente se conformando com seu destino, segue para onde quer que ele o leve. O que pode lhe parecer ser atos selvagens de castigo não mudaram seu coração, tampouco conquistaram seu coração; em vez disso, o apunhalam no coração. Você vê esse “castigo cruel” apenas como seu inimigo nesta vida e, assim, você não ganhou nada. Você é tão presunçoso! Raramente acredita que você sofre tais provações por causa de seu desprezo; em vez disso, você se considera como um infeliz, dizendo, além disso, que estou sempre achando defeito em você. E agora que as coisas chegaram a este ponto, quanto você realmente sabe sobre o que Eu digo e faço? Não pense que você é um prodígio natural de nascença, apenas um pouco abaixo dos céus, mas infinitamente mais elevado do que a terra. Você está longe de ser mais esperto que qualquer um — e, poderia até se dizer que é simplesmente adorável o quanto você é mais tolo do que qualquer pessoa que é dotada de razão na terra, pois você se tem em uma estima alta demais e nunca teve um senso de inferioridade, como se você pudesse perceber Minhas ações até os menores detalhes. Como de fato, é que você é alguém que carece fundamentalmente de razão, porque não faz ideia daquilo que tenciono fazer e está ainda muito menos ciente daquilo que estou fazendo agora. E assim, digo que você não se iguala nem mesmo a um velho fazendeiro que labuta na terra, um fazendeiro que não tem a mais leve percepção da vida humana e, mesmo assim, põe toda a sua dependência nas bênçãos do Céu quando cultiva a terra. Você, que não gasta nem um segundo para pensar em sua vida, não sabe nada de renome, muito menos ainda você tem qualquer autoconhecimento. Você está tão “acima de tudo”! Eu realmente Me preocupo com vocês frajolas de primeira e vocês mocinhas delicadas: como vocês serão capazes de enfrentar o ataque de tempestades ainda maiores? Esses frajolas são totalmente indiferentes às dificuldades em que se encontram. Para eles, isso parece ser uma questão trivial, e, assim, eles não lhe dão qualquer importância, nem se sentindo negativos, nem se achando inferiores; em vez disso, eles continuam, como antes, vagueando pelas ruas balançando seus leques. Essas “personalidades” que não aprendem e permanecem ignorantes, não têm ideia de por que Eu lhes diria tais coisas; com o rosto cheio de irritação, elas simplesmente fazem uma inspeção casual de si mesmas e, depois, continuam sem mudar seus caminhos malignos; assim que Me deixam, começam novamente a correr descontroladamente no mundo, se gabando e fraudando de novo. Quão rapidamente muda a expressão em seu rosto. Assim, mais uma vez, você tenta Me enganar dessa maneira — como você é ousado! Aquelas mocinhas delicadas são ainda mais risíveis. Ouvindo Minhas declarações urgentes e vendo a dificuldade em que estão, lágrimas escorrem pelo seu rosto espontaneamente, seu corpo se contorce para a frente e para trás, e elas parecem estar fazendo uma cena — que repulsivo! Percebendo a própria estatura, elas se jogam na cama e ficam deitadas ali, chorando sem cessar, quase como se estivessem a dar o último suspiro. E, quando essas palavras lhes mostram sua infantilidade e baixeza, se tornam tão curvadas pela negatividade que a luz se apaga de seus olhos, e elas, sem se queixar de Mim nem Me odiar, se tornam completamente imóveis em sua passividade e, igualmente, deixam de aprender e permanecem ignorantes. Depois de Me deixarem, elas divertem-se e brincam, com risadas que repicam como as da “Princesa Silver Bell.” Como são frágeis e carecem de amor próprio! Vocês todos, os rejeitos defeituosos da humanidade — como carecem de humanidade! Vocês não sabem amar a si mesmos nem como se proteger, vocês não têm senso, não buscam o caminho verdadeiro, não amam a luz verdadeira e, além do mais, não sabem apreciar a si mesmos. Quanto aos ensinamentos que Eu lhes dei, repetidas vezes, há muito tempo que vocês os relegaram aos recônditos de sua mente, até ao ponto de tratá-los como brinquedos para se divertir em seus momentos ociosos. Vocês consideram todos eles à luz de seu próprio “talismã” pessoal. Quando acusados por Satanás, vocês oram; quando negativos, caem num sono profundo; quando felizes, correm por aí selvagemente; quando Eu os repreendo, vocês são excessivamente submissos; e, então, assim que saem de Minha presença, riem com alegria malévola. Você se sente acima de todos os outros, mas você nunca se vê como o mais arrogante de todos, e somente é sempre indescritivelmente altivo, complacente e arrogante. Como tais “jovens cavalheiros”, “jovens senhoritas”, “senhores” e “senhoras” que não aprendem e permanecem ignorantes, poderiam considerar Minhas palavras como um tesouro precioso? Pergunto-lhe novamente: O que, exatamente, você tem aprendido com as Minhas palavras e Minha obra ao longo de tanto tempo? Será que você ganhou mais habilidade em sua enganação? Ou mais sofisticação em sua carne? Ou mais desrespeito em sua atitude para Comigo? Eu lhe digo francamente: é toda essa obra que Eu tenho feito que fez você, que costumava ter a coragem de um rato, ficar mais corajoso. A trepidação que você sente em relação a Mim diminui a cada dia que passa, pois sou misericordioso demais e nunca impus sanções sobre sua carne por meio de violência. Talvez, na sua opinião, Eu esteja meramente proferindo palavras severas — mas é muito mais frequente que Eu lhe mostre uma face sorridente, e quase nunca censure você diretamente. Além do mais, sempre perdoo sua fraqueza, e é inteiramente por causa disso que você Me trata como a cobra tratou o gentil fazendeiro. Como Eu admiro o grau extremo de habilidade e perspicácia nos poderes observacionais da raça humana! Permita-Me dizer-lhe uma verdade: hoje, importa muito pouco se seu coração é ou não reverente; não estou ansioso nem preocupado com isso. Mas também devo dizer-lhe isto: você, essa “pessoa de talento”, que não aprende e permanece ignorante, no fim, será derrubado por sua esperteza auto-admiradora e mesquinha — será você quem sofre e é castigado. Eu não serei tão estúpido a ponto de acompanhar você enquanto você continua a sofrer no inferno, pois não sou da mesma espécie que você. Não esqueça que você é um ser criado que foi amaldiçoado por Mim e, mesmo assim, também é instruído e salvo por Mim, e não há nada em você que Eu relutaria em abandonar. A qualquer momento que Eu faça a Minha obra, nunca sou restringido por qualquer pessoa, ocorrência ou objeto. Minha atitude e Meu ponto de vista face a face à humanidade sempre permaneceram os mesmos. Eu não sou particularmente bem-disposto para com você, porque você é um apêndice à Minha gestão, e está longe de ser mais especial do que qualquer outro ser. Este é Meu conselho para você: você deve se lembrar sempre de que você não é nada mais do que uma criatura de Deus! Embora você possa compartilhar sua existência Comigo, você deveria conhecer a própria identidade; não tenha uma opinião muito elevada de si mesmo. Mesmo que Eu não o repreenda ou lide com você, mas o cumprimente com uma face sorridente, isso não é suficiente para provar que você é da mesma espécie que Eu. Você — você deveria saber que você é alguém que busca a verdade, não a verdade em si! Você deve estar pronto a todo instante para mudar de acordo com Minha palavra. Você não pode escapar disso. Eu o insto, durante este tempo precioso, quando você tem esta oportunidade rara, para tentar aprender alguma coisa. Não Me engane; Eu não preciso que você use de bajulações para tentar Me enganar. Quando você Me busca, isso não é totalmente para o Meu, mas, antes, para o seu próprio bem!

Anterior: A identidade inerente do homem e seu valor: o que realmente são?

Próximo: As pessoas escolhidas da China não são capazes de representar tribo alguma de Israel

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A quem você é leal?

Neste momento, cada dia que vocês vivem é crucial e é de suma importância para o seu destino e sua sina, assim, vocês devem apreciar tudo...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro