Capítulo 5

Quando Deus faz exigências aos humanos que lhes são difíceis de explicar e quando as Suas palavras atingem diretamente o coração humano e as pessoas oferecem seu coração sincero para que Ele desfrute, Deus então lhes dá a chance de ponderar, tomar uma decisão e buscar uma senda para a prática. Dessa forma, todos aqueles que são o Seu povo irão, uma vez mais, com os punhos cerrados em determinação, oferecer todo o seu ser a Deus. Alguns, talvez, façam um plano e estabeleçam uma programação diária enquanto se preparam para se mobilizar para trabalhar com afinco, dedicando seu tanto de vigor ao plano de gerenciamento de Deus, a fim de lhe trazer glória e acelerá-lo rumo à sua conclusão. Só quando as pessoas estiverem abrigando essa mentalidade, mantendo essas coisas intimamente em sua mente enquanto realizam suas tarefas, enquanto conversam e enquanto trabalham, Deus começa a falar outra vez: “A voz do Meu Espírito é uma expressão da totalidade do Meu caráter. Vocês entendem?”. Quanto mais determinados os seres humanos estiverem, mais desesperadamente ansiarão compreender a vontade de Deus e mais sinceramente ansiarão que Deus lhes faça exigências. Por essa razão, Deus dará às pessoas o que elas querem, tirando vantagem dessa oportunidade para transmitir Suas palavras, há muito prontas, para os recônditos mais íntimos de seu ser. Embora essas palavras possam parecer um pouco duras ou ásperas, para a humanidade elas soam doces sem comparação. De repente, seu coração floresce de alegria, como se ela estivesse no céu ou tivesse sido transportada para outro reino — um verdadeiro paraíso da imaginação — onde os afazeres do mundo exterior já não afetam a humanidade. A fim de contornar a eventualidade de as pessoas, como tinham o hábito de fazer no passado, falarem de fora e agirem de fora, e assim deixarem de fixar raízes apropriadas, uma vez que o que as pessoas desejam em seu coração tiver sido alcançado e, além disso, uma vez que elas se preparem para ir trabalhar com entusiasmo apaixonante, Deus ainda adapta a Sua maneira de falar à mentalidade delas e, sumariamente e sem hesitar, refuta todo ardor e cerimônia religiosa que elas guardam em seu coração. Como Deus disse: “Vocês viram genuinamente a importância presente aqui?”. Seja antes ou depois de tomarem sua decisão em relação a alguma coisa, os humanos não colocam grande importância no conhecer a Deus em Suas ações ou em Suas palavras, mas, em vez disso, continuam ponderando a pergunta: “O que eu posso fazer para Deus? Essa é a questão-chave!”. É por isso que Deus diz: “E se atrevem a chamar a si mesmos de Meu povo na Minha cara — vocês não têm vergonha, muito menos senso algum!”. Assim que Deus profere essas palavras, as pessoas imediatamente recobram sua compreensão e, como se levassem um choque elétrico, se apressam em recolher as mãos para a segurança de seu peito, profundamente temerosas de provocar a ira de Deus pela segunda vez. Além disso, Deus também disse: “Mais cedo ou mais tarde, pessoas como vocês serão expulsas da Minha casa! Não dê uma de velho soldado, presumindo que sustentou o testemunho de Mim!”. Ao ouvir palavras como essas, as pessoas ficam ainda mais temerosas, como se tivessem avistado um leão. Elas sabem muito bem em seu coração. Não desejam ser devoradas pelo leão, enquanto, por outro lado, não têm ideia de como escapar. Nesse exato momento, o plano dentro do coração humano se esvai, sem vestígio, inteira e completamente. Através das palavras de Deus, sinto como se Eu pudesse ver todos os aspectos da vergonha da humanidade: cabeça abaixada e conduta servil, como um candidato reprovado no exame de admissão da faculdade, com os ideais tão elevados, a família feliz, o futuro brilhante e assim por diante, juntamente com as Quatro Modernizações até o Ano 2000, tudo transformado em mera conversa fiada, criando um cenário imaginário em um filme de ficção científica. Isso é para trocar elementos passivos por ativos, para fazer com que as pessoas, em meio à passividade delas, ergam-se à posição que Deus lhes designou. Excepcionalmente importante é o fato de que os seres humanos têm grande medo de perder esse título; assim sendo, eles se apegam desesperadamente aos distintivos do próprio cargo, com grande receio de que alguém possa tentar tirá-los à força. Quando a humanidade está nesse estado de espírito, Deus não Se preocupa se as pessoas se tornarão passivas, então, de forma correspondente, Ele troca Suas palavras de julgamento por palavras de interrogação. Não só Ele dá às pessoas uma chance de recuperar o fôlego, mas também lhes dá uma chance de pegar agora as aspirações que tiveram antes e organizá-las para referência futura: qualquer coisa inadequada pode ser modificada. Isso é porque Deus ainda não começou a Sua obra — isso é um pouco de boa sorte em meio ao grande infortúnio — e, ademais, não as condena. Logo, permita-me continuar dando a Ele toda a minha devoção!

Depois, você não deve, por causa de seu medo, deixar de lado as palavras de Deus. Dê uma olhada para ver se Deus tem quaisquer novas exigências. Com certeza, você descobrirá uma como esta: “De agora em diante, em todas as coisas, você deve entrar na realidade da prática; simplesmente tagarelar, como fez no passado, não ajudará mais”. Aqui, manifesta-se ainda a sabedoria de Deus. Deus sempre protegeu Suas testemunhas e, quando a realidade das palavras do passado chegar à sua conclusão, ninguém, seja quem for, pode sondar o conhecimento da “realidade da prática”. Isso é o suficiente para provar a verdade do que Deus disse: “Eu Me comprometo a fazer a obra por Mim Mesmo”. Tem a ver com o verdadeiro significado da obra na divindade e também com a razão de que a humanidade, após ter alcançado um novo ponto de início, ainda é, todavia, incapaz de sondar o verdadeiro significado das palavras de Deus. Isso se dá porque, no passado, a grande maioria das pessoas aderiu à realidade das palavras de Deus, enquanto, hoje, elas não têm pistas sobre a realidade da prática, compreendem somente os aspectos superficiais dessas palavras, mas não a essência delas. Ainda mais importante, é porque, hoje, na edificação do reino, ninguém é permitido a interferir, mas somente a obedecer ao mando de Deus como autômato. Lembre-se bem disso! Todas as vezes que Se refere ao passado, Deus começa a falar sobre a situação real de hoje; essa é uma forma de falar que cria um contraste impressionante entre o que vem antes e o que vem depois e, por essa razão, é capaz de alcançar frutos ainda melhores, permitindo que as pessoas justaponham o presente com o passado, evitando, dessa forma, confundir os dois. Essa é uma faceta da sabedoria de Deus e o seu propósito é obter os frutos da obra. Depois disso, Deus, mais uma vez, revela a feiura da humanidade, a fim de que a humanidade nunca se esqueça de comer e beber de Suas palavras todos os dias e, ainda mais importante, para que ela se conheça e tome isso como a lição da qual deve aprender todos os dias.

Depois de proferir essas palavras, Deus terá alcançado os efeitos que eram Seu propósito original. E, assim, sem prestar mais atenção se a humanidade O entendeu ou não, Ele repassa isso em algumas sentenças, pois a obra de Satanás não tem nada a ver com a humanidade — dessa, a humanidade não tem ideia. Agora, deixando para trás o mundo do espírito, olhemos adiante em como Deus faz Suas exigências à humanidade: “Repousando em Minha morada, Eu observo de perto: todas as pessoas da terra se alvoroçam, ‘viajando ao redor do mundo’ e correndo para lá e para cá, tudo em prol de seu destino e seu futuro. Nem uma única, porém, tem energia de sobra para edificar o Meu reino, nem sequer o esforço necessário para tomar um fôlego”. Após trocar essas convencionalidades com os humanos, Deus ainda não presta atenção neles, mas continua a falar a partir da perspectiva do Espírito e, através dessas palavras, revela as circunstâncias gerais da vida da raça humana em sua totalidade. É nítido perceber, a partir do “viajando ao redor do mundo” e do “correndo para lá e para cá”, que a vida humana é completamente desprovida de conteúdo. Não fosse pela salvação onipotente de Deus, e especialmente para aquelas pessoas que nasceram na grande e decadente família da linhagem imperial da China, as pessoas estariam ainda mais propensas a viver uma vida inteira em vão e ficariam melhor caindo no Hades e no inferno em vez de vir ao mundo. Sob a dominação do grande dragão vermelho, elas, sem o saber, ofenderam a Deus e, portanto, natural e inconscientemente, caíram sob o castigo de Deus. Por essa razão, Deus pegou “os resgatados da tribulação” e os “ingratos” e os colocou em contraste uns com os outros de modo que os seres humanos possam se conhecer mais claramente, criando, a partir disso, um contraste para Sua graça salvadora. Isso não produz um resultado ainda mais eficaz? Claro, não é necessário Eu ter que dizer de forma tão explícita que as pessoas podem, a partir do conteúdo das declarações de Deus, inferir um elemento de repreensão, um elemento de salvação e apelo e uma sutil insinuação de tristeza. Lendo essas palavras, as pessoas começam inconscientemente a se sentir angustiadas e não conseguem evitar derramar lágrimas… Porém, Deus não será restringido por causa de alguns sentimentos de tristeza, tampouco Ele, por conta da corrupção da raça humana inteira, abandonará a Sua obra de disciplinar o Seu povo e fazer exigências dele. Por causa disso, Seus tópicos tocam diretamente nas circunstâncias como as de hoje e, além do mais, Ele proclama para a humanidade a majestade de Seus decretos administrativos para que Seu plano continue a progredir. É por isso que, dando sequência a isso com toda a devida velocidade e malhando enquanto o ferro está quente, Deus promulga, nesta conjuntura crítica, uma constituição para os tempos — uma constituição que os humanos precisam ler, prestando atenção cuidadosa em cada cláusula, antes que possam entender a vontade de Deus. Não há necessidade de ir mais além nisso agora; as pessoas simplesmente precisam ler com mais atenção.

Hoje, vocês — este grupo de pessoas aqui — são os únicos que podem ver de verdade as palavras de Deus. Ainda assim, ao conhecer a Deus, as pessoas de hoje ficaram muito atrás de qualquer pessoa de eras passadas. Isso deixa suficientemente claro quanto esforço Satanás tem investido nas pessoas no decorrer desses milhares de anos, bem como até que ponto ele corrompeu a humanidade — a um grau tão grande que, apesar das muitas palavras que Deus proferiu, a humanidade ainda nem entende nem O conhece, mas, em vez disso, ousa levantar-se e opor-se a Ele publicamente. E assim, com frequência, Deus mantém as pessoas das eras passadas como comparação para as pessoas de hoje, para dar a essas últimas, insensatas e obtusas como são, pontos de referência realistas. Porque os seres humanos não têm conhecimento de Deus e porque eles carecem de fé genuína Nele, Deus sentenciou a humanidade a carecer de qualificações e razão; Ele, portanto, de novo e de novo, mostrou tolerância às pessoas e lhes deu salvação. Uma batalha é travada ao longo dessas linhas no reino do espírito: é a vã esperança de Satanás corromper a humanidade a certo grau, tornar o mundo abominável e maligno e, então, arrastar as pessoas para a lama com ele e destruir o plano de Deus. No entanto, o plano de Deus não é transformar toda a humanidade em pessoas que O conheçam, mas, sim, escolher uma parte para representar o todo, deixando o resto como produto residual, como bens defeituosos a serem jogados no monte de lixo. Assim, embora, do ponto de vista de Satanás, tomar posse de alguns indivíduos possa parecer uma excelente oportunidade para destruir o plano de Deus, o que um simplório como Satanás poderia saber da intenção de Deus? É por essa razão que Deus disse muito tempo atrás: “Eu encobri o Meu rosto para evitar olhar para este mundo”. Nós sabemos um pouco sobre isso, e Deus não pede que os seres humanos sejam capazes de fazer alguma coisa; antes, Ele quer que reconheçam que o que Ele faz é milagroso e insondável e que O tenham em reverência em seu coração. Se, como os humanos imaginam, Deus fosse castigá-lo sem Se importar com as circunstâncias, então o mundo inteiro, há muito, teria perecido. Isso não teria equivalido a cair direto na armadilha de Satanás? E, por isso, Deus simplesmente usa as Suas palavras para alcançar os frutos que Ele tem em mente, mas raramente existe o advento dos fatos. Isso não é um exemplo de Suas palavras: “Se Eu não tivesse pena da falta de qualificações, razão e percepções de vocês, todos pereceriam em meio ao Meu castigo, extinguidos da existência. Contudo, até que Minha obra na terra tenha acabado, Eu permanecerei tolerante com a humanidade”?

Anterior: Capítulo 4

Próximo: Capítulo 6

Quando ocorre um desastre, como nós, cristãos, devemos enfrentá-lo? Fique à vontade para nos contatar via WhatsApp, podemos explorar e encontrar caminhos juntos.
Entre em contato conosco pelo Messenger
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A respeito da Bíblia (2)

A Bíblia também é chamada de Antigo e Novo Testamento. Vocês sabem a que “testamento” se refere? O “testamento” no Antigo Testamento vem da...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro