Palavras diárias de Deus | "Quando as folhas que caem retornarem às suas raízes, você lamentará todo o mal que fez" | Trecho 248

Eu sou um fogo arrebatador e não tolero ofensa. Porque os seres humanos foram todos criados por Mim, a tudo o que Eu disser e fizer, eles precisam obedecer e não podem se rebelar. As pessoas não têm o direito de se intrometer na Minha obra e muito menos estão qualificadas para analisar o que é certo ou errado em Minha obra e em Minhas palavras. Eu sou o Senhor da criação e os seres criados deveriam alcançar tudo que Eu exijo com um coração de reverência a Mim; eles não deveriam tentar argumentar Comigo e especialmente não deveriam resistir. Com a Minha autoridade Eu governo o Meu povo e todos os que fazem parte da Minha criação deveriam se submeter à Minha autoridade. Apesar de vocês serem hoje destemidos e presunçosos perante Mim, apesar de desobedecerem às palavras com as quais lhes ensino e não conhecerem o temor, Eu só correspondo a sua rebeldia com tolerância. Eu não perderei a calma e impactarei a Minha obra porque minúsculos vermes insignificantes remexeram a sujeira da pilha de esterco. Eu tolero a existência contínua de tudo que detesto e de todas as coisas que abomino pelo bem da vontade de Meu Pai, e assim o farei até que as Minhas declarações estejam completas, até o Meu último momento. Não se preocupe! Eu não posso afundar ao mesmo nível de um verme inominável e não compararei o Meu grau de habilidade com você. Eu detesto você, mas sou capaz de resistir. Você Me desobedece, mas não pode escapar do dia em que Eu o castigarei, o que Me foi prometido por Meu Pai. Um verme criado pode se comparar ao Senhor da criação? No outono, as folhas que caem retornam às suas raízes; você retornará à casa de seu “pai” e Eu retornarei para o lado do Meu Pai. Serei acompanhado por Seu carinho terno e você será seguido pelo pisotear do seu pai. Eu terei a glória do Meu Pai e você terá a vergonha do seu. Usarei o castigo que há muito retive para acompanhá-lo e você encontrará o Meu castigo com a sua carne rançosa que foi corrompida por dezenas de milhares de anos. Terei a Minha obra de palavras concluída em você, acompanhada de tolerância, e você começará a cumprir o papel de sofrer desastre a partir das Minhas palavras. Eu Me regozijarei grandemente e operarei em Israel; você chorará e rangerá os dentes, existindo e morrendo na lama. Eu recuperarei a Minha forma original e não ficarei mais na sujeira com você, enquanto você recuperará a sua fealdade original e continuará a escavar a pilha de esterco. Quando a Minha obra e as Minhas palavras terminarem, será um dia de alegria para Mim. Quando sua resistência e rebeldia terminarem, será um dia de choro para você. Não Me condoerei com você e você nunca Me verá outra vez. Não Me envolverei mais em diálogo com você e você nunca Me encontrará outra vez. Eu odiarei a sua rebeldia e você sentirá falta da Minha amabilidade. Eu o golpearei e você ansiará por Mim. Terei prazer em deixar você e você ficará ciente de sua dívida para Comigo. Nunca mais o verei outra vez, mas você sempre esperará por Mim. Eu o odiarei porque você atualmente resiste a Mim e você sentirá a Minha falta porque Eu atualmente castigo você. Não estarei disposto a viver ao seu lado, mas você ansiará amargamente por isso e chorará na eternidade, pois lamentará tudo que fez a Mim. Você sentirá remorso por sua rebeldia e resistência, e até se prostrará em terra com arrependimento, cairá perante Mim e jurará nunca desobedecer a Mim outra vez. Em seu coração, porém, você apenas Me amará, mas nunca será capaz de ouvir a Minha voz. Eu o deixarei envergonhado de si mesmo.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado