Palavras diárias de Deus | "Obra e entrada (10)" | Trecho 197

A encarnação de Deus propagou ondas de choque por todas as religiões e setores, “desorganizou” sua ordem original dos círculos religiosos e abalou o coração de todos aqueles que anseiam pela aparição de Deus. Quem não está adorando? Quem não anseia por ver Deus? Deus esteve pessoalmente entre os homens por muitos anos, mas o homem nunca percebeu isso. Hoje, o Próprio Deus apareceu e mostrou Sua identidade às massas — como isso poderia não trazer deleite ao coração do homem? Deus uma vez compartilhou alegrias e tristezas com o homem, e hoje Ele Se reuniu com a humanidade e compartilha contos de tempos passados com ele. Depois que Ele saiu da Judeia, as pessoas não conseguiram achar vestígios Dele. Eles anseiam por uma vez mais se encontrar com Deus, pouco sabendo que hoje novamente se encontraram com Ele e se reuniram com Ele. Como isso não despertaria pensamentos de ontem? Há dois mil anos, Simon Bar-Jonah, o descendente dos judeus, contemplou Jesus, o Salvador, comeu à mesma mesa que Ele e, depois de segui-Lo por muitos anos, sentiu uma profunda afeição por Ele: ele O amava do fundo do coração, amava profundamente o Senhor Jesus. O povo judeu nada sabia a respeito de como esse bebê de cabelos dourados, nascido em uma manjedoura fria, foi a primeira imagem da encarnação de Deus. Todos pensaram que Ele era igual a eles, ninguém achava que Ele fosse diferente — como as pessoas poderiam reconhecer esse Jesus normal e comum? O povo judeu via Nele um filho judeu da época. Ninguém olhava para Ele como um Deus amável, e as pessoas não faziam nada além de exigências cegas Dele, pedindo que Ele lhes desse graças ricas e abundantes, paz e alegria. Eles sabiam apenas que, como um milionário, Ele tinha tudo que alguém poderia desejar. No entanto, as pessoas nunca O trataram como alguém que era amado; as pessoas daquele tempo não O amavam, e apenas protestaram contra Ele, fizeram exigências irracionais Dele, e Ele nunca resistiu, constantemente dando graças ao homem, mesmo que o homem não O conhecesse. Ele nada fez além de silenciosamente dar calor humano, amor e misericórdia, e ainda mais, Ele deu ao homem novos meios de prática, liderando o homem para fora dos laços da lei. O homem não O amava, apenas O invejava e reconhecia Seus talentos excepcionais. Como poderia a humanidade cega saber quão grande era a humilhação sofrida pelo amável Jesus, o Salvador, quando Ele veio para a humanidade? Ninguém pensou em Sua aflição, ninguém sabia de Seu amor por Deus Pai e ninguém podia saber de Sua solidão; embora Maria fosse Sua mãe biológica, como poderia ela conhecer os pensamentos que existiam no coração do misericordioso Senhor Jesus? Quem sabia do sofrimento indescritível suportado pelo Filho do homem? Depois de fazer pedidos a Ele, as pessoas daquele tempo O colocaram friamente no fundo de suas mentes e O lançaram para fora. Assim, Ele vagou pelas ruas, dia após dia, ano após ano e por muitos anos até que viveu por trinta e três anos difíceis, anos que foram ambos longos e breves. Quando as pessoas precisavam Dele, O convidavam para entrar em suas casas sorridentes, tentando fazer exigências a Ele — e depois que Ele fizera Sua contribuição para eles, imediatamente O empurravam porta afora. As pessoas comiam o que lhes era provido a partir de Sua boca, bebiam Seu sangue, desfrutavam das graças que Ele lhes concedia, mas também se opunham a Ele, pois nunca souberam quem lhes dera sua vida. Por fim, eles O pregaram na cruz, mas ainda assim Ele não fez som algum. Ele permanece em silêncio ainda hoje. As pessoas comem Sua carne, comem a comida que Ele prepara para elas, andam pelo caminho que Ele abriu para elas, e elas bebem Seu sangue, mas elas ainda pretendem rejeitá-Lo, elas de fato tratam o Deus que lhes deu sua vida como inimigo e, em vez disso, tratam aqueles que são escravos como eles como o Pai celestial. Nisso, eles não se opõem deliberadamente a Ele? Como Jesus veio a morrer na cruz? Vocês sabem? Ele não foi traído por Judas, que era o mais próximo a Ele e o tinha comido, bebido e desfrutado Dele? O motivo da traição de Judas não foi porque Jesus não era nada mais do que um pequeno professor normal? Se as pessoas realmente tivessem visto que Jesus era extraordinário, e Aquele que era do Céu, como poderiam tê-Lo pregado vivo na cruz por vinte e quatro horas até que Ele não tivesse mais fôlego em Seu corpo? Quem pode conhecer a Deus? As pessoas não fazem nada além de desfrutar de Deus com ganância insaciável, mas nunca O conheceram. Eles receberam a mão, mas pegaram o braço, e eles tornaram Jesus totalmente obediente aos seus comandos, às suas ordens. Quem já mostrou alguma coisa do caminho da misericórdia para com esse Filho do homem, que não tem onde reclinar Sua cabeça? Quem já pensou em unir forças com Ele para completar a comissão de Deus Pai? Quem já parou para pensar Nele? Quem já foi atencioso com Suas dificuldades? Sem o menor amor, o homem O empurra de um lado para outro; o homem não sabe de onde sua luz e vida vieram, e nada faz senão secretamente planejar como mais uma vez crucificar o Jesus de dois mil anos atrás, que experimentou a dor entre os homens. Jesus realmente inspira esse ódio? Tudo o que Ele fez há muito tempo foi esquecido? O ódio que se coalesceu por milhares de anos finalmente vai se espalhar. Você, a laia dos judeus! Quando Jesus foi hostil a vocês para que vocês O odeiem tanto? Ele tanto fez e tanto falou — nada disso é para o seu benefício? Ele deu Sua vida a vocês sem pedir nada em troca, Ele lhes deu Sua totalidade — vocês realmente ainda querem comê-Lo vivo? Ele deu tudo de Si para vocês sem reter nada, sem jamais desfrutar da glória mundana, do calor humano entre os homens e do amor entre os homens, ou de todas as bênçãos entre os homens. As pessoas são tão más para com Ele, Ele nunca desfrutou de todas as riquezas da Terra, Ele dedica a totalidade de Seu sincero e apaixonado coração ao homem, Ele devotou Sua totalidade à humanidade — e quem já Lhe deu calor? Quem já Lhe deu consolo? O homem acumulou toda a pressão sobre Ele, entregou toda a desgraça a Ele, forçou as mais infelizes experiências entre os homens sobre Ele, O culpa por toda injustiça, e Ele aceitou isso tacitamente. Ele já protestou com alguém? Ele já pediu alguma recompensa a alguém? Quem já mostrou alguma simpatia por Ele? Como pessoas normais, quem de vocês não teve uma infância romântica? Quem não teve uma juventude colorida? Quem não tem o calor dos entes queridos? Quem está sem o amor de parentes e amigos? Quem está sem o respeito dos outros? Quem está sem uma família calorosa? Quem está sem o conforto de seus confidentes? E Ele já desfrutou alguma dessas coisas? Quem já Lhe deu um pouco de calor? Quem já Lhe deu um pingo de conforto? Quem já mostrou a Ele um pouco de moralidade humana? Quem já foi tolerante com Ele? Quem já esteve com Ele em momentos difíceis? Quem já passou a vida dura com Ele? O homem nunca relaxou suas exigências Dele; ele meramente faz exigências Dele sem nenhum escrúpulo, como se, tendo chegado ao mundo dos homens, Ele tivesse que ser seu boi ou cavalo, seu prisioneiro, e tem que dar tudo de Si para o homem; se não, o homem nunca O perdoará, nunca facilitará as coisas para Ele, nunca O chamará de Deus e nunca O terá em alta estima. O homem é muito severo em sua atitude para com Deus, como se estivesse determinado a atormentar a Deus até a morte, somente após o que ele afrouxará suas exigências de Deus; se não, o homem nunca diminuirá os padrões de suas exigências de Deus. Como poderia um homem como esse não ser desprezado por Deus? Tal não é a tragédia de hoje? A consciência do homem está longe de ser vista. Ele continua dizendo que vai retribuir o amor de Deus, mas disseca Deus e O tortura até a morte. Não é essa a “receita secreta” de sua fé em Deus, herdada de seus ancestrais? Não há nenhum lugar onde não se encontrem os “judeus”, e hoje eles ainda fazem o mesmo trabalho, ainda realizam o mesmo trabalho de se opor a Deus, e ainda assim acreditam que estão mantendo Deus nas alturas. Como os próprios olhos do homem podem conhecer a Deus? Como poderia o homem, que vive na carne, tratar como Deus o Deus encarnado que veio do Espírito? Quem dentre os homens poderia conhecê-Lo? Onde está a verdade entre os homens? Onde está a verdadeira retidão? Quem é capaz de conhecer o caráter de Deus? Quem pode competir com o Deus no céu? Não é de admirar que, quando Ele veio ao homem, ninguém tenha conhecido a Deus e que Ele tenha sido rejeitado. Como o homem pode tolerar a existência de Deus? Como ele pode permitir que a luz expulse a escuridão do mundo? Isso tudo não é da honrosa devoção do homem? Não é essa a entrada correta do homem? E a obra de Deus não está centrada na entrada do homem? Eu gostaria que você associasse a obra de Deus com a entrada do homem, estabelecesse um bom relacionamento entre o homem e Deus, e cumprisse o dever que deveria ser desempenhado pelo homem com o melhor de suas habilidades. Desta forma, a obra de Deus chegará ao fim, terminando com a Sua glorificação!

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado