Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Declarações de Deus Todo-Poderoso
Declarações de Deus Todo-Poderoso (O caminho para conhecer a Deus)

Categorias

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)
Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)

A autoridade de Deus I (Parte 1)

Minhas várias comunicações recentes foram sobre a obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus. Depois de ouvir essas comunicações, vocês sentem que adquiriram uma compreensão e conhecimento do caráter de Deus? Quão grande é essa compreensão e conhecimento? Vocês são capazes quantificá-los? Essas comunicações deram a vocês uma compreensão mais profunda de Deus? Pode-se dizer que essa compreensão é um verdadeiro conhecimento de Deus? Pode-se dizer que essa compreensão e conhecimento de Deus é um conhecimento da substância integral de Deus e de tudo o que Ele tem e é? É óbvio que não! Isso é porque essas comunicações forneceram apenas uma compreensão de parte do caráter de Deus e do que Ele tem e é – não integralmente, ou na totalidade. As comunicações permitiram a vocês compreender parte da obra já realizada por Deus, através das quais vocês contemplaram o caráter de Deus e o que Ele tem e é, bem como a abordagem e pensamento por trás de tudo o que Ele realizou. Mas isso é apenas uma compreensão literal e oral de Deus, e em seu coração vocês continuam incertos sobre o quanto disso é real. O que determina principalmente se existe alguma realidade na compreensão das pessoas sobre essas coisas? Isso é determinado pelo quanto das palavras e caráter de Deus elas realmente vivenciaram durante suas experiências reais e o quanto elas puderam ver e conhecer durante essas experiências reais. “As várias comunicações recentes nos permitiram entender as coisas realizadas por Deus, os pensamentos de Deus e, além disso, a atitude de Deus para com a humanidade e a base de Suas ações, bem como os princípios de Suas ações. E assim viemos a compreender o caráter de Deus e conhecer Deus em Sua totalidade.” Alguém disse tais palavras? É certo dizer isso? Claramente, não é. E por que Eu digo que não é? O caráter de Deus e o que Ele tem e é estão expressos nas coisas que Ele realizou e nas palavras que Ele proferiu. O homem é capaz de contemplar o que Deus tem e é através da obra que Ele realizou e das palavras que Ele proferiu, mas isso significa apenas dizer que a obra e as palavras permitem ao homem compreender uma parte do caráter de Deus e uma parte de o que Ele tem e é. Se o homem deseja ganhar uma compreensão mais plena e profunda de Deus, então o homem deve vivenciar mais as palavras e a obra de Deus. Embora o homem ganhe apenas uma compreensão parcial de Deus ao vivenciar parte das palavras ou obra de Deus, essa compreensão parcial representa o verdadeiro caráter de Deus? Representa a substância de Deus? É claro que representa o verdadeiro caráter de Deus e a substância de Deus, disso não há dúvida. Independentemente do tempo ou lugar, ou da maneira como Deus realiza Sua obra, ou da forma como Ele aparece para o homem, ou do modo como Ele expressa Sua vontade, tudo o que Ele revela e expressa representa o Próprio Deus, a substância de Deus e o que Ele tem e é. Deus realiza Sua obra com o que Ele tem e é, e em Sua verdadeira identidade; isso é a absoluta verdade. No entanto, as pessoas hoje têm uma compreensão apenas parcial de Deus através de Suas palavras e através do que ouvem quando escutam a pregação, e, portanto, até certo ponto, essa compreensão só pode ser considerada um conhecimento teórico. Considerando seu estado real, você só pode verificar a compreensão ou conhecimento de Deus que você ouviu, viu ou conheceu e compreendeu atualmente em seu coração se cada um de vocês vivenciar isso em suas experiências reais e adquirir esse conhecimento aos poucos. Se Eu não comunicasse essas palavras com vocês, seriam capazes de alcançar o verdadeiro conhecimento de Deus somente através de suas experiências? Receio que seria muito difícil fazê-lo. Isso é porque as pessoas devem primeiramente ter as palavras de Deus para saber como vivenciar. O quanto das palavras de Deus que as pessoas comem é o quanto elas podem realmente vivenciar. As palavras de Deus guiam a senda adiante e guiam o homem em sua experiência. Em suma, para aqueles que têm alguma experiência verdadeira, essas várias comunicações recentes irão ajudá-los a alcançar uma compreensão mais profunda da verdade e um conhecimento mais realista de Deus. Mas para aqueles que não têm nenhuma experiência real, ou que apenas começaram sua experiência, ou apenas começaram a ter contato com a realidade, esse é um grande teste.

O conteúdo principal das várias comunicações recentes dizia respeito a “o caráter de Deus, a obra de Deus e o Próprio Deus”. O que vocês viram nas partes centrais e principais de tudo o que Eu disse? Vocês são capazes de reconhecer, por meio dessas comunicações, que Aquele que realizou a obra e revelou esses caracteres é o Próprio Deus único, que detém soberania sobre todas as coisas? Se sua resposta é sim, então o que os leva a tal conclusão? Por meio de quais aspectos vocês chegam a essa conclusão? Alguém pode Me dizer? Eu sei que as comunicações recentes os afetaram profundamente e proporcionaram um novo começo em seus corações para seu conhecimento de Deus, o que é ótimo. Mas embora vocês tenham dado um grande salto em sua compreensão de Deus em relação ao passado, sua definição da identidade de Deus ainda precisa progredir além dos nomes de Deus Jeová da Era da Lei, do Senhor Jesus da Era da Graça e de Deus Todo-Poderoso da Era do Reino. Isso significa dizer que embora essas comunicações sobre “o caráter de Deus, a obra de Deus e o Próprio Deus” tenham lhes dado alguma compreensão das palavras já proferidas por Deus, e da obra já realizada por Deus, e do ser e posses já revelados por Deus, vocês são incapazes de fornecer uma definição verdadeira e orientação precisa da palavra “Deus”. Vocês tampouco têm orientação e conhecimento verdadeiros e precisos do status e identidade do Próprio Deus, ou seja, do status de Deus entre todas as coisas e por todo o universo. Isso é porque nas comunicações anteriores sobre o Próprio Deus e o caráter de Deus, todo o conteúdo era baseado nas expressões e revelações anteriores de Deus que estão registradas na Bíblia. No entanto, é difícil para o homem descobrir o ser e as posses que são revelados e expressos por Deus durante ou fora de Sua gestão e salvação da humanidade. Portanto, mesmo que vocês compreendam o ser e as posses de Deus que foram revelados na obra que Ele já realizou, sua definição da identidade e status de Deus ainda está muito distante daquela do Deus único, Aquele que detém soberania sobre todas as coisas e é diferente daquela do Criador. As várias comunicações recentes fizeram com que todos se sentissem da mesma maneira: como o homem poderia conhecer os pensamentos de Deus? Se alguém realmente conhecesse, então essa pessoa certamente seria Deus, pois somente o Próprio Deus conhece Seus próprios pensamentos e somente o Próprio Deus conhece a base e a abordagem por trás de tudo o que Ele faz. Parece racional e lógico para vocês reconhecerem a identidade de Deus de tal maneira, mas quem pode dizer, a partir do caráter e da obra de Deus, que essa é realmente a obra do Próprio Deus e não o trabalho do homem, obra que não pode ser realizada em nome de Deus pelo homem? Quem pode ver que essa obra está sob a soberania Daquele que tem a substância e poder de Deus? Ou seja, através de quais características ou substância vocês reconhecem que Ele é o Próprio Deus, que tem a identidade de Deus e é Aquele que detém soberania sobre todas as coisas? Vocês já pensaram nisso? Se não pensaram, então isso prova um fato: as várias comunicações recentes deram a vocês apenas certa compreensão da parte da história em que Deus realizou Sua obra, e da abordagem, manifestação e revelações de Deus durante essa obra. Embora tal compreensão faça com que cada um de vocês reconheça sem dúvida alguma que Aquele que realizou essas duas etapas da obra é o Próprio Deus em quem vocês creem e a quem seguem, e Aquele a quem vocês devem sempre seguir, vocês ainda são incapazes de reconhecer que Ele é o Deus que existe desde a criação do mundo e que existirá por toda a eternidade, e tampouco são capazes de reconhecer que Ele é Aquele que lidera e detém soberania sobre toda a humanidade. Vocês certamente nunca pensaram sobre esse problema. Seja Jeová ou o Senhor Jesus, por meio de quais aspectos da substância e manifestação vocês são capazes de reconhecer que Ele não só é o Deus a quem vocês devem seguir, mas também Aquele que comanda a humanidade e detém soberania sobre o destino da humanidade, que é, além disso, o Próprio Deus único que detém soberania sobre os céus e a terra e todas as coisas? Por quais canais vocês reconhecem que Aquele em quem vocês creem e a quem seguem é o Próprio Deus que detém soberania sobre todas as coisas? Por quais canais vocês vinculam o Deus em quem vocês creem ao Deus que detém soberania sobre o destino da humanidade? O que lhes permite reconhecer que o Deus em quem creem é o Próprio Deus único, que está no céu e na terra e entre todas as coisas? Esse é o problema que resolverei na próxima seção.

Os problemas nos quais vocês nunca pensaram ou não conseguem pensar podem muito bem ser os mais cruciais para se conhecer a Deus, e onde podem ser buscadas verdades insondáveis para o homem. Quando esses problemas os acometem e têm de ser enfrentados por vocês, e exigem que vocês façam uma escolha, se vocês são incapazes de resolvê-los completamente devido à sua tolice e ignorância, ou porque suas experiências são muito superficiais e falta a vocês verdadeiro conhecimento de Deus, então elas irão se tornar o maior obstáculo e o maior empecilho na senda de sua crença em Deus. Portanto, Eu sinto que é extremamente necessário comunicar sobre essa questão com vocês. Vocês sabem qual é o problema de vocês agora? Os problemas dos quais Eu falo estão claros para vocês? São esses os problemas que vocês enfrentarão? São os problemas que vocês não entendem? São os problemas que nunca lhes ocorreram? Esses problemas são importantes para vocês? São realmente problemas? Essa questão é uma fonte de grande confusão para vocês, o que mostra que vocês não têm verdadeira compreensão do Deus em quem vocês creem e que vocês não O levam a sério. Alguns dizem: “Eu sei que Ele é Deus e, portanto, eu sigo a Ele, porque Suas palavras são a expressão de Deus. Isso basta. Que outras provas são necessárias? Por certo não precisamos levantar dúvidas sobre Deus, precisamos? Por certo não devemos pôr Deus à prova, devemos? Por certo não precisamos questionar a substância de Deus e a identidade do Próprio Deus, precisamos?”. Independentemente de vocês pensarem ou não dessa maneira, Eu não levanto essas questões para confundi-los sobre Deus ou para fazê-los testar Deus, muito menos para gerar dúvidas em vocês sobre a identidade e substância de Deus. Ao contrário, Eu faço isso para estimular em vocês uma maior compreensão sobre a substância de Deus, e uma maior certeza e fé sobre o status de Deus, para que Deus se torne o Único no coração de todos que seguem a Deus, e para que o status original de Deus – como o Criador, o Regente de todas as coisas, o Próprio Deus único – possa ser restaurado nos corações de todas as criaturas. Esse é também o tema sobre o qual comunicarei.

Agora vamos começar a ler as seguintes Escrituras da Bíblia.

1. Deus usa palavras para criar todas as coisas

1) (Gênesis 1:3-5) Disse Deus: haja luz. E houve luz. Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.

2) (Gênesis 1:6-7) E disse Deus: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi.

3) (Gênesis 1:9-11) E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom. E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, dêem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi.

4) (Gênesis 1:14-15) E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos; e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi.

5) (Gênesis 1:20-21) E disse Deus: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu. Criou, pois, Deus os monstros marinhos, e todos os seres viventes que se arrastavam, os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies; e toda ave que voa, segundo a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.

6) (Gênesis 1:24-25) E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi. Deus, pois, fez os animais selvagens segundo as suas espécies, e os animais domésticos segundo as suas espécies, e todos os répteis da terra segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.

No primeiro dia, o dia e noite da humanidade nascem e se mantêm firmes graças à autoridade de Deus

Vejamos a primeira passagem: “Disse Deus: haja luz. E houve luz. Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro” (Gênesis 1:3-5). Essa passagem descreve o primeiro ato de Deus no início da criação, e o primeiro dia que Deus passou em que houve uma tarde e uma manhã. Mas foi um dia extraordinário: Deus começou a preparar a luz para todas as coisas e, além disso, separou a luz das trevas. Nesse dia, Deus começou a falar e Suas palavras e autoridade existiram lado a lado. Sua autoridade começou a se manifestar entre todas as coisas e Seu poder se espalhou entre todas as coisas como resultado de Suas palavras. Desse dia em diante, todas as coisas foram formadas e se mantiveram firmes devido às palavras de Deus, à autoridade de Deus e ao poder de Deus, e começaram a funcionar graças às palavras de Deus, à autoridade de Deus e ao poder de Deus. Quando Deus disse as palavras “haja luz”, houve luz. Deus não iniciou nenhum empreendimento; a luz surgira como resultado de Suas palavras. Essa foi a luz a que Deus chamou dia, e da qual o homem ainda depende hoje para sua existência. Por ordem de Deus, sua substância e valor nunca mudaram e ela nunca desapareceu. Sua existência manifesta a autoridade e poder de Deus, e proclama a existência do Criador, e confirma repetidamente a identidade e status do Criador. Não é intangível ou ilusória, mas uma luz real que pode ser vista pelo homem. Daquele tempo em diante, nesse mundo vazio em que “A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo”, foi produzida a primeira coisa material. Essa coisa veio das palavras da boca de Deus e surgiu no primeiro ato da criação de todas as coisas devido à autoridade e às declarações de Deus. Logo depois, Deus ordenou que a luz e as trevas se separassem… Tudo mudou e foi completado devido às palavras de Deus… Deus chamou à essa luz “Dia” e às trevas Ele chamou “Noite”. A partir de então, a primeira tarde e a primeira manhã foram produzidas no mundo que Deus pretendia criar, e Deus disse que esse era o primeiro dia. Esse dia foi o primeiro dia da criação de todas as coisas do Criador, e foi o começo da criação de todas as coisas, e foi a primeira vez em que a autoridade e o poder do Criador se manifestaram nesse mundo que Ele havia criado.

Através dessas palavras, o homem é capaz de contemplar a autoridade de Deus, e a autoridade das palavras de Deus, e o poder de Deus. Porque somente Deus possui tal poder, e, portanto, somente Deus tem tal autoridade, e porque Deus possui tal autoridade, e, portanto, somente Deus tem tal poder. Poderia algum homem ou objeto possuir tal autoridade e poder? Há uma resposta no coração de vocês? Além de Deus, algum ser criado ou não criado possui tal autoridade? Vocês já viram um exemplo de tal coisa em qualquer outro livro ou publicação? Há algum registro de que alguém tenha criado os céus e a terra e todas as coisas? Isso não aparece em nenhum outro livro ou registro; essas são, naturalmente, as únicas palavras oficiais e poderosas sobre a magnífica criação de Deus do mundo, que estão registradas na Bíblia, e essas palavras falam pela autoridade única de Deus e a identidade única de Deus. Pode-se dizer que tais autoridade e poder simbolizam a identidade única de Deus? Pode-se dizer que Deus e somente Deus os possui? Sem dúvida alguma, somente o Próprio Deus possui tais autoridade e poder! Essas autoridade e poder não podem ser possuídos ou substituídos por nenhum ser criado ou não criado! Essa é uma das características do Próprio Deus único? Vocês já a testemunharam? Essas palavras permitem clara e rapidamente que as pessoas entendam o fato de que Deus possui autoridade única e poder único, e Ele possui identidade e status supremos. A partir da comunicação acima, vocês podem dizer que o Deus em quem vocês creem é o Próprio Deus único?

No segundo dia, a autoridade de Deus arranja as águas e cria o firmamento, e surge um espaço para a sobrevivência humana mais básica.

Vejamos a segunda passagem da Bíblia: “E disse Deus: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi” (Gênesis 1:6-7). Que mudanças ocorreram depois que Deus disse: “haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas”? Nas Escrituras está escrito: “Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento”. Qual foi o resultado depois que Deus havia falado e feito isso? A resposta está na última parte da passagem: “E assim foi”.

Essas duas frases curtas registram um evento magnífico e descrevem uma cena maravilhosa – o formidável empreendimento em que Deus governou as águas e criou um espaço no qual o homem poderia existir...

Nessa imagem, as águas e o firmamento surgem diante dos olhos de Deus em um instante, e são divididos pela autoridade das palavras de Deus, e separados em um acima e outro abaixo, conforme a maneira determinada por Deus. Isso significa dizer que o firmamento criado por Deus não só cobriu as águas abaixo, mas também sustentou as águas acima... O homem não pode deixar de olhar estupefato e exclamar admirado diante do esplendor da cena em que o Criador transferiu as águas, e comandou as águas, e criou o firmamento pela força de Sua autoridade. Por meio das palavras de Deus, e do poder de Deus, e da autoridade de Deus, Deus realizou outro grande feito. Não é esse o poder da autoridade do Criador? Usemos as Escrituras para explicar os feitos de Deus: Deus proferiu Suas palavras e graças a essas palavras de Deus houve um firmamento no meio das águas. Ao mesmo tempo, ocorreu uma enorme mudança nesse espaço devido a essas palavras de Deus, e não foi uma mudança no sentido comum, mas uma espécie de substituição em que nada se tornou algo. Nasceu dos pensamentos do Criador e se tornou algo do nada devido às palavras proferidas pelo Criador, e, além disso, dali em diante passaria a existir e se manter firme, por causa do Criador, e passaria a se alterar, mudar e se renovar de acordo com os pensamentos do Criador. Essa passagem descreve o segundo ato do Criador em Sua criação do mundo inteiro. Foi outra expressão da autoridade e poder do Criador, e foi outro empreendimento pioneiro do Criador. Esse dia foi o segundo dia que o Criador passou desde a fundação do mundo e foi outro dia maravilhoso para Ele: Ele andou em meio à luz, Ele trouxe o firmamento, Ele arranjou e governou as águas, e Seus feitos, Sua autoridade e Seu poder foram usados para operar no novo dia...

Havia firmamento no meio das águas antes de Deus proferir Suas palavras? É claro que não! E quanto a depois de Deus dizer: “haja um firmamento no meio das águas”? As coisas pretendidas por Deus apareceram; houve firmamento no meio das águas e as águas se separaram porque Deus disse: “e haja separação entre águas e águas”. Dessa forma, após as palavras de Deus, dois novos objetos, duas coisas recém-nascidas apareceram entre todas as coisas devido à autoridade e poder de Deus. E como vocês se sentem sobre a aparição dessas duas coisas novas? Vocês sentem a grandeza do poder do Criador? Vocês sentem a força única e extraordinária do Criador? A grandeza de tal força e poder deve-se à autoridade de Deus e essa autoridade é uma representação do Próprio Deus e uma característica única do Próprio Deus.

Essa passagem lhes deu mais um sentido profundo da singularidade de Deus? Mas isso está longe de ser suficiente; a autoridade e poder do Criador vão muito além disso. Sua singularidade não se deve meramente ao fato de Ele possuir uma essência diferente à de qualquer criatura, mas também porque Sua autoridade e poder são extraordinários, ilimitados, superlativos a todos e estão acima de tudo, e, além disso, porque Sua autoridade e o que Ele tem e é podem criar vida e produzir milagres, e podem criar cada minuto e segundo espetacular e extraordinário, e, ao mesmo tempo, Ele é capaz de governar a vida que cria e deter soberania sobre os milagres e cada minuto e segundo que Ele cria.

No terceiro dia, as palavras de Deus dão origem à terra e aos mares, e a autoridade de Deus faz o mundo se encher de vida

Vamos ler agora a primeira frase de Gênesis 1:9-11: “E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco”. Que mudanças ocorreram depois que Deus disse simplesmente: “Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco”? E o que havia nesse espaço além da luz e do firmamento? Nas Escrituras está escrito: “Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom”. Ou seja, agora havia terra e mares nesse espaço, e a terra e os mares foram separados. O aparecimento dessas coisas novas se seguiu ao comando da boca de Deus, “E assim foi”. As Escrituras descrevem Deus Se ocupando enquanto fazia isso? Descrevem-No fazendo esforço físico? Então, como tudo isso foi feito por Deus? Como Deus fez com que essas coisas novas fossem produzidas? É evidente que Deus usou palavras para realizar tudo isso, para criar a totalidade disso.

Nas três passagens acima, ficamos sabendo da ocorrência de três grandes eventos. Esses três grandes eventos apareceram, e passaram a existir, por meio das palavras de Deus, e é devido a Suas palavras que, um após o outro, eles apareceram diante dos olhos de Deus. Assim, pode-se ver que “Deus fala e será realizado; Ele comanda e permanecerá firme” não são palavras vazias. Essa essência de Deus é confirmada no instante em que Seus pensamentos são concebidos e, quando Deus abre a boca para falar, Sua essência é plenamente refletida.

Vamos prosseguir até a frase final dessa passagem: “Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, dêem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi”. Enquanto Deus falava, todas essas coisas passaram a existir seguindo os pensamentos de Deus, e num instante várias formas de vida pequenas e delicadas esticaram a cabeça sem firmeza para fora do solo e, antes mesmo de sacudirem os torrões de terra de seus corpos, começaram a saudar umas às outras animadamente, balançando a cabeça e sorrindo para o mundo. Agradeceram ao Criador pela vida que Ele lhes concedera e anunciaram ao mundo que eram parte de todas as coisas e que cada uma delas dedicaria a vida a revelar a autoridade do Criador. Quando as palavras de Deus foram ditas, a terra se tornou luxuriante e verde, vários tipos de ervas que poderiam ser desfrutadas pelo homem brotaram e romperam o solo, e as montanhas e planícies se tornaram densamente povoadas por árvores e florestas... Esse mundo estéril, em que antes não havia o mínimo vestígio de vida, foi rapidamente coberto por uma profusão de relvas, ervas e árvores e transbordou com vegetação... A fragrância da relva e o aroma do solo se espalharam pelo ar e uma variedade de plantas começou a respirar acompanhando a circulação do ar e iniciou o processo de crescimento. Ao mesmo tempo, graças às palavras de Deus e seguindo os pensamentos de Deus, todas as plantas iniciaram o ciclo de vida perpétuo em que crescem, florescem, dão frutos e se multiplicam. Começaram a seguir estritamente os seus respectivos cursos de vida e começaram a desempenhar seus respectivos papéis entre todas as coisas... Todas nasceram e viveram devido às palavras do Criador. Recebiam provisão e nutrição constantes do Criador e sempre sobreviviam tenazmente em todos os cantos da terra a fim de mostrar a autoridade e o poder do Criador e mostravam sempre a força vital que lhes foi concedido pelo Criador...

A vida do Criador é extraordinária, Seus pensamentos são extraordinários e Sua autoridade é extraordinária, e, portanto, quando Suas palavras foram proferidas, o resultado final foi “e assim foi”. Deus obviamente não precisa trabalhar com as mãos quando age; Ele simplesmente usa Seus pensamentos para comandar e Suas palavras para ordenar, e assim as coisas são alcançadas. Nesse dia, Deus juntou as águas em um lugar e deixou a terra seca aparecer, após o qual Deus fez brotar a relva da terra, e lá cresceram as plantas dando sementes e árvores dando frutos, e Deus as classificou de acordo suas espécies, e fez com que cada uma tivesse em si sua própria semente. Tudo isso foi realizado de acordo com os pensamentos de Deus e os comandos das palavras de Deus, e cada uma apareceu, uma após a outra, nesse novo mundo.

Quando ainda estava por começar Sua obra, Deus já tinha uma imagem do que pretendia alcançar em Sua mente, e quando Deus começou a alcançar essas coisas, que foi também quando Deus abriu a boca para falar do conteúdo dessa imagem, começaram a ocorrer mudanças em todas as coisas graças à autoridade e poder de Deus. Independentemente de como Deus fez isso, ou exerceu Sua autoridade, tudo foi alcançado passo a passo de acordo com o plano de Deus e devido às palavras de Deus, e passo a passo ocorreram mudanças entre céu e terra graças às palavras e autoridade de Deus. Todas essas mudanças e ocorrências revelaram a autoridade do Criador e a extraordinariedade e grandeza do poder da vida do Criador. Seus pensamentos não são meras ideias ou uma imagem vazia, mas uma autoridade que possui vitalidade e energia extraordinária, e são o poder para fazer com que todas as coisas mudem, se recuperem, se renovem e pereçam. E por causa disso, todas as coisas funcionam devido aos Seus pensamentos e, ao mesmo tempo, são alcançadas devido às palavras de Sua boca...

Antes de todas as coisas aparecerem, nos pensamentos de Deus, muito tempo antes, um plano completo fora formado e muito tempo antes um novo mundo fora realizado. Embora no terceiro dia tenham surgido diversos tipos de plantas na terra, Deus não tinha razão para deter as etapas de Sua criação desse mundo; Ele pretendia continuar a proferir Suas palavras, continuar a alcançar a criação de cada coisa nova. Ele falava, dava Seus comandos, e exercia Sua autoridade e mostrava Seu poder, e Ele preparou tudo o que planejara para preparar para todas as coisas e a humanidade que Ele pretendia criar...

00:00
00:00

0Busca por x resultados