Palavras diárias de Deus | "Deus e o homem entrarão em descanso juntos" | Trecho 599

Aqueles que levam filhos e parentes totalmente incrédulos à igreja são muito egocêntricos e mostram a sua bondade. Essas pessoas ressaltam apenas o amor, sem considerar se eles acreditam ou se é a vontade de Deus. Alguns trazem a esposa diante de Deus ou trazem os pais diante de Deus e, sem levar em consideração se o Espírito Santo concorda ou realiza Sua obra, cegamente “adotam pessoas talentosas” para Deus. Que benefício pode ser ganho estendendo tal bondade aos que não acreditam? Ainda que esses incrédulos que estão sem a presença do Espírito Santo lutem para seguir a Deus, eles não podem ser salvos como se acredita que possam. Aqueles que recebem a salvação não a obtiveram facilmente. Aqueles que não foram submetidos à obra e às provações do Espírito Santo e que não foram aperfeiçoados pelo Deus encarnado não podem ser completados de maneira alguma. Portanto, essas pessoas carecem da presença do Espírito Santo a partir do momento em que começam a seguir nominalmente a Deus. De acordo com suas condições e estados atuais, elas simplesmente não podem ser completadas. Assim, o Espírito Santo não decide gastar muita energia com elas, nem oferecer esclarecimento ou guiá-las de alguma forma; Ele simplesmente lhes permite seguir adiante e no final revela o desfecho delas — isso é o suficiente. O entusiasmo e as intenções do homem vêm de Satanás e de modo algum podem completar a obra do Espírito Santo. Não importa que tipo de pessoa alguém seja, é preciso haver a obra do Espírito Santo — uma pessoa pode completar uma pessoa? Por que o marido ama a esposa? E por que a esposa ama o marido? Por que os filhos são obedientes aos pais? E por que os pais são loucos de amor pelos filhos? Que espécie de intenções as pessoas guardam de fato no coração? Não é para satisfazer os próprios planos e desejos egoístas? É de fato para o plano de gerenciamento de Deus? É para a obra de Deus? É para cumprir o dever de uma criatura? Aqueles que antes acreditaram em Deus e não puderam receber a presença do Espírito Santo nunca vão conseguir obter a obra do Espírito Santo; foi determinado que essas pessoas serão destruídas. Não importa quanto amor alguém sinta por elas, tal amor não pode substituir a obra do Espírito Santo. O entusiasmo e o amor do homem representam as intenções do homem, mas não podem representar as intenções de Deus nem podem substituir a obra de Deus. Mesmo que alguém ofereça todo o amor possível ou toda a piedade possível a essas pessoas que nominalmente acreditam em Deus e fingem segui-Lo, embora não saibam o que é acreditar em Deus, mesmo assim elas não obterão a compaixão de Deus nem a obra do Espírito Santo. Mesmo que sejam de baixo calibre e não possam compreender muitas verdades, as pessoas que sinceramente seguem a Deus ainda podem às vezes obter a obra do Espírito Santo; por outro lado, aquelas que são de alto calibre, mas não acreditam com sinceridade simplesmente não podem obter a presença do Espírito Santo. Simplesmente não há possibilidade de salvação para essas pessoas. Mesmo que leiam, que às vezes ouçam as mensagens ou cantem louvores a Deus, no fim elas não serão capazes de permanecer no tempo do descanso. A sinceridade da busca das pessoas não é determinada pelo julgamento alheio nem por como os outros as veem, mas, sim, por o Espírito Santo operar sobre elas ou não, por elas terem ou não a presença do Espírito Santo, e mais ainda é determinada por haver mudança de caráter ou não e por terem ou não conhecimento de Deus após submeter-se à obra do Espírito Santo durante certo tempo; se o Espírito Santo opera em uma pessoa, o caráter dessa pessoa mudará gradualmente e sua visão sobre a crença em Deus aos poucos se tornará mais pura. Independentemente de quanto tempo as pessoas seguem a Deus, se elas mudaram significa que o Espírito Santo opera sobre elas. Se não mudaram, significa que o Espírito Santo não opera sobre elas. Mesmo que prestem algum serviço, essas pessoas são instigadas por suas intenções de ter uma boa sorte. O serviço eventual não pode substituir uma mudança no caráter delas. No fim, elas ainda serão destruídas, pois não há necessidade dos que prestam serviço dentro do reino, nem há necessidade de alguém cujo caráter não tenha mudado para servir àquelas que foram tornadas perfeitas e que são fiéis a Deus. “Quando alguém acredita no Senhor, a sorte sorri para toda a família”: essas palavras do passado são adequadas para a Era da Graça, mas não estão relacionadas ao destino do homem. Elas foram adequadas apenas para uma etapa da Era da Graça. O significado pretendido por essas palavras é dirigido à paz e às bênçãos materiais desfrutadas pelas pessoas, mas isso não quer dizer que toda a família de alguém que acredita no Senhor será salva, nem que, quando alguém obter uma boa sorte, a família inteira também será levada ao descanso. Se alguém recebe bênçãos ou sofre infortúnios é determinado de acordo com a essência da pessoa, não de acordo com a essência comum que uns compartilham com outros. O reino simplesmente não tem esse tipo de dito popular ou de regra. Se por fim alguém consegue sobreviver, é porque atingiu os requisitos de Deus; e, se no final, alguém não consegue permanecer no tempo do descanso, é porque essa pessoa é desobediente a Deus e não satisfez Seus requisitos. Todos têm um destino adequado. Esses destinos são determinados de acordo com a essência de cada pessoa e são completamente dissociados dos demais. A má conduta de um filho não pode ser transferida para os pais e a retidão de um filho não pode ser compartilhada com seus pais. A má conduta de um pai não pode ser transferida para os filhos e a retidão dos pais não pode ser compartilhada com seus filhos. Todos carregam os respectivos pecados e todos desfrutam da respectiva sorte. Ninguém pode substituir o outro. Isso é justiça. Na visão humana, se os pais obtêm uma boa sorte, os filhos também obterão; se os filhos cometem o mal, os pais devem expiar o pecado dos filhos. Essa é a perspectiva do homem e o jeito humano de fazer as coisas. Não é a perspectiva de Deus. O fim de todos é determinado de acordo com a essência que vem da conduta de cada um e sempre é determinado de forma apropriada. Ninguém pode carregar os pecados do outro; ou melhor, ninguém pode receber punição no lugar do outro. Isso é absoluto. O cuidado excessivamente amoroso de um pai ou de uma mãe pelos filhos não significa que eles possam realizar ações justas no lugar dos filhos, assim como o afeto obediente de um filho para com os pais não significa que eles possam realizar ações justas no lugar dos pais. Esse é o verdadeiro significado por trás das palavras: “Dois homens estarão no campo: um será levado e o outro deixado. Duas mulheres estarão trabalhando num moinho: uma será levada e a outra deixada”. Ninguém pode levar os filhos malfeitores ao descanso com base em seu profundo amor por esses filhos, nem pode levar a esposa (ou o marido) ao descanso com base em sua conduta justa. Essa é uma regra administrativa; não pode haver exceções para ninguém. Praticantes da justiça são praticantes da justiça e os malfeitores são malfeitores. Os praticantes da justiça serão capazes de sobreviver e os malfeitores serão destruídos. Os santos são santos, não são imundos. Os imundos são imundos e não têm uma única parte santa. Todas as pessoas más serão destruídas e todas as justas sobreviverão, mesmo que os filhos de um malfeitor realizem ações justas e mesmo que os pais de um justo cometam atos perversos. Não há relação entre um marido crédulo e uma esposa incrédula, assim como não há relação entre filhos crédulos e pais incrédulos. São dois tipos incompatíveis. Antes de entrar no descanso, a pessoa tem parentes físicos, mas, uma vez que tenha entrado no descanso, deixa de tê-los. Aqueles que cumprem o dever e os que não cumprem são inimigos; aqueles que amam a Deus e os que O odeiam opõem-se uns aos outros. Aqueles que entram no descanso e os que foram destruídos são dois tipos incompatíveis de criatura. As criaturas que cumprirem o dever serão capazes de sobreviver e as criaturas que não o cumprirem serão destruídas; mais ainda, isto durará por toda a eternidade. Você ama seu marido para cumprir seu dever como criatura? Você ama sua esposa para cumprir seu dever como criatura? Você é obediente a seus pais incrédulos para cumprir seu dever como criatura? Está certa ou errada a visão humana sobre acreditar em Deus? Por que você acredita em Deus? O que você quer ganhar? Como você ama a Deus? Aqueles que não conseguirem cumprir o dever como criaturas e que não conseguirem fazer um esforço total serão destruídos. Hoje, as pessoas têm relacionamentos físicos entre si, assim como têm laços de sangue; mais tarde, porém, todas essas ligações serão desfeitas. Crédulos e incrédulos não são compatíveis, ao contrário, se opõem uns aos outros. Aqueles no descanso acreditam que existe um Deus e são obedientes a Ele. Mas todos os desobedientes terão sido destruídos. As famílias não existirão mais na terra; como poderia haver pais e filhos ou relacionamentos entre maridos e esposas? A própria incompatibilidade entre crença e descrença terá rompido esses relacionamentos físicos!

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado