43. Batalha espiritual

Deus Todo-Poderoso diz: “Desde o momento de sua crença em Deus até hoje, as pessoas têm abrigado muitas motivações incorretas. Quando você não está colocando a verdade em prática, sente que todas as suas motivações estão corretas, mas quando algo acontece com você, verá que há muitas motivações incorretas no seu interior. Assim, quando Deus aperfeiçoa as pessoas, Ele faz com que elas percebam que existem muitas concepções dentro delas que estão obstruindo o conhecimento de Deus. Quando você reconhece que suas motivações estão erradas, se você consegue parar de praticar de acordo com suas concepções e motivações e consegue testemunhar de Deus e permanecer firme em sua posição em tudo o que acontece com você, isso prova que você se rebelou contra a carne. Quando você se rebela contra a carne, inevitavelmente haverá uma batalha interna. Satanás tentará fazer as pessoas seguirem-no, tentará e fará com que elas sigam as concepções da carne e defendam os interesses da carnemas as palavras de Deus as esclarecerão e iluminarão interiormente, e neste momento, depende de você seguir a Deus ou a Satanás. Deus pede que as pessoas coloquem a verdade em prática, principalmente, para lidar com as coisas no interior delas, para lidar com seus pensamentos e concepções que não são segundo o coração de Deus. O Espírito Santo toca as pessoas no coração delas e as esclarece e ilumina. Assim, por trás de tudo que acontece está uma batalha: toda vez que as pessoas colocam a verdade em prática, ou praticam o amor a Deus, há uma grande batalha, e embora tudo pareça bem com a carne, no fundo do coração uma batalha de vida ou morte estará acontecendoe somente após essa intensa batalha, depois de muita reflexão, pode a vitória ou a derrota ser decidida. Não se sabe se deve rir ou chorar. Muitas das motivações dentro das pessoas estão erradas, ou muito da obra de Deus vai contra as concepções delas, e quando as pessoas colocam a verdade em prática, uma grande batalha é travada nos bastidores. Tendo colocado essa verdade em prática, nos bastidores as pessoas terão derramado incontáveis lágrimas de tristeza antes de finalmente decidirem satisfazer a Deus. É por causa dessa batalha que as pessoas enfrentam o sofrimento e o refinamento; isso é sofrimento verdadeiro. Quando a batalha vier sobre você, se você conseguir realmente ficar do lado de Deus, conseguirá satisfazer a Deus” (‘Apenas amando a Deus é que verdadeiramente se crê em Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, senti profundamente que praticar a verdade não é uma questão simples. É uma batalha espiritual muito necessária. Muitos anos atrás, minha cunhada se revelou como uma malfeitora. A igreja queria expulsá-la, mas eu estava preso aos meus sentimentos e era incapaz de praticar a verdade. No meu coração, era uma batalha, e eu fiquei muito triste. Finalmente, através do julgamento e das revelações da palavra de Deus, vi claramente o perigo e as consequências de agir baseado nas minhas emoções. Só então eu consegui renunciar à minha carne, abandonar meus sentimentos, expor e rejeitar a malfeitora e finalmente aproveitar a paz e a segurança trazidas por praticar a verdade.

Foi em 2017, quando eu voltei para assumir deveres de liderança na minha igreja local. Em uma reunião, meus irmãos e irmãs me disseram que, enquanto realizava seus deveres como líder da igreja, Han Bing, minha cunhada, ao comunicar em reuniões, se empenhou em se exibir falando palavras e doutrinas superficiais. Aonde ela ia, ela falava sobre quais deveres ela tinha realizado e como ela tinha sofrido para fazer os outros a adorarem e a ouvirem. Depois que os irmãos e irmãs falaram com ela sobre alguns problemas existentes em seus deveres, ela se recusou a comunicar a verdade e a resolver esses problemas, e ela deu lições condescendentes aos outros. As lições dela fizeram com que alguns irmãos e irmãs vivessem em estado de negatividade e perdessem todo o interesse em seus deveres. Mais tarde, Han Bing foi substituída. Depois disso, ela se recusou a refletir e entender a si mesma, e ela ainda tinha causado provocações e conflitos entre os irmãos e irmãs, atrapalhando a vida da igreja. Os líderes da igreja comunicaram com ela várias vezes, lidaram com ela e a criticaram, mas ela se recusava a aceitar qualquer coisa. Ela continuou desobediente e insatisfeita, espalhando negatividade, causando perturbações severas na vida da igreja… Quando eu soube que Han Bing estava se comportando assim, fiquei furioso. Me lembrei das palavras de Deus: “Aqueles na igreja que dão vazão à sua conversa venenosa, aqueles entre os irmãos e irmãs que espalham rumores, fomentam a desarmonia e formam grupos deveriam ter sido expulsos da igreja. Mas, porque agora é uma Era diferente da obra de Deus, essas pessoas têm sido contidas, pois estão fadadas a ser objetos para eliminação. Todos aqueles que foram corrompidos por Satanás têm um caráter corrompido. Mas, enquanto algumas pessoas só têm um caráter corrompido, há outros que não são assim, pois não só eles têm caracteres satânicos corrompidos, mas suas naturezas são também maliciosas ao extremo. Tudo o que esse tipo de pessoa faz e diz não somente está expressando seu caráter satânico corrompido, mas elas mesmas são o verdadeiro diabo Satanás. Tudo o que fazem é interromper e perturbar a obra de Deus, perturbar a entrada na vida de irmãos e irmãs e destruir a vida normal da igreja. Esses lobos em pele de cordeiro devem, cedo ou tarde, ser removidos” (‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). Quando eu me lembrei dessa passagem das palavras de Deus, eu entendi claramente que, quando medidas pelas palavras de Deus, Han Bing tinha a natureza e a essência de uma malfeitora. Os líderes da igreja e obreiros analisaram o comportamento dela contra as palavras de Deus e disseram que, mesmo que renunciasse e se despendesse e fosse capaz de sofrer e pagar o preço enquanto cumpria seus deveres, ela era arrogante e presunçosa, não aceitava a verdade em nada, era arbitrária e imprudente, atrapalhava a vida da igreja e se recusava a consertar seus erros, mesmo depois de receber ordens pra isso. Isso fazia dela uma malfeitora. De acordo com os regulamentos dos arranjos de trabalho da casa de Deus, essas pessoas deveriam ser expulsas. Depois de ouvir muitos irmãos e irmãs dizerem que ela deveria ser expulsa da igreja, me senti dividido. Ao olhar os comportamentos dela, eu via que ela era mesmo uma malfeitora e deveria ser expulsa, mas ela era a irmã mais nova da minha esposa, e meus sogros me tratavam muito bem e gostavam muito da minha família. Se eles soubessem que eu votei para expulsar Han Bing, eles iriam achar que eu era impiedoso, ingrato e menosprezava a família? Como eu conseguiria encarar meus sogros depois de fazer uma coisa dessas? Mas, como líder da igreja, se eu não agisse de acordo com os princípios, sabendo muito bem que tinha uma malfeitora na igreja e não a expulsando, e se eu continuasse permitindo que essa malfeitora atrapalhasse a vida da igreja e prejudicasse o povo escolhido de Deus, eu não seria cúmplice de uma malfeitora e um inimigo de Deus? É. Eu tinha medo de pensar mais nisso. Na época, eu me sentia preso entre a cruz e a espada. Eu não sabia o que fazer. A irmã Zhou viu que eu parecia perturbado e me disse: “Irmão Liang, Han Bing atrapalhou a vida da igreja várias vezes, e ela não mostra o mínimo de arrependimento. Com base no princípio, ela deve ser expulsa da igreja. Isso é proteger a obra da igreja. É a coisa mais importante! Todos precisamos considerar a vontade de Deus e não agir com base nas nossas emoções e sentimentos pessoais”. Depois de ouvi-la, fiquei ainda mais confuso.

Logo depois, alguns irmãos e irmãs aconselharam: “Han Bing acredita em Deus há muitos anos, ela renunciou à família e à carreira dela para cumprir seus deveres, e ela sofreu muito. Achamos que ela deve receber outra chance de se arrepender”. Quando ouvi aquelas palavras, eu soube claramente que aqueles irmãos e irmãs só diziam aquilo porque tinham sido enganados pela aparência externa de Han Bing de realizar boas ações, e que eu deveria comunicar sobre a verdade com eles para analisar o comportamento da Han Bing, para que eles pudessem discernir a natureza e a essência dela. Mas aí pensei… Han Bing é a filha preferida dos meus sogros. A minha sogra é meio confusa quanto à sua crença em Deus e não tem discernimento nenhum, e a minha esposa é superemotiva. Se eu decidisse expulsar Han Bing, expôr e analisar o comportamento maléfico dela para os meus irmãos e irmãs, eu não estaria abertamente ofendendo a família toda da minha esposa? Se eu dissesse algumas palavras boas sobre Han Bing na frente dos irmãos e irmãs e depois comunicasse com ela e pedisse para ela se arrepender e não causar mais transtornos, haveria alguma chance de ela não precisar ser expulsa da igreja, e, assim, eu não ofenderia a família da minha esposa. Essa ideia aliviou um pouco a ansiedade que eu estava sentindo, então eu disse aos meus irmãos e irmãs: “Han Bing fez más ações, sim, e cometeu transgressões, mas a vontade de Deus é salvar o máximo de pessoas possível, então devemos dar a ela outra chance de se arrepender. E, se ela praticar o mal de novo, não será tarde demais para expulsá-la, e poderemos fazer com que ela aceite com sinceridade”. Quando a irmã Zhou me ouviu dizer aquelas palavras ilusórias, pareceu que ela queria dizer alguma coisa, mas, no fim, ela ficou em silêncio. Ninguém mais disse nada, e eu senti a tensão no meu coração se acalmar. Eu pensei comigo mesmo que finalmente eu não teria mais que me preocupar em ofender meus sogros. Mas, dois dias depois, de repente, eu desenvolvi aftas na boca. Três aftas. Parecia que minha boca estava pegando fogo. Ardia muito. Às vezes, doía tanto que eu não conseguia falar nem comer. E a dor piorou tanto, que me acordava no meio da noite. No meio da minha agonia, eu só conseguia orar a Deus: “Deus, eu sei que essas aftas torturantes na minha boca e na minha língua não se desenvolveram só por coincidência. Este é o Teu castigo e disciplina para mim. Ó, Deus! Eu me arrependo diante de Ti!”

Depois, durante meus devocionais, eu vi esta passagem das palavras de Deus: “Deus está sempre no coração daqueles que genuinamente creem Nele e que sempre levam dentro de si um coração reverente a Deus, um coração que ama a Deus. Aqueles que creem em Deus deveriam fazer as coisas com um coração prudente e cauteloso, e tudo o que fazem deveria ser de acordo com os requisitos de Deus e ser capaz de satisfazer o coração de Deus. Eles não deveriam ser teimosos, fazendo o que bem lhes agrada; isso não condiz à santa decência. As pessoas não podem ostentar o estandarte de Deus e correr de maneira descontrolada com ele por todo lugar, arrogantes e falsas em todo lugar; agir assim é a mais rebelde conduta. Famílias têm regras e nações têm leis; não é mais assim ainda na casa de Deus? Os padrões não são ainda mais rigorosos? Não há mais ainda decretos administrativos? As pessoas são livres para fazerem o que quiserem, mas os decretos administrativos de Deus não podem ser alterados à vontade. Deus é um Deus que não permite que as pessoas O ofendam, e Deus é um Deus que mata as pessoasas pessoas realmente ainda não sabem disso?” (‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me deixaram tremendo de medo. Eu vi que o caráter Dele é santo, justo e não tolera ofensa. Na casa de Deus, Cristo e a verdade detêm o poder. A atitude de Deus em relação aos malfeitores que perturbam e atrapalham a obra da igreja é ódio e desprezo. E, para aqueles que têm discernimento, mas continuam do lado dos malfeitores e falam em seu nome, a atitude de Deus é fúria e desprezo extremos. Han Bing, como alguém que se recusa a praticar a verdade, que causou provocações e conflitos, e que atrapalhou e perturbou a obra da igreja, era exatamente o tipo de malfeitora revelada pela obra de Deus e era alguém que deveria ser expulso. Mas, para proteger meu relacionamento com a família da minha esposa, eu violei descaradamente a minha consciência, traindo os princípios da verdade. Eu protegi e criei desculpas para uma malfeitora. Fiquei do lado de uma malfeitora e agi para protegê-la. Isso não me tornou ajudante e cúmplice de uma malfeitora? Deus me honrou me dando um cargo de liderança, mas eu não O reverenciei em nada. Eu entendi a verdade com clareza, mas não a pratiquei. Em vez disso, eu pratiquei enganação deliberada para manter uma malfeitora na igreja, onde ela já tinha atrapalhado a vida da igreja e prejudicado meus irmãos e irmãs. Eu estava consciente e deliberadamente ofendendo o caráter de Deus! Meus atos podiam enganar os outros, mas não podiam enganar a Deus. Deus vê o que está no nosso coração. Como Ele poderia tolerar alguém como eu, que agiu com tanta precipitação arbitrária? Eu já tinha cometido uma transgressão e sabia que, se não me arrependesse, Deus iria me eliminar. Então orei apressadamente a Deus para me arrepender. Depois de discutir isso com vários dos meus obreiros, fizemos uma lista das maldades de Han Bing e pedimos que ela fosse expulsa da igreja. Depois que encontrei a vontade de voltar para a direção de Deus, as aftas na minha boca se curaram misteriosamente.

Dois dias depois, fui à casa da minha sogra para fazer alguma coisa, e Han Bing estava lá. Quando ela me viu, fez uma cara feia, se virou e saiu. Minha sogra me disse com raiva: “A sua cunhada acreditou em Deus por muitos anos e sofreu muito para espalhar o evangelho. Quem não tem nenhum caráter corrompido? Se a igreja a expulsa, ela não perde a chance de ganhar a salvação de Deus? Você não pode ser tão insensível com ela!” Minha esposa também ficou do lado de Han Bing. Quando vi como elas estavam muito emotivas e que elas tinham pouco ou nenhum discernimento sobre Han Bing, eu comuniquei com elas sobre seu comportamento malvado. Mas a minha sogra não ouviu nada. Em vez disso, ela gritou furiosamente comigo com lágrimas nos olhos. Ao ver a raiva dela, a minha esposa também ficou lá me repreendendo. Vendo tudo isso, eu me senti muito fraco e triste, não conseguia nem comer. Naquela noite, quando me deitei, fiquei me revirando na cama, sem conseguir dormir por mais que eu tentasse. Por um lado, eu precisei expulsar a malfeitora para proteger a obra da igreja, mas, por outro lado, tinha as acusações da minha esposa e da minha sogra. O que eu deveria fazer? Se eu expulsasse a minha cunhada, eu ofenderia a família toda da minha sogra, o que poderia afetar meu relacionamento com a minha esposa e talvez causar o rompimento da minha própria família. Mas permitir que aquela malfeitora permanecesse na igreja poderia colocar em perigo a vida da igreja e prejudicar as vidas dos meus irmãos e irmãs. Pensar em tudo isso me deixou muito triste e confuso. Tudo que eu podia fazer era orar a Deus com sinceridade: “Deus, me sinto muito fraco. No que diz respeito a Han Bing, eu não quero ofendê-Lo, mas estou preso às minhas emoções e tenho dificuldades de colocar a verdade em prática. Eu imploro que me dês força e me guies para superar as forças da escuridão, para que eu possa me manter firme e testemunhar por Ti”.

Depois de orar, li mais algumas das palavras de Deus: “Em cada passo da obra que Deus faz no interior das pessoas, externamente ela parece ser interações entre pessoas, como se nascesse de arranjos humanos ou de interferência humana. Mas nos bastidores, cada passo da obra e tudo o que acontece, é uma aposta feita por Satanás diante de Deus e requer que as pessoas permaneçam firmes em seu testemunho a Deus. Veja quando Jó foi provado, por exemplo: nos bastidores, Satanás estava fazendo uma aposta com Deus e o que aconteceu a Jó foram as ações dos homens e a interferência dos homens” (‘Apenas amando a Deus é que verdadeiramente se crê em Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Todos disseram que teriam consideração pelo fardo de Deus e defenderiam o testemunho da igreja. Quem realmente foi atencioso com o fardo de Deus? Pergunte a si mesmo: Você é alguém que demonstrou consideração pelo fardo de Deus? Você pode praticar a justiça para Deus? Você pode se levantar e falar por Mim? Você pode colocar a verdade em prática firmemente? Você tem coragem suficiente para lutar contra todos os atos de Satanás? Você seria capaz de deixar suas emoções de lado e expor Satanás em nome da Minha verdade? Você pode permitir que Minha vontade seja cumprida em você? Você oferece seu coração quando a hora crucial chega? Você é alguém que faz a Minha vontade? Pergunte a si mesmo e pense nisso com frequência” (‘Capítulo 13’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Cada pergunta repreensiva das palavras de Deus perfurava meu coração com dor e tristeza. Eu sentia nelas a sinceridade urgente da vontade e exigências Dele. Deus esperava que eu lidasse com a questão de expulsar a malfeitora sem me apoiar nas minhas emoções e sentimentos pessoais e que eu ficasse do lado Dele sem hesitação, praticando a verdade para satisfazer a Sua vontade. Eu pensei em Jó durante suas provações e como, na superfície, ele perdeu a riqueza dele, seus filhos morreram, seus servos foram mortos e sua esposa e três amigos o atacaram. Por trás de todos esses acontecimentos estava o jogo de Satanás com Deus. Eram as tentações de Satanás que acometiam Jó. Finalmente, Jó conseguiu ficar do lado de Deus por causa de sua fé e reverência a Ele. Ele fez Satanás sofrer humilhação e fracasso absolutos e deu um testemunho forte e retumbante por Deus. O que por fora parecia uma pressão extra imposta em mim pela minha sogra, na verdade era uma batalha no mundo espiritual. Era uma armadilha de Satanás. Era uma tentativa dele de me impedir de praticar a verdade, se aproveitando dos meus laços emocionais, para que a malfeitora pudesse continuar a atrapalhar e destruir a obra da igreja. Mas Deus também estava usando essa questão para me testar, para ver se eu me submeteria a Satanás por causa das amarras à minha esposa e à minha sogra ou se eu sustentaria a justiça, praticaria a verdade e agiria de acordo com os princípios. Se eu escolhesse satisfazer a minha carne e ficar do lado de Satanás, isso não significaria que eu tinha caído na armadilha de Satanás? Se eu fizesse isso, eu perderia testemunho na presença de Deus.

Quando pensei nisso tudo, comecei a refletir comigo mesmo: neste tempo todo, enquanto encarava essa escolha, por que me senti preso entre a cruz e a espada e me senti tão triste? Eu claramente entendi a necessidade de proteger a obra da igreja, mas por que eu continuava agindo segundo meus sentimentos e achava difícil praticar a verdade e agir de acordo com os princípios? Depois disso, eu li esta passagem das palavras de Deus e encontrei a raiz do problema: “Nascido numa terra tão imunda, o homem vem sendo gravemente empesteado pela sociedade, influenciado pela ética feudal e instruído nos ‘institutos da mais elevada aprendizagem’. O pensamento retrógrado, a moralidade corrupta, a visão mesquinha da vida, a filosofia de vida desprezível, uma existência absolutamente sem valor, estilo de vida e costumes depravados, todas essas coisas foram severamente introduzidas no coração do homem e atacaram e comprometeram severamente a sua consciência. Como consequência, o homem está cada vez mais distante de Deus e cada vez mais se opõe a Ele. O caráter do homem se torna mais malicioso a cada dia que passa e não há uma única pessoa que, de boa vontade, abra mão de alguma coisa por Deus; não há uma só pessoa que, de boa vontade, obedeça a Deus” (‘Ter um caráter inalterado é estar em inimizade contra Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Da palavra de Deus, eu entendi que estava vivendo dentro das minhas emoções, incapaz de praticar a verdade, e num estado de rebeldia e resistência a Deus, tudo isso porque eu tinha sido corrompido por Satanás. Satanás, o rei dos diabos, usava a doutrinação social e a educação que eu recebi na escola para implantar filosofias satânicas como “Cada um por si, e o demônio pega quem fica por último”, “O sangue é mais espesso que a água”, e “O homem não é inanimado; como pode não ter emoções?” em mim, para me fazer ver meus sentimentos pelas outras pessoas como a coisa mais importante da vida, para me fazer pensar que proteger relacionamentos e ser sensível aos sentimentos das pessoas é natural, e me fazendo acreditar que não fazer isso seria não ter coração e não ter fé, e que eu seria culpado pelos outros por isso. Eu tratava essas filosofias satânicas como coisas positivas e as considerava como princípios para seguir. Ao viver minha vida de acordo com essas filosofias e leis satânicas, eu ficava sem princípios e confuso sobre o que é certo ou errado, extremamente egoísta, detestável, vil e enganoso. Na questão de expulsar Han Bing, eu temia que os meus parentes diriam que sou ingrato e sem coração, e que isso destruiria a minha família. Isso me fez menosprezar a obra da igreja e as vidas dos meus irmãos e irmãs. Eu era muito egoísta e detestável. Com esse comportamento, eu estava sendo muito ingrato e sem coração. Se pensarmos em por que a nossa sociedade é tão sombria e má, e por que não há justiça, é porque as pessoas vivem suas vidas de acordo com essas filosofias e leis satânicas. Em qualquer grupo, as pessoas só se preocupam com relacionamentos carnais e emocionais. As pessoas só defendem quem é mais próximo delas. Até quando fazem algo ilegal ou cometem um crime, as pessoas pensam em formas de proteger e ajudá-las e confundem o certo e o errado para que fique bem para elas. Foi só então que eu vi claramente que essas leis e filosofias satânicas parecem ser sensatas e morais e de acordo com as noções humanas, Mas, na verdade, são falácias absurdas que Satanás usa para enganar e corromper as pessoas. Elas são inimigas da verdade e de Deus. Quando vivemos segundo essas coisas, só podemos nos rebelar e resistir a Deus, prejudicar os outros e viver a natureza dos demônios. No passado, eu vivia de acordo com essas filosofias e leis satânicas, protegi a malfeitora e tive minha culpa nos atos maldosos dela. Mas Deus não usou minhas transgressões passadas contra mim e me deu a chance de me arrepender, pela qual sou muito grato a Deus. Então, silenciosamente, orei a Deus e fiz um juramento: Deus, não quero mais agir de acordo com as minhas emoções. Eu só quero amar o que Tu amas e odiar o que Tu odeias de acordo com as Tuas palavras para sustentar os princípios da verdade e expulsar prontamente os malfeitores da igreja.

No dia seguinte, na reunião dos obreiros, eu ouvi dos meus obreiros que Han Bing ainda não se entendia nem mostrava nenhum arrependimento e que ela ainda estava causando provocações, fomentando discórdia e tentando formar grupinhos. Quando eu ouvi isso, me culpei ainda mais. Eu me odiei por ter agido segundo minhas emoções e não tê-la expulsado antes, permitindo que ela atrapalhasse a vida da igreja. Mais tarde, durante a reunião seguinte, eu comecei a usar conscientemente as palavras de Deus para analisar e discernir todos os comportamentos malignos de Han Bing, e, através da comunhão, os irmãos e irmãs que tinham sido enganados por ela também desenvolveram discernimento e começaram a rejeitá-la. A minha esposa, depois de ganhar entendimento da verdade, também passou a desenvolver discernimento sobre a natureza e a essência de Han Bing, e não discutiu mais dizendo que ela havia sido injustiçada. Depois que Han Bing foi expulsa da igreja, não fomos mais perturbados por malfeitores, então os irmãos e irmãs puderam comparecer às reuniões e desempenhar seus deveres normalmente de novo. Todos louvamos a Deus por Sua justiça! Esse incidente me fez ver que, na casa de Deus, as palavras Dele e a verdade detêm o poder, e todas as coisas são tratadas de acordo com os princípios da verdade e que os incrédulos, os malfeitores e os anticristos não podem se manter na casa de Deus. Eu também experimentei pessoalmente que viver sob filosofias e leis satânicas só nos traz dor. Não traz benefício nenhum a nós nem a ninguém. Só vivendo através das palavras de Deus podemos nos sentir seguros e em paz. Hoje eu não vivo mais sob filosofias e leis satânicas e me livrei das amarras das minhas emoções, sou capaz de praticar alguma verdade e viver com um pouco de justiça… Tudo isso se deve à salvação de Deus e é totalmente um efeito alcançado pelo julgamento e o castigo nas palavras de Deus.

Anterior: 42. Liberta da fama e da fortuna

Próximo: 44. Afrouxando os laços que unem

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

13. Como ver seu próprio dever

“Não há correlação entre o dever do homem e se ele é abençoado ou amaldiçoado. O dever é o que o homem deve cumprir; é seu dever...

48. Voltando à trilha certa

Deus Todo-Poderoso diz: “Servir a Deus não é tarefa fácil. Aqueles cujo caráter corrupto permanece inalterado jamais podem servir a Deus....

17. Vivendo diante de Deus

Deus Todo-Poderoso diz: “Ao buscar a entrada na vida, é preciso examinar as próprias palavras, os próprios feitos, pensamentos e ideias em...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro