Capítulo 29

Do trabalho feito pelas pessoas, alguns são executados com a instrução direta de Deus, mas há também uma parte dele para o qual Deus não fornece instruções específicas, mostrando de modo suficiente que o que é feito por Deus ainda tem de ser completamente revelado hoje — isso significa que muita coisa permanece oculta e ainda tem de se tornar pública. No entanto, algumas coisas precisam ser tornadas públicas, enquanto outras precisam deixar as pessoas perplexas e confusas; é isso que é exigido pela obra de Deus. Por exemplo, a chegada de Deus do céu dentre os homens — como Ele chegou, em que segundo chegou, ou se céus e terra e todas as coisas passaram ou não por mudanças — essas coisas requerem que as pessoas fiquem confusas. Isso também é baseado em circunstâncias reais, pois a carne humana em si é incapaz de entrar diretamente no reino espiritual. Assim, mesmo que Deus afirme claramente como veio do céu para a terra, ou quando Ele diz: “No dia em que todas as coisas foram ressuscitadas, Eu cheguei entre os homens e passei dias e noites maravilhosos com eles”, tais palavras são como alguém conversando com um tronco de árvore — não há a menor reação, porque as pessoas são ignorantes dos passos da obra de Deus. Mesmo quando estão verdadeiramente conscientes, elas acreditam que Deus voou do céu até a terra como uma fada e renasceu dentre os homens. É isso que pode ser alcançado pelos pensamentos humanos. É porque a própria substância o homem é tal que ele é incapaz de entender a essência de Deus e incapaz de entender a realidade do reino espiritual. Somente por sua substância, as pessoas seriam incapazes de agir como um exemplo para as demais, porque são inerentemente as mesmas e não diferentes. Assim, pedir que as pessoas sejam um exemplo a seguir para as demais ou que sirvam de modelo se torna uma bolha, um vapor subindo da água. Por outro lado, quando Deus diz: “ganhando algum conhecimento do que Eu tenho e sou”, essas palavras são simplesmente dirigidas à manifestação da obra que Deus faz na carne; em outras palavras, são direcionadas à verdadeira face de Deus — a divindade, que se refere basicamente a Seu caráter divino. Ou seja, pede-se às pessoas que entendam coisas tais como por que Deus opera desse modo, que as coisas devem ser consumadas pelas palavras de Deus, o que Deus deseja realizar na terra, o que Ele deseja ganhar dentre os homens, os métodos pelos quais Deus fala e qual é a atitude de Deus para com o homem. Pode-se dizer que não há nada digno de vanglória no homem — isto é, não há nada nele que possa servir de exemplo para os outros seguirem.

É precisamente por causa da normalidade de Deus na carne e por causa da dissimilaridade entre o Deus no céu e o Deus na carne, que não parece ter nascido de Deus no céu, que Deus diz: “Passei muitos anos entre o homem, mas ele sempre permaneceu alheio e nunca Me conheceu”. Deus também diz: “Quando Meus passos atravessarem o universo e os confins da terra, o homem começará a refletir sobre si mesmo, todas as pessoas virão a Mim, se curvarão diante de Mim e Me adorarão. Esse será o dia em que ganharei glória, o dia do Meu retorno e também o dia da Minha partida”. Só esse é o dia em que a verdadeira face de Deus será mostrada ao homem. Mas Deus não adia Sua obra por isso e simplesmente faz a obra que deve ser feita. Quando julga, Ele condena as pessoas com base em sua atitude em relação ao Deus na carne. Esse é um dos tópicos principais das declarações de Deus durante esse período. Por exemplo, Deus diz: “Eu embarquei formalmente, em todo o universo, na conclusão do Meu plano de gerenciamento. Deste momento em diante, aquele que não for cauteloso está sujeito a mergulhar em um castigo impiedoso, e isso pode acontecer a qualquer momento”. Esse é o teor do plano de Deus e não é nem esquisito nem estranho, mas tudo é parte dos passos de Sua obra. As pessoas e os filhos de Deus no exterior, enquanto isso, são julgados por Deus com base em tudo que fazem nas igrejas, e assim Deus diz: “Enquanto Eu opero, todos os anjos embarcam na batalha decisiva Comigo e resolvem cumprir os Meus desejos na etapa final, de modo que as pessoas na terra se rendam diante de Mim como os anjos, não desejem opor-se a Mim e não façam nada que se rebele contra Mim. Essas são as dinâmicas da Minha obra em todo o universo”. Essa é a diferença na obra que Deus realiza por toda a terra; Ele emprega medidas diferentes segundo a quem são direcionadas. Hoje, as pessoas das igrejas todas têm um coração desejoso e começaram a comer e a beber as palavras de Deus — isso basta para mostrar que a obra de Deus está se aproximando do fim. Olhar do céu para baixo é como olhar mais uma vez as cenas sombrias de galhos secos e folhas caídas, de sedimentos soprados pelo vento de outono. Parece que um apocalipse está prestes a acontecer entre os homens, como se tudo estivesse a ponto de ser transformado em desolação. Talvez por causa da sensibilidade do Espírito, sempre há uma sensação de infelicidade no coração, mas traz um pingo de um conforto tranquilo, mesmo que misturado a certa aflição. Esse pode ser o retrato das palavras de Deus de que “o homem está despertando, tudo na terra está em ordem e os dias de sobrevivência na terra não existem mais, pois Eu cheguei!”. As pessoas podem se tornar um tanto negativas após ouvir essas palavras, ou ficar um pouco desapontadas com a obra de Deus, ou se concentrar sobremaneira no sentimento do próprio espírito. Mas antes da conclusão de Sua obra na terra, possivelmente Deus não seria tão tolo a ponto de dar tal ilusão às pessoas. Se verdadeiramente tiver tais sentimentos, isso mostra então que você presta atenção demais aos seus sentimentos, que você é alguém que faz o que lhe agrada e não ama a Deus; mostra que tais pessoas se concentram demais no sobrenatural e não prestam atenção em Deus de jeito nenhum. Por causa da mão de Deus, não importa o quanto tentem fugir, as pessoas são incapazes de escapar dessa circunstância. Quem consegue escapar da mão de Deus? Quando seu status e suas circunstâncias não foram arranjados por Deus? Se você sofre ou é abençoado, como poderia se esquivar da mão de Deus? Essa não é uma questão humana, ao contrário, trata inteiramente da necessidade de Deus — quem seria capaz de não obedecer como resultado disso?

“Usarei o castigo para espalhar a Minha obra entre os gentios, o que significa dizer que usarei de força contra todos os que são gentios. Naturalmente, essa obra será realizada ao mesmo tempo que Minha obra dentre os escolhidos.” Com a declaração dessas palavras, Deus embarca nessa obra por todo o universo. Isso é um passo da obra de Deus, que já progrediu até este ponto; ninguém pode virar o jogo. A catástrofe cuidará de uma parte da humanidade, fazendo-a perecer juntamente com o mundo. Quando o universo for oficialmente castigado, Deus aparecerá oficialmente para todas as pessoas. E por causa de Sua aparição, as pessoas serão castigadas. Além disso, Deus também disse: “Quando desenrolo formalmente o pergaminho, esse é o momento em que as pessoas por todo o universo são castigadas, quando as pessoas por todo o mundo estão sujeitas a provações”. A partir daí, pode-se ver claramente que o teor dos sete selos é o teor do castigo, o que significa dizer que há catástrofe dentro dos sete selos. Assim, hoje, os sete selos ainda precisam ser abertos; as “provações” mencionadas aqui são o castigo sofrido pelo homem, e, em meio a esse castigo, será ganho um grupo de pessoas que aceitará oficialmente o “certificado” emitido por Deus, e assim elas serão o povo no reino de Deus. Essas são as origens dos filhos e do povo de Deus, que hoje ainda não foram determinados, e estão simplesmente assentando as bases para experiências futuras. Se uma pessoa tem a vida verdadeira, ela será capaz de permanecer firme durante as provações; se estiver sem a vida, isso prova que a obra de Deus não teve efeito sobre ela, que ela pesca em águas turvas e não se concentra nas palavras de Deus. Por ser essa a obra dos últimos dias, que é trazer esta era a um fim em vez de continuar a obra, Deus diz assim: “Em outras palavras, é a vida que o homem nunca experimentou desde o momento da criação até os dias atuais, e por isso digo que tenho feito uma obra que nunca foi feita antes”, e diz também: “Porque o Meu dia se aproxima para toda a humanidade, porque não parece distante, mas está bem diante dos olhos do homem”. Em tempos passados, Deus destruiu pessoalmente diversas cidades, mas nenhuma delas foi arrasada da mesma maneira como o que acontecerá no caso final. Embora Deus tenha destruído Sodoma no passado, a Sodoma de hoje não deve ser tratada como a de outrora — não é para ser destruída diretamente, mas primeiramente será conquistada e então julgada e, no fim, submetida à punição eterna. Esses são os passos da obra e, no fim, a Sodoma de hoje será aniquilada na mesma sequência da destruição do mundo no passado — esse é o plano de Deus. O dia em que Deus aparecer será o dia da condenação oficial da Sodoma atual, e Sua revelação de Si Mesmo não é para salvá-la. Assim, Deus diz: “Eu apareço para o reino sagrado e Me escondo da terra da imundície”. Pelo fato de a Sodoma de hoje ser impura, Deus não aparece verdadeiramente para ela, mas usa esse expediente para castigá-la — você não viu isso claramente? Pode-se dizer que ninguém na terra é capaz de ver a verdadeira face de Deus. Deus nunca apareceu para o homem e ninguém sabe em qual nível do céu Deus está. Foi isso que permitiu que as pessoas de hoje estivessem nesta circunstância. Se elas fossem contemplar a face de Deus, esse certamente seria o tempo em que o fim delas seria revelado, o tempo em que cada um é classificado de acordo com a espécie. Hoje, as palavras de dentro da divindade são mostradas diretamente para as pessoas, o que prenuncia que os últimos dias da humanidade chegaram e não vão durar muito mais. Esse é um dos sinais da sujeição das pessoas às provações no momento em que Deus aparecer para o povo todo. Assim, embora apreciem as palavras de Deus, as pessoas sempre retêm um sentimento nefasto, como se uma grande calamidade estivesse prestes a se abater sobre elas. As pessoas de hoje são como pardais em terras congeladas, é como se a morte as obrigasse a quitar uma dívida e as deixasse sem maneira de sobreviver. Por causa da dívida de morte devida pelo homem, todos sentem que seus últimos dias chegaram. É isso que está acontecendo no coração das pessoas por todo universo e, embora não seja revelado em seu rosto, o que está no coração delas é incapaz de se esconder dos Meus olhos — essa é a realidade do homem. Talvez muitas das palavras não sejam usadas de modo totalmente correto — mas são essas mesmas palavras que são suficientes para mostrar o problema. Cada uma delas, ditas da boca de Deus, será cumprida, sejam do passado ou do presente; elas farão os fatos aparecerem diante das pessoas — um banquete para seus olhos — momento no qual elas se tornarão deslumbradas e confusas. Você ainda não viu claramente que era é a de hoje?

Anterior: Capítulo 28

Próximo: Capítulo 30

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Conteúdo relacionado

O Próprio Deus, o Único IV

A santidade de Deus (I)Tivemos uma comunicação adicional sobre a autoridade de Deus durante nosso último encontro. Por ora, não...

Como conhecer a realidade

Deus é um Deus prático: toda a Sua obra é prática, todas as palavras que Ele fala são práticas e todas as verdades que expressa são...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro