Palavras diárias de Deus | "Prática (7)" | Trecho 315

Algumas adornam-se bela, mas superficialmente: as irmãs se adornam tão lindas como flores e os irmãos se vestem como príncipes ou jovens dândis ricos. Eles só se importam com as coisas externas, como as coisas que comem e vestem; por dentro, estão desprovidos e não têm o mínimo conhecimento de Deus. Que sentido pode haver nisso? E, então, há aquelas pessoas que se vestem como pobres mendigos — realmente se parecem com escravos do leste asiático! Vocês não entendem mesmo o que é que Eu lhes peço? Conversem entre si: o que vocês ganharam de verdade? Vocês têm acreditado em Deus por todos esses anos, e mesmo assim isso é tudo que colheram — vocês não estão constrangidos? Não estão envergonhados? Vocês têm buscado no caminho verdadeiro por todos esses anos, mas hoje sua estatura é ainda mais baixa que a de um pardal! Vejam as jovens moças entre vocês, lindas como retratos em suas roupas e maquilagem, comparando-se umas com as outras — e o que comparam? Seu prazer? Suas exigências? Vocês acham que Eu vim recrutar modelos? Vocês não têm vergonha! Onde está a vida de vocês? O que vocês buscam não é somente o seu desejo próprio e extravagante? Você pensa que é tão bonita, mas, embora possa estar vestida com todo tipo de roupas finas, você não é, na verdade, um verme contorcido, nascido num monte de esterco? Hoje, você tem a sorte de desfrutar dessas bênçãos celestiais não por causa de seu lindo rosto, mas porque Deus está fazendo uma exceção ao elevar você. Ainda não lhe está claro de onde você veio? À menção de vida, você cala a boca e não diz nada, muda feito uma estátua, mas ainda tem a ousadia de se vestir bem! Ainda está propensa a aplicar blush e pó no rosto! E vejam os dândis entre vocês, homens voluntariosos que passam o dia inteiro passeando por aí, desregrados, com uma expressão displicente na cara. É assim que uma pessoa deveria se comportar? A que cada um de vocês, homem ou mulher, dedica sua atenção o dia todo? Vocês sabem de quem dependem para se alimentar? Olhe para sua roupa, olhe o que colheu em suas mãos, esfregue a barriga — que lucro teve com o preço de suor e sangue que você pagou por todos esses anos de fé? Você ainda pensa em ir passear, pensa em embelezar sua carne fedorenta — buscas inúteis! Pede-se que você seja uma pessoa normal, mas você não é simplesmente anormal, você é aberrante. Como pode tal pessoa ter a audácia de vir ante Mim? Com uma humanidade dessas, desfilando o seu charme e exibindo sua carne, vivendo sempre na luxúria da carne — você não é um descendente de demônios imundos e de maus espíritos? Eu não permitirei que um demônio tão imundo permaneça existindo por muito tempo! E não suponha que Eu não saiba o que você pensa em seu coração. Você pode manter sua luxúria e sua carne sob rígido controle, mas como Eu poderia não saber os pensamentos que você abriga em seu coração? Como Eu poderia não saber tudo que seus olhos desejam? Vocês, moças, não ficam tão bonitas com o propósito de desfilar sua carne? De que benefício os homens são para vocês? Eles realmente podem salvá-las do mar de aflição? Quanto aos dândis entre vocês, todos se vestem para parecer cavalheirescos e distintos, mas isso não é um ardil projetado para atrair a atenção para sua aparência elegante? Para quem vocês estão fazendo isso? De que benefício as mulheres são para vocês? Elas não são a fonte do pecado de vocês? Vocês, homens e mulheres, Eu lhes proferi muitas palavras, mas vocês acataram apenas um pouco delas. Seus ouvidos são surdos, seus olhos se tornaram turvos e o coração de vocês é duro a ponto de não haver nada além de luxúria no corpo de vocês, tanto que estão enredados nisso, incapazes de escapar. Quem quer se aproximar de vocês, vermes, vocês que se contorcem na imundície e na sujeira? Não se esqueçam de que vocês não são nada mais que aqueles que Eu elevei do monte de esterco, que vocês não eram possuidores, originalmente, de uma humanidade normal. O que Eu lhes peço é a humanidade normal que vocês não possuíam originalmente e não que vocês desfilem sua luxúria ou deem rédeas livres a sua carne rançosa, que foi treinada pelo diabo por tantos anos. Quando vocês se vestem assim, não temem que se tornarão mais profundamente enredados? Não sabem que originalmente vocês eram do pecado? Não sabem que o corpo de vocês está tão cheio de luxúria que ela até exsuda pela roupa de vocês, revelando seu estado como demônios insuportavelmente feios e imundos? Não é verdade que vocês sabem disso mais claramente que ninguém? O coração, os olhos e os lábios de vocês — não foram todos contaminados por demônios imundos? Essas partes de vocês não são imundas? Você acha que, enquanto não agir, então você é o mais santo de todos? Você acha que se vestir com roupas bonitas pode esconder a alma sórdida de vocês? Isso não funcionará! Eu os aconselho a ser mais realistas: não sejam fraudulentos e falsos e não se exibam. Vocês ostentam sua luxúria uns para os outros, mas tudo que receberão em troca é sofrimento eterno e castigo impiedoso! Que necessidade vocês têm de piscar os olhos uns para os outros e se entregar ao romance? É essa a medida da integridade de vocês, a extensão da sua retidão? Eu odeio aqueles entre vocês que se engajam em curandeirismo e feitiçaria; odeio os homens e mulheres jovens entre vocês que amam a própria carne. É melhor que vocês se contenham, porque agora é preciso possuir uma humanidade normal e vocês não têm permissão para ostentar a sua luxúria — no entanto, vocês usam todas as oportunidades que têm, pois sua carne é por demais abundante e a sua luxúria é grande demais!

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado