219 Ó, Deus! Eu realmente não mereço o Teu amor

Fiz muitas coisas que não suporto relembrar.

Desperdicei tanto tempo.

Tanto remorso e sentimentos de endividamento brotam em meu coração.

Eu sempre exigi recompensas ao sofrer ao me despender por Deus.

Quando meu desejo de receber bênçãos foi contrariado, pensei em abandonar Deus,

mas o amor Dele ainda estava vívido em minha mente e era demais para se esquecer.

As palavras de Deus atingiram meu coração,

afastando-me da apostasia e da negatividade um passo por vez.

Quando a adversidade me ameaçou, fiquei com medo, tímido e acuado.

Fui fraco e negativo e, mais uma vez, pensei em abandonar Deus.

Suas palavras dividiram meu coração como uma afiada espada de dois gumes,

deixando-me sem ter onde esconder minha vergonha.


Já corri atrás de fama, fortuna e status,

incapaz de resistir à tentação de Satanás.

Por várias vezes fiquei preocupado, hesitei e perdi a direção na vida.

Lutei dolorosamente em pecado, sem saber como voltar.

Ó, Deus! Sou tão rebelde e quebrei Seu coração.

Tão corrupto, realmente não mereço a Tua salvação.

Ó, Deus! É a Tua palavra que sempre me guia e orienta,

senão eu cairia em tentação e lutaria para dar o menor dos passos.

Ó, Deus! Nunca mais serei negativo nem retrocederei.

Não me abandona, não posso viver sem Ti.

Ó, Deus! Oro para que me concedas Teu castigo, juízo e refinamento

para que minha corrupção possa ser purificada e eu possa viver como humano.

Anterior: 218 Canção do retorno do filho pródigo

Próximo: 220 Odiaria voltar aos meus caminhos antigos e causar dor a Deus

Quando ocorre um desastre, como nós, cristãos, devemos enfrentá-lo? Fique à vontade para nos contatar via WhatsApp, podemos explorar e encontrar caminhos juntos.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro