Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Declarações de Cristo dos últimos dias

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”

Velocidade

`

O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”

Há milhares de anos, o homem tem desejado poder testemunhar a chegada do Salvador. O homem tem desejado contemplar Jesus, o Salvador, sobre uma nuvem branca descendo, pessoalmente, entre aqueles que anelam e anseiam por Ele há milhares de anos. O homem tem desejado que o Salvador retorne e seja reunido ao povo, isto é, que Jesus, o Salvador, volte para o povo de quem Ele tem estado separado por milhares de anos. E o homem espera que Ele realize novamente a obra redentora que realizou entre os judeus, seja compassivo e amoroso para com o homem, perdoe os pecados do homem, leve os pecados do homem e até mesmo leve todas as transgressões do homem e liberte o homem do pecado. Eles desejam que Jesus, o Salvador, seja o mesmo que antes: um Salvador amável, afável e venerável, que jamais se ire contra o homem e que jamais o repreenda. Este Salvador perdoa e leva todos os pecados do homem, e até mesmo morre na cruz pelo homem mais uma vez. Desde que Jesus partiu, os discípulos que O seguiram e todos os santos que foram salvos graças a Seu nome, têm ansiado e aguardado desesperadamente por Ele. Todos aqueles que foram salvos pela graça de Jesus Cristo durante a Era da Graça têm ansiado por esse alegre dia durante os últimos tempos, em que Jesus, o Salvador, chegue em uma nuvem branca e apareça entre os homens. Evidentemente, este também é o desejo coletivo de todos aqueles que aceitam o nome de Jesus, o Salvador, hoje. Em todo o universo, todos aqueles que conhecem a salvação de Jesus, o Salvador, têm desesperadamente ansiado pela súbita chegada de Jesus Cristo, para que se cumpram as palavras Dele quando estava na terra: “Eu virei assim como parti”. O homem crê que, após a crucificação e a ressurreição, Jesus voltou aos céus sobre uma nuvem branca e tomou o Seu lugar à destra do Altíssimo. Semelhantemente, o homem imagina que Jesus irá descer, novamente sobre uma nuvem branca (esta nuvem se refere à nuvem sobre a qual Jesus voltou para os céus), em meio àqueles que têm desesperadamente ansiado por Ele há milhares de anos, e que Ele terá a imagem e as roupas dos judeus. Depois de aparecer aos homens, Ele lhes concederá alimentos, fará com que água viva jorre do interior deles e habitará entre eles, cheio de graça e amor, vivo e real. E assim por diante. Mas Jesus, o Salvador, não o fez; Ele fez o oposto do que o homem imaginou. Ele não chegou entre aqueles que haviam ansiado por Sua volta e não apareceu sobre a nuvem branca a todos os homens. Ele já chegou, mas o homem não O conhece, e permanece ignorante de Sua chegada. O homem está apenas aguardando, sem propósito, que Ele venha, inconsciente de que Ele já desceu sobre uma nuvem branca (a nuvem que é o Seu Espírito, as Suas palavras e Seu caráter todo e tudo o que Ele é), e está agora entre um grupo de vencedores que Ele irá formar durante os últimos dias. O homem não sabe disto: embora o santo Salvador Jesus esteja repleto de afeição e amor pelo homem, como Ele poderia operar em “templos” habitados por imundície e espíritos impuros? Apesar de o homem estar aguardando a Sua volta, como Ele poderia aparecer àqueles que comem a carne do injusto, tomam o sangue do injusto, usam as roupas do injusto, que creem Nele, mas não O conhecem, e que constantemente O extorquem? O homem sabe apenas que Jesus, o Salvador, é cheio de amor e compaixão, e é a oferta pelo pecado repleta de redenção. Mas o homem não faz ideia de que Ele também seja o Próprio Deus, que transborda de justiça, majestade, ira e juízo, e que possui autoridade e é pleno de dignidade. Então, mesmo que o homem anseie ardentemente e deseje a volta do Redentor, e mesmo que os Céus sejam movidos pelas orações do homem, Jesus, o Salvador, não aparece àqueles que creem Nele, mas não O conhecem.

“Jeová” é o nome que usei durante Minha obra em Israel, e significa o Deus dos israelitas (o povo escolhido de Deus) que pode se apiedar do homem, amaldiçoar o homem e guiar a vida do homem. Significa o Deus que possui grande poder e é cheio de sabedoria. “Jesus” é Emanuel, e significa a oferta pelo pecado que é repleta de amor, repleta de compaixão e redime o homem. Ele fez a obra da Era da Graça, e representa a Era da Graça, e pode representar apenas uma parte do plano de gestão. Isto é, somente Jeová é o Deus do povo escolhido de Israel, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, o Deus de Moisés e o Deus de todo o povo de Israel. Assim, na atualidade, todos os israelitas exceto os da tribo de Judá adoram a Jeová. Eles fazem sacrifícios a Ele no altar e O servem usando vestes sacerdotais no templo. O que eles esperam é a reaparição de Jeová. Somente Jesus é o Redentor da humanidade. Ele é a oferta pelo pecado que redimiu a humanidade do pecado. Ou seja, o nome de Jesus veio da Era da Graça, e existiu por causa da obra da redenção na Era da Graça. O nome de Jesus existiu para permitir que as pessoas da Era da Graça renasçam e sejam salvas, e é um nome específico para a redenção de toda a humanidade. Assim, o nome de Jesus representa a obra da redenção e denota a Era da Graça. O nome Jeová é um nome específico para o povo de Israel que viveu sob a lei. Em cada era e cada estágio da obra, Meu nome não é infundado, mas tem um significado representativo: Cada nome representa uma era. “Jeová” representa a Era da Lei, e é o título honorífico para o Deus adorado pelo povo de Israel. “Jesus” representa a Era da Graça, e é o nome do Deus de todos aqueles que foram redimidos durante a Era da Graça. Se o homem ainda deseja a volta de Jesus, o Salvador, durante os últimos dias, e ainda espera que Ele chegue, com a mesma imagem que Ele tinha na Judeia, então todo o plano de gestão de seis mil anos pararia na Era da Redenção, e não poderia prosseguir. Os últimos dias, além disso, jamais chegariam e a era jamais se encerraria. Isto se dá porque Jesus, o Salvador, é somente para a redenção e a salvação da humanidade. Assumi o nome de Jesus para todos os pecadores da Era da Graça, e não é o nome pelo qual porei fim a toda humanidade. Embora todos, Jeová, Jesus, e o Messias representem Meu Espírito, tais nomes apenas denotam as diferentes eras de Meu plano de gestão, e não Me representam em Minha totalidade. Os nomes pelos quais as pessoas da terra Me chamam não podem articular Meu caráter todo e tudo o que sou. Eles são simplesmente nomes distintos pelos quais sou chamado durante diferentes eras. Assim, quando a era final, a era dos últimos dias, chegar, Meu nome irá mudar novamente. Não serei chamado de Jeová, nem de Jesus, e menos ainda de Messias, mas serei chamado de Deus, o Próprio Deus forte e todo-poderoso, e sob tal nome porei fim a toda a era. Já fui conhecido como Jeová. Também já fui chamado de Messias, e as pessoas uma vez Me chamaram de Jesus, o Salvador, porque elas Me amavam e respeitavam. Mas hoje não sou o Jeová ou o Jesus que as pessoas conheceram nos tempos passados; sou o Deus que voltou nos últimos dias, o Deus que irá colocar fim a esta era. Sou o Próprio Deus que Se ergue nos confins da terra, repleto de todo o Meu caráter e pleno de autoridade, honra e glória. As pessoas nunca se envolvem Comigo, nunca Me conhecem e sempre têm ignorado Meu caráter. Desde a criação do mundo até hoje, ninguém tem Me visto. Este é o Deus que aparece ao homem durante os últimos dias, mas que está oculto entre os homens. Ele reside entre os homens, verdadeiro e real, como o sol que arde e o fogo que flameja, cheio de poder e transbordante de autoridade. Não há uma única pessoa ou coisa que não vá ser julgada por Minhas palavras, e nem uma única pessoa ou coisa que não irá ser purificada pelo fogo ardente. Por fim, todas as nações serão abençoadas por causa de Minhas palavras, e também esmagadas por causa de Minhas palavras. Assim, todas as pessoas durante os últimos dias irão ver que Eu sou o Salvador que voltou, Eu sou o Deus Todo-Poderoso que conquista toda a humanidade, e uma vez Eu fui a oferta pelo pecado para o homem, mas nos últimos dias, Eu também Me torno as chamas do sol que queima todas as coisas, bem como o Sol da justiça que revela todas as coisas. Tal é a Minha obra dos últimos dias. Eu assumi este nome e possuo deste caráter para que todas as pessoas possam ver que Eu sou um Deus justo, e sou o sol que arde e o fogo que flameja. Assim é para que todos possam Me adorar, o único Deus verdadeiro, e assim é para que possam ver Minha verdadeira face: Não sou apenas o Deus dos israelitas e não sou apenas o Redentor; Eu sou o Deus de todas as criaturas no céu, na terra e no mar.

Quando o Salvador chegar durante estes últimos dias, se Ele ainda fosse chamado de Jesus, e uma vez mais nascesse na Judeia e na Judeia fizesse a Sua obra, então isso provaria que Eu somente criei o povo de Israel e somente redimi o povo de Israel, e que Eu nada fiz com os gentios. Isso não contradiria estas Minhas palavras: “Eu sou o Senhor que criou os céus e a terra e todas as coisas”? Eu deixei a Judeia e faço minha obra entre os gentios porque não sou simplesmente o Deus do povo de Israel, mas o Deus de todas as criaturas. Eu apareço entre os gentios durante os últimos dias porque não sou somente Jeová, o Deus do povo de Israel, mas, inclusive, porque Sou o Criador de todos os Meus escolhidos dentre os gentios. Não criei apenas Israel, o Egito e o Líbano, mas também criei todas as nações gentias além de Israel. Por isso, Sou o Senhor de todas as criaturas. Eu simplesmente usei Israel como ponto de partida para Minha obra, fiz da Judeia e da Galileia fortalezas de Minha obra redentora e uso as nações gentias como base a partir da qual porei fim à era. Realizei dois estágios de obra em Israel (os dois estágios da obra da Era da Lei e da Era da Graça), e tenho realizado dois outros estágios de obra (a Era da Graça e a Era do Reino) pelas terras além de Israel. Dentre as nações gentias, farei a obra de conquista e então concluirei a era. Se o homem sempre Me chama de Jesus Cristo, mas não sabe que Eu iniciei uma nova era durante os últimos dias e empreendi nova obra, e se o homem sempre aguarda obsessivamente a vinda de Jesus, o Salvador, então Eu irei denominar essas pessoas como aquelas que não creem em Mim. Elas são pessoas que não Me conhecem, e sua crença em Mim é uma farsa. Poderiam tais pessoas testemunhar a vinda de Jesus, o Salvador dos céus? O que elas aguardam não é a Minha vinda, mas a vinda do Rei dos Judeus. Elas não anseiam por Minha aniquilação deste mundo antigo e impuro, mas anelam pela segunda vinda de Jesus, pela qual serão redimidas; elas desejam ver Jesus redimindo uma vez mais toda a humanidade desta terra pervertida e injusta. Como tais pessoas podem se tornar aquelas que realizam a Minha obra durante os últimos dias? Os desejos do homem são incapazes de cumprir os Meus desejos ou de realizar a Minha obra, pois o homem simplesmente admira ou preza a obra que Eu fiz anteriormente, e não faz ideia de que Eu seja o Próprio Deus que é sempre novo e nunca velho. O homem sabe somente que Eu sou Jeová e Jesus, e não tem indício de que Eu seja o Último, Aquele que irá pôr fim à humanidade. Tudo o que o homem deseja e sabe é de sua própria concepção, e é meramente o que ele pode ver com seus próprios olhos. Não está de acordo com a obra que Eu realizo, mas em desarmonia com ela. Se Minha obra fosse conduzida de acordo com ideias humanas, quando seria o seu fim? Quando a humanidade entraria no descanso? E como Eu poderia entrar no sétimo dia, o Sábado? Eu opero de acordo com o Meu plano, de acordo com o Meu objetivo, e não de acordo com a intenção do homem.

Anterior:Ninguém que seja da carne pode fugir do dia da ira

Próximo:A obra de difundir o evangelho é também a obra de salvar o homem

Coisas que talvez lhe interessem