Sirva como serviram os israelitas

Hoje em dia, muitas pessoas não prestam atenção em quais lições deveriam ser aprendidas enquanto se coordenam com as outras. Descobri que muitos de vocês não conseguem aprender nenhuma lição sequer enquanto se coordenam com outras pessoas; a maioria de vocês se atém às suas próprias opiniões. Quando trabalham na igreja, você expressa sua opinião e outra pessoa expressa a sua, e uma não está relacionada à outra; na verdade, vocês não cooperam de forma alguma. Vocês todos estão tão absorvidos em comunicar meramente suas próprias percepções ou em aliviar os “fardos” que carregam dentro de vocês sem buscar a vida nem minimamente. Você parece apenas estar fazendo o trabalho superficialmente, sempre acreditando que você deve seguir sua própria senda, independentemente daquilo que todos os outros digam ou façam; você acha que deve comunicar conforme o Espírito Santo guia você, independentemente de quais possam ser as circunstâncias de outros. Vocês não são capazes de descobrir os pontos fortes dos outros, tampouco conseguem examinar a si mesmos. Sua aceitação das coisas é realmente pervertida e errônea. Pode-se dizer que, mesmo agora, vocês ainda exibem muita presunção, como se vocês tivessem recaído naquela velha doença. Vocês não se comunicam uns com os outros de modo que alcance abertura completa, por exemplo, sobre que tipo de resultado vocês obtiveram do trabalho em certas igrejas ou sobre a condição recente do estado interior de vocês e assim por diante; vocês simplesmente nunca se comunicam sobre essas coisas. Vocês não têm absolutamente nenhum envolvimento em práticas como largar suas próprias noções ou abandonar a si mesmos. Líderes e obreiros pensam apenas em como impedir que seus irmãos e irmãs fiquem negativos e em como capacitá-los a seguirem vigorosamente. No entanto, todos vocês acham que seguir vigorosamente em si já basta e, fundamentalmente, vocês não têm nenhum entendimento daquilo que significa conhecer a si mesmo e abandonar a si mesmo, muito menos entendem o que significa servir em coordenação com outros. Vocês só pensam em que vocês mesmos tenham a vontade para retribuir Deus por Seu amor, em que vocês mesmos tenham a vontade de viver o estilo de Pedro. Além dessas coisas, vocês não pensam em mais nada. Você até diz que, não importando o que outras pessoas façam, você não se submeterá cegamente e, não importando como sejam as outras pessoas, você mesmo buscará que Deus o aperfeiçoe, e isso será suficiente. Fato é, porém, que sua vontade de forma alguma encontrou uma expressão concreta na realidade. Tudo isso não é o tipo de comportamento que vocês exibem hoje em dia? Cada um de vocês se agarra à sua própria percepção, e todos vocês desejam ser aperfeiçoados. Vejo que vocês têm servido por tanto tempo sem terem feito muito progresso; mais especificamente, nessa lição de trabalhar juntos em harmonia, vocês não alcançaram absolutamente nada! Quando vai para as igrejas, você comunica do seu jeito, e outros comunicam do jeito delas. Raramente ocorre coordenação harmoniosa, e isso vale ainda mais para os seguidores que são subordinados a você. Ou seja, raramente algum de vocês entende o que é servir a Deus ou como se deve servir a Deus. Vocês estão confusos e tratam lições desse tipo como assuntos insignificantes. Há até muitas pessoas que não só falham por não praticarem esse aspecto da verdade, mas que também fazem a coisa errada conscientemente. Mesmo aqueles que serviram por muitos anos lutam e tramam uns contra os outros e são invejosos e competitivos; é cada um por si, e eles não cooperam de maneira alguma. Todas essas coisas não representam sua estatura real? Vocês que servem juntos diariamente são como os israelitas, que serviram diretamente ao Próprio Deus todos os dias no templo. Como é possível que vocês, que servem a Deus, não fazem ideia de como cooperar ou de como servir?

Naquela época, os israelitas serviam a Jeová diretamente no templo e tinham a identidade de sacerdotes. (É claro que nem toda pessoa era um sacerdote; apenas alguns que serviam a Jeová no templo tinham essa identidade.) Eles usavam coroas concedidas a eles por Jeová (o que significa que eles faziam essas coroas de acordo com as exigências de Jeová, não que Jeová lhes deu as coroas diretamente.) Também vestiam trajes sacerdotais concedidos a eles por Jeová e serviam diretamente a Ele no templo, descalços, de manhã à noite. Seu serviço a Jeová não era, de modo algum, aleatório e não envolvia correr por aí cegamente; ao contrário, tudo era feito de acordo com regras que ninguém que servia diretamente a Ele podia violar. Todos eles tinham de obedecer a esses regulamentos; caso contrário, eles seriam proibidos de entrar no templo. Se qualquer um deles quebrasse as regras do templo — isto é, se qualquer um desobedecesse às ordens de Jeová — aquela pessoa tinha de ser tratada de acordo com as leis que Ele tinha promulgado, e ninguém tinha permissão para objetar a isso ou para proteger o transgressor. Não importava quantos anos tinham servido a Deus, todos eram obrigados a obedecer às regras. Por essa razão, tantos sacerdotes usavam roupas sacerdotais e serviam continuamente a Jeová dessa maneira durante o ano todo, apesar de Ele não lhes ter dado qualquer tratamento especial. Passavam até sua vida inteira diante do altar e no templo. Isso era uma manifestação de sua lealdade e submissão. Não surpreende que Jeová lhes concedeu tais bênçãos; foi inteiramente por causa de sua lealdade que eles receberam favor e viram todos os feitos de Jeová. Naquela época, quando Jeová operava em Israel entre Seu povo escolhido, Ele lhe impôs exigências bastante severas. Todos eram muito obedientes e limitados pelas leis; as leis serviam para proteger sua habilidade de reverenciar a Jeová. Todas elas eram os decretos administrativos de Jeová. Se qualquer um dos sacerdotes não guardasse o Sábado ou violasse os mandamentos de Jeová e se ele fosse descoberto pelo povo comum, então essa pessoa era levada imediatamente para diante do altar e apedrejada até a morte. Não era permitido que aqueles corpos fossem colocados dentro ou em volta do templo; Jeová não permitia isso. Qualquer pessoa que fizesse isso seria tratada como pessoa que oferece “sacrifícios profanos” e jogada num grande fosso e executada. É claro que todas essas pessoas perderiam sua vida, ninguém seria poupado. Havia até mesmo aqueles que ofereciam “fogo profano”; em outras palavras, as pessoas que não sacrificavam nos dias designados por Jeová eram queimadas por Seu fogo juntamente com seus itens sacrificiais, que não podiam permanecer no altar. As exigências aos sacerdotes eram estas: eles não podiam entrar no templo ou nem mesmo no pátio exterior sem primeiro lavarem seus pés; não podiam entrar no templo se não estivessem vestindo suas vestes sacerdotais; não podiam entrar no templo se não estivessem usando sua coroa sacerdotal; não podiam entrar no templo se estivessem contaminados por um cadáver; não podiam entrar no templo após tocarem a mão de uma pessoa injusta a não ser que lavassem primeiro suas próprias mãos; e não podiam entrar no templo após contaminarem a si mesmos com mulheres (por três meses, não para sempre), tampouco tinham a permissão para ver a face de Jeová. Após esse tempo — ou seja, somente após três meses eles teriam permissão para trajar vestes sacerdotais limpas — então tinham que servir no pátio exterior durante sete dias antes de poderem entrar no templo para ver a face de Jeová. Tinham permissão para vestir qualquer desses trajes sacerdotais apenas dentro do templo, jamais fora dele, a fim de evitar a contaminação do templo de Jeová. Todos aqueles que eram sacerdotes deviam trazer criminosos que tinham violado as leis de Jeová para diante de Seu altar, onde eram mortos pelo povo comum; caso contrário, fogo cairia sobre o sacerdote que tinha testemunhado o crime. Assim, eram infalivelmente leais a Jeová, porque Suas leis eram tão severas com eles, e eles jamais e de forma alguma ousariam violar casualmente os Seus decretos administrativos. Os israelitas eram leais a Jeová porque eles tinham visto Sua chama e tinham visto a mão com que Ele castigava as pessoas e também porque originalmente tinham nutrido tamanha reverência por Ele. Por isso, o que eles obtiveram não foi apenas a chama de Jeová, mas também Seu cuidado, Sua proteção e Suas bênçãos. A lealdade deles era que eles obedeciam às palavras de Jeová em todas as suas ações, e ninguém as desobedecia. Se ocorresse qualquer desobediência, os outros ainda assim executariam as palavras de Jeová, executando qualquer um que fosse contra Jeová, e de forma alguma esconderiam Dele essa pessoa. Aqueles que violassem o Sábado, aqueles culpados de promiscuidade e aqueles que roubassem ofertas a Jeová seriam punidos com severidade especial. Os que violavam o Sábado eram apedrejados até a morte por eles (o povo comum) ou eram açoitados até a morte, sem exceções. Aqueles que cometessem fornicação — até mesmo aqueles que cobiçassem mulheres atraentes, ou dessem lugar a pensamentos lascivos ao ver mulheres ímpias, ou se tornassem lascivos ao ver mulheres jovens — todos seriam executados. Se qualquer mulher jovem que não vestisse uma coberta ou um véu tentasse um homem a uma conduta ilícita, essa mulher seria executada. Se o homem que violasse leis desse tipo fosse um sacerdote (alguém que servia no templo), ele seria crucificado ou enforcado. Nenhuma pessoa desse tipo teria permissão para viver, e nenhuma encontraria favor diante de Jeová. Os parentes desse tipo de homem não teriam permissão para oferecer sacrifícios a Jeová diante do altar por três anos após sua morte, tampouco lhes seria permitido compartilhar dos sacrifícios concedidos ao povo comum por Jeová. Só depois que esse tempo passasse, eles poderiam colocar gado ou ovelhas de primeira qualidade no altar de Jeová. Se quaisquer outras transgressões fossem cometidas, eles teriam de jejuar durante três dias na frente de Jeová, suplicando a Sua graça. Eles adoravam Jeová não só porque Suas leis eram tão severas e rígidas; eles o faziam como resultado de Sua graça e por sua lealdade a Ele. Assim, até hoje, eles têm permanecido semelhantemente leais em seu serviço, e eles jamais voltaram atrás em suas súplicas diante de Jeová. Hoje em dia, o povo de Israel ainda recebe Seu cuidado e proteção, e Ele ainda é a graça em seu meio, residindo com eles sempre. Todos eles sabem como devem reverenciar a Jeová e como devem servi-Lo, e todos eles sabem como devem agir a fim de receber Seu cuidado e proteção; isso é assim porque todos eles O reverenciam em seu coração. O segredo do sucesso de todo o seu serviço não é nada mais que reverência. Então, como são vocês hoje em dia? Vocês têm alguma semelhança com o povo de Israel? Vocês acreditam que servir hoje em dia é semelhante a seguir a liderança de uma grande figura espiritual? Vocês simplesmente não têm nenhuma lealdade e reverência. Vocês recebem graça considerável e são equivalentes aos sacerdotes israelitas no sentido de que servem diretamente a Deus. Apesar de não entrarem no templo, o que vocês recebem e veem é muito mais do que recebiam os sacerdotes que serviam a Jeová no templo. No entanto, vocês se rebelam e resistem muitas vezes mais do que eles. Sua reverência é minúscula, e, como resultado, vocês recebem pouquíssima graça. Apesar de dedicarem muito pouco, vocês receberam muito mais do que aqueles israelitas jamais receberam. Em tudo isso, vocês não são tratados com benevolência? Enquanto a obra estava sendo feita em Israel, as pessoas não ousavam julgar Jeová à vontade. No entanto, e vocês? Se não fosse pelo bem da obra que estou fazendo atualmente para conquistar vocês, como Eu poderia tolerar que Meu nome fosse envergonhado de modo tão ultrajante? Se a era em que vocês vivem fosse a Era da Lei, então, dadas as suas palavras e ações, nenhum de vocês permaneceria vivo. Sua reverência é minúscula! Vocês estão sempre Me culpando por não conceder-lhes muito favor e vocês até alegam que Eu não lhes dou palavras de bênção suficientes e que Eu só tenho maldições para vocês. Vocês não sabem que, com tão pouca reverência a Mim, é impossível que vocês aceitem Minhas bênçãos? Vocês não sabem que Eu amaldiçoo vocês e lanço julgamento sobre vocês constantemente devido ao estado lamentável de seu serviço? Todos vocês sentem que foram injustiçados? Como posso conceder Minhas bênçãos a um grupo de pessoas que é rebelde e não se submete? Como posso conceder casualmente a Minha graça a pessoas que trazem desonra para o Meu nome? Vocês já foram tratados com bondade extrema. Se os israelitas tivessem sido tão rebeldes como vocês são hoje, Eu os teria aniquilado há muito tempo. No entanto, Eu trato vocês com nada mais que leniência. Isso não é benevolência? Vocês desejam bênçãos maiores do que isso? Jeová só abençoa aqueles que O reverenciam. Ele castiga pessoas que se rebelam contra Ele, jamais perdoando uma única delas. Vocês, pessoas de hoje que não sabem como servir, não têm necessidade maior de castigo e julgamento, para que seu coração possa ser mudado plenamente? Tais castigo e julgamento não são o melhor tipo de bênçãos a conceder-lhes? Não são eles a sua melhor proteção? Sem eles, qualquer um de vocês seria capaz de suportar o fogo ardente de Jeová? Se vocês realmente conseguissem servir tão lealmente como os israelitas, vocês também não teriam a graça como seu companheiro constante? Vocês também não teriam frequentemente alegria e favor suficiente? Todos vocês sabem como deveriam servir?

A exigência feita a vocês hoje — trabalhar juntos em harmonia — é semelhante ao serviço que Jeová exigiu dos israelitas: caso contrário, simplesmente parem de prestar serviço. Visto que vocês são pessoas que servem diretamente a Deus, vocês devem, no mínimo, ser capazes de lealdade e submissão em seu serviço e também devem ser capazes de aprender lições de maneira prática. Especialmente para aqueles de vocês que trabalham na igreja, qualquer um dos irmãos e irmãs subordinados a vocês ousaria lidar com vocês? Alguém ousaria falar-lhes na cara sobre seus erros? Vocês estão muito acima de todos os outros; vocês reinam como reis! Vocês nem mesmo estudam nem entram nesses tipos de lições práticas, mesmo assim falam de servir a Deus! Atualmente, pede-se que você lidere um número de igrejas, mas você não só não desiste de si mesmo, mas até se agarra às suas próprias noções e opiniões, dizendo coisas como: “Acho que essa coisa deveria ser feita dessa maneira, visto que Deus disse que não devemos ser restritos pelos outros e que, hoje em dia, não devemos nos submeter cegamente”. Portanto, cada um de vocês se agarra à própria opinião, e ninguém obedece ao outro. Mesmo sabendo claramente que seu serviço se encontra num impasse, vocês ainda dizem: “A meu ver, meu jeito não está longe da meta. Em todo caso, cada um de nós tem um lado: você fala do seu, e eu falarei do meu; você comunica suas visões, e eu falarei da minha entrada”. Vocês nunca assumem responsabilidade pelas muitas coisas que deveriam ser tratadas ou simplesmente improvisam, cada um botando para fora as próprias opiniões e prudentemente protegendo o status, a reputação e a face de vocês. Nenhum de vocês está disposto a se humilhar, e nenhum lado toma a iniciativa para desistir de si mesmo e compensar as deficiências uns dos outros para que a vida possa progredir mais rapidamente. Quando vocês estão coordenando juntos, vocês deveriam aprender a buscar a verdade. Talvez vocês digam: “Eu não tenho um entendimento claro desse aspecto da verdade. Que experiência você tem com isso?” Ou talvez vocês digam: “Você tem mais experiência do que no que diz respeito a esse aspecto; você poderia, por favor, me oferecer alguma orientação?”. Essa não seria uma boa maneira de resolver isso? Vocês ouviram muitos sermões e têm alguma experiência em prestar serviço. Se vocês não aprenderem uns com os outros, não ajudarem uns aos outros e não compensarem as deficiências uns dos outros quando trabalharem nas igrejas, como, então, poderão aprender quaisquer lições? Sempre que se depararem com qualquer coisa, vocês deveriam se comunicar uns com os outros para que sua vida possa se beneficiar. Além do mais, vocês deveriam se comunicar cuidadosamente sobre coisas de qualquer tipo antes de tomar qualquer decisão. Só se fizerem isso, vocês estarão assumindo responsabilidade pela igreja em vez de simplesmente agirem superficialmente. Após visitarem todas as igrejas, vocês deveriam se reunir e comunicar todas as questões que descobrirem e quaisquer problemas encontrados em seu trabalho, e então vocês deveriam comunicar o esclarecimento e a iluminação que vocês receberam — essa é uma prática de serviço indispensável. Vocês devem alcançar cooperação harmoniosa para o propósito da obra de Deus, para o benefício da igreja e a fim de incentivar seus irmãos e irmãs a avançarem. Vocês devem se coordenar uns com os outros, cada um corrigindo o outro e alcançando um resultado de trabalho melhor, a fim de cuidar da vontade de Deus. Isso é que é cooperação verdadeira, e apenas aqueles que se engajarem nela ganharão entrada verdadeira. Enquanto cooperam, algumas das palavras que você diz podem ser inapropriadas, mas isso não importa. Conversem sobre isso mais tarde e ganhem um entendimento claro sobre isso; não negligenciem isso. Depois desse tipo de comunhão, vocês podem compensar as deficiências de seus irmãos ou irmãs. Apenas se aprofundando cada vez mais em seu trabalho dessa maneira, vocês podem alcançar resultados melhores. Cada um de vocês, como pessoas que servem a Deus, deve ser capaz de defender os interesses da igreja em tudo que faz, em vez de simplesmente considerar seus próprios interesses. É inaceitável agirem sozinhos, sempre boicotando uns aos outros. Pessoas que se comportam dessa maneira não são aptas para servir a Deus! Tais pessoas têm um caráter terrível; não resta nelas um pingo de humanidade. São cem por cento Satanás! São bestas! Mesmo agora, tais coisas ainda ocorrem entre vocês; vocês chegam até a atacar uns aos outros durante a comunhão, intencionalmente buscando pretextos e ficando todos vermelhos no rosto enquanto brigam por causa de algum assunto trivial, nenhuma pessoa estando disposta a tirar o foco se si mesmo, cada pessoa ocultando dos outros os seus pensamentos íntimos, observando intensamente a outra parte e sempre estando em guarda. Esse tipo de caráter condiz ao serviço a Deus? Um trabalho desse como o seu pode suprir qualquer coisa aos seus irmãos e irmãs? Você não só é incapaz de conduzir pessoas para o curso de vida correto, mas, na verdade, injeta seus próprios caracteres corruptos em seus irmãos e irmãs. Você não está ferindo os outros? Sua consciência é horrível e está totalmente podre! Você não entra na realidade, nem coloca a verdade em prática. Além disso, você descaradamente expõe sua natureza diabólica aos outros. Você simplesmente não tem vergonha! Esses irmãos e irmãs lhe foram confiados, no entanto, você os leva para o inferno. Você não é alguém cuja consciência se tornou podre? Você não tem absolutamente nenhuma vergonha!

Anterior : Como são alcançados os efeitos do segundo passo da obra de conquista

Próximo : Prática (8)

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A respeito da Bíblia (1)

Como a Bíblia deveria ser abordada na crença em Deus? Esta é uma questão de princípios. Por que estamos comungando esta pergunta? Porque no...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro