Capítulo 17

Na verdade, todas as declarações que emanam da boca de Deus são desconhecidas aos humanos; são todas uma língua que as pessoas não ouviram. Como tais, pode-se dizer que as próprias palavras de Deus são um mistério. A maioria das pessoas acredita erroneamente que mistérios apenas incluem coisas às quais as pessoas não podem chegar conceitualmente, questões do céu que agora Deus lhes permite conhecer ou a verdade daquilo que Deus faz no mundo espiritual. Isso torna evidente que as pessoas não tratam todas as palavras de Deus da mesma forma, nem as valorizam; ao contrário, elas se concentram no que elas mesmas acreditam ser “mistérios”. Isso prova que elas não sabem o que as palavras de Deus são nem o que são mistérios — elas meramente leem Suas palavras dentro do escopo de suas próprias noções. A realidade é que não existe uma única pessoa que ame verdadeiramente as palavras de Deus, e isso é precisamente a raiz de Seu dito de que “as pessoas são especialistas em Me enganar”. Não é que Deus diga que as pessoas são desprovidas de qualquer mérito ou que são uma desordem total; isso descreve a situação real da humanidade. As próprias pessoas não estão muito claras em relação a quanto espaço Deus de fato ocupa no coração delas; só o Próprio Deus sabe disso totalmente. Portanto, no momento, as pessoas são como bebês de peito. Estão completamente inconscientes quanto da razão pela qual bebem leite e por que deveriam sobreviver. Só a mãe entende as necessidades de um bebê; ela não permitirá que ele morra de fome nem permitirá que o bebê se encha de comida até morrer. Deus conhece melhor as necessidades das pessoas, de modo que, por vezes, o Seu amor está corporificado em Suas palavras, por vezes, o Seu julgamento é revelado nelas, por vezes, elas ferem as pessoas nas profundezas de seu coração mais profundo das pessoas e, por vezes, elas são sinceras e sérias. Isso permite que as pessoas sintam a bondade e a acessibilidade de Deus, que Ele não é alguma “figura imponente” imaginada que não pode ser tocada. Tampouco Ele é o Filho do Céu na mente das pessoas, cujo rosto não pode ser olhado diretamente, e menos ainda é um carrasco que mata o inocente, como as pessoas imaginam. O caráter inteiro de Deus é revelado em Sua obra; o caráter do Deus na carne hoje é ainda corporificado por meio de Sua obra. Assim, Seu ministério é o ministério de palavras, não o que Ele faz nem como aparenta ser exteriormente. No fim, todos ganharão a edificação das palavras de Deus e serão completados por causa delas. Em sua experiência, guiada pelas as palavras de Deus, as pessoas obterão uma senda para praticar e, por meio das palavras da boca de Deus, elas virão a conhecer o Seu caráter inteiro. Por causa de Suas palavras, toda a obra de Deus será realizada, as pessoas se tornarão vivas, e todos os inimigos serão derrotados. Essa é a obra primária, que ninguém pode ignorar. Vejamos Suas palavras: “Minhas declarações soam como um trovão, lançando luz em todas as direções e na terra toda, e, em meio a trovão e relâmpago, a humanidade é abatida. Nenhum homem jamais permaneceu firme em meio a trovão e relâmpago; a maioria dos homens fica apavorada a ponto de enlouquecer com chegada da Minha luz e não sabe o que fazer”. Assim que Deus abre Sua boca, as palavras saem. Ele realiza tudo por meio de palavras, todas as coisas são transformadas por elas, e todos são renovadas por elas. A que “trovão e relâmpago” se refere? E a que “luz” se refere? Nenhuma coisa pode escapar das palavras de Deus. Ele as usa para desnudar a mente das pessoas e retratar sua fealdade; Ele usa palavras para lidar com sua velha natureza e para tornar completo o Seu povo. Não é precisamente essa a importância das palavras de Deus? No universo inteiro, sem o apoio e a fortificação das palavras de Deus, toda a humanidade teria sido destruída há muito tempo ao ponto da inexistência. Esse é o princípio daquilo que Deus faz e é o método pelo qual Ele opera durante o Seu plano de gerenciamento de seis mil anos. Isso mostra a importância das palavras de Deus. Elas penetram diretamente as profundezas da alma das pessoas. Assim que as pessoas veem Suas palavras, elas ficam espantadas e aterrorizadas e fogem às pressas. Elas querem escapar da realidade de Suas palavras, que é a razão pela qual esses “refugiados” podem ser vistos por toda parte. Assim que as palavras de Deus são emitidas, as pessoas saem correndo. Esse é um aspecto da imagem da feiura da humanidade que Deus retrata. Neste momento, todas as pessoas estão despertando aos poucos de seu estupor; é como se, anteriormente, todas elas tivessem desenvolvido um caso de demência e, agora que veem as palavras de Deus, elas parecem estar sofrendo dos efeitos residuais daquela doença e parecem ser incapazes de recuperar o estado anterior. É assim que todas as pessoas realmente são, e é também um retrato verdadeiro destas palavras: “muitas pessoas, movidas por essa fraca luminescência, são despertadas instantaneamente de suas ilusões. No entanto, ninguém jamais percebeu que chegou o dia em que Minha luz desce sobre a terra”. É por isso que Deus disse: “A maioria dos homens fica emudecida com o advento repentino da luz”. É perfeitamente apropriado colocar dessa forma. A descrição que Deus faz da humanidade não deixa espaço nem mesmo para enfiar a ponta de uma agulha, e Ele verdadeiramente a formulou com precisão e sem erros, e é por isso que todas as pessoas são plenamente convencidas e, sem que o percebessem, o amor por Deus começou a se desenvolver no fundo do coração delas. Só assim a posição de Deus ali se torna cada vez mais genuíno, e essa também é uma maneira pela qual Deus opera.

“A maioria dos homens fica simplesmente desnorteada; eles são feridos nos olhos e atirados na lama pela luz.” Visto que tais pessoas vão contra a vontade de Deus (ou seja, elas resistem a Deus), quando Suas palavras vêm, elas sofrem castigo devido à sua rebeldia; por isso é dito que são feridas nos olhos pela luz. Tais pessoas já foram entregues a Satanás; assim, ao entrar na nova obra, elas não possuem nem esclarecimento nem iluminação. Todos aqueles que não têm a obra do Espírito Santo foram ocupados por Satanás, e não há lugar para Deus no fundo de seu coração. Por isso é dito que essas pessoas são “atiradas na lama”. Todos os que estão nessa condição estão em um estado de desordem. Não conseguem entrar na trilha certa, nem conseguem recuperar a normalidade; todos os seus pensamentos são contrários. Todos na terra foram corrompidos ao extremo por Satanás. As pessoas não têm vitalidade e fedem a cadáveres. Todas as pessoas da terra sobrevivem em meio a uma praga de germes, da qual ninguém consegue escapar. Elas não estão dispostas a sobreviver na terra, mas sempre sentem que algo maior acontecerá para fazer as pessoas verem com seus próprios olhos; sendo assim, todas as pessoas se forçam a continuar vivendo. Elas não têm força no coração há muito tempo; elas simplesmente usam suas esperanças invisíveis como um pilar espiritual, e assim levantam a cabeça fingindo ser homens, se virando dia após dia na terra. É como se todas elas fossem os filhos do diabo encarnado. É por isso que Deus disse: “a desordem cobre a terra, uma vista insuportavelmente triste que, ao ser examinada de perto, assola a pessoa com uma melancolia esmagadora”. Já que essa situação surgiu, Deus começou a “espalhar as sementes do Meu Espírito” por todo o universo e começou a realizar Sua obra de salvação na terra inteira. É por causa do avanço dessa obra que Deus começou a derramar todo tipo de desastres, salvando assim os humanos de coração endurecido. Nas fases da obra de Deus, salvação ainda assume a forma de vários desastres, e ninguém que esteja condenado pode escapar deles. Só no fim, será possível alcançar uma situação na terra que é “tão sereno quanto o terceiro céu: aqui as coisas vivas, grandes e pequenas, coexistem em harmonia, sem nunca se envolver em ‘conflitos de boca e língua’”. Um aspecto da obra de Deus é conquistar toda a humanidade e ganhar o povo escolhido por meio de Suas palavras; outro aspecto é conquistar todos os filhos da rebelião por meio de vários desastres. Essa é uma parte da obra de grande escala de Deus. Somente dessa maneira o reino que Deus quer na terra pode ser plenamente alcançado, e essa é a parte da Sua obra de Deus que é ouro puro.

Deus exige constantemente que as pessoas entendam a dinâmica do céu. Elas podem mesmo alcançar isso? A realidade é que, com base nos atuais estados reais das pessoas, tendo sido corrompidas por Satanás por mais de 5.900 anos, elas não podem se comparar a Pedro; sendo assim, simplesmente não conseguem alcançar isso. Esse é um dos métodos da obra de Deus. Ele não faria com que as pessoas esperassem passivamente. Em vez disso, Ele quer que busquem ativamente. Só assim Deus terá a oportunidade de operar nas pessoas. Seria bom oferecer-lhes um pouco mais de explicação; caso contrário as pessoas terão apenas uma compreensão superficial. Depois que criou a humanidade e lhe concedeu espírito, Deus ordenou que, se não clamasse a Ele, ela não seria capaz de se conectar com o Seu Espírito e, assim, seria impossível receber na terra a “televisão por satélite” do céu. Quando Deus não está mais no espírito das pessoas, um lugar fica vazio para outras coisas, e assim Satanás aproveita a oportunidade para entrar. Quando as pessoas contatam Deus com o coração, Satanás imediatamente entra em pânico e corre para escapar. Por meio dos clamores da humanidade, Deus lhe dá o que ela precisa, mas a princípio Ele não “reside” dentro dela. Ele simplesmente lhe dá a ajuda constante por causa de seu clamor, daquela força interna, as pessoas ganham robustez, de modo que Satanás não ousa entrar para “brincar” à vontade. Assim, se as pessoas se conectarem continuamente com o Espírito de Deus, Satanás não ousará vir e causar interrupções. Sem as interrupções de Satanás, a vida de todas as pessoas segue normal, e então Deus tem a oportunidade de operar desimpedido dentro delas. Assim, o que Deus quer fazer pode ser alcançado através dos humanos. A partir disso, é possível saber por que Deus sempre exigiu que as pessoas aumentassem a sua fé e também por que disse: “Eu faço exigências adequadas segundo a estatura do homem na terra. Jamais pus alguém em dificuldades, nem jamais pedi a alguém para ‘espremer o próprio sangue’ para Meu prazer”. A maioria das pessoas fica perplexa diante das exigências de Deus. Elas se perguntam por que, visto que as pessoas não possuem essa faculdade e foram irreparavelmente corrompidas por Satanás, Deus continua fazendo exigências a elas. Isso não é Deus colocando as pessoas em uma posição difícil? Ao ver seus rostos solenes e então ver seus olhares desajeitados, você não consegue deixar de rir. As várias aparências feias das pessoas são muito risíveis: às vezes, elas são como crianças que adoram brincar, outras vezes são como uma menininha que brinca de “mamãe”. Algumas vezes são como um cachorro comendo um rato. Não sabemos se devemos rir ou chorar diante desses seus estados feios, e muitas vezes, quanto menos as pessoas conseguem entender a vontade de Deus, mais suscetíveis são a se meterem em apuros. Assim, as seguintes palavras de Deus: “Eu sou o Deus que simplesmente impõe silêncio sobre a criação?” bastam para mostrar o quanto as pessoas são tolas, e também mostram que nenhum homem consegue entender a vontade de Deus. Mesmo que Ele articule qual é a Sua vontade, elas não conseguem levá-la em consideração. Elas simplesmente fazem a obra de Deus de acordo com a vontade humana. Sendo assim, como podem entender a Sua vontade? “Eu vou caminhando sobre a terra, espalhando a Minha fragrância por toda parte e em cada lugar deixo para trás a Minha forma. Cada lugar reverbera com o som da Minha voz. As pessoas por toda parte se demoram nas belas cenas de ontem, pois toda a humanidade está se lembrando do passado…” Essa será a situação quando o reino estiver formado. De fato, em vários lugares Deus já profetizou a beleza da realização do reino, e todas elas combinadas formam uma imagem completa do reino. No entanto, as pessoas não prestam atenção nisso; simplesmente assistem como se fosse um desenho animado.

Por causa dos milênios da corrupção de Satanás, as pessoas sempre viveram nas trevas, portanto não se afligem com elas nem anseiam pela luz. Isso é o que levou ao seguinte, portanto, quando a luz chega hoje, “todas elas são adversas à Minha chegada e banem a chegada da luz, como se Eu fosse o inimigo do homem no céu. O homem Me recebe com um brilho defensivo nos olhos”. Embora a maioria das pessoas tente amar a Deus com sinceridade, Deus ainda não está satisfeito e ainda condena a humanidade. Isso é desconcertante para as pessoas. Por viverem nas trevas, elas ainda servem a Deus como o fazem na ausência de luz. Isto é, todas as pessoas servem a Deus usando as próprias noções, e, quando Ele vem, tal é a condição delas, e elas são incapazes de servir a Deus aceitando uma nova luz; em vez disso, elas servem a Ele com toda a experiência que elas mesmas tiveram. Deus não ganha prazer com a “devoção” da humanidade, e assim a luz não pode ser louvada pelos humanos nas trevas. É por isso que Deus falou as palavras acima; isso não é absolutamente contrário à realidade e não é que Deus maltrate a humanidade, nem que Ele seja injusto para com ela. Desde a criação do mundo, nem uma única pessoa provou verdadeiramente do calor de Deus; todas as pessoas têm sido defensivas em relação a Deus, temendo profundamente que Ele vá derrubá-las e aniquilá-las. Assim, ao longo desses 6.000 anos, Deus sempre trocou calor pela sinceridade das pessoas e tem continuado a guiá-las pacientemente a cada passo. Isso se dá porque as pessoas são tão fracas e não são capazes de conhecer plenamente a vontade de Deus nem amá-Lo de todo o coração, pois não podem deixar de se sujeitar à manipulação de Satanás. Mesmo assim, Deus continua tolerante e, algum dia, após ser tão paciente — isto é, quando Ele renovar o mundo — Ele não cuidará mais das pessoas como uma mãe. Ao contrário, Ele dará aos humanos a retribuição que lhes é adequada. Por essa razão, isto então acontecerá: “Corpos flutuam na superfície do oceano”, enquanto, “nos lugares onde não há água, outros homens ainda desfrutam, entre risos e canções, das promessas que lhes concedi”. Essa é a comparação entre o destino dos que são punidos e dos que são recompensados. “Na superfície do oceano” se refere ao abismo sem fundo do castigo da humanidade, do qual Deus falou. Esse é o destino de Satanás e o “lugar de descanso” que Deus preparou para todos aqueles que Lhe resistem. Deus sempre quis o amor verdadeiro da humanidade, mas as pessoas não sabem disso e são insensíveis a isso e ainda fazem o próprio trabalho. Por causa disso, em todas as Suas palavras, Deus sempre pede coisas das pessoas e aponta suas deficiências, bem como aponta para elas a senda da prática, para que possam praticar segundo essas palavras. Ele também mostrou Sua própria atitude para com as pessoas: “Mas Eu nunca peguei por acaso uma única vida humana para brincar, como se fosse um joguete. Observo as dores que o homem suportou e entendo o preço que ele pagou. Quando ele está diante de Mim, não desejo pegá-lo desprevenido a fim de castigá-lo, nem desejo lhe conceder coisas indesejáveis. Ao contrário, durante todo esse tempo, só tenho provido para o homem e dado a ele”. Quando leem essas palavras de Deus, as pessoas sentem imediatamente o Seu calor e pensam: “Na verdade, paguei um preço por Deus no passado, mas também O tratei de modo superficial e me queixei Dele às vezes. Deus sempre me guiou com Suas palavras, Ele presta muita atenção na minha vida, mas, às vezes, eu jogo com elas como se fossem um brinquedo. Eu realmente não deveria fazer isso. Deus me ama tanto, por que não consigo me esforçar o suficiente?” Quando tais pensamentos lhes ocorrem, as pessoas querem de verdade dar um tapa no próprio rosto, e o nariz de algumas pessoas até se torce e elas gritam alto. Deus entende o que elas pensam e fala de acordo com isso, e essas poucas palavras — que não são duras nem brandas — inspiram o amor delas por Ele. Por fim, Deus profetizou a mudança em Sua obra quando o reino for formado na terra: quando Deus estiver na terra, as pessoas serão capazes de se libertar dos desastres e calamidades, serão capazes de se deleitar na graça; no entanto, quando Ele começar o julgamento do grande dia, será quando Ele aparecerá entre todas as pessoas e toda a Sua obra na terra estará completa. Naquele momento, visto que o dia terá chegado, tudo será exatamente como foi escrito na Bíblia: “Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda”. Os injustos virão ao castigo, e os santos retornarão para diante do trono. Nem uma única pessoa será capaz de ganhar a indulgência de Deus, nem mesmo os filhos e o povo do reino. Tudo isso é a justiça de Deus e é uma revelação de Seu caráter. Ele não mostrará solicitude para com as fraquezas da humanidade uma segunda vez.

Anterior: Capítulo 16

Próximo: Capítulo 18

Quando ocorre um desastre, como nós, cristãos, devemos enfrentá-lo? Fique à vontade para nos contatar via WhatsApp, podemos explorar e encontrar caminhos juntos.

Conteúdo relacionado

Prefácio

Embora muitas pessoas acreditem em Deus, poucas compreendem o que significa fé em Deus e o que elas devem fazer para se conformarem à...

Como entrar em um estado normal

Quanto mais as pessoas aceitam as palavras de Deus, mais esclarecidas ficam e mais têm fome e sede em sua busca de conhecer Deus. Só...

O Próprio Deus, o Único VIII

Deus é a fonte da vida para todas as coisas (II)Continuaremos com a comunhão sobre o último tópico. Você consegue se lembrar qual foi o...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro