O Próprio Deus, o Único IV

A santidade de Deus (I)

Tivemos uma comunicação adicional sobre a autoridade de Deus durante nosso último encontro. Por ora, não discutiremos o tópico da justiça de Deus. Hoje, o tópico sobre o qual falaremos é inteiramente novo: a santidade de Deus. A santidade de Deus é ainda outro aspecto da essência única de Deus, então é crucial que comuniquemos sobre esse tópico. Anteriormente, comuniquei sobre dois outros aspectos da essência de Deus — o caráter justo de Deus e Sua autoridade; esses aspectos e o aspecto sobre o qual comunicarei hoje, todos eles são únicos? (Sim.) A santidade de Deus também é única, assim, o tema da nossa comunhão hoje será o que constitui a base e a raiz dessa singularidade. Hoje, comunicaremos sobre a essência única de Deus — Sua santidade. Talvez alguns de vocês tenham dúvidas e perguntem: “Por que deveríamos comunicar sobre a santidade de Deus?”. Não se preocupem, explicarei tudo para vocês lentamente. Uma vez que tenham ouvido o que tenho a dizer, saberão por que é tão necessário que Eu comunique sobre esse tópico.

Primeiro, vamos definir o termo “santo”. Recorrendo à sua percepção e a todo o conhecimento que ganharam, o que vocês entendem que é a definição de “santo”? (“Santo” significa imaculado, inteiramente sem corrupção ou falhas humanas. Santidade irradia todas as coisas positivas, seja em pensamento, fala ou ação.) Muito bom. (“Santo” é divino, imaculado, inofendível pelo homem. É único, é exclusivamente de Deus e é Seu símbolo.) Essa é a definição de vocês. No coração de cada pessoa, essa palavra “santo” tem um escopo, uma definição e uma interpretação. E, no mínimo, quando vocês veem a palavra “santo”, a mente de vocês não está vazia. Vocês têm um certo escopo de definição para essa palavra, e os ditos de algumas pessoas se aproximam um pouco de ditos que definem a essência do caráter de Deus. Isso é muito bom. A maioria acredita que a palavra “santo” é positiva, e isso certamente é verdade. Mas hoje, ao comunicarmos sobre a santidade de Deus, Eu não estarei falando meramente sobre definições ou explicações. Em vez disso, apresentarei fatos como prova para mostrar-lhe por que Eu digo que Deus é santo e por que Eu uso a palavra “santo” para descrever a essência de Deus. Quando nossa comunicação tiver terminado, você sentirá que o uso da palavra “santo” para definir a essência de Deus e em referência a Deus é plenamente justificado e sumamente apropriado. No mínimo, no contexto da língua humana atual, o uso dessa palavra para se referir a Deus é particularmente acertado; somente ela entre todas as palavras da língua humana é uma maneira inteiramente adequada para se referir a Deus, não é uma palavra vazia nem é um termo de louvor sem fundamento ou bajulação vazia. O propósito da nossa comunhão é permitir que cada pessoa reconheça a verdade desse aspecto da essência de Deus. Deus não teme o entendimento do homem, mas teme seu entendimento equivocado. Deus deseja que cada pessoa conheça Sua essência e o que Ele tem e é. Assim, toda vez que mencionamos um aspecto da essência de Deus, podemos recorrer a muitos fatos que permitem às pessoas ver que esse aspecto da essência de Deus realmente existe.

Agora que temos uma definição da palavra “santo”, discutamos alguns exemplos. Nas noções que as pessoas têm, elas imaginam muitas coisas e pessoas como sendo “santas”. Por exemplo, meninos e meninas virgens são definidos como santos nos dicionários da humanidade. Mas eles são, de fato, santos? Esse assim chamado “santo” e o “santo” sobre o qual comunicaremos hoje são a mesma coisa? (Não.) Aqueles entre os homens que têm moral sã, que têm fala refinada e culta, que nunca magoam ninguém, e que, por meio das palavras que falam, deixam os outros confortáveis e se sentindo bem, elas são santas? Aqueles que frequentemente fazem o bem, são caridosos, prestam grande assistência aos outros, os que proporcionam muita alegria à vida das pessoas, esses são santos? Os que não abrigam pensamentos interesseiros, que não fazem duras exigências a ninguém, que são tolerantes com todos, esses são santos? Aqueles que nunca brigaram nem nunca tiraram vantagem de ninguém, esses são santos? E quanto àqueles que trabalham pelo bem dos outros, que os beneficiam e trazem edificação para os demais em todos os sentidos, esses são santos? Os que doam aos outros as economias de toda uma vida e levam uma existência frugal, que são rigorosos consigo mesmos e liberais com os outros, esses são santos? (Não.) Todos vocês lembram como sua mãe cuidou de vocês e os atendeu de todas as maneiras possíveis, elas são santas? Os ídolos que lhes são caros, sejam pessoas famosas, celebridades ou grandes homens, esses são santos? (Não.) Vejamos agora os profetas na Bíblia que foram capazes de dizer coisas sobre o futuro que eram desconhecidas para muitas pessoas; essas pessoas eram santas? As pessoas que foram capazes de registrar as palavras de Deus e os fatos de Sua obra na Bíblia eram santas? Moisés foi santo? Abraão foi santo? (Não.) E Jó? Ele foi santo? (Não.) Jó foi chamado de homem justo por Deus, então por que se diz que mesmo ele não é santo? As pessoas que temem a Deus e evitam o mal realmente não são santas? São ou não são? (Não.) Vocês estão um pouco apreensivos, vocês não têm certeza da resposta, e não ousam dizer “não”, mas também não ousam dizer “sim”, assim, no fim, dizem “não” sem convicção. Deixem-Me fazer-lhes uma outra pergunta. Os mensageiros de Deus — os mensageiros que Deus envia para a terra — são santos? Os anjos são santos? (Não.) A humanidade não corrompida por Satanás é santa? (Não.) Vocês ficam respondendo “não” a cada pergunta. Baseados no quê? Vocês estão confusos, não estão? Então, por que até mesmo os anjos não são considerados santos? Agora vocês se sentem apreensivos, não é? Vocês conseguem descobrir com base em que as pessoas, as coisas ou os seres não criados que mencionamos não são santos? Estou certo de que vocês não são capazes. O fato de vocês dizerem “não”, então, não é um tanto irresponsável? Vocês não estão respondendo cegamente? Algumas pessoas se perguntam: “Já que formulaste Tua pergunta dessa forma, a resposta certamente deve ser ‘não’”. Não me deem uma resposta evasiva. Pensem com cuidado se a resposta é “sim” ou “não”. Vocês saberão por que a resposta é “não” quando tivermos comunicado sobre o tópico seguinte. Em breve, Eu lhes darei a resposta. Primeiro, leiamos das escrituras.

A ordem de Deus Jeová para o homem

Gênesis 2:15-17 Tomou, pois, Deus Jeová o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar. Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

A sedução da mulher pela serpente

Gênesis 3:1-5 Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que Deus Jeová tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.

Essas duas passagens são excertos do Livro de Gênesis, na Bíblia. Todos vocês estão familiarizados com essas duas passagens? Elas relatam eventos que aconteceram no princípio, quando a humanidade tinha acabado de ser criada; esses eventos foram reais. Primeiro, vejamos que tipo de ordem Deus Jeová deu a Adão e Eva; o conteúdo dessa ordem é muito importante para o nosso tópico de hoje. “Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Qual é o significado da ordem de Deus para o homem nessa passagem? Em primeiro lugar, Deus diz ao homem o que ele pode comer, a saber, os frutos de muitos tipos de árvores. Não há perigo nem veneno: todos podem ser comidos, e comidos livremente segundo o desejo do homem, livre de preocupação e dúvida. Essa é uma parte da ordem de Deus. A outra parte é uma advertência. Nessa advertência, Deus diz ao homem que ele não deve comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. O que acontecerá se ele comer dessa árvore? Deus disse ao homem: “Se você comer dela, seguramente morrerá”. Essas palavras não são diretas? Se Deus lhe dissesse isso, mas você não entendesse o por que, você trataria Suas palavras como uma regra ou uma ordem a ser obedecida? Tais palavras deveriam ser obedecidas, não deveriam? Mas, quer o homem seja ou não capaz de obedecer, as palavras de Deus são inequívocas. Deus disse muito claramente ao homem o que ele pode comer e o que não pode comer e o que acontecerá se ele comer o que não deve comer. Nessas breves palavras que Deus disse, você consegue ver qualquer coisa do caráter de Deus? Essas palavras de Deus são verdadeiras? Existe alguma trapaça? Existe alguma falsidade? Existe alguma intimidação? (Não.) Honesta, leal e sinceramente Deus disse ao homem o que ele pode comer e o que não pode. Deus falou em termos claros e simples. Existe algum sentido oculto nessas palavras? Essas palavras não são diretas? Há alguma necessidade de conjectura? (Não.) Não há necessidade de adivinhar. O sentido delas é óbvio de imediato. Ao lê-las, sentimo-nos totalmente claros em relação ao seu significado. Ou seja, o que Ele quer dizer e o que Ele quer expressar vêm de Seu coração. As coisas que Deus expressa são simples, diretas e claras. Não há motivos escusos nem significados ocultos. Ele fala diretamente ao homem, dizendo-lhe o que ele pode comer e o que não pode. Isso significa que, por meio dessas palavras de Deus, o homem pode ver que o coração de Deus é transparente e verdadeiro. Não existe nenhum traço de falsidade aqui; não é um caso de dizer-lhe que você não pode comer o que é comestível ou de lhe dizer: “Faça isso e veja o que acontece” com coisas que você não pode comer. Não é isso que Deus quer dizer. Aquilo que Deus pensa em Seu coração, isso é o que Ele diz. Se Eu digo que Deus é santo porque Ele Se mostra e Se revela por meio dessas palavras dessa maneira, você talvez ache que fiz uma montanha de um formigueiro ou que forcei um ponto um pouco demais. Nesse caso, não se preocupe: ainda não terminamos.

Falemos agora da “Sedução da mulher pela serpente”. Quem é a serpente? (Satanás.) Satanás desempenha o papel do contraste no plano de gestão de Deus de seis mil anos. Esse é um papel que devemos mencionar quando comunicamos sobre a santidade de Deus. Por que digo isso? Se você não conhece o mal e a corrupção de Satanás, se você não conhece a natureza de Satanás, então você não tem meios para reconhecer santidade, e não pode saber o que a santidade realmente é. Na confusão, as pessoas acreditam que aquilo que Satanás faz é o certo porque elas vivem dentro desse tipo de caráter corrupto. Sem contraste, sem ponto de comparação, você não pode saber o que é santidade. É por isso que Satanás deve ser mencionado aqui. Tal menção não é conversa vazia. Por meio das palavras e dos atos de Satanás, nós veremos como Satanás age, como Satanás corrompe a humanidade e quais são a natureza e o semblante de Satanás. Assim, o que a mulher disse à serpente? A mulher repetiu para a serpente o que Deus Jeová lhe havia dito. Quando ela disse essas palavras, ela tinha certeza de que aquilo que Deus tinha dito a ela era verdade? Ela não podia ter certeza, podia? Sendo alguém recém-criado, ela não possuía a habilidade de discernir o bem e o mal, tampouco tinha qualquer cognição de qualquer coisa à sua volta. A julgar pelas palavras que ela disse à serpente, ela não tinha certeza em seu coração de que as palavras de Deus eram certas; tal era sua atitude. Portanto, quando a serpente viu que a mulher tinha uma atitude de incerteza a respeito das palavras de Deus, ela disse: “Não é certo que morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Há alguma coisa problemática nessas palavras? Quando vocês leem essa sentença, vocês ganham um senso da intenção da serpente? Quais são essas intenções? (Tentar o homem e induzi-lo a pecar.) Ela queria tentar essa mulher para impedi-la de dar ouvidos às palavras de Deus. Mas ela não disse essas coisas diretamente. Por isso podemos dizer que ela é muito astuta. Ela expressa o seu propósito de maneira sorrateira e evasiva a fim de alcançar o objetivo pretendido que ela mantém escondido em sua mente, escondido do homem — tal é a astúcia da serpente. Essa sempre tem sido a maneira de Satanás de falar e agir. Ele diz “não é certo” sem confirmar uma coisa nem a outra. Mas, ao ouvir isso, o coração dessa mulher ignorante se comoveu. A serpente ficou satisfeita, porque suas palavras tiveram o efeito desejado — tal era a astuciosa intenção da serpente. Além disso, ao prometer um resultado que parece desejável aos humanos, ela seduziu a mulher, dizendo: “no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão”. Assim, ela pensa: “É uma boa coisa que meus olhos se abram!” E então a serpente disse algo ainda mais sedutor, palavras jamais conhecdias ao homem até então, palavras que possuem um grande poder de tentação para quem as ouve: “e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Essas palavras não são poderosamente sedutoras para o homem? É como alguém dizer a você: “Seu rosto tem um formato maravilhoso, exceto a ponte do nariz, que é um pouco curta. Se corrigir isso, então você se tornará uma beleza de padrão mundial!” Essas palavras comoveriam o coração de uma pessoa que, até então, nunca abrigara qualquer desejo de fazer uma cirurgia plástica? Essas palavras não são sedutoras? Essa não é uma sedução tentadora para você? E isso não é uma tentação? (Sim.) Deus diz coisas desse tipo? Havia nas palavras de Deus algum indício disso que acabamos de ler? (Não.) Deus fala o que pensa em Seu coração? O homem pode enxergar o que há no coração de Deus por meio de Suas palavras? (Sim.) Mas, quando a serpente falou aquelas palavras para a mulher, você conseguiu enxergar o que havia em seu coração? (Não.) E, por causa da ignorância do homem, o homem foi facilmente seduzido pelas palavras da serpente, facilmente. Você conseguiu então enxergar a intenção de Satanás? Você conseguiu enxergar o propósito por trás do que Satanás disse? Você conseguiu perceber as tramas e os estratagemas de Satanás? (Não.) Que tipo de caráter é representado pelo modo de falar de Satanás? Que tipo de essência você viu em Satanás através dessas palavras? Ele não é insidioso? Talvez, por fora, ele sorria para você ou talvez não revele nenhuma expressão. Mas, no coração dele, ele está calculando como obter seu objetivo, e é esse objetivo que você não consegue ver. Todas as promessas que ele lhe faz, todas as vantagens que ele descreve são o disfarce de sua sedução. Você vê como boas essas coisas, assim sente que aquilo que ele diz é mais útil, mais substancial do que o que Deus diz. Quando isso acontece, o homem não se torna então um prisioneiro submisso? Essa estratégia que Satanás usou não é diabólica? Você se permite afundar em degeneração. Sem que Satanás tenha de mover um dedo, mas meramente falando essas duas sentenças, você se torna feliz em acompanhar Satanás, em obedecer a Satanás. Assim, o objetivo de Satanás foi alcançado. Essa não é uma intenção sinistra? Essa não é a mais elementar fisionomia de Satanás? A partir das palavras de Satanás, o homem pode ver seus motivos sinistros, sua hedionda fisionomia e sua essência. Não é assim? Comparando essas sentenças, sem análise, talvez você ache que as palavras de Deus Jeová são enfadonhas, comuns e banais, que elas não justificam falar com entusiasmo aqui em louvor à honestidade de Deus. Contudo, quando tomamos as palavras de Satanás e a hedionda fisionomia de Satanás como um contraste, essas palavras de Deus não têm peso significativo para as pessoas de hoje? (Sim.) Por meio dessa comparação, o homem é capaz de perceber a pura perfeição de Deus. Toda palavra que Satanás pronuncia, assim como os motivos e as intenções de Satanás e o modo como fala são todos adulterados. Qual é o aspecto principal do modo de falar de Satanás? Satanás usa equívocos para seduzir você sem deixar que você enxergue sua duplicidade, nem lhe permite discernir seu objetivo; Satanás deixa que você morda a isca, mas você também deve elogiá-lo e louvar seus méritos. Essa tramoia não é o método habitual preferido de Satanás? (Sim.) Vejamos agora quais as outras palavras e expressões de Satanás que permitem ao homem ver sua hedionda fisionomia. Leiamos um pouco mais das Escrituras.

Diálogo entre Satanás e Deus Jeová

Jó 1:6-11 Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová, veio também Satanás entre eles. Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Então respondeu Satanás a Jeová, e disse: Porventura Jó teme a Deus debalde? Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a Tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Jó 2:1-5 Chegou outra vez o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante Jeová; e veio também Satanás entre eles apresentar-se perante Jeová. Então Jeová perguntou a Satanás: Donde vens? Respondeu Satanás a Jeová, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse Jeová a Satanás: Notaste porventura o Meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Ele ainda retém a sua integridade, embora Me incitasses contra ele, para o consumir sem causa. Então Satanás respondeu a Jeová: Pele por pele! Tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende agora a mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e ele blasfemará de Ti na Tua face!

Essas duas passagens consistem inteiramente num diálogo entre Deus e Satanás; elas registram o que Deus disse e o que Satanás disse. Deus não falou muito, e Ele falou com grande simplicidade. Podemos ver a santidade de Deus em Suas simples palavras? Alguns dirão que isso não é fácil. Podemos então ver a hediondez de Satanás em suas respostas? (Sim.) Vejamos primeiro o tipo de pergunta que Deus Jeová fez a Satanás. “Donde vens?” Essa não é uma pergunta direta? Existe algum significado oculto? (Não.) É apenas uma pergunta, pura, inadulterada por nenhuma segunda intenção. Se Eu perguntasse a vocês: “De onde você vem?”, como vocês responderiam? É uma pergunta difícil de responder? Vocês diriam: “De ir para cá e para lá e de andar para cima e para baixo”? (Não.) Vocês não responderiam desse modo. Então, como é que vocês se sentem quando veem Satanás respondendo assim? (Achamos que Satanás está sendo absurdo, mas também enganoso.) Vocês conseguem saber o que Eu estou sentindo? Toda vez que vejo essas palavras de Satanás, Me sinto enojado, porque Satanás fala, no entanto, suas palavras não contêm substância. Satanás respondeu à pergunta de Deus? Não, as palavras que Satanás falou não eram uma resposta, elas não produziram nada. Não eram uma resposta à pergunta de Deus. “De rodear a terra, e de passear por ela.” Qual é seu entendimento dessas palavras? De onde exatamente é que Satanás vem? Vocês receberam uma resposta a essa pergunta? (Não.) Esse é o “gênio” dos esquemas astutos de Satanás — não deixar que ninguém descubra o que ele está realmente dizendo. Tendo ouvido essas palavras, você ainda não consegue discernir o que ele disse, embora Satanás já tenha terminado de responder. No entanto, Satanás acredita que respondeu perfeitamente. Como você se sente então? Enojado? (Sim.) Agora, você começa a sentir nojo em reação a essas palavras. Satanás não fala diretamente, mas deixa você coçando a cabeça, incapaz de perceber a fonte das palavras dele. Às vezes, ele fala deliberadamente e, às vezes, quando ele fala, suas palavras são governadas por sua própria essência, por sua própria natureza. Essas são palavras que vêm diretamente da boca de Satanás. Satanás não ponderou essas palavras por muito tempo nem as falou de maneira que ele considerasse esperta; ao contrário, ele as expressou naturalmente. Assim que você pergunta a Satanás de onde ele vem, ele responde assim, com essas palavras. Você se sente muito intrigado, sem saber exatamente de onde Satanás vem. Há alguém dentre vocês que fale assim? (Sim.) Que jeito de falar é esse? (É ambíguo e não dá uma resposta certa.) Que tipo de palavras devemos usar para descrever esse modo de falar? É diversivo e enganoso, não é? Imagine que alguém não queira que os outros saibam onde ele foi ontem. Você lhe pergunta: “Ontem eu te vi. Aonde você estava indo?”. Ele não lhe diz diretamente aonde foi ontem. Ao contrário, ele diz: “Que dia tive ontem! Foi tão cansativo!” Ele respondeu à sua pergunta? Respondeu, mas ele não lhe deu a resposta que você queria. Esse é o “gênio” no artifício da fala do homem. Você nunca consegue descobrir o que ele quer dizer, nem percebe a fonte ou a intenção de suas palavras. Você não sabe o que ele está tentando evitar porque, no coração dele, ele tem a sua própria história; isso é insídia. Vocês também costumam falar assim? (Sim.) Então, qual é o seu propósito? Seria, algumas vezes, proteger seus próprios interesses, manter sua própria posição, sua própria imagem, guardar os segredos de sua vida particular, salvar a própria reputação? Seja qual for o propósito, ele é inseparável de seus interesses, está ligado aos seus interesses. Não é essa a natureza do homem? Não são semelhantes a Satanás todos os que têm esse tipo de natureza? Podemos expressá-lo assim, não podemos? Falando em termos gerais, essa manifestação é detestável e abominável. Agora vocês também se sentem enojados, não é? (Sim.)

Olhando mais uma vez para a primeira passagem, Satanás responde novamente à pergunta de Jeová, dizendo: “Porventura Jó teme a Deus debalde?”. Satanás está lançando um ataque contra a avaliação que Jeová faz de Jó, e esse ataque é marcado pela hostilidade. “Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem?” Esse é o entendimento de Satanás e a avaliação da obra de Jeová em Jó. Satanás a avalia assim, dizendo: “Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a Tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de Ti na Tua face!”. Satanás sempre fala com ambiguidade, mas aqui ele fala em termos certos. Entretanto, essas palavras, embora sejam ditas em termos certos, são um ataque, uma blasfêmia e um ato de desafio a Deus Jeová, ao Próprio Deus. Como vocês se sentem ao ouvir essas palavras? Vocês sente aversão? Vocês são capazes de enxergar as intenções de Satanás? Primeiramente, Satanás repudia a avaliação que Jeová faz de Jó — um homem que teme a Deus e evita o mal. Então Satanás repudia tudo que Jó diz e faz, isto é, ele repudia o temor de Jó a Jeová. Isso não é acusador? Satanás está acusando, repudiando e duvidando de tudo que Jeová faz e diz. Ele não acredita, dizendo: “Se você diz que as coisas são assim, como, então, eu não tenho visto isso? Você tem dado a ele tantas bênçãos, como, então, pode ele não temê-Lo?”. Isso não é uma repudiação de tudo que Deus faz? Acusação, repudiação, blasfêmia — as palavras de Satanás não são um assalto? Elas não são uma verdadeira expressão do que Satanás pensa em seu coração? Essas palavras não são certamente as mesmas palavras que acabamos de ler agora: “De rodear a terra, e passear por ela”. Elas são completamente diferentes. Através dessas palavras, Satanás revela completamente o conteúdo de seu coração — sua atitude em relação a Deus e sua aversão ao temor de Jó por Deus. Quando isso acontece, sua natureza maliciosa e maligna é completamente exposta. Ele odeia aqueles que temem a Deus, odeia aqueles que evitam o mal, e ainda mais odeia a Jeová por conceder bênçãos ao homem. Ele quer usar essa oportunidade para destruir Jó, a quem Deus o criou com Suas próprias mãos, para arruiná-lo, dizendo: “Você diz que Jó O teme e evita o mal. Eu vejo isso de maneira diferente”. Ele usa várias maneiras para provocar e tentar Jeová, e usa várias tramoias para que Deus Jeová entregue Jó nas mãos de Satanás para ser deliberadamente manipulado, ferido e maltratado. Ele quer tirar vantagem dessa oportunidade para destruir esse homem que é justo e perfeito aos olhos de Deus. Isso é meramente um impulso momentâneo que faz com que Satanás tenha esse tipo de coração? Não, não é. Isso tem sido preparado há muito tempo. Deus faz sua obra, Deus cuida de uma pessoa, olha para essa pessoa, e, enquanto isso, Satanás segue cada um de Seus passos. A quem quer que Deus favoreça, Satanás também observa, seguindo atrás dele. Se Deus quer essa pessoa, Satanás faz tudo em seu poder para obstruir Deus, usando vários artifícios malignos para tentar, interromper e destruir a obra que Deus faz, tudo isso com intuito de atingir seu objetivo oculto. Qual é esse objetivo? Ele não quer que Deus ganhe ninguém; todos aqueles que Deus quer, ele os quer para si mesmo, quer ocupá-los, controlá-los, para comandá-los para que eles o adorem, para que se juntem a ele para cometer atos malignos. Não é esse o motivo sinistro de Satanás? Vocês dizem com frequência que Satanás é tão vil, tão ruim, mas vocês já o viram? Vocês apenas conseguem ver quanto o homem é mau. Vocês não têm visto na realidade quanto Satanás é mau na verdade. Mas vocês viram a maldade de Satanás na questão referente a Jó? (Sim.) Esse assunto tornou o rosto hediondo e a essência de Satanás muito claros. Ao guerrear contra Deus e ficar andando atrás Dele, o objetivo de Satanás é demolir toda a obra que Deus quer realizar, para ocupar e controlar aqueles a quem Deus quer ganhar, para extinguir completamente aqueles a quem Deus quer ganhar. Se eles não são extintos, então eles se juntam às posses de Satanás para serem usados por ele — esse é seu objetivo. E o que Deus faz? Deus diz apenas uma simples sentença nessa passagem; não há mais nenhum registro de algo mais que Deus faça, mas vemos que há muitos outros registros do que Satanás faz e diz. Na passagem seguinte das escrituras, Jeová pergunta a Satanás: “Donde vens?”. Qual é a resposta de Satanás? (Ela ainda é: “De rodear a terra, e de passear por ela”.) Ainda é aquela mesma frase. Isso se tornou o lema de Satanás, seu cartão de visita. Como assim? Satanás não é odioso? Certamente basta pronunciar essa frase nojenta uma única vez. Por que Satanás continua repetindo ela? Isso prova uma coisa. A natureza de Satanás é imutável. Satanás não pode usar fingimento para esconder sua face feia. Deus faz-lhe uma pergunta, e é assim que ele responde. Já que é assim, imaginem então como ele deve tratar os humanos! Satanás não tem medo de Deus, não teme a Deus e não obedece a Deus. Então se atreve a ser intencionalmente presunçoso diante de Deus, a usar essas mesmas palavras para dispensar a pergunta de Deus, para usar essa mesma resposta à pergunta de Deus repetidamente, para tentar usar essa resposta para confundir Deus — essa é a face feia de Satanás. Ele não crê na onipotência de Deus, não crê na autoridade de Deus e certamente não está disposto a se submeter ao domínio de Deus. Ele está constantemente em oposição a Deus, constantemente atacando tudo que Deus faz, tentando destruir tudo que Ele faz — esse é o seu objetivo maligno.

Como está documentado no livro de Jó, essas duas passagens de fala professada por Satanás e as coisas que Satanás fez são representativas de sua resistência a Deus em Seu plano de gerenciamento de seis mil anos — aqui, as cores verdadeiras de Satanás são reveladas. Você viu as palavras e os feitos de Satanás na vida real? Quando você os vê, talvez não pense que são coisas ditas por Satanás, mas, em vez disso, ache que são coisas ditas pelo homem. O que é representado quando tais coisas são ditas pelo homem? Satanás é representado. Mesmo que o reconheça, você ainda não consegue perceber que aquilo está realmente sendo dito por Satanás. Mas, aqui e agora, você viu inequivocamente o que o próprio Satanás disse. Agora, você tem um entendimento inequívoco e claro como cristal de sua hedionda fisionomia e do mal de Satanás. Portanto, essas duas passagens ditas por Satanás têm algum valor para ajudar as pessoas hoje a ganhar conhecimento sobre a natureza de Satanás? Essas duas passagens valem a pena ser lembradas cuidadosamente para que hoje a humanidade seja capaz de reconhecer a face hedionda de Satanás, reconhecer sua verdadeira face original? Embora isso possa não parecer uma coisa muito apropriada a se dizer, essas palavras, expressadas dessa forma, podem mesmo assim ser consideradas corretas. Na verdade, essa é a única maneira em que Eu posso expressar essa ideia, e se vocês puderem entender, isso é suficiente. Incansavelmente, Satanás ataca as coisas que Jeová faz, atirando acusações sobre o temor de Jó a Deus Jeová. Satanás tenta provocar Jeová através de vários métodos, tentando fazer com que Jeová tolere sua tentação de Jó. Suas palavras, portanto, têm uma natureza altamente provocativa. Portanto, digam-Me, uma vez que Satanás disse essas palavras, Deus pode enxergar claramente o que Satanás quer fazer? (Sim.) No coração de Deus, esse homem, Jó, que Deus observa — esse servo de Deus que é por Ele considerado um homem justo, um homem perfeito — ele consegue resistir a tal tipo de tentação? (Sim.) Por que Deus diz tem tanta certeza disso? Deus está sempre examinando o coração dos homens? (Sim.) Então, Satanás é capaz de examinar o coração dos homens? Satanás não pode fazer isso. Ainda que Satanás conseguisse ver seu coração, sua natureza maligna nunca permitiria que ele acreditasse que santidade é santidade ou que sordidez é sordidez. O maligno Satanás nunca pode valorizar nada que seja santo, justo ou iluminado. Satanás não pode evitar de agir incansavelmente de acordo com sua natureza, sua maldade, e de acordo com seus métodos habituais. Ainda que ao custo de ser ele mesmo punido ou destruído por Deus, Satanás não hesita em se opor obstinadamente a Deus; isso é maligno, essa é a natureza de Satanás. Assim, nessa passagem, Satanás diz: “Pele por pele! Tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Estende agora a mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e ele blasfemará de Ti na Tua face!”. Satanás pensa que o temor que o homem sente de Deus se deve ao fato de ele ter obtido muitas vantagens de Deus. O homem obtém vantagens de Deus, então diz que Deus é bom. Mas não porque Deus é bom; é somente porque o homem obtém muitas vantagens que ele pode temer a Deus dessa maneira. Assim que Deus o priva dessas vantagens, o homem então O abandona. Na natureza maligna de Satanás, ele não acredita que o coração do homem pode verdadeiramente temer a Deus. Por causa de sua natureza maligna, ele não sabe o que é a santidade, e menos ainda o que é uma reverência temerosa. Ele não sabe o que é obedecer a Deus, nem o que é temer a Deus. Por não conhecer essas coisas, ele pensa que o homem tampouco pode temer a Deus. Digam-Me, Satanás não é maligno? Excetuando nossa igreja, nenhuma das várias religiões e denominações ou grupos religiosos e sociais, acredita na existência de Deus, muito menos acredita que Deus se tornou carne e está realizando a obra de julgamento, então pensam que aquilo em que você acredita não é Deus. Um homem promíscuo olha em volta e vê todas as outras pessoas como promíscuas, assim como ele mesmo é. Um homem mentiroso olha em volta e vê apenas desonestidade e mentiras. Um homem mau vê todos os outros como maus e quer lutar contra todos que vê. Aqueles que possuem uma medida de honestidade veem todos os outros como honestos, portanto, são sempre ludibriados, sempre enganados, e não há nada que possam fazer a respeito. Eu dou esses poucos exemplos para fortalecê-los em sua convicção: a natureza maligna de Satanás não é uma compulsão passageira ou determinada pelas circunstâncias, nem é uma manifestação temporária resultante de alguma razão ou fatores contextuais. Absolutamente não! Satanás simplesmente não pode evitar ser desse modo! Ele não pode fazer nada de bom. Mesmo quando diz algo que seja agradável de ouvir, isso só serve para seduzir você. Quanto mais agradáveis, mais diplomáticas e mais gentis forem as palavras de Satanás, mais maliciosas e sinistras são as intenções por trás dessas palavras. Que espécie de face, que espécie de natureza Satanás mostra nessas duas passagens? (Insidiosa, maliciosa e maligna.) A característica fundamental de Satanás é má, acima de tudo, Satanás é mau e malicioso.

Agora que completamos nossa discussão sobre Satanás, voltemos a falar sobre nosso Deus. Durante o plano de gerenciamento de seis mil anos de Deus, muito pouco das falas diretas de Deus foi registrado na Bíblia, e o que foi registrado é muito simples. Portanto, vamos começar pelo princípio. Deus criou o homem e, desde então, sempre tem guiado a vida da humanidade. Quer ao conceder bênçãos à humanidade, ao criar leis e mandamentos para os homens, ou ao estipular as várias regras para a vida, vocês sabem quais são os objetivos pretendidos por Deus ao fazer essas coisas? Em primeiro lugar, vocês podem dizer com certeza que tudo que Deus faz é para o bem da humanidade? Essas podem lhes parecer palavras grandes e vazias, mas ao examinar os detalhes nelas, tudo que Deus faz não é feito com a intenção de conduzir e guiar o homem na direção de uma vida normal? Quer seja para fazer com que o homem siga Suas regras ou guarde Suas leis, o objetivo de Deus para o homem é que ele não caia na adoração de Satanás e não seja prejudicado por Satanás; isso é mais fundamental e foi isso que aconteceu no princípio. No começo de tudo, quando o homem não entendia a vontade de Deus, Deus criou algumas leis e regras simples e fez regulamentações que cobriam todos os assuntos concebíveis. Essas regulamentações são simples e, não obstante, contêm a vontade de Deus. Deus preza, valoriza e ama profundamente a humanidade. Não é esse o caso? (Sim.) Podemos então dizer que Seu coração é santo? Podemos dizer que Seu coração é puro? (Sim.) Deus tem alguma motivação adicional? (Não.) Então, esse Seu objetivo é correto e positivo? (Sim.) No curso da obra de Deus, todas as regulamentações que Ele fez têm um efeito positivo sobre o homem, mostrando o caminho para o homem. Existe então algum pensamento interesseiro na mente de Deus? Deus tem quaisquer objetivos adicionais no que diz respeito ao homem? Deus quer se aproveitar do homem de alguma maneira? (Não.) Nem de longe. Deus faz o que diz, e Suas palavras e ações condizem com Seus pensamentos em Seu coração. Não existem propósitos manchados, nem pensamentos interesseiros. Nada daquilo que faz é para Si Mesmo, Ele faz tudo para homem, sem nenhum objetivo particular. Embora Ele tenha planos e intenções que Ele coloca sobre o homem, nada disso é para Si Mesmo. Tudo que Ele faz é feito puramente para humanidade, para protegê-la e impedi-la de ser desviada. Esse Seu coração, portanto, não é precioso? Você consegue ver em Satanás o menor sinal de tal coração precioso? Você não consegue ver o menor indício disso em Satanás. Tudo que Deus faz é revelado naturalmente. Agora vejamos como Deus opera; como é que Ele faz a Sua obra? Deus pega essas leis e Suas palavras e as amarra bem apertado em volta da cabeça de cada pessoa como o feitiço de apertar o aro,[a] impondo-as a cada ser humano? Ele opera desse modo? (Não.) Então, de que maneira Deus faz Sua obra? (Ele nos guia. Ele nos aconselha e encoraja.) Ele ameaça? Usa rodeios quando fala com vocês? (Não.) Quando você não compreende a verdade, como Deus guia você? (Ele acende uma luz.) Ele acende uma luz em você, dizendo-lhe claramente que isso não está de acordo com a verdade, e então Ele lhe diz o que você deve fazer. Com base nessas maneiras como Deus opera, que espécie de relacionamento você sente que tem com Deus? Você sente que Deus está fora do alcance de seu entendimento? (Não.) Como, então, você se sente quando você vê essas maneiras em que Deus opera? Deus está excepcionalmente próximo de você, não existe distância entre você e Deus. Quando Deus guia você, quando Ele provê para você, ajuda e apoia você, você sente como Deus é amável, a reverência que Ele inspira; você sente como Ele é adorável; você sente Seu calor. Mas quando Deus reprova você por corrupção, ou quando Ele julga e disciplina você por se rebelar contra Ele, que método Ele usa? Ele o repreende com palavras? Ele o disciplina por meio do seu ambiente e das pessoas, das situações e das coisas? (Sim.) Em que extensão Deus disciplina você? Deus disciplina o homem na mesma medida em que Satanás prejudica o homem? (Não, Deus disciplina o homem apenas na medida que o homem pode suportar.) Deus opera de maneira sutil, delicada, amorosa e atenciosa, de maneira extraordinariamente dosada e apropriada. Sua maneira não provoca em você reações emocionais intensas como: “Deus deve me deixar fazer isto” ou: “Deus deve me deixar fazer aquilo”. Deus nunca lhe proporciona esse tipo de intensidade mental ou emocional que torna as coisas insuportáveis. Isso não é assim? Mesmo quando você aceita as palavras de Deus de julgamento e castigo, como é que você se sente então? Quando sente a autoridade e o poder de Deus, como você se sente então? Você sente que Deus é divino e inviolável? (Sim.) Você sente uma distância entre você e Deus nesses momentos? Sente o temor de Deus? Não, em vez disso, você sente uma temerosa reverência em relação a Deus. Não é por causa da obra de Deus que as pessoas sentem todas essas coisas? Elas teriam esses sentimentos se fosse Satanás que estivesse operando? (Não.) Deus usa Suas palavras, Sua verdade e Sua vida para prover continuamente ao homem, para apoiá-lo. Quando o homem é fraco, quando o homem está se sentindo desanimado, Deus certamente não fala asperamente, dizendo: “Não fique desanimado. Que motivo há para se sentir desanimado? Por que você está fraco? Que razão existe para estar fraco? Você é sempre tão fraco e sempre é tão negativo! De que adianta viver? Morra de uma vez e acabe logo com isso!” Deus opera desse modo? (Não.) Deus tem autoridade para agir desse modo? (Sim.) No entanto, Deus não age desse modo. A razão pela qual Deus não age desse modo é Sua essência, a essência da santidade de Deus. Seu amor pelo homem, Seu valorizar e estimar o homem não podem ser claramente expressos em apenas uma ou duas sentenças. Não é algo que é ocasionado pelo vangloriar do homem, mas é algo que Deus cria na prática real; é a revelação de Sua essência. Podem todas essas maneiras pelas quais Deus opera fazer com que o homem veja a santidade de Deus? Em todas essas maneiras pelas quais Deus opera, incluindo Suas boas intenções, incluindo os efeitos que Deus deseja operar no homem, incluindo os diferentes meios que Ele adota para operar no homem, o tipo de obra que realiza, o que Ele quer que o homem compreenda, você enxergou alguma maldade ou enganação nas boas intenções de Deus? (Não.) Então, em tudo que Deus faz, em tudo que Deus diz, em tudo que Ele tem em Seu coração, assim como toda a essência que Ele revela, podemos chamar Deus de santo? (Sim.) Algum homem já viu alguma vez essa santidade no mundo ou dentro de si mesmo? Além de Deus, você a viu em qualquer ser humano ou em Satanás? (Não.) Com base na nossa discussão até agora, podemos chamar Deus de o Próprio Deus único e santo? (Sim.) Tudo que Deus dá ao homem, incluindo Suas palavras, as diferentes maneiras pelas quais Deus opera no homem, o que Ele diz ao homem, o que Deus faz o homem recordar, o que Ele aconselha e encoraja — tudo isso se origina da mesma essência: da santidade de Deus. Se não houvesse um Deus santo assim, homem algum poderia ocupar Seu lugar para realizar a obra que Ele faz. Se Deus entregasse esses homens inteiramente a Satanás, vocês já pensaram em que tipo de condição todos vocês estariam hoje? Vocês estariam todos sentados aqui, íntegros e inviolados? Vocês também diriam: “De rodear a terra, e de passear por ela”? Vocês seriam tão descarados, tão convencidos e tão cheios de ginga a ponto de falar tais palavras e se vangloriar sem vergonha diante de Deus? (Sim.) Absolutamente, sim, sem sombra de dúvida! A atitude de Satanás quanto ao homem permite ao homem enxergar que a natureza e a essência de Satanás são radicalmente diferentes das de Deus. O que há na essência de Satanás que é o oposto da santidade de Deus? (A maldade de Satanás.) A natureza maligna de Satanás é o oposto da santidade de Deus. A razão pela qual a maioria das pessoas não reconhece essa revelação de Deus e essa essência da santidade de Deus é porque elas vivem sob o império de Satanás, dentro da corrupção de Satanás, no recinto onde Satanás vive. Elas não sabem o que a santidade é nem como definir santidade. Mesmo quando você percebe a santidade de Deus, você ainda não consegue defini-la como a santidade de Deus com qualquer certeza. Isso é uma disparidade dentro do conhecimento da santidade de Deus pelo homem.

Que tipo de aspecto representativo caracteriza a obra de Satanás no homem? Vocês devem ser capazes de aprender isso por meio de suas próprias experiências — é o aspecto mais representativo de Satanás, o que ele faz repetidamente, aquilo que ele tenta fazer com cada pessoa. Talvez vocês não consigam ver essa característica, de modo que não acham que Satanás seja tão temível e odioso. Alguém sabe qual é essa característica? (Tudo que ele faz é feito para prejudicar o homem.) Como ele prejudica o homem? Vocês podem Me dizer mais especificamente, em mais detalhes? (Ele seduz, provoca e tenta o homem.) Isso é correto; essas são várias maneiras como essa característica se manifesta. Satanás também ilude, ataca e acusa o homem — tudo isso são manifestações. Há mais alguma? (Ele mente.) Trapacear e mentir é muito natural para Satanás. Ele faz essas coisas com tanta frequência que as mentiras saem de sua boca sem que ele nem precise pensar. Há ainda outras? (Ele semeia a discórdia.) Essa não é tão importante. Agora vou descrever para vocês algo fará com que seus cabelos fiquem de pé, mas não faço isso para amedrontar vocês. Deus opera no homem e estima o homem tanto em Suas atitudes como em Seu coração. Satanás, por sua vez, estima o homem? Não, ele não estima o homem. Ao contrário, ele gasta muito tempo pensando em prejudicar o homem. Não é assim? Quando pensa em prejudicar o homem, seu estado de espírito é de urgência? (Sim.) Portanto, no que diz respeito à obra de Satanás no homem, tenho duas frases que podem descrever amplamente a natureza maliciosa e maligna de Satanás, que realmente podem permitir a vocês conhecer a odiosidade de Satanás: na maneira como ele aborda o homem, Satanás sempre quer ocupar e possuir à força o homem, cada um deles, ao ponto de que possa ganhar controle completo sobre o homem e prejudicá-lo gravemente, a fim de atingir seu objetivo e cumprir sua louca ambição. O que significa “ocupar à força”? É algo que acontece com o seu consentimento ou sem? Acontece com o seu conhecimento ou sem? A resposta é que acontece completamente sem o seu conhecimento! Acontece em situações nas quais você não está ciente, talvez sem que ele diga ou faça nada a você, sem premissa, sem contexto — ali está Satanás, rodeando você, cercando você. Ele busca uma oportunidade para explorar e então ocupa você à força, possui você, atingindo seu objetivo de ganhar controle completo sobre você e de prejudicar você. Essa é uma intenção e conduta muito típica de Satanás ao lutar para afastar a humanidade de Deus. Como vocês se sentem quando ouvem isso? (Aterrorizados e temerosos em nosso coração.) Vocês se sentem enojados? (Sim.) Quando sentem esse nojo, vocês acham que Satanás não tem vergonha? Quando pensam que Satanás não tem vergonha, vocês então se sentem enojados com essas pessoas à sua volta que sempre querem controlá-los, que têm uma descontrolada ambição por status e interesses? (Sim.) E quais métodos Satanás usa para possuir à força o homem e ocupá-lo? Vocês têm clareza a esse respeito? Quando ouvem esses dois termos — “ocupação à força” e “possessão” — vocês sentem nojo e podem sentir a maldade nessas palavras. Sem seu conhecimento ou consentimento, Satanás possui você, ocupa você à força e o corrompe. Que gosto você consegue sentir em seu coração? Você sente abominação e nojo? (Sim.) Quando você sente essa abominação e esse enojo por esses métodos de Satanás, que tipo de sentimento você tem por Deus? (Gratidão.) Gratidão a Deus por salvá-lo. Assim, neste momento, você tem o desejo ou a vontade de deixar que Deus assuma e controle tudo que você tem e é? (Sim.) Em que contexto você responde assim? Você diz “sim” porque teme ser ocupado e possuído à força por Satanás? (Sim.) Você não deve ter esse tipo de mentalidade; não é correto. Não tenha medo, pois Deus está aqui. Não há nada a temer. Quando você tiver entendido a essência maligna de Satanás, você deverá ter um entendimento mais preciso ou uma apreciação mais profunda do amor de Deus, de Suas boas intenções, da compaixão e da tolerância de Deus em relação ao homem, e de Seu caráter justo. Satanás é tão odioso e, no entanto, se isso ainda não inspira seu amor por Deus, sua dependência de Deus e sua confiança Nele, então que espécie de pessoa você é? Você está disposto a deixar que Satanás o prejudique tanto assim? Depois de enxergar o mal e a hediondez de Satanás, nós nos viramos e então olhamos para Deus. Seu conhecimento de Deus agora passou por alguma mudança? Podemos dizer que Deus é santo? Podemos dizer que Deus é sem mácula? “Deus é santidade única” — Deus pode fazer jus a essa designação? (Sim.) Portanto, no mundo e entre todas as coisas, não é somente o Próprio Deus que pode fazer jus a esse entendimento que o homem tem de Deus? Existe mais alguém? (Não.) Então, o que exatamente Deus dá ao homem? Ele lhe dispensa somente poucos cuidados, interesse e consideração sem você estar ciente disso? O que Deus deu ao homem? Deus deu vida ao homem, deu-lhe tudo, e lhe outorga tudo isso incondicionalmente sem exigir nada, sem nenhuma motivação ulterior. Ele usa a verdade, Suas palavras e Sua vida para conduzir e guiar o homem, afastando-o dos danos de Satanás, de suas tentações e estímulos, permitindo que o homem enxergue claramente através da natureza maligna da face hedionda de Satanás. O amor e o interesse de Deus pela humanidade são verdadeiros? São algo que cada um de vocês pode experimentar? (Sim.)

Revejam sua vida até agora, todas as coisas que Deus operou em você em todos os anos de sua fé. Quer sejam profundos ou rasos os sentimentos que isso evoca em você, não é essa a coisa mais necessária de todas para você? Não foi o que você mais necessitava obter? (Sim.) Isso não é verdade? Isso não é a vida? (Sim.) Alguma vez Deus lhe concedeu iluminação e então pediu que você Lhe desse qualquer coisa em troca por tudo aquilo que Ele lhe deu? (Não.) Então, qual é o propósito de Deus? Por que Deus faz isso? Deus tem o objetivo de ocupar você? (Não.) Deus quer elevar Seu trono no coração do homem? (Sim.) Então, qual é a diferença entre Deus elevar Seu trono e a ocupação à força de Satanás? Deus quer ganhar o coração do homem, Ele quer ocupar o coração do homem. O que isso quer dizer? Quer dizer que Deus quer que o homem se torne Sua marionete, Sua máquina? (Não.) Então, qual é o propósito de Deus? Existe diferença entre Deus querer ocupar o coração dos homens e a ocupação à força de Satanás e sua posse do homem? (Sim.) Qual é a diferença? Você pode me dizer com clareza? (Satanás faz isso por meio da força, enquanto Deus permite que o homem se voluntarie.) É essa a diferença? Que utilidade seu coração tem para Deus? E que utilidade ocupar você tem para Deus? Como é que, no seu coração, vocês entendem “Deus ocupa o coração dos homens”? Devemos ser justos na maneira como falamos sobre Deus aqui, caso contrário as pessoas sempre entenderão errado e pensarão: “Deus sempre quer me ocupar. Para que Ele quer me ocupar? Não quero ser ocupado, só quero ser meu próprio senhor. Você diz que Satanás ocupa as pessoas, mas Deus também ocupa as pessoas. Não é a mesma coisa? Não quero deixar ninguém me ocupar. Eu sou eu mesmo!” Qual a diferença aqui? Pense um pouco. Pergunto a vocês: a frase “Deus ocupa o homem” é vazia? A ocupação do homem por Deus significa que Ele vive no seu coração e controla cada palavra e cada movimento seu? Se Ele lhe diz para sentar, você não ousa ficar em pé? Se Ele lhe diz para ir para o leste, você não ousa ir para o oeste? Essa “ocupação” se refere a algo ao longo dessas linhas? (Não. Deus quer que o homem viva o que Deus tem e é.) Através desses anos em que Deus gerenciou o homem, em Sua obra no homem até agora, neste último estágio, qual tem sido o efeito pretendido no homem de todas as palavras que Ele pronunciou? É que o homem viva o que Deus tem e é? Considerando o sentido literal de “Deus ocupa o coração do homem”, parece que Deus pega o coração do homem e o ocupa, vive nele e não sai mais dali; Ele Se torna o senhor do coração do homem e é capaz de dominar e manipular o coração do homem à vontade, de modo que o homem deve fazer o que quer que Deus lhe disser que faça. Nesse sentido, pareceria que todas as pessoas podem se tornar Deus e possuir a Sua essência e o Seu caráter. Nesse caso, portanto, poderia o homem também realizar os feitos de Deus? Pode-se explicar a “ocupação” desse modo? (Não.) Então o que é? Eu lhes pergunto isto: todas as palavras e a verdade que Deus fornece ao homem são uma revelação da essência de Deus e do que Ele tem e é? (Sim.) Isso é certamente verdade. Mas é essencial que o Próprio Deus pratique e possua todas as palavras que Ele fornece ao homem? Reflita sobre isso. Quando Deus julga o homem, por que Ele julga? Como essas palavras vieram a ser? Qual é o conteúdo dessas palavras que Deus fala quando Ele julga o homem? Em que elas se baseiam? É o caráter corrupto do homem no qual elas se baseiam? (Sim.) Então, o efeito alcançado pelo julgamento do homem por Deus está baseado na essência de Deus? (Sim.) Assim, é a “ocupação do homem” por Deus uma frase vazia? Certamente não. Então, por que Deus diz essas palavras para o homem? Qual é Seu propósito ao dizer tais palavras? Ele quer usar essas palavras para que sirvam como a vida do homem? (Sim.) Deus quer usar toda essa verdade que Ele falou naquelas palavras para que ajam como a vida do homem. Quando o homem toma toda essa verdade e a palavra de Deus e as transforma em sua própria vida, o homem pode então obedecer a Deus? O homem pode então temer a Deus? O homem pode evitar o mal? Quando o homem tiver alcançado esse ponto, ele poderá então obedecer à soberania e aos arranjos de Deus? O homem está então em posição de se submeter à autoridade de Deus? Quando pessoas como Jó ou Pedro chegam ao fim de seu caminho, quando se pode considerar que sua vida tenha alcançado a maturidade, quando possuem um real entendimento de Deus, Satanás então ainda consegue levá-las para longe? Satanás então ainda consegue ocupá-las? Satanás ainda consegue possuí-las à força? (Não.) Então, que espécie de pessoa é essa? É alguém que foi completamente ganho por Deus? (Sim.) Nesse nível de significado, como vocês veem essa espécie de pessoa que foi completamente ganha por Deus? Sob a perspectiva de Deus, nessas circunstâncias, Ele já ocupou o coração dessa pessoa. Mas o que ela sente? É o caso de a palavra de Deus, Sua autoridade e o caminho de Deus tornarem-se vida no interior do homem que essa vida ocupa o ser inteiro do homem, tornando as coisas que ele vive, assim como sua essência, adequadas para satisfazer a Deus? Sob a perspectiva de Deus, o coração da humanidade neste exato momento está ocupado por Ele? (Sim.) Como vocês entendem este nível de significado agora? É o Espírito de Deus que ocupa você? (Não, é a palavra de Deus que nos ocupa.) É o caminho de Deus e Sua palavra que se tornaram sua vida, e é a verdade que se tornou sua vida. Neste momento, o homem possui então a vida que vem de Deus, mas não podemos dizer que esta vida é a vida de Deus. Em outras palavras, não podemos dizer que a vida que o homem deve derivar da palavra de Deus é a vida de Deus. Assim, não importa por quanto tempo o homem siga a Deus, não importa quantas palavras o homem obtenha de Deus, o homem nunca pode se tornar Deus. Mesmo se um dia Deus disser: “Ocupei o seu coração; agora você possui a Minha vida”, você então sentiria que é Deus? (Não.) O que você se tornaria então? Você não teria uma obediência absoluta a Deus? Seu coração não estaria repleto da vida que Deus lhe concedeu? Isso seria uma manifestação muito normal daquilo que acontece quando Deus ocupa o coração dos homens. Isso é fato. Assim, vendo por esse aspecto, o homem pode se tornar Deus? Quando o homem tiver obtido todas as palavras de Deus, quando o homem puder temer a Deus e evitar o mal, o homem poderá então possuir a identidade e a essência de Deus? (Não.) Não importa o que aconteça, o homem ainda é homem depois que tudo tiver sido dito e feito. Você é um ser da criação; quando tiver recebido de Deus a palavra de Deus e tiver recebido o Seu caminho, você só possui a vida que vem da palavra de Deus e nunca pode se tornar Deus.

Agora voltaremos ao tópico que acabamos de discutir. Durante essa discussão, Eu lhes fiz uma pergunta — Abraão é santo? (Não.) Jó é santo? (Não.) Essa “santidade” contém nela a essência de Deus. O homem não tem a essência de Deus, nem Seu caráter. Ainda que tenha experimentado todas as palavras de Deus e tenha se equipado com a realidade delas, ainda assim o homem nunca poderá possuir a essência santa de Deus; o homem é o homem. Vocês entendem, sim? Então, qual é agora seu entendimento dessa frase: “Deus ocupa o coração dos homens”? (São as palavras de Deus, Seu caminho e Sua verdade que se tornam a vida do homem.) Vocês memorizaram essas palavras. Espero que vocês tenham um entendimento mais profundo. Alguns podem perguntar: “Então por que dizer que os mensageiros e os anjos de Deus não são santos?”. O que vocês acham dessa pergunta? Talvez não tenham pensado nisso antes. Usarei um exemplo simples: quando você liga um robô, ele pode tanto dançar como falar, e você consegue entender o que ele diz. Você pode chamá-lo de fofo e vivaz, mas ele não entenderá porque não tem vida. Quando você desliga sua fonte de energia, ele ainda consegue se movimentar? Quando esse robô é ativado, você pode ver que é vivaz e fofo. Você faz uma avaliação dele, seja ela substancial ou superficial; em qualquer dos casos, porém, você pode vê-lo se movimentar. Mas, quando você desliga sua fonte de energia, você enxerga nele algum tipo de personalidade? Você o vê possuir algum tipo de essência? Você entende o sentido do que estou dizendo? Quer dizer, mesmo que esse robô possa se movimentar e parar, você nunca poderia descrevê-lo como dotado de algum tipo de essência. Isso não é um fato? Agora não falaremos mais disso. É o suficiente para que vocês tenham um entendimento geral do significado. Encerremos nossa comunicação por aqui. Adeus!

17 de dezembro de 2013

Nota de rodapé:

a. “O feitiço de apertar o aro” é um feitiço usado pelo monge Tang Sanzang no romance chinês Jornada ao Oeste. Ele usa esse feitiço para controlar Sun Wukong ao apertar um aro de metal ao redor da cabeça deste, causando-lhe profundas dores de cabeça e, assim, submetendo-o a seu controle. Tornou-se uma metáfora para descrever algo que amarra uma pessoa.

Anterior: O Próprio Deus, o Único III

Próximo: O Próprio Deus, o Único V

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro