23. Uma cura para a inveja

Deus Todo-Poderoso diz: “A carne do homem é de Satanás, está cheia de caráter rebelde, é deploravelmente imunda e é algo impuro. As pessoas cobiçam demais o desfrutar da carne e há manifestações excessivas da carne; é por isso que Deus despreza a carne do homem até certo ponto. Quando as pessoas se livram das coisas satânicas imundas e corruptas, elas ganham a salvação de Deus. Mas se elas ainda não se despiram da imundície e da corrupção, então elas ainda estão vivendo sob o império de Satanás. A conivência, o engano e a desonestidade das pessoas são todas coisas de Satanás. A sua salvação por Deus é para libertar você dessas coisas de Satanás. A obra de Deus não pode estar errada; tudo é feito para salvar as pessoas das trevas. Quando você tiver crido até um certo ponto e conseguir se despir da corrupção da carne, e você não estiver mais algemado por essa corrupção, você não terá sido salvo? Quando você vive sob o império de Satanás você é incapaz de manifestar Deus, você é algo imundo e não pode receber a herança de Deus. Quando você tiver sido purificado e aperfeiçoado, você será santo, você será uma pessoa apropriada e você terá sido abençoado por Deus e será um prazer para Deus” (‘Prática (2)’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me mostraram que lutamos por inveja e disputamos entre nós porque fomos corrompidos por Satanás, e que todos nós vivemos segundo nossos caracteres satânicos enganosos, egoístas e desprezíveis. Houve um tempo em que eu vivia num estado de inveja. Eu tramava o tempo todo contra pessoas e lutava por nome e ganho. Era um jeito doloroso de viver, mas eu não conseguia me libertar. Devo ao julgamento e castigo de Deus o fato de ter mudado um pouco e escapado dessa dor.

Foi em junho de 2017 quando recebi o dever de líder de grupo na igreja, responsável pela vida da igreja em alguns locais de reunião. Eu fiquei muito feliz com esse dever e senti que Deus estava me elevando, que eu deveria trabalhar bem para retribuir o amor de Deus. Depois disso, fui muito ativa nas comunhões nas reuniões, e quando via irmãos e irmãs em dificuldades ou num estado fraco, eu encontrava palavras de Deus para comunicar e tratar dos problemas. Logo os outros passaram a me ver positivamente e diziam que eu conseguia resolver problemas práticos por meio da comunhão nas reuniões, que eu assumia responsabilidade em meu dever e era amorosa com irmãos e irmãs. Fiquei muito satisfeita comigo mesma quando ouvi isso.

Não demorou, e soube que haveria uma eleição para líder da igreja. Então pensei: “Todos me veem de forma positiva, então minhas chances podem ser boas. Se eu fosse eleita, os irmãos e irmãs com certeza me admirariam ainda mais”. A irmã Yang e eu fomos ambas indicadas após uma votação. Eu me senti um pouco ameaçada quando vi que ela recebeu alguns votos a mais do que eu. Pensei: “Sou responsável em meu dever e faço trabalho prático. Como ela pôde receber mais votos do que eu?” Mas então me ocorreu: “Essa só foi a indicação, não a votação final. Ainda tenho uma chance. Agora, preciso me equipar com a verdade e ajudar mais os outros a resolverem suas dificuldades de entrada na vida para que todos vejam que ela não é melhor do que eu, assim, terei certeza de que serei eleita!” Lembrei-me de um problema que a irmã Wang tinha levantado na última reunião que não tinha sido resolvido, e corri para preparar algumas palavras de Deus relevantes para comunicar com ela. Quando veio o dia da reunião, fui até o nosso local de encontro, mas assim que entrei, vi a irmã Yang comunicando com a irmã Wang. Não gostei nada daquilo. Pensei: “Eu vim para comunicar com ela para resolver seu problema, e você atacou primeiro! Se você já cuidou disso, como mostrarei o que posso fazer?” E não é que um sorriso apareceu no rosto da irmã Wang após a comunhão da irmã Yang? Todos os outros irmãos e irmãs demonstraram aprovação. Não fiquei feliz ao ver aquilo. Fiquei com inveja da irmã Yang, achando que ela tinha roubado minha glória. Pensei: “Antes de você chegar, os outros queriam ouvir a minha comunhão. Mas agora, todos admiram você e não se importam comigo”. Todos estavam comunicando com alegria naquele momento, mas eu não conseguia absorver nada e queria sair dali.

Quando cheguei em casa, eu me sentei na cama, abatida, ficando cada vez mais mal-humorada quanto mais remoía aquilo. “Se isso continuar assim”, pensei, “terei pouquíssimas chances de ser líder. Não. Preciso ser mais proativa nas comunhões. De forma alguma posso perder para ela mais uma vez”. Mais tarde, percebi que a irmã Xiang estava ansiosa por causa da perseguição do Partido Comunista Chinês e estava se sentindo limitada em seu dever. Então, procurei algumas palavras de Deus para comunicar com ela antes da reunião. No dia seguinte, cheguei cedo no local de reunião, mas, para a minha surpresa, a irmã Yang tinha chegado ainda mais cedo e já estava comunicando com a irmã Xiang. Decepcionada, pensei: “Como você pôde fazer isso de novo? Preciso ver que tipo de luz você tem em sua comunhão. Simplesmente não acredito que saiba tudo”. Sentei-me do lado dela para ouvir o que ela tinha a dizer. Enquanto ouvia, descobri que a irmã Yang comunicava sobre algumas sendas de prática à luz das palavras de Deus, mas que ela não tinha mencionado a raiz da fraqueza e negatividade da irmã Xiang. Pensei: “Preciso aproveitar essa chance para compartilhar meu próprio entendimento e colocar a irmã Yang no lugar dela”. Eu me apressei para compartilhar minha comunhão, dizendo: “Irmã, ter uma senda de prática não basta para resolver um estado negativo. Precisamos também ter um entendimento da verdade referente a como Deus usa o grande dragão vermelho como contraste para aperfeiçoar Seu povo escolhido. É apenas entendendo a obra, onipotência e sabedoria de Deus que podemos sair de um estado negativo. Leiamos juntas algumas das palavras de Deus”. Quando a irmã Xiang consentiu com a cabeça, olhei de soslaio para a irmã Yang e vi como estava sentada, constrangida. Era como se eu tivesse vencido uma batalha, e pensei: “Todos podem ver qual comunhão é realmente eficaz quando compararem. Posso erguer minha cabeça de novo. Provei que não sou tão ruim assim”. Depois disso, fiquei mais ativa em meu dever. Assim que ouvia que alguém estava num estado ruim ou enfrentando dificuldades, eu não perdia tempo para encontrar palavras de Deus, fazer anotações e depois comunicar com ele. Quando via que a pessoa concordava, eu me animava, mas quando não havia reação, a angústia era insuportável. Então, quanto mais angustiada eu ficava, menos eu entendia o estado dos outros ou resolvia problemas. Também me sentia cada vez mais cansada, e pensava: “Se continuar assim, os irmãos e irmãs dirão que me falta a realidade da verdade e não me elegerão como líder”. Especialmente quando via a irmã Yang compartilhar comunhão prática sobre a verdade, com a qual os irmãos concordavam, eu ficava ainda mais agitada. Minha inveja e incapacidade de aceitar isso veio à tona. Comecei a ficar ressentida e nem queria falar com ela. Eu vivia num estado de lutar por nome e ganho. Era muito doloroso para mim. Não estava recebendo nenhuma iluminação das palavras de Deus e orava mecanicamente, sem me envolver. Sentia que estava me afastando cada vez mais de Deus.

Mais tarde, orei a Deus e pedi Seu esclarecimento para que eu pudesse entender meu caráter corrupto e sair daquele estado terrível. Foi só por meio das palavras de Deus que ganhei algum entendimento do meu estado corrupto. E é isto o que elas dizem: “Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que os humanos deveriam possuir” (‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). Senti vergonha após ler as palavras de Deus e pensei em todas as coisas invejosas que eu tinha feito, em como lutei por nome e ganho. Eu ardia por isso desde o dia em que ouvi que a igreja elegeria um líder, e então, quando vi a irmã Yang receber mais votos do que eu nas indicações, comecei a vê-la como adversária, lutando contra ela em silêncio e disputando com ela. Vê-la resolver os problemas dos irmãos e irmãs por meio da comunhão sobre a verdade me deixava com inveja. Eu achava que ela tinha roubado minha glória e que ameaçava minha liderança. Secretamente, coloquei-me contra ela, achando erros e procurando defeitos em sua comunhão. Em segredo, eu a menosprezava e exaltava a mim mesma, e diminuía sua positividade em seu dever. Quando vi que eu não venceria, me ressenti dela e nem mesmo queria cumprimentá-la. Eu buscava nome e ganho e era invejosa em meu dever. Eu a atacava e a excluía. Eu não tinha revelado nada além de um caráter satânico. Eu era tão egoísta, desprezível e maliciosa! Eu estava baseando minha vida nesses caracteres satânicos, não só machucando outros, mas vivendo em dor e ressentimento. Lembrei-me de Zhou Yu, no “Romance dos Três Reinos”. Ele era tão mesquinho, sempre invejoso de Zhuge Liang, e antes de morrer, ele disse: “Desde que Yu nasceu, que necessidade há de Liang?” Ele acabou morrendo com raiva. Não são essas as consequências terríveis da inveja? Percebi que eu era igual, que eu era invejosa em meus esforços para ganhar status, não só impedindo a minha entrada na vida, mas também prejudicando os outros. Eu carecia de qualquer humanidade. Isso era repugnante e odioso para Deus. Na verdade, Deus arranjou para que eu convivesse com alguém de calibre mais alto, esperando que eu aprendesse com suas qualidades para melhorar meus pontos fracos. Mas eu só lutava e fazia comparações. No fim, não ganhei nada e sofri muito. Fui tão tola. A verdade governa na casa de Deus, e existem princípios para a seleção de líderes. No mínimo, eles são pessoas de boa humanidade que aceitam e praticam a verdade, mas eu era sempre invejosa, lutando por nome e ganho e sem viver qualquer humanidade. Isso me tornou indigna de liderança. Eu sabia que deveria parar de lutar para me concentrar em praticar a verdade e viver segundo as palavras de Deus. Essa era a senda correta. Quando percebi tudo isso, fiquei muito aliviada.

Eu fiz esta oração no dia da eleição: “Ó, Deus! Não importa quais sejam os resultados, estou disposta a obedecer a Ti, e votarei de forma justa”. Mas ainda vacilei quando chegou a hora de votar. Pensei: “Se eu votar na irmã Yang e ela for escolhida, o que os outros pensarão de mim? Dirão que não estou à altura dela”. Naquele momento, lembrei-me destas palavras de Deus: “Você deve aprender a abrir mão e deixar de lado essas coisas, a recomendar outros e a permitir que eles se destaquem. Não lute nem corra para tirar vantagem no momento em que encontrar uma oportunidade para se destacar ou obter glória. Você deve aprender a recuar, mas não deve adiar o cumprimento de seu dever. Seja uma pessoa que trabalha em quieta obscuridade e que não se exibe aos outros ao cumprir o seu dever. Quanto mais você abrir mão e deixar de lado, mais tranquilo você se tornará, mais espaço se abrirá em seu coração, e mais seu estado se aprimorará” (‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). Diante disso, pensei: “Devo praticar as palavras de Deus. Não posso continuar vivendo por prestígio e status”. Pensei no bom calibre da irmã Yang e em como sua comunhão era prática. Tê-la como uma líder beneficiaria a igreja e a entrada na vida dos irmãos e irmãs. Eu deveria praticar a verdade e defender os interesses da igreja. Assim, votei nela. Ela foi eleita líder, e eu estava calma e em paz com isso. Senti que finalmente tinha conseguido praticar a verdade. Graças a Deus!

Mais tarde, em abril de 2018, fui escolhida para o dever de líder da igreja, trabalhando com alguns irmãos e irmãs responsáveis pelo trabalho da igreja. No início, discutíamos todo o trabalho da igreja e colaborávamos em harmonia. Mas, depois de um tempo, percebi que a irmã Li, que era responsável pelo trabalho de escrever, tinha um calibre bom e aprendia rapidamente. Sua comunhão era esclarecedora e edificava os outros. Eu realmente a admirava, mas sentia alguma inveja. Comecei a me envolver no trabalho sob sua supervisão, querendo adquirir mais habilidades e princípios para não ficar para trás dela. Certo dia, recebi uma carta da nossa líder dizendo que precisavam de alguém para assumir uma tarefa numa igreja em outra região e perguntando se a irmã Li seria apropriada. Ela perguntou se eu poderia pedir a opinião dos outros sobre ela. Imediatamente, minha inveja veio à tona, e pensei: “Eles querem cultivar a irmã Li. O calibre dela é bom e ela aprende com facilidade, mas ela é crente há pouco tempo e sua entrada na vida é superficial. Em que pontos não me equiparo a ela? Por que não pedem que eu vá? Se a irmã Li assumir esse papel, o que os outros pensarão de mim? Dirão que ela é melhor do que eu”. Esses pensamentos me incomodaram cada vez mais e eu mal a cumprimentava quando a via depois disso. Meu comportamento foi constrangedor para ela, e ela parou de discutir as coisas comigo como antes. Recebi as avaliações dos irmãos e irmãs sobre a irmã Li alguns dias depois e senti muita inveja quando vi que todas eram positivas, ainda melhores do que as avaliações sobre mim. Eu era líder, mas não me equiparava nem a uma colaboradora. Como isso era vergonhoso! Quanto mais eu pensava sobre isso, mais incomodada eu ficava. Fiz questão de dizer a outra irmã: “Que avaliação é essa? Você não tem discernimento. A irmã Li fez progressos, mas sua entrada na vida é superficial. Você a faz parecer tão boa, mas se ela for para outra igreja e atrasar a obra deles por não conseguir fazer obras práticas, você seria culpada por fazer o mal!” A irmã ficou um pouco assustada ao ouvir isso de mim. Ela disse que tinha feito a avaliação com base nas circunstâncias reais, mas não tinha considerado o todo e que faria outra análise. Apesar de ter conseguido o que pretendia, eu não fiquei feliz. Especialmente quando via a irmã Li, eu sentia pontadas na consciência e me sentia muito culpada. Eu tinha feito algo ruim e vergonhoso, e não tive coragem de olhar nos seus olhos. Vendo que eu estava um pouco estranha, ela se aproximou e perguntou preocupada: “Há algo errado?” Senti-me ainda mais culpada quando ouvi aquilo, e só consegui gaguejar: “S-sim”. Então, corri para outra sala e me ajoelhei em oração a Deus. Eu disse: “Ó, Deus. Sou tão insensata. Fiquei com inveja da irmã Li quando vi as avaliações de todos e até a boicotei pelas costas. Deus, sei que detestas esse tipo de coisa, mas estou presa ao meu caráter corrupto. Não consigo evitar. Deus, por favor, ilumina-me para que eu possa me conhecer de verdade e pare de viver segundo meu caráter corrupto”. Sentindo-me um pouco mais calma após minha oração, liguei meu computador e li algumas passagens das palavras de Deus.

Deus diz: “Se virem alguém que é melhor do que elas, elas o suprimem, iniciam um boato sobre ele ou empregam algum meio inescrupuloso para que as outras pessoas não o admirem e para que ninguém seja melhor do que qualquer outra pessoa, então isso é o caráter corrupto da arrogância e presunção, assim como da desonestidade, enganação e insídia, e essas pessoas fazem de tudo para alcançar seus objetivos. Elas vivem desse modo e, mesmo assim, pensam que são pessoas maravilhosas e boas. No entanto, elas têm um coração que teme a Deus? Em primeiro lugar, para falar do ponto de vista das naturezas dessas questões, as pessoas que agem dessa forma não estão simplesmente fazendo o que lhes agrada? Elas consideram os interesses da família de Deus? Elas só pensam em seus próprios sentimentos e só querem alcançar seus próprios objetivos, independentemente da perda sofrida pelo trabalho da família de Deus. Pessoas assim são não só arrogantes e presunçosas, são também egoístas e desprezíveis; não têm nenhuma consideração pela intenção de Deus e, sem dúvida alguma, pessoas desse tipo não possuem um coração que teme a Deus. É por isso que fazem o que querem e agem arbitrariamente, sem qualquer senso de culpa, sem qualquer receio, sem qualquer apreensão ou preocupação e sem considerar as consequências. Elas não temem a Deus, acreditam que elas são de suma importância e veem cada aspecto de si mesmas como mais alto do que Deus e mais alto do que a verdade. Em seu coração, Deus é o menos digno de ser mencionado e o mais insignificante, e Deus não tem qualquer status no coração delas. Aqueles que não têm lugar para Deus em seu coração e que não reverenciam a Deus chegaram a entrar na verdade? (Não.) Então, quando andam normalmente por aí alegres, mantendo-se ocupados e consumindo muita energia, o que eles estão fazendo? Tais pessoas até alegam ter abandonado tudo para se despenderem por Deus e sofrido bastante, mas, na verdade, o motivo, o princípio e o objetivo de todas as suas ações são beneficiar-se; só estão tentando proteger todos os interesses próprios. Vocês diriam ou não que esse tipo de pessoa é terrível? Que tipo de pessoa, diriam, é aquela que não reverencia a Deus? Ele ou ela é arrogante? Tal pessoa é Satanás? Que espécies de coisas não reverenciam a Deus? Com exceção dos animais, todos aqueles que não reverenciam a Deus incluem os demônios, Satanás, o arcanjo e os que contendem com Deus” (‘As cinco condições que as pessoas têm antes de entrar na trilha certa de acreditar em Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). “O caráter corrupto do homem decorre de ele ser envenenado e pisoteado por Satanás; decorre do grave malefício que Satanás infligiu ao pensamento do homem e à sua moralidade, percepção e sentido. É precisamente porque essas coisas fundamentais do homem foram corrompidas por Satanás e são completamente diferentes de como Deus as criou originalmente, que o homem se opõe a Deus e não entende a verdade” (‘Ter um caráter inalterado é estar em inimizade contra Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Fiquei muito transtornada e consternada com as palavras de Deus. Ele tinha revelado meu estado com precisão. Eu me tornei invejosa e preconceituosa quando a líder quis cultivar a irmã Li e até a boicotei e a julguei de maneiras desprezíveis. Pensei em tudo que a impedisse de receber aquele dever sem levar em conta os interesses da igreja. Eu fiz qualquer coisa para obter o que queria. Eu era arrogante, arbitrária e não reverenciava a Deus. Deus espera que mais pessoas considerem a Sua vontade e cooperem em Sua obra. Eu sabia bem… Eu sabia muito bem que a irmã Li tinha um calibre bom e se concentrava em buscar a verdade. Assim, com mais chances de treinamento, sua entrada na vida e suas habilidades avançariam e isso beneficiaria o trabalho da igreja. Mas eu a refreei para proteger meu próprio status e prestígio e até usei meios ilícitos para impedir que ela fosse designada para aquele dever. Antes que eu percebesse, tinha me tornado uma lacaia de Satanás e estava perturbando o trabalho da igreja. Eu repreendi a mim mesma. Eu sabia que a inveja era um caráter satânico contrário à vontade de Deus, mas nunca imaginei que isso me levaria a fazer algo tão desumano, que eu perturbaria o trabalho da igreja, faria o mal e resistiria a Deus. Lembrei-me das palavras de Deus: “O caráter corrupto do homem decorre de ele ser envenenado… por Satanás”. Pensei em como eu sempre era invejosa e não suportava ver alguém melhor do que eu. Era porque meu pensamento e perspectivas tinham sido distorcidos pelos venenos de Satanás, como “Cada um por si e o diabo pega quem fica por último”, “Em todo o universo, só eu reino supremo”, e “Só pode existir um macho alfa”. Vivendo segundo esses venenos, eu queria lutar até estar à frente de qualquer grupo, pensando que eu deveria estar acima dos outros, e não conseguia tratar ninguém com justiça se pensasse que ele era mais capaz do que eu. Eu o invejava e discriminava, vendo-o como uma pedra no meu sapato. Eu invejava, excluía e hostilizava pessoas em minha volta que buscavam a verdade, e até as boicotava pelas costas. Eu não tinha nenhuma humanidade! Eu sempre queria me edificar e derrubar os outros, lutar, ganhar e não ceder a ninguém. Eu só queria me exibir. Eu era o próprio Satanás, em carne e osso! Foi só então que vi que aqueles venenos e regras satânicos de sobrevivência tinham se tornado minha natureza. Eu baseava minha vida neles, tornando-me cada vez mais egoísta, arrogante e maliciosa. Se eu me recusasse a me arrepender a Deus, eu seria odiada e eliminada por Ele. Eu fiquei com muito medo quando percebi isso. Corri para orar a Deus, dizendo-Lhe que queria me arrepender, que eu tentaria praticar a verdade a partir de então e pararia de viver segundo esses venenos satânicos.

Alguns dias depois, recebi uma carta da líder dizendo que, no geral, a irmã Li parecia ser uma boa escolha para o trabalho na outra igreja. Senti alguma agitação dentro de mim quando li isso, mas percebi imediatamente que era minha inveja me manipulando de novo. Orei a Deus imediatamente e me dispus a abandonar a mim mesma. Li duas passagens das palavras de Deus depois de orar. Deus diz: “Quando se revela ser egoísta e ignóbil e se torna consciente disso, você deveria procurar a verdade: o que eu deveria fazer para estar alinhado à vontade de Deus? Como deveria agir de modo a beneficiar todos? Ou seja, você precisa começar deixando os interesses próprios de lado, desistindo deles gradualmente de acordo com a sua estatura, um pouco de cada vez. Depois de experimentar isso algumas vezes, você os deixará completamente de lado e, ao fazê-lo, se sentirá cada vez mais firme. Quanto mais deixar seus interesses de lado, mais sentirá que, como ser humano, você deveria ter consciência e razão. Sentirá que, sem motivos egoístas, você está sendo uma pessoa franca e direita e que está fazendo as coisas inteiramente para satisfazer a Deus. Você sentirá que tal comportamento o torna digno de ser chamado de 'humano', e que, ao viver dessa maneira na terra, você está sendo aberto e honesto, está sendo uma pessoa genuína com a consciência limpa e digno de todas as coisas que Deus lhe concedeu. Quanto mais você viver assim, mais decidido e brilhante se sentirá. Como tal, você não terá posto os pés na trilha certa?” (‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). “Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que os humanos deveriam possuir” (‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras apontavam claramente uma senda de prática. Eu deveria abrir mão de meus interesses e pensar nos interesses da casa de Deus. Eu deveria recomendar qualquer um que fosse mais forte do que eu em determinada área para que cada pessoa talentosa pudesse usar suas qualidades na casa de Deus e exercer seu pequeno papel na propagação do evangelho do reino. Apenas esse tipo de pessoa tem humanidade e é alguém que considera a vontade de Deus e defende os interesses da casa de Deus. Elas ganham a aprovação de Deus, e isso é uma boa ação. Procurei a irmã Li naquela mesma noite e perguntei se ela queria partir para assumir aquele dever. Ela disse que estava disposta a fazê-lo, mas estava preocupada que não faria um bom trabalho, pois era nova na fé e sua estatura era pequena. Após ouvir sua preocupação, comuniquei com ela sobre a vontade de Deus, encorajando-a a se apoiar em Deus e olhar para Ele e a se concentrar na busca dos princípios da verdade em seu dever. Ela partiu para assumir seu novo dever alguns dias depois. Eu estava muito feliz e senti que ser capaz de praticar a verdade e não viver pelo meu prestígio e status eram as únicas maneiras de viver com integridade e dignidade. Eu estava totalmente em paz em meu coração.

Quando olho para trás, para quando eu vivia segundo meu caráter corrupto, sempre com inveja e lutando por nome e status, corrompida e manipulada por Satanás, vejo que era uma maneira dolorosa de viver. Deus estabeleceu todos os tipos de pessoas, coisas, eventos e ambientes para me expor e me salvar. Ele também usou Suas palavras para me expor e julgar, para me regar e sustentar até eu reconhecer minha natureza satânica arrogante, egoísta e desprezível e ver a natureza e as consequências da inveja e da luta por nome e ganho. Só então pude praticar um pouco da verdade e ganhar um pouco consciência e razão.

Anterior : 33. Depois das mentiras

Próximo : 36. Dias de busca por fama e ganho

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

17. Vivendo diante de Deus

Deus Todo-Poderoso diz: “Ao buscar a entrada na vida, é preciso examinar as próprias palavras, os próprios feitos, pensamentos e ideias em...

42. Liberta da fama e da fortuna

“Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja fama e ganho. Elas...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro