8. Deus Todo-Poderoso me levou para a senda de obter purificação

Por Gangqiang, Estados Unidos

Eu vim sozinho para a Singapura em 2007 para tentar ganhar a vida. Singapura é muito quente o ano todo e, no trabalho, eu suava muito. Era uma situação completamente miserável, e, além disso, eu estava num lugar completamente desconhecido sem família ou amigos — a vida parecia tão monótona e tediosa. Certo dia em agosto, recebi um folheto evangélico a caminho de casa após o trabalho que dizia: “E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à Sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer” (1 Pedro 5:10). Ao ler essas palavras, senti calor em meu coração. Depois disso, fui à igreja com um irmão, onde o acolhimento entusiasmado dos irmãos e irmãs, que perguntavam pelo meu bem-estar, me fizeram sentir o calor da família que eu não tinha sentido durante um bom tempo. De repente, meus olhos se encheram de lágrimas — eu me sentia como se tivesse voltado para casa. A partir de então, ir para a igreja todo domingo passou a ser uma necessidade para mim.

Eu fui batizado naquele dezembro, embarcando oficialmente na senda da fé. Num culto da igreja, ouvi o pregador ler os versículos 21-22 do capítulo 18 de Mateus: “Então Pedro, aproximando-se Dele, Lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete”. Quando ouvi isso, pensei comigo mesmo: “Como o perdão e a paciência do Senhor Jesus podem ser tão grandes? Ele perdoa as pessoas setenta vezes sete vezes. Se os homens realmente conseguissem fazer isso, não haveria briga, apenas amor e calor!” As palavras do Senhor me comoveram muito, e eu resolvi agir de acordo com Seus ensinamentos.

Dois ou três anos mais tarde, meu chefe me colocou como responsável de uma obra de construção, então investi toda a minha energia no trabalho e deixei de frequentar as reuniões com a mesma regularidade. Mais tarde, fui apresentado a um senhor Li, um financiador de negócios, e juntos fundamos uma empresa de construção. Eu estava muito feliz e determinado a realmente me dedicar àquilo. Então caí totalmente no redemoinho do dinheiro e parei completamente de frequentar as reuniões da igreja. Eu queria que os projetos fossem bem feitos para ganhar o elogio dos outros pela minha competência, então passei a exigir cada vez mais dos trabalhadores. Eu os repreendia sempre que via que tinham cometido algum erro ou feito algo que não satisfazia as minhas exigências. Meu abuso levava o líder de equipe às lágrimas com frequência. Sempre que me viam, os trabalhadores ficavam com medo e até se escondiam de mim. Até mesmo pessoas que costumavam ser bons amigos se tornaram frias e não queriam mais se confiar a mim. Ver isso foi muito angustiante. O Senhor Jesus nos instrui a perdoar os outros setenta vezes sete vezes e a amar o nosso próximo como a nós mesmos. No entanto, eu não tinha colocado nada disso em prática, nem mesmo uma única vez. Como isso era ser um cristão? Eu sabia que estava pecando e orei ao Senhor muitas vezes, confessando e me arrependendo. Resolvi mudar. Mas sempre que algo surgia, eu pecava contra a minha vontade. Isso realmente me aborrecia.

Em agosto de 2015, suspendemos as atividades do nosso negócio, pois a empresa não estava indo bem, e eu fui para casa. Deprimido e miserável, eu passei os dias bebendo e jogando. Quando minha esposa me disse que eu devia parar de beber, eu simplesmente lhe respondi: “O dinheiro é meu, fui eu quem o ganhou, e eu vou gastá-lo como eu quiser…” Não havia nada que ela pudesse fazer, assim ela ficava sentada ali e chorava. Sempre que dava vazão à minha raiva, eu me arrependia e me odiava, mas eu simplesmente não conseguia me controlar. Àquela altura, eu tinha perdido todo decoro cristão; meu comportamento e minha conduta eram totalmente iguais aos de um incrédulo.

Em minha dor e impotência, voltei para a igreja para participar das reuniões novamente. Ao longo daquele período, eu orava constantemente ao Senhor Jesus: “Ó Senhor! Fiz tantas coisas que eu não queria fazer, disse tantas coisas que magoaram os outros. Tenho vivido em pecado e me rebelado contra Ti. Sempre que peco, eu me arrependo e realmente me odeio, mas nunca consigo me controlar! Confesso meus pecados à noite, mas então, durante o dia, volto para os meus modos antigos e peco de novo. Ó Senhor! Imploro que Tu me salves, o que posso fazer para me livrar do pecado?”

No Ano Novo de 2016, pisei em solo americano — eu tinha vindo para Nova York para ganhar algum dinheiro. Continuei indo para a igreja em meu tempo livre e também me juntei a um grupo de oração, lendo a Bíblia e orando com outros irmãos e irmãs. Lá, conheci uma irmã chamada Qinglian. Certo dia, a irmã Qinglian ligou para mim e disse que tinha uma notícia boa que queria compartilhar comigo. Perguntei: “Qual é a boa notícia?” Ela respondeu: “Uma missionária veio fazer uma visita. Você quer ouvi-la falar?” Eu disse: “Maravilha! Onde?” Então ela organizou um horário para eu ir até a casa dela.

Fui para a casa da irmã Qinglian naquele dia. Vários outros irmãos e irmãs estavam lá, e após as apresentações e troca de saudações, todos nós começamos a discutir a Bíblia. A comunicação da irmã Zhao foi muito esclarecedora e realmente edificante para mim. Então eu lhe falei sobre meu hábito de pecar e confessar constantemente e sobre a dor de ser incapaz de me livrar do pecado e pedi a ajuda dela. Em comunhão, ela disse que, mesmo após termos começado a crer no Senhor, nós continuamos pecando o tempo todo e que levar a vida num ciclo infinito de pecar durante o dia e confessar à noite, jamais sendo capazes de nos livrar dele, não era um problema que afligia apenas a mim. Era um problema comum a todos os crentes. Então, a irmã Zhao nos mostrou um vídeo com algumas recitações das palavras de Deus. As palavras eram estas: “O caráter do homem deveria ser modificado começando pelo conhecimento de sua substância e por meio de suas mudanças de pensamento, sua natureza e perspectiva mental, — por meio de mudanças fundamentais. Somente assim o caráter do homem poderá passar por mudanças verdadeiras. O caráter corrupto do homem decorre de ele ser envenenado e pisoteado por Satanás; decorre do grave malefício que Satanás infligiu ao pensamento do homem e à sua moralidade, percepção e sentido. É precisamente porque essas coisas fundamentais do homem foram corrompidas por Satanás e são completamente diferentes de como Deus as criou originalmente, que o homem se opõe a Deus e não entende a verdade. Portanto, as mudanças no caráter do homem deveriam começar com mudanças em seu pensamento, percepção e sentido, que modificarão seu conhecimento de Deus e seu conhecimento da verdade” (de ‘Ter um caráter inalterado é estar em inimizade contra Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Eu realmente fiquei comovido e pensei: “Não é de mim que estão falando? Eu sempre desprezo os outros, gritando ou repreendendo eles por causa disso ou daquilo. Falta-me moralidade e razão, e perdi qualquer vestígio de decoro santo”. Todas essas palavras penetraram o âmago do meu ser. Eu nunca tinha lido nada parecido com isso, tampouco tinha ouvido qualquer pregador fazer esse tipo de sermão. Meu pecado constante tinha me deixado angustiado, mesmo assim, eu não tinha sido capaz de me livrar das restrições do pecado. Essas palavras me mostraram a senda para deixar o pecado para trás, e eu fiquei maravilhado: Isso é dtio tão bem. Quem poderia ter escrito isso?

A irmã Zhao me disse que era a palavra de Deus, que o Senhor Jesus já tinha retornado na carne e que, atualmente, Ele estava fazendo a obra de julgar e purificar as pessoas através de Sua palavra nos últimos dias. Eu simplesmente não ousei acreditar em meus próprio ouvidos. Que crente não anseia pelo Seu retorno? Ao, de repente, ouvir essa notícia do retorno do Senhor, eu me animei tanto que fiquei perdido: o Senhor realmente tinha retornado? Ansioso, pedi que ela continuasse a sua comunicação. A irmã Zhao disse: “O Senhor Jesus realmente retornou, e Ele é Deus Todo-Poderoso — o Cristo encarnado nos últimos dias. Ele expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade e começou a realizar a obra de julgamento, a começar pela casa de Deus. Ele nos salvará completamente do império de Satanás. Nós estivemos amarrados por nossa natureza satânica e temos vivido em pecado, do qual não conseguimos nos livrar. No fim, alcançaremos a salvação plena e seremos obtidos por Deus. Na Era da Graça, o Senhor Jesus só realizou a obra da redenção; Ele nos remiu do pecado e absolveu nossos pecados para que não fôssemos mais condenados pela lei. Mesmo que o Senhor tenha absolvido nossos pecados, Ele não perdoou nossa natureza satânica ou nossos caracteres satânicos. A arrogância, astúcia, egoísmo, ganância, malícia e outros caracteres satânicos ainda existem no homem. Essas coisas são mais profundas e mais teimosas do que o pecado. É precisamente porque esses caracteres satânicos e essa natureza satância não foram resolvidos que continuamos a pecar contra a nossa vontade, e cometemos pecados que são ainda mais sérios do que violar a lei. Quanto aos fariseus naquele tempo, a razão pela qual eles resistiram e condenaram o Senhor a ponto até de crucificá-Lo, não era que a natureza pecaminosa do homem não tinha sido resolvida? Na verdade, todos nós temos um entendimento profundo disso porque nós mesmos somos controlados por esses caracteres corruptos. Assim, com frequência, mentimos, agimos de modo enganoso, somos arrogantes e presunçosos e repreendemos os outros condescendentemente. Sabemos claramente que o Senhor exige que perdoemos os outros e amemos o nosso próximo como a nós mesmos, mesmo assim, não colocamos isso em prática. As pessoas tramam umas contra as outras, saem correndo atrás de fama e ganho e são incapazes de conviver em harmonia. Durante tempos de doença, de desastres naturais ou criados pelo homem, ainda culpamos a Deus e até negamos ou traímos a Deus. Esses fatos mostram que, se não resolvermos nossa natureza satânica e nossos caracteres satânicos, jamais seremos capazes de escapar dessa vida circular de pecar e confessar, de confessar e pecar. Portanto, para salvar o homem completamente do pecado, é necessário que Deus realize um estágio de Sua obra de julgamento e purificação para resolver a nossa natureza pecaminosa. Só assim podemos ser purificados e plenamente salvos por Deus e ser obtidos por Ele. Leiamos algumas outras seleções das palavras de Deus Todo-Poderoso, e você entenderá”.

A irmã Zhao abriu o livro da palavra de Deus e começou a ler: “Embora o homem possa ter sido redimido e perdoado de seus pecados, isso só pode ser considerado como Deus não Se lembrar das transgressões do homem e não tratar o homem de acordo com as suas transgressões. No entanto, quando o homem, que vive num corpo de carne, não foi liberto do pecado, ele só pode continuar pecando, revelando infinitamente o caráter satânico corrupto. Essa é a vida que o homem leva, um ciclo interminável de pecar e ser perdoado. A maioria dos homens peca de dia apenas para confessar à noite. Desse modo, mesmo que a oferta pelo pecado seja para sempre efetiva para o homem, ela não será capaz de salvar o homem do pecado. Apenas metade da obra da salvação já foi concluída, pois o homem ainda tem caráter corrupto” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens e não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás” (de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Os pecados do homem foram perdoados, e isso foi por causa da obra da crucificação de Deus, mas o homem continuou a viver no caráter satânico corrupto antigo. Sendo assim, o homem deve ser completamente salvo de seu caráter satânico corrupto para que a natureza pecaminosa do homem seja completamente extirpada para nunca mais se desenvolver, permitindo, assim, que o caráter do homem seja transformado. Isso requer que o homem entenda a senda do crescimento na vida, entenda o caminho da vida e entenda o caminho para mudar seu caráter. Além disso, requer que o homem aja de acordo com essa senda, para que o caráter do homem possa ser mudado paulatinamente e que ele possa viver sob o brilho da luz, para que tudo o que ele faça esteja de acordo com a vontade de Deus, para que ele possa eliminar o seu caráter satânico corrupto e para que possa libertar-se da influência das trevas de Satanás, emergindo, assim, completamente do pecado. Só então o homem receberá a salvação completa” (de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). A irmã Zhao comungou e disse: “Agora que lemos essas palavras de Deus, entendemos por que somos sempre amarrados por nossa natureza satânica e não conseguimos nos livrar do pecado, certo? Durante a Era da Graça, Deus só realizou a obra da redenção, não a obra do fim dos tempos de julgar, purificar e salvar completamente as pessoas. Assim, não importa como confessemos os nossos pecados e nos arrependamos, como tentemos conquistar a nós mesmos, como jejuemos e oremos, não seremos capazes de alcançar a liberdade do pecado. Isso significa que, se quisermos nos livrar da escravidão e do controle da nossa natureza pecaminosa, submeter-nos apenas à obra de redenção do Senhor Jesus não bastará. Devemos aceitar a obra de julgamento realizada pelo Senhor Jesus retornado. Isso é assim porque, ao realizar Sua obra de julgamento dos últimos dias, Deus expressa muitos aspectos da verdade para julgar e expor a natureza satânica do homem de resistir e trair a Deus. Ele revela o caráter justo, santo e inofensível de Deus, permitindo que a humanidade veja claramente a verdade de sua própria corrupção profunda por Satanás através do julgamento e castigo das palavras de Deus e conheça verdadeiramente o caráter justo de Deus, que não tolera a ofensa do homem, desenvolva um coração temente a Deus, transformando e purificando assim o caráter satânico do homem e salvando o homem da influência de Satanás. No julgamento e castigo majestoso e irado de Deus, vemos Deus face a face. Como uma espada de dois gumes, a palavra de Deus perfura nosso coração, revela nossa natureza satânica de resistir e trair a Deus e também os nossos caracteres corruptos nos recessos mais profundos do nosso coração, que nós mesmos não temos como descobrir. Ela nos leva a ver que a essência da nossa natureza está cheia de caracteres satânicos como arrogância, presunção, egoísmo, baixeza, evitação e astúcia, que simplesmente não possuímos um pingo de semelhança humana e que somos completamente a encarnação de Satanás. É apenas então que nos prostramos diante de Deus, começando a odiar e a amaldiçoar a nós mesmos. Ao mesmo tempo, sentimos também profundamente que toda a palavra de Deus é a verdade, que toda ela é a revelação do caráter de Deus e o que é a vida de Deus. Vemos que o caráter justo de Deus não tolera ofensa e que a essência santa de Deus não será manchada. O resultado é desenvolver um coração de reverência a Deus; começamos a buscar a verdade com toda a nossa força e a nos comportar de acordo com a palavra de Deus. Na medida em que, aos poucos, entendermos a verdade, teremos um entendimento cada vez maior do nosso próprio caráter e natureza satânicos e ganharemos um discernimento cada vez maior. Nosso conhecimento de Deus também aumentará. Aos poucos, nossos caracteres corruptos internos serão purificados, e nós seremos libertos das amarras do pecado. Ganharemos uma libertação verdadeira e viveremos livremente diante de Deus. Esse é precisamente o resultado alcançado na humanidade através da obra de julgamento de Deus nos últimos dias. Portanto, podemos ver que a obra de ‘redenção’ na Era da Graça e a obra de ‘livrar o homem do pecado’ nos últimos dias são dois estágios diferentes da obra. ‘Redenção’ foi apenas o Senhor Jesus assumindo os pecados do homem em seu lugar e permitindo que o homem escapasse da punição que ele deveria ter sofrido por seus pecados. Mas isso não significava que as pessoas estavam sem pecado, muito menos que jamais voltariam a pecar ou que estavam totalmente purificadas. ‘Livrar o homem do pecado’, por sua vez, é expor completamente a natureza pecaminosa da humanidade, para que possamos viver sem que confiemos mais em nossa natureza pecaminosa, para que possamos alcançar uma mudança no nosso caráter de vida e ser purificados totalmente. Portanto, é apenas aceitando a obra de julgamento de Deus nos últimos dias que nossos caracteres corruptos podem ser resolvidos completamente, que podemos nos livrar da influência de Satanás e ser salvos, ser levados para o reino de Deus e alcançar as promessas e bênçãos de Deus”.

Ao ouvir a palavra de Deus e a comunicação da irmã, senti que aquilo estava completamente alinhado com a realidade e que era muito prático. Lembrei-me dos meus muitos anos como homem de fé: eu não só mentia e trapaceava frequentemente, mas era também arrogante e desenfreado, rude e insensato e caprichoso. As pessoas que trabalhavam para mim tinham medo de mim e mantinham distância de mim, e até mesmo em minha própria casa minha esposa e minha filha também tinham um pouco de medo de mim. Ninguém queria se abrir comigo, e eu nem conseguia encontrar um amigo próximo a quem pudesse me confiar. Era doloroso, e eu me sentia impotente. Apesar de frequentemente ler a Bíblia e orar, confessar meus pecados ao Senhor e até desprezar a mim mesmo, eu continuava fazendo as mesmas coisas terríveis. Eu não conseguia mudar nem um pouco. Alguém como eu, que peca e resiste ao Senhor constantemente, precisa muito da obra de julgamento de Deus nos últimos dias! Agora, o Senhor Jesus tinha retornado — Ele é Deus Todo-Poderoso encarnado. Hoje, sou extremamente afortunado por ter a chance de ouvir a voz de Deus e aprender que o Senhor Jesus voltou para entregar a verdade e realizar a obra de julgar, purificar e salvar o homem! Aquela irmã viu que eu estava cheio de anseio, então ela me deu um exemplar de um livro da palavra de Deus: “As ovelhas de Deus ouvem a voz de Deus”. Eu o aceitei com alegria e decidi realmente praticar minha fé em Deus Todo-Poderoso!

Eu li muitas das palavras de Deus após aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Eu li sobre os três estágios da obra de Deus, sobre o mistério da encarnação, sobre o significado do nome de Deus, sobre a história por trás da Bíblia Sagrada e também sobre como os vencedores são feitos, como o reino de Cristo é realizado, como o resultado e o destino finais de cada tipo de pessoa serão determinados e sobre outros aspectos da verdade, aos poucos ganhando algum entendimento deles. Também ganhei mais fé em Deus.

A princípio, quando eu lia as palavras de Deus que julgam e expõem o homem tão duramente, eu me sentia angustiado e desconfortável e tinha algumas noções sobre elas; sentia que as palavras de Deus eram severas demais. Ele não podia ser um pouco mais manso? Se Deus julga o homem dessa maneira, o homem não está condenado? Como ele pode verdadeiramente ser salvo? Mais tarde, li na palavra de Deus: “Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não só torna clara a natureza do homem com apenas algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda no longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo são considerados julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus” (de ‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Por meio de que a perfeição de Deus é realizada pelo homem? Por meio de Seu caráter justo. O caráter de Deus consiste principalmente em justiça, ira, majestade, julgamento e maldição, e Seu aperfeiçoar do homem é principalmente através do julgamento. Algumas pessoas não entendem e perguntam por que Deus só é capaz de tornar o homem perfeito através do julgamento e da maldição. Eles dizem: ‘Se Deus amaldiçoasse o homem, ele não morreria? Se Deus julgasse o homem, ele não seria condenado? Então, como ele ainda pode ser aperfeiçoado?’ Tais são as palavras das pessoas que não conhecem a obra de Deus. O que Deus amaldiçoa é a desobediência do homem e o que Ele julga são os pecados do homem. Embora Ele fale com severidade e sem a menor sensibilidade, Ele revela tudo o que está dentro do homem e, através dessas palavras severas, Ele revela o que é essencial dentro do homem, e ainda por meio desse julgamento, Ele proporciona ao homem um profundo conhecimento da essência da carne e, assim, o homem se submete à obediência diante de Deus. A carne do homem é do pecado e de Satanás, ela é desobediente e objeto do castigo de Deus — e assim, para permitir que o homem se conheça, as palavras do julgamento de Deus devem vir sobre ele e deve ser empregado todo tipo de refinamento; só então a obra de Deus pode ser eficaz” (de ‘Somente experimentando provações dolorosas é possível conhecer a beleza de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me fizeram perceber que Deus realiza Sua obra de julgamento nos últimos dias expressando a verdade e que Ele julga, expõe e condena severamente os caracteres corruptos, a natureza satânica e os atos ímpios do homem que se opõem a Deus. Ele faz isso para que vejamos claramente a verdade da nossa própria corrupção, entendamos profundamente a essência dos nossos caracteres corruptos e conheçamos a nossa própria natureza satânica e a fonte da nossa corrupção. É apenas assim que podemos desprezar a nós mesmos e abandonar a carne. Além disso, é apenas porque Deus revela Seu caráter justo, majestoso e irado através de Seu julgamento e castigo que somos capazes de ver Sua justiça e santidade e ver também claramente a nossa própria imundície, feiura e iniquidade. Deus faz isso também para que possamos conhecer nossa própria natureza satânica e a verdade da nossa corrupção. Se Deus não julgasse o homem com tanta severidade, se Deus não expusesse a corrupção do homem indo diretamente ao ponto e se Ele não revelasse Seu caráter justo e majestoso, então nós humanos, que fomos corrompidos tão profundamentoe por Satanás, não seríamos capazes de refletir sobre nós mesmos ou conhecer a nós mesmos. Seríamos incapazes de conhecer a verdade da nossa própria corrupção ou a nossa natureza satânica. Se assim fosse, como nós nos livraríamos da nossa natureza pecaminosa e seríamos purificados? Os resultados alcançados pelas palavras duras de Deus nos mostram que, dentro delas, se escondem o amor verdadeiro de Deus pelo homem e os esforços minuciosos que Ele faz para salvar o homem. Quanto mais eu leio as palavras de Deus, mais eu sinto quão maravilhosa é a obra de julgamento de Deus. A obra de Deus é tão prática! Apenas o julgamento severo de Deus pode purificar, transformar e salvar o homem. A obra de julgamento de Deus nos últimos dias é realmente aquilo que necessitamos!

Devido à minha natureza arrogante e extremamente hipócrita, quando eu falava com outras pessoas, muitas vezes, eu passava um sermão de modo condescendente e, em minhas ações, eu era minha própria lei. Eu sempre amava fazer com que outros me ouvissem e tendia a me exibir. Em várias reuniões, comungei sobre como eu tinha lidado com problemas em minha unidade de trabalho, como eu tinha repreendido os funcionários que não tinham seguido as instruções e como eu os tinha subjugado e também como minha esposa e minha filha faziam o que eu mandava. Especialmente quando comungava sobre as palavras de Deus, eu dizia coisas como: “Eu acredito que essa passagem das palavras de Deus significa o seguinte” e “é isso que penso”. Um irmão viu que eu estava sempre revelando um caráter arrogante e hipócrita sem que eu me desse conta disso pessoalmente. Ele apontou isso para mim numa reunião, dizendo que falar e agir dessa forma era uma expressão de arrogância, hipocrisia e irracionalidade. Se alguém tivesse me exposto dessa forma no passado e na frente de tantas pessoas para começar, eu certamente teria defendido minha causa e imediatamente o teria refutado. Mas, naquele momento, decidi permanecer calado, sem argumentar ou me justificar, pois me lembrei destas palavras de um sermão: “Se você sempre diz ‘eu penso’ sobre cada tema que encontra, bem, é melhor que você abra mão de suas opiniões. Eu encorajo você a abrir mão de suas opiniões e a buscar a verdade. Veja o que dizem as palavras de Deus. Sua ‘opinião’ não é a verdade! […] Você é arrogante e hipócrita demais! Quando confrontado com a verdade, você não consegue nem abrir mão de suas próprias noções e imaginações ou negá-las. Você não quer obedecer nem um pouco a Deus! Daqueles que realmente buscam a verdade e verdadeiramente têm um coração que reverencia a Deus, quem ainda diz ‘eu penso’? Essa expressão já foi eliminada, pois dizê-la significa revelar seu caráter satânico” (de ‘Sermões e comunhão sobre a palavra de Deus “Estabelecer um relacionamento adequado com Deus é muito importante” (III)’ em “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida XIV”). Essa comunicação me lembrou de que, sempre que me deparasse com uma questão, palavras como “eu penso”, “eu mantenho” e “eu acredito” costumavam estar na minha boca, elas sempre começavam com a palavra “eu”, e eu sempre tinha a última palavra em tudo. Eu acreditava que conseguia enxergar tudo por conta própria e lidar com os problemas. Eu sempre obrigava os outros a fazerem o que eu dizia e a me obedecerem. Sempre considerar-me tão elevado, isso não revelava precisamente um caráter arrogante? O que aquele irmão tinha dito ao apontar meu caráter era tudo verdade, e eu devia aceitá-lo. As coisas que eu acreditava emanarem das minhas noções e imaginações, todas elas vinham de Satanás e certamente não eram a verdade. Refleti sobre como, em casa, no trabalho ou entre meus colegas, eu me comportava sempre como se fosse o número um. Se alguém não me ouvia ou fazia algo que não estivesse alinhado com minhas opiniões, eu me irritava e o repreendia. O fato de que eu era capaz de revelar tais coisas significava que não havia lugar para Deus em meu coração, que eu não honrava Deus como grande, mas honrava a mim mesmo como grande. Era assim que eu costumava falar e me comportar, provando o caráter incrivelmente arrogante que tenho!

Mais tarde, li aquelas palavras de Deus: “Se você realmente possui a verdade em seu interior, a senda que trilhar será naturalmente a correta. Sem a verdade, é fácil praticar o mal, e você o praticará a despeito de si mesmo. Por exemplo, se você tivesse arrogância e presunção, acharia impossível abster-se de desafiar Deus; você se sentiria compelido a desafiá-Lo. Não faria isso de propósito; você o faria sob o domínio de sua natureza arrogante e vaidosa. Sua arrogância e vaidade fariam com que você desprezasse a Deus e O visse como um ser sem importância; fariam você se exaltar, colocar-se constantemente na vitrine e, finalmente, fariam você se sentar no lugar de Deus e dar testemunho de si mesmo. No fim, você transformaria as próprias ideias, os próprios pensamentos e as próprias noções em verdades a serem adoradas. Veja quanto mal é feito pelas pessoas sob o domínio da natureza arrogante e vaidosa delas! Para resolver seus atos maus, elas precisam primeiramente resolver o problema da sua natureza. Sem uma mudança no caráter, não seria possível trazer uma resolução fundamental para esse problema” (de ‘Somente buscando a verdade você pode obter mudanças em seu caráter’ em “Registros das falas de Cristo”). Cada palavra dita por Deus é a verdade — eu tinha certeza absoluta disso. Pensei em como eu costumava passar sermões de forma condescendente nos locais de construção, na companhia de meus colegas e quando estava em casa. Tudo isso era eu sendo dominado por minha natureza satânica e arrogante; isso não era causado porque sou uma pessoa raivosa ou porque tenho um temperamento ruim ou não consigo me controlar. Eu acreditava que possuía calibre, talento e um bom poder aquisitivo, o que alimentava minha arrogância e se tornou a moeda da minha vida, fazendo com que acreditasse ser melhor do que os outros. Eu desprezava todos os outros, acreditava ser melhor do que todos os outros e sempre me comportava como senhor dos outros. Eu tinha encontrado a fonte do meu pecado e tinha visto as consequências perigosas de não resolver meu caráter satânico e corrupto. Assim, fiz o esforço de procurar e ler muitas das palavras de Deus que julgam e expõem a natureza arrogante do homem e me comparei com elas. Através das palavras de julgamento e revelação de Deus e também da comunhão de irmãos e irmãs nas reuniões, comecei a ganhar um entendimento raso da minha própria natureza arrogante. Vi que, na verdade, eu não era melhor do que qualquer um e que minha habilidade e riqueza tinham sido concedidas por Deus, portanto, eu não tinha nada do que me gabar. Se Deus não tivesse me concedido sabedoria e inteligência, se Deus não tivesse me abençoado, o que eu poderia ter feito confiando apenas em mim mesmo? Existem tantas pessoas talentosas no mundo; por que elas labutam e correm durante toda a sua vida apenas para acabarem de mãos vazias? Também descobri nas palavras de Deus a senda para resolver minha natureza arrogante, que era aceitar mais da poda e do tratamento dos irmãos e irmãs e aceitar mais do julgamento e castigo, das provações e do refinamento de Deus, refletir sobre mim mesmo à luz das palavras de Deus, alcançar um autoconhecimento verdadeiro e ódio próprio e não agir mais de acordo com meu caráter satânico, mas agir de acordo com as palavras de Deus. Mais tarde, experimentei muitos casos de ser julgado e castigado, podado e lidado, e experimentei muitos contratempos e fracassos. Meu conhecimento de minha natureza satânica e da minha essência corrupta se aprofundou gradualmente, e também ganhei um entendimento superficial da grandeza, justiça e santidade de Deus. Quanto mais vim a conhecer a justiça e santidade de Deus, mais reconheci minha própria imundície, baixeza, insignificância e miséria. As coisas que, anteriormente, tinha considerado importantes ou das quais tinha me gabado, agora sentia que nem mereciam ser mencionadas. Sem que percebesse, meu caráter arrogante começou a mudar. Sempre que alguém dizia algo correto — irmãos e irmãs, meus colegas ou meus familiares — eu aceitava. Eu não falava mais com os outros de forma condescendente, mas agia com humildade e não era mais minha própria lei. Sempre que surgia uma questão, eu a discutia com outros e agia de acordo com a sugestão correta — não importava de quem fosse. Aos poucos, meus relacionamentos com as pessoas em minha volta começaram a ficar normais. Eu tinha paz e alegria em meu coração e sentia que finalmente estava vivendo um pouco de uma semelhança humana.

Lendo a palavra de Deus e vivendo a vida da igreja constantemente, eu senti cada vez mais como era verdadeiramente maravilhoso o fato de eu ser capaz de aceitar a obra de julgamento de Deus nos últimos dias. Eu experimentei genuinamente que eu não tinha como resolver meu caráter corrupto por conta própria. Foi apenas através do julgamento e do castigo das palavras de Deus que eu fui transformado e purificado gradualmente. Na Igreja de Deus Todo-Poderoso, vejo muitos irmãos e irmãs se esforçando muito para buscar a verdade e aceitando o julgamento e castigo das palavras de Deus Todo-Poderoso. Sempre que alguém revela corrupção, os outros a apontam, e todos ajudam uns aos outros. Todos nós refletimos sobre nós mesmos, nos conhecemos à luz das palavras de Deus e buscamos a verdade para resolver nossa corrupção. Todos praticam ser pessoas honestas e ser puros e abertos; aceitamos e nos submetemos a qualquer comunicação que esteja em conformidade com a verdade, e nosso caráter corrupto muda cada vez mais. As palavras de Deus Todo-Poderoso podem realmente purificar e mudar as pessoas. Deus encarnado veio em nosso meio, Ele expressa pessoalmente Suas palavras para nos julgar e purificar, e Ele nos guia para nos livrarmos do pecado e sermos salvos plenamente — somos tão afortunados! Pensando em todos aqueles crentes verdadeiros que, impacientes, aguardam Seu retorno, que anseiam livrar-se das amarras do pecado e ser purificados, mas que vivem em dor sem senda para seguir, eu fiz uma oração a Deus e fiz uma resolução: “Desejo pregar o evangelho do Teu reino para outras pessoas para que elas possam ser como eu, seguindo os Teus passos e embarcando na senda para a purificação e a salvação completa!”

Anterior : 7. Como quase me tornei uma virgem imprudente

Próximo : 9. Um tipo diferente de amor

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

41. Eu acolhi o retorno do Senhor

Por Chuanyang, Estados UnidosEm 2010, o inverno nos Estados Unidos me fez sentir muito frio. Além do frio extremo — uma combinação de vento...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro