Capítulo 12

Quando o relâmpago surge do Oriente — que também é precisamente o momento em que começo a proferir Minhas palavras —, quando o relâmpago surge, todo o empíreo é iluminado e uma transformação acontece em todas as estrelas. É como se toda a raça humana tivesse sido classificada. Sob o brilho desse feixe de luz do Oriente, toda a humanidade é revelada em sua forma original, com os olhos ofuscados, inseguros quanto ao que fazer, e ainda menos capazes de ocultar suas feias feições. São também como animais que fogem da Minha luz e se refugiam nas cavernas da montanha — mas nenhum dentre eles pode ser apagado do interior da Minha luz. Todos os seres humanos estão atônitos, todos estão esperando, todos estão observando; com o advento da Minha luz, todos se regozijam com o dia em que nasceram e, da mesma forma, todos amaldiçoam o dia em que nasceram. Emoções conflitantes são impossíveis de se articular; lágrimas de autopunição formam rios e são levadas na arrebatadora torrente, que se vai sem deixar vestígios, em um piscar de olhos. Mais uma vez, o Meu dia está se aproximando de toda a humanidade, mais uma vez despertando a raça humana, proporcionando à humanidade um novo começo. Meu coração bate e, seguindo a cadência de batimentos de Meu coração, as montanhas pulam de alegria, as águas dançam com alegria e as ondas, acompanhando o ritmo, batem nos recifes rochosos. É difícil expressar o que está no Meu coração. Eu quero que todas as coisas impuras queimem em cinzas sob o Meu olhar, quero fazer com que todos os filhos da desobediência desapareçam de diante dos Meus olhos, que nunca mais permaneçam na existência. Não só criei um novo começo no lugar da morada do grande dragão vermelho como iniciei uma nova obra no universo. Logo, os reinos da terra se tornarão o Meu reino; logo, os reinos da terra deixarão de existir para sempre por causa do Meu reino, porque já alcancei a vitória, porque voltei triunfante. O grande dragão vermelho esgotou todos os meios concebíveis para interromper o Meu plano, esperando apagar a Minha obra na terra, mas Eu posso ficar desanimado por conta de seus estratagemas enganosos? Posso ficar com medo de perder a confiança por suas ameaças? Nunca existiu um único ser, nem no céu nem na terra, que Eu não tenha segurado na palma da Minha mão; quanto mais isso é verdadeiro em relação ao grande dragão vermelho, esse instrumento que serve como um contraste para Mim? Não é também um objeto para ser manipulado pelas Minhas mãos?

Durante Minha encarnação no mundo humano, a humanidade, sob a minha orientação, chegou, sem perceber, a este dia e sem perceber Me conheceu. Mas, em se tratando de como trilhar a senda que jaz adiante, ninguém tem a mínima noção, ninguém está ciente, e ninguém muito menos tem um indício quanto à direção em que essa senda o levará. Só com o Todo-Poderoso o observando é que alguém será capaz de trilhar a senda até o fim; só guiado pelo relâmpago do Oriente, alguém será capaz de cruzar o limiar que leva ao Meu reino. Entre os homens, nunca houve quem tivesse visto a Minha face, quem tivesse visto o relâmpago no Oriente; quanto menos houve quem tivesse ouvido as expressões do Meu trono? De fato, desde os tempos antigos, nenhum ser humano entrou diretamente em contato com a Minha pessoa; só hoje, quando Eu vim ao mundo, é que os homens têm uma oportunidade de Me ver. Mas, mesmo agora, os homens ainda não Me conhecem, já que apenas olham para o Meu rosto e ouvem apenas a Minha voz, sem entender o que quero dizer. Todos os seres humanos são assim. Sendo alguém do Meu povo, vocês não sentem um orgulho profundo quando veem o Meu rosto? E não sentem uma vergonha abjeta por não Me conhecerem? Eu caminho entre os homens e vivo entre os homens, pois Me tornei carne e entrei no mundo humano. Meu objetivo não é simplesmente capacitar a humanidade para olhar a Minha carne; mais importante que isso é permitir que a humanidade Me conheça. Além disso, através da Minha carne encarnada, condenarei a humanidade por seus pecados; através da Minha carne encarnada, vencerei o grande dragão vermelho e aniquilarei seu covil.

Embora os seres humanos que povoam a terra sejam tão numerosos quanto as estrelas, conheço-os todos tão claramente quanto a palma da Minha mão. E, embora os seres humanos que Me “amam” sejam também tão inumeráveis quanto os grãos de areia do mar, apenas alguns são escolhidos por Mim: somente aqueles que buscam a luz brilhante, que estão separados daqueles que Me “amam”. Eu não superestimo o homem, nem o subestimo; em vez disso, faço exigências ao homem de acordo com seus atributos naturais, e então o que Eu exijo é o tipo de pessoa que busca por Mim sinceramente, de forma que eu possa atingir meu objetivo ao escolher as pessoas. Existe um sem-número de feras selvagens nas montanhas, mas são todas tão mansas quanto ovelhas diante de Mim; mistérios insondáveis jazem sob as ondas, mas eles se apresentam a Mim tão claramente quanto todas as coisas sobre a face da terra; no empíreo acima estão reinos que o homem nunca pode alcançar, mas Eu caminho livremente naqueles reinos inacessíveis. O homem nunca Me reconheceu na luz, mas só Me viu no mundo das trevas. Vocês não estão exatamente na mesma situação hoje? Foi no clímax das violências do grande dragão vermelho que Eu formalmente vesti a carne para fazer a Minha obra. Quando o grande dragão vermelho revelou sua verdadeira forma pela primeira vez, Eu dei testemunho do Meu nome. Quando caminhei pelas estradas da humanidade, nem um ser, nem uma pessoa, ficou em vigília de sobressalto, e então, quando vim encarnado para o mundo humano, ninguém o soube. Mas quando, na Minha carne em pessoa, comecei a me dedicar à Minha obra, a humanidade acordou, foi arrancada de seus sonhos pela Minha voz trovejante e, a partir desse momento, começou sua vida sob a Minha orientação. Entre o Meu povo, mais uma vez comecei uma nova obra. Ter dito que a Minha obra na terra não está terminada basta para mostrar que Meu povo do qual falei não é aquele que Eu exijo em Meu coração, mas, apesar disso, ainda escolho alguns dentre eles. Isso deixa evidente que estou não só capacitando o Meu povo a conhecer o Deus encarnado, mas também o estou limpando. Devido à severidade dos Meus decretos administrativos, a grande maioria das pessoas ainda está em perigo de ser eliminada por Mim. A menos que vocês façam todo esforço para lidar consigo mesmos, para subjugar o próprio corpo, a menos que façam isso, vocês certamente se tornarão um objeto que Eu desprezo e rejeito, para ser lançado no inferno, assim como Paulo recebeu o castigo das Minhas mãos, do qual não houve escapatória. Vocês extraíram algo de Minhas palavras? Como antes, é Minha intenção limpar a igreja, continuar a purificar as pessoas de que preciso, porque sou o Próprio Deus, que é todo santo e imaculado. Eu farei o Meu templo não apenas iridescente com as cores do arco-íris, mas também imaculadamente limpo, com um interior que combine com o exterior. Em Minha presença, vocês devem todos pensar no que fizeram no passado e decidir se podem hoje resolver Me dar a perfeita satisfação em Meu coração.

Não é simplesmente que o homem não Me conheça em Minha carne; mais que isso, ele não conseguiu entender o próprio ego que reside em um corpo carnal. Por tantos anos, os seres humanos têm Me enganado, tratando-Me como um convidado de fora. Tantas vezes, eles me deixaram de fora da “porta de sua casa”; tantas vezes eles, parados diante de Mim, não Me deram atenção; tantas vezes renunciaram a Mim no meio de outros homens; tantas vezes Me negaram diante do diabo; e tantas vezes Me atacaram em suas discussões verbais. No entanto, não fico contando as fraquezas do homem, nem por conta de sua desobediência peço um dente em troca de um dente. Tudo o que tenho feito é aplicar um remédio para as suas doenças, a fim de curar seus males incuráveis, restaurando dessa maneira sua saúde, para que ele possa Me conhecer. Tudo o que Eu fiz não foi em prol da sobrevivência da humanidade, para dar à humanidade uma chance na vida? Muitas vezes Eu vim ao mundo dos homens, mas os homens, porque vim em Minha Própria pessoa ao mundo, não Me deram nenhuma consideração; em vez disso, cada um agiu como achou apropriado, buscando uma saída para si mesmo. Mal sabem eles que todos os caminhos abaixo dos céus vêm das Minhas mãos! Mal sabem eles que todas as coisas abaixo dos céus estão sujeitas à Minha ordenação! Qual de vocês ousa abrigar ressentimento em seu coração? Qual de vocês ousa levianamente chegar a um acordo? Eu tenho apenas cuidado silenciosamente da Minha obra em meio à humanidade, isso é tudo. Se, durante o período da Minha encarnação, Eu não tivesse Me compadecido da fraqueza do homem, então toda a humanidade, unicamente por conta da Minha encarnação, teria ficado morrendo de medo e, em consequência, caído no Hades. Apenas porque Me humilhei e Me escondi é que a humanidade escapou da catástrofe, livrou-se do Meu castigo, e assim chegou até hoje. Cientes de quão difícil foi chegar ao dia de hoje, vocês não deveriam estimar muito mais o amanhã que ainda está por vir?

8 de março de 1992

Anterior: Capítulo 6

Próximo: Capítulo 16

Quando ocorre um desastre, como nós, cristãos, devemos enfrentá-lo? Fique à vontade para nos contatar via WhatsApp, podemos explorar e encontrar caminhos juntos.
Entre em contato conosco pelo Messenger
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Prefácio

Embora muitas pessoas acreditem em Deus, poucas compreendem o que significa fé em Deus e o que elas devem fazer para se conformarem à...

Posfácio

Mesmo que essas palavras não abarquem todas as expressões de Deus, elas bastam para que as pessoas alcancem os objetivos de conhecer Deus e...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro