5. Como uma pessoa pode cumprir o dever adequadamente

Palavras de Deus relevantes:

Na frase “o desempenho adequado do dever”, a ênfase está na palavra “adequado”. Então, como “adequado” deve ser definido? Nisso também há uma verdade a buscar. É adequado apenas fazer um trabalho aceitável? Para os detalhes específicos de como entender e considerar a palavra “adequado”, você deve entender muitas verdades e comunicar mais sobre a verdade. No cumprimento de seu dever, você deve entender a verdade e seus princípios; somente então você poderá chegar a um desempenho adequado do dever. Por que as pessoas devem cumprir seus deveres? Uma vez que creem em Deus e aceitam Sua comissão, as pessoas têm sua parcela de responsabilidade e obrigação no trabalho da casa de Deus e no local da obra de Deus e, em contrapartida, por causa dessa responsabilidade e obrigação, elas se tornaram um elemento na obra de Deus — um elemento dos objetos de Sua obra e um elemento dos objetos de Sua salvação. Logo, existe uma relação bastante substancial entre a salvação das pessoas e como elas cumprem seus deveres, se podem cumpri-los bem e se podem cumpri-los adequadamente. Já que você se tornou parte da casa de Deus e aceitou Sua comissão, agora você tem um dever. Não cabe a você dizer como deve cumprir esse dever; cabe a Deus dizer, e isso é ditado pelos padrões da verdade. Por isso, as pessoas devem entender e ter clareza de como as coisas são medidas por Deus — isso é algo que vale a pena buscar. Na obra de Deus, pessoas diferentes recebem deveres diferentes. Ou seja, as pessoas recebem tarefas que variam de acordo com seus dons, calibres, idades, condições e épocas. Não importando que dever você receba nem a época ou as circunstâncias em que o receba, um dever é apenas um dever; não é algo que uma pessoa administra. No final das contas, o padrão que Deus exige de você é cumprir adequadamente seu dever. Como se deve explicar a palavra “adequadamente”? Significa que você deve atender às exigências de Deus e satisfazê-Lo, seu trabalho deve ser considerado adequado por Deus e receber o aceno de aprovação Dele; somente então você terá cumprido seu dever adequadamente. Se Deus diz que seu trabalho é inadequado, você não cumpriu bem seu dever. Embora você esteja cumprindo seu dever e Ele reconheça que você o cumpriu, se você não o fizer adequadamente, quais serão as consequências? Em casos graves, a esperança de salvação das pessoas pode desaparecer e ser frustrada; em casos menos graves, elas podem ser privadas de seu direito de cumprir deveres. Depois de serem privadas desses direitos, algumas pessoas são postas de lado, depois cuidadas e arranjadas separadamente. Ser tratadas e arranjadas separadamente significa que elas estão eliminadas? Não necessariamente; Deus esperará e verá como essas pessoas agem. Assim, o modo como a pessoa cumpre seu dever é crucial. As pessoas devem tratá-lo com prudência, levá-lo a sério e considerá-lo uma questão de grande importância em sua entrada na vida e em sua conquista da salvação; elas não devem tratá-lo descuidadamente.

Extraído de ‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Todos que creem em Deus devem entender Sua vontade. Apenas aqueles que cumprem bem os seus deveres podem satisfazer a Deus, e apenas através da conclusão das tarefas que Ele lhes confia o desempenho de seu dever será satisfatório. Existem padrões para o cumprimento da comissão de Deus. O Senhor Jesus disse: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças”. Amar a Deus é um aspecto daquilo que Ele exige das pessoas. Na verdade, contanto que Deus tenha dado uma comissão às pessoas e contanto que elas acreditem Nele e cumpram seu dever, estes são os padrões que Ele exige delas: que ajam com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento, e com todas as suas forças. Se você está presente, mas seu coração não está — se a memória e os pensamentos de sua mente estão presentes, mas seu coração não está — e se você realiza coisas por meio de habilidades próprias, você está cumprindo a comissão de Deus? Qual, então, é o padrão que deve ser alcançado a fim de cumprir a comissão de Deus e realizar bem e lealmente o seu dever? É cumprir o seu dever com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua mente e com toda a sua força. Se você tentar cumprir bem o seu dever sem um coração cheio de amor por Deus, não vai dar certo. Se seu amor por Deus ficar cada vez mais forte e mais genuíno, então você naturalmente será capaz de cumprir seu dever com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua mente e com toda a sua força.

Extraído de ‘Em que, exatamente, as pessoas têm confiado para viver’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Não importa que dever cumpra, você precisa sempre buscar compreender a vontade de Deus e entender quais são Suas exigências em relação a seu dever; só então você será capaz de lidar com as questões de uma maneira baseada em princípios. Ao realizar o seu dever, você não pode de maneira alguma seguir suas preferências pessoais, ao fazer só o que gostaria de fazer, o que você ficaria feliz e confortável fazendo, nem o que o faria parecer bom. Se você impuser forçosamente suas preferências pessoais para Deus ou praticá-las como se fossem a verdade, observando-as como se fossem as verdades-princípio, então isso não é cumprir o seu dever, e realizar o seu dever dessa maneira não será lembrado por Deus. Algumas pessoas não entendem a verdade e não sabem o que significa cumprir bem os seus deveres. Sentem que, já que investiram seu coração e esforço nisso, renunciaram à sua carne e sofreram, então o cumprimento de seus deveres deveria estar à altura do padrão — por que, então, Deus está sempre insatisfeito? Onde essas pessoas erraram? Seu erro foi não buscar as exigências de Deus e, em vez disso, agir de acordo com suas próprias ideias; trataram os próprios desejos, preferências e motivos egoístas como a verdade e os trataram como se fossem o que Deus ama, como se fossem Seus padrões e exigências. Eles viram o que acreditavam ser correto, bom e lindo como sendo a verdade; isso é errado. Na verdade, mesmo que, às vezes, as pessoas possam pensar que algo é certo e que está de acordo com a verdade, isso não significa necessariamente que está de acordo com a vontade de Deus. Quanto mais as pessoas acham que algo é certo, mais cautelosas deveriam ser e mais deveriam buscar a verdade para ver se aquilo que estão pensando cumpre as exigências de Deus. Caso seja contrário às Suas exigências e palavras, então é inaceitável, mesmo que você pense que é certo, nada mais é do que um pensamento humano e não estará necesseriamente de acordo com a verdade, não importa quão certo você acredite que seja. Sua determinação do certo e do errado deve se basear exclusivamente nas palavras de Deus, e não importa o quanto você acredite que algo seja certo, a não ser que exista para isso uma base nas palavras de Deus, você deve descartá-lo. O que é dever? É a comissão confiada às pessoas por Deus. Então, como você deveria cumprir seu dever? Ao agir de acordo com os padrões e exigências de Deus e ao basear seu comportamento nas verdades-princípio e não nos desejos humanos subjetivos. Dessa maneira, o cumprimento do seu dever estará de acordo com o padrão.

Extraído de ‘Só buscando as verdades-princípio é possível realizar bem o seu dever’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Ao cumprir seu dever, você deve sempre examinar a si mesmo para ver se está fazendo as coisas de acordo com os princípios, se o desempenho de seu dever está dentro do padrão, se você está simplesmente fazendo isso de maneira superficial, se tentou fugir de suas responsabilidades e se há algum problema com sua atitude e com a maneira como pensa. Depois de refletir sobre si mesmo e essas coisas ficarem claras para você, você terá mais facilidade em cumprir seu dever. Não importa o que você encontre ao desempenhar seu dever — negatividade e fraqueza, ou ficar de mau humor depois de lidarem com você — você deve tratar isso adequadamente e deve também procurar a verdade e entender a vontade de Deus. Ao fazer essas coisas, você terá uma senda para praticar. Se você deseja fazer um bom trabalho no cumprimento de seu dever, não deve ser afetado por seu humor. Não importa o quão negativo ou fraco você esteja se sentindo, você deve praticar a verdade em tudo o que faz, com absoluto rigor e aderindo aos princípios. Se você fizer isso, não só as outras pessoas aprovarão você, mas Deus também gostará de você. Assim, você será uma pessoa que é responsável e que assume um fardo; você será uma pessoa genuinamente boa que realmente cumpre seus deveres à altura dos padrões e que vive plenamente a semelhança de uma pessoa genuína. Essas pessoas são purificadas e alcançam verdadeira transformação ao cumprir seus deveres, e pode-se dizer que são honestas aos olhos de Deus. Somente pessoas honestas podem perseverar em praticar a verdade e obter êxito em agir com princípios e conseguem cumprir seus deveres de acordo com as normas. Pessoas que agem com princípios cumprem seus deveres meticulosamente quando estão de bom humor; elas não trabalham de maneira superficial, não são arrogantes e elas e não se exibem para fazer os outros as terem em alta estima. Quando estão de mau humor, no entanto, concluem as tarefas cotidianas com a mesma seriedade e responsabilidade, e mesmo que enfrentem algo que seja prejudicial ao cumprimento de seus deveres, ou que exerça alguma pressão sobre elas ou cause perturbações enquanto cumprem seus deveres, ainda conseguem acalmar seu coração diante de Deus e orar, dizendo: “Não importa o tamanho do problema que eu enfrente — mesmo que o céu desmorone — enquanto Deus permitir que eu continue vivendo, estou determinado a fazer o possível para cumprir meu dever. Todo dia que me for permitido viver é um dia em que trabalharei duro no cumprimento de meu dever, para que eu seja digno desse dever que me foi concedido por Deus, bem como do fôlego que Ele colocou em meu corpo. Não importa a dificuldade em que possa estar, deixarei tudo de lado, pois cumprir meu dever é da maior importância!” Aqueles que não são afetados por qualquer pessoa, evento, coisa ou ambiente, que não são controlados por qualquer humor ou situação externa e que colocam seus deveres e as comissões que Deus lhes confiou em primeiro lugar — são as pessoas que são leais a Deus e se submetem genuinamente a Ele. Pessoas assim obtiveram a entrada na vida e entraram na verdade-realidade. Esta é uma das expressões mais práticas e genuínas de viver a verdade.

Extraído de ‘A entrada na vida deve iniciar com a experiência de cumprir o dever da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O desempenho descuidado e superficial do dever é um problema comum, óbvio, mas teimoso e difícil de resolver. Aprenda primeiro a ser sério, rigoroso, responsável, sincero e a estar com os pés no chão em suas ações, vencendo a corrida lenta e constantemente. Faça bem alguma atividade ou nem comece a fazer, de modo que você fique satisfeito com ela e ela esteja à altura do ideal. Melhor ainda, seja capaz de buscar os princípios dessa atividade e de fazê-la de acordo com esses princípios. Embora isso possa exigir um esforço maior e você possa perder uma refeição ou algum tempo livre, faça bem essa atividade mesmo assim, sem ser descuidado ou superficial — e se você não entende do tema, não finja que entende; faça na medida que seu entendimento permitir. Descuido e superficialidade são fáceis de resolver? Todos os dias, antes de cumprir o seu dever, ore a Deus. Diga: “Deus, estou começando meu dever. Se eu for descuidado e superficial, peço que Tu me disciplines e me repreendas no meu coração. Peço também que Tu me guies a cumprir bem o meu dever e a não ser descuidado e superficial”. Pratique dessa forma todos os dias e veja quanto tempo levará para resolver o problema de cumprir seu dever descuidada e superficialmente, quanto tempo levará até você ser menos descuidado e superficial no cumprimento de seu dever, cumprindo-o com adulterações cada vez menores e com resultados cada vez mais práticos e com uma eficiência cada vez maior. Cumprir seu dever sem ser descuidado e superficial — você consegue fazer isso por conta própria? (Não é fácil controlar.) É cansativo. Se for realmente difícil controlar isso, então seus problemas são realmente grandes! O que, então, vocês podem fazer sem ser descuidados ou superficiais? Comer? Brincar? Arrumar-se e maquiar-se? Algumas mulheres, quando se arrumam, não ignoram um fio de cabelo em suas sobrancelhas ou na cabeça. Se agissem com uma atitude tão consciente quanto essa, vocês também seriam capazes de não ser descuidados ou superficiais. Resolvam primeiro o problema do descuido e da superficialidade e depois resolvam o problema de agir de acordo com a própria vontade. Agir de acordo com a própria vontade também é comum e também é fácil de reconhecer em si mesmo. Às vezes, basta um rápido exame de sua mente e pensamentos, e você será capaz de reconhecer e dizer: “O que estou fazendo corresponde à minha vontade própria. Eu sei o que deveria estar fazendo, de acordo com os princípios, mas não estou fazendo”. Não é fácil de reconhecer? (É, sim.) Então deve ser possível resolver. Concentrem-se primeiro nessas duas questões, a de resolver o problema do descuido e da superficialidade, e a outra de agir de acordo com a própria vontade. Esforcem-se para, após um ano ou dois, não serem nem descuidados nem superficiais e não agirem de acordo com a própria vontade — sem as adulterações de sua vontade pessoal — em tudo que façam. Uma vez que esses dois problemas estiverem resolvidos, vocês não estarão longe de cumprir seu dever satisfatoriamente. E se não conseguirem resolvê-los, ainda estarão longe de obedecer a Deus ou de ter consideração por Sua vontade. Vocês nem arranharam a superfície.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Não importa que tipo de dever esteja cumprindo ou que habilidade profissional esteja estudando, você se aprimorará nisso ao longo do tempo. Se continuar tentando melhorar, você se aprimorará cada vez mais. Se não levar nada a sério, então nem mesmo as coisas que aprendeu terão utilidade. Se nem levar a sério as coisas que pode usar e não tiver nenhuma ideia de qual será seu resultado e não houver ninguém que saiba orientá-lo, você nunca fará nenhum progresso, e as habilidades que aprendeu se perderão. Ao aprender algo, é fácil estudar sua teoria, mas não é tão fácil colocá-lo em prática. Se quiser elevar a teoria para a prática e então subir ainda mais alto alcançando algo como um fundamento de prática, aproveitando mais os seus pontos fortes ou implementando o que aprendeu na prática e alcançando resultados, o que você deve fazer? Deve gastar mais tempo estudando habilidades profissionais e buscando todos os tipos de matérias sobre elas; em todos os aspectos, deve estudar e buscar constantemente e constantemente compensar suas fraquezas com os pontos fortes de outros, aprendendo dos outros o que deve e precisa. Dessa forma, suas habilidades profissionais melhorarão constantemente. Quando outros lhe dizem como fazer algo, você deve tentar entender e ponderar. Se, quando alguém lhe diz algo, você sabe do que estão falando e reconhece que é uma boa maneira de fazer as coisas, mas, mais tarde, você repensa o assunto e diz a si mesmo: “Isso deve bastar”, que tipo de atitude você tem? Seja em relação a habilidades e especialidades profissionais, seja em relação à sua busca da verdade em sua fé, sua atitude é ruim — é uma atitude superficial. Que tipo de caráter é esse? É arrogância, não é amar coisas positivas, é dureza. Tais coisas se manifestam em vocês? (Sim.) Elas se manifestam com frequência, ocasionalmente ou apenas em certas questões? (Com frequência.) Sua atitude em relação a reconhecer esse tipo de caráter é bastante sincera e honesta, mas mero reconhecimento não basta; se não fizerem nada além de reconhecê-lo, a mudança será impossível. Então, como podem mudar? Quando um caráter arrogante se revela nas pessoas, e a atitude das pessoas é superficial, desdenhosa e desleixada, elas devem vir para diante de Deus e orar imediatamente, permitindo que sejam tratadas e disciplinadas por Deus, aceitando o escrutínio de Deus como também a Sua disciplina; além disso, devem reconhecer como esse aspecto de seu caráter surge e como pode ser mudado. Como, então, tal mudança pode ser alcançada? Qual deve ser o primeiro passo? Primeiro, as pessoas devem orar, vir primeiro para diante de Deus, aceitar o Seu escrutínio e Sua disciplina. Depois disso, devem cooperar ativamente. Como devem cooperar? Quando estão cumprindo seu dever, assim que se pegarem pensando “Isso deve bastar”, devem corrigir a si mesmas e não pensar desse jeito. Quando um caráter arrogante surge no coração de vocês, vocês devem sentir a repreensão — a repreensão e o castigo de Deus: devem rapidamente dar meia-volta: “Neste momento, eu estava errado. Mais uma vez estava prestes a revelar um caráter satânico corrupto, a ser guiado por um caráter satânico, a permitir que Satanás assumisse o poder, a ser superficial. Eu deveria ser disciplinado!” Se sentir repreensão, você deveria confessar seus pecados diante de Deus e dar meia-volta. Como você deveria confessar seus pecados? Não há necessidade de assumir uma atitude séria e se ajoelhar, prostrar-se e orar a Deus. É desnecessário fazer isso. Você se comunica com Deus em seu coração, dizendo: “Deus, eu errei. Estava prestes a ser descuidado e superficial novamente. Imploro que Tu me observes; não quero que meu caráter corrupto me domine por dentro ou governe inteiramente sobre mim. Quero ser comandado por Deus e desejo praticar de acordo com a verdade. Imploro que Tu me observes”. Quando orar dessa forma, o estado dentro de você mudará. Qual é o objetivo de mudar seu estado? Pretende permitir que você dê meia-volta com sucesso, permitir que você seja leal, obediente e aceite a repreensão e disciplina de Deus sem fazer concessões. É assim que você dará meia-volta. Quando estiver prestes a ser superficial novamente, quando quiser tratar seu dever levianamente mais uma vez, você será capaz de dar meia-volta imediatamente por causa da disciplina e repreensão de Deus — e assim você não será salvo de sua negligência? Sua transgressão não será remida? Isso é algo bom ou ruim? Isso é uma coisa boa.

Às vezes, depois de terminar um trabalho, você se sente um pouco inquieto em seu coração. Inspecionando mais a fundo, você descobre que realmente há um problema. Ele deve ser corrigido; depois disso, você ficará tranquilo. Sua inquietação prova que há um problema para o qual você precisa dedicar mais tempo e no qual deve prestar mais atenção. Essa é uma atitude séria e responsável em relação ao cumprimento do seu dever. Quando se pode ser sério, responsável, dedicado e trabalhador, o trabalho será feito adequadamente. Às vezes, seu coração não é como esse, e você não consegue encontrar ou descobrir um erro que seja claro como o dia. Uma pessoa que tivesse um coração como esse, com o incentivo e a orientação do Espírito Santo, seria capaz de identificar o problema. Mas se o Espírito Santo o guiasse e lhe desse tal consciência, permitindo-lhe sentir que algo está errado, se você não tivesse um coração como esse, mesmo assim você seria incapaz de identificar o problema. Então, o que isso mostra? Mostra que é muito importante que as pessoas cooperem; seu coração é muito importante, e para onde direcionam seus pensamentos e intenções é muito importante. Deus perscruta e enxerga o que as pessoas guardam em seu coração ao cumprir seus deveres e quanta energia despendem. É crucial que as pessoas coloquem todo o seu coração e força no que fazem. A cooperação também é um componente crucial. Se as pessoas se esforçarem para não se arrepender dos deveres que cumpriram e das coisas que fizeram, e para não ficar em dívida com Deus, somente assim estarão agindo com todo o seu coração e força. Se, hoje, você não der todo o seu coração e força, quando algo der errado mais tarde, e houver consequências, não será tarde para o arrependimento? Você ficará para sempre em dívida; isso ficará marcado em você! Uma mancha no desempenho do dever é uma transgressão. Você deve, portanto, se esforçar para realizar adequadamente a parcela de coisas que precisa e deve fazer, com todo o seu coração e força. Essas coisas não devem ser feitas descuidada ou superficialmente; você não deve se arrepender de nada. Desta forma, os deveres que você desempenhar neste momento serão lembrados por Deus. Essas coisas lembradas por Deus são boas ações. Então quais são as coisas que não são lembradas? São as transgressões. Talvez as pessoas não aceitariam que são más ações se assim fossem descritas agora, mas, se chegar o dia em que houver sérias consequências para essas coisas e elas se tornarem uma influência negativa, você perceberá que essas coisas não são meras transgressões comportamentais, porém más ações. Quando perceber isso, você ficará arrependido e pensará consigo: eu deveria ter escolhido um pouco de prevenção! Com um pouco mais de reflexão e esforço, eu não teria esse problema. Nada limpará essa mancha eterna de seu coração, e ela lhe causaria problemas se o deixasse em dívida permanente. Então, hoje, toda vez que cumprirem seu dever, ou aceitarem uma comissão, vocês devem se esforçar para fazê-lo com toda a sua força e todo o seu coração. Você deve fazê-lo de forma a estar livre de culpa e arrependimento, para que o dever seja lembrado por Deus e seja uma boa ação. Não aja descuidada e superficialmente, com um olho aberto e o outro fechado; você vai se arrepender, e não será capaz de fazer reparações. Isso constituirá transgressão, e, por fim, em seu coração, sempre haverá culpa, endividamento e acusação. Qual dessas duas sendas é melhor? Qual senda é a certa? Cumprir seu dever com todo o seu coração e força, preparando e acumulando boas ações, sem arrependimentos. Não deixe suas transgressões se acumularem; arrependa-se delas e fique em dívida. O que acontece quando uma pessoa comete transgressões demais? Ela está acumulando a ira de Deus contra si em Sua presença! Se você transgredir cada vez mais, e a ira de Deus contra você crescer cada vez mais, no fim das contas, você será punido.

Extraído da comunhão de Deus

Quando as pessoas cumprem seu dever, elas estão, na verdade, fazendo o que deveriam. Mas se você fizer isso diante de Deus, se você cumprir seu dever de coração e com uma atitude de honestidade, essa atitude não será muito mais correta? Como, então, você deve aplicar essa atitude ao seu dia a dia? Você deve fazer de “adorar a Deus de coração e com honestidade” a sua realidade. Sempre que você quiser ser desleixado e simplesmente agir sem se envolver, sempre que quiser agir de modo ardiloso e ser preguiçoso, e sempre que se permitir ser distraído, você deve refletir bem sobre isso: quando me comporto dessa maneira, estou sendo inconfiável? É isso que significa colocar meu coração no cumprimento do meu dever? Estou sendo desleal ao fazer isso? Quando faço isso, estou falhando em estar à altura da comissão que Deus confiou a mim? É assim que você deveria refletir sobre si mesmo. Visto que agir dessa maneira não é respeitoso, e magoa a Deus, o que você deveria fazer? Você deveria dizer: “Eu não tenho levado isso a sério. Na época, eu sentia que havia um problema, mas não o tratei como algo sério; eu simplesmente o encobri descuidadamente. Toda vez que senti que havia um problema, eu o ignorei. Agora, esse problema continua sem resolução. Eu não sou uma pessoa boa!”. Você terá identificado o problema e vindo a conhecer a si mesmo, um pouco. Um pouco de conhecimento é suficiente? Confessar seus pecados é suficiente? Você deve se arrepender e dar a volta! E como você pode dar a volta? Antes, você tinha a atitude e a mentalidade errada em relação a cumprir o seu dever, seu coração não estava nisso, e você nunca tratava das coisas certas. Hoje, você deve voltar sua atitude para cumprir bem o seu dever, deve orar diante de Deus e, quando voltar a ter seus pensamentos e atitudes anteriores, deve pedir a Deus que o discipline e castigue. Apresse-se e identifique as áreas em que você costumava ser desleixado e superficial. Reflita sobre como pode retificá-las e, depois de retificá-las, volte a buscar e orar e então pergunte aos seus irmãos e irmãs se eles têm sugestões e recomendações melhores, até todos concordarem que você fez a coisa certa. Somente então você será validado. Você sentirá que, dessa vez, você cumpriu seu dever à altura do padrão, deu seu melhor, colocou seu coração nisso e deu tudo de si; sentirá que fez tudo que pôde, livre de remorso. Ao prestar contas diante de Deus, sua consciência estará limpa e você dirá: “Mesmo que Deus possa avaliar meu dever apenas como 60%, eu investi cada pingo de força do meu corpo nisso, coloquei todo meu coração nisso, não fui preguiçoso, não tentei agir de modo ardiloso e não retive nada”. Isso não é levar as realidades de investir todo o seu coração, toda a sua mente e toda a sua força em seu dever e aplicá-los em seu dia a dia? Isso não é viver essas realidades da verdade? E o que você sente, em seu coração, quando vive essas realidades? Você não sente que está vivendo uma semelhança humana e que não é mais como os mortos-vivos?

Extraído de ‘A senda vem de ponderar com frequência sobre a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Pessoas assim não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bons — mas você terá feito o maior esforço. Quando não estiver pensando em seus próprios desejos egoístas nem considerando seus interesses próprios nas coisas que faz, mas, em vez disso, estiver dando consideração constante ao trabalho da casa de Deus, tendo seus interesses em mente e desempenhando bem o seu dever, então, você estará acumulando boas obras perante Deus. Pessoas que realizam essas boas obras são aquelas que possuem verdade-realidade; como tais, elas têm dado testemunho.

Extraído de ‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Para alcançar a adequação no desempenho do dever, é necessário primeiro alcançar uma cooperação harmoniosa em seu desempenho. Atualmente existem alguns que praticam nessa direção, o que significa que, depois que ouviram a verdade, começaram a trabalhar de acordo com esse princípio, apesar de não conseguirem colocar a verdade em prática de modo absoluto, cem por cento. No processo, elas podem fracassar ou se enfraquecer, desviar-se e cometer erros com frequência, mas a senda que percorrem é a de tentar conseguir agir de acordo com esse princípio. Por exemplo, embora você às vezes considere correta sua maneira de fazer algo, se estiver em uma situação em que isso não atrasará a tarefa em mãos, você também poderá encontrar seus parceiros de trabalho ou membros da equipe para discutir isso. Comunique-se até que você tenha clareza no assunto, até chegar a um consenso em pensar que proceder de uma certa maneira pode alcançar os melhores resultados, que isso não excede o escopo do princípio, que é para o benefício da casa de Deus e pode maximizar a proteção dos interesses da casa de Deus. Embora o resultado final possa, às vezes, deixar um pouco a desejar, o caminho, a direção e a meta do seu trabalho estão corretos. Como, então, Deus verá isso? Como Ele definirá esse assunto? Ele dirá que você está cumprindo esse dever adequadamente.

Extraído de ‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Para cumprir seu dever adequadamente, não importa quantos anos você acreditou em Deus, quanta coisa você fez em seu dever, nem quantas contribuições você fez na casa de Deus, muito menos importa o quanto você seja experiente em seu dever. A principal coisa que Deus olha é a senda que uma pessoa trilha. Em outras palavras, Ele olha para a atitude de alguém em relação à verdade e aos princípios, a direção, a origem e o ímpeto por trás das ações de alguém. Deus se concentra nessas coisas; são elas que determinam a senda que você trilha. Se, no processo de cumprimento de seu dever, essas coisas não puderem ser vistas em você e a origem do seu trabalho consistir em seus próprios pensamentos, se seu ímpeto for proteger seus próprios interesses e salvaguardar sua reputação e posição, se seu modus operandi for tomar decisões e agir sozinho e ter a palavra final, nunca discutir coisas com outras pessoas nem cooperar harmoniosamente, sem falar em buscar a verdade, então, como Deus o verá? Você ainda não estará à altura do padrão se cumprir seu dever dessa maneira; você não pôs os pés na senda da busca da verdade, porque, ao realizar seu trabalho, você não busca a verdade-princípio e sempre age como deseja. Essa é a razão pela qual a maioria das pessoas não desempenha suas funções satisfatoriamente. Analisando a questão agora, é difícil cumprir adequadamente o dever? De fato, não é; as pessoas só devem ser capazes de adotar uma postura de humildade, possuir um pouco de bom senso e adotar uma posição apropriada. Não importa o quanto você pense ser educado, que prêmios ganhou ou quanto alcançou, tampouco importa o quanto você acredita que seu calibre e sua posição sejam bons, você deve começar deixando de lado todas essas coisas — elas não servem para nada. Na casa de Deus, não importa o quanto essas coisas sejam grandes e boas, elas não podem ser maiores que a verdade; elas não são a verdade e não podem tomar o seu lugar. É por isso que Eu digo que você deve ter essa coisa chamada bom senso. Se você disser: “Sou muito talentoso, tenho uma mente muito perspicaz, tenho reflexos rápidos, sou um aprendiz rápido e tenho uma memória extremamente boa” e sempre usar essas coisas como exemplo, então isso causará problemas. Se você vir essas coisas como a verdade ou como superiores à verdade, será difícil para você aceitar a verdade e colocá-la em prática. Pessoas soberbas e arrogantes, que sempre agem de forma superior, têm mais dificuldade de aceitar a verdade e são mais propensas a cair. Se alguém conseguir resolver a questão da arrogância, ele terá mais facilidade em colocar a verdade em prática. Assim, você deve primeiro rejeitar e negar as coisas que, na superfície, parecem ser agradáveis e elevadas e que provocam a inveja dos outros. Essas coisas não são a verdade; ao contrário, elas podem impedir você de entrar na verdade. A coisa mais importante a fazer agora é buscar a verdade, praticar de acordo com a verdade e cumprir seu dever adequadamente, porque o desempenho adequado do dever é o único primeiro passo na senda da entrada na vida, o que significa que é um começo. Em todos dos assuntos, é algo sumamente fundamental e básico, algo que fará com que você consiga pôr o pé na porta, e cumprir adequadamente seu dever é uma senda que o levará a passar pela porta da entrada da vida. Se o cumprimento do seu dever não implicar nada dessa “adequação”, você deverá se esforçar. Como você deve se esforçar? Você não terá de alterar seu caráter nem abandonar seus dons e pontos fortes profissionais; você poderá levar junto esses pontos fortes e as coisas que aprendeu ao cumprir seu dever enquanto busca a verdade e age de acordo com a verdade-princípio. Se você alcançar a entrada na vida enquanto cumpre seu dever, você conseguirá cumpri-lo adequadamente.

Extraído de ‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

No processo de cumprir o seu dever, no lado positivo das coisas, você pode tratar seu dever corretamente, não desistindo dele em nenhuma situação que possa encontrar. Mesmo que todos os outros deixem de acreditar e cumprir seus deveres, você consegue continuar e não desistir. Isto é, você é capaz de não abandonar seu dever, do início ao fim, perseverando e permanecendo devoto até o fim; dessa forma, você realmente assumiu seu dever como um dever. Se você consegue alcançar isso, então você basicamente alcançou adequação no cumprimento do seu dever. Esse é o lado positivo das coisas. No entanto, antes de alcançar isso, no lado negativo das coisas, as pessoas devem resistir a todos os tipos de tentações. Se, no processo de cumprir o seu dever, uma pessoa não foi capaz de resistir a tentações e abandonou e deu as costas para o seu dever, então ele ainda pode ter alguma coisa a ver com a salvação? Toda esperança estará perdida para essa pessoa, e ser adequado ou inadequado será totalmente irrelevante; salvação nada terá a ver com ela. Portanto, é preciso agarrar-se ao seu dever. Para fazer isso, em primeiro lugar, a maior dificuldade que todos enfrentam é se a pessoa consegue permanecer firme ao deparar com tentações. Que tipos de tentações existem? Dinheiro, status, relações com o sexo oposto, emoções. Que mais? Se alguns deveres envolvem assumir um pouco de risco ou até potencialmente fatais, e se, ao cumpri-los, você pode acabar preso ou morto, você ainda assim os faria? Como você os cumpriria? Todas essas coisas são tentações. É fácil vencer essas tentações ou não? Todas elas exigem que você busque a verdade. No processo de buscar a verdade, com todas essas tentações que você encontra, você deve ser capaz de, gradualmente, exercer discernimento e ganhar conhecimento. Reconheça sua essência, entenda suas cores verdadeiras e conheça sua própria essência e seus caracteres corruptos; descubra suas próprias fraquezas e implore com frequência a Deus para que Ele o proteja e o capacite a resistir a essas tentações. Se conseguir resistir a elas e conseguir agarrar-se ao seu dever independentemente da situação em que você se encontra, nem dando-lhe as costas nem fugindo dele, então estará a meio caminho da salvação. É fácil alcançar essa marca na metade do caminho? Para cada passo que você toma, existe uma possível armadilha; a senda está cheia de peritos. Não é fácil! Então, existem pessoas que dão uma olhada em como é difícil e sentem que a vida é simplesmente exaustiva demais e que seria melhor seguir adiante e morrer? Elas querem bênçãos, mas não querem sofrer. Que tipo de pessoa são elas? São uns covardes inúteis. Quanto a como cumprir seus deveres adequadamente, qual é a definição de adequação, quais são os critérios para a adequação, as razões que Deus deu para esse padrão de adequação e a relação entre cumprir seu dever adequadamente e a entrada na vida, as pessoas vieram a entender essas coisas. Se você conseguir chegar ao ponto em que consegue permanecer firme em seu dever independentemente de tempo ou lugar, sem desistir dele, e conseguir resistir a todos os tipos de tentações e então entender e ganhar conhecimento de todas as várias verdades que Deus exige em todas as situações diferentes que Ele prepara para você, então, aos olhos de Deus, você basicamente alcançou adequação. Existem três ingredientes fundamentais para alcançar adequação no cumprimento do seu dever: um é a atitude com a qual você trata seu dever, outro é ser capaz de resistir a todos os tipos de tentações no processo de cumpri-lo, e outro é ser capaz de entender cada verdade ao cumprir o seu dever.

Extraído de ‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 4. Se a pessoa pode cumprir seu dever adequadamente se ela vive segundo seu caráter corrupto

Próximo: 1. O que são bons atos e como eles se manifestam

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

1. O que são a encarnação e sua essência

“Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai. Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. […] Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem.” Quando esse dia chegar, o Próprio Filho do homem não saberá. O Filho do homem se refere à carne encarnada de Deus, uma pessoa normal e comum. Nem mesmo o Próprio Filho do homem sabe, então como você pode saber?

1. Por que Deus tem nomes diferentes em eras diferentes e o significado de Seus nomes

Em todas as eras em que Deus faz Sua própria obra pessoalmente, Ele utiliza um nome que convém à era de forma a resumir a obra que Ele pretende fazer. Ele utiliza esse nome em particular, que possui significado temporal, para representar Seu caráter naquela era. Isso é Deus utilizando a linguagem da humanidade para expressar Seu próprio caráter.

5. O valor inerente à Bíblia e como se deve abordar a Bíblia de uma maneira que se conforme à vontade de Deus

“Crença em Deus” significa acreditar que há um Deus; esse é o conceito mais simples de fé em Deus. Mais ainda, acreditar que há um Deus não é o mesmo que crer verdadeiramente em Deus; antes é um tipo de fé simples com fortes implicações religiosas. Fé verdadeira em Deus significa experimentar as palavras e a obra de Deus com base na crença de que Deus é soberano sobre todas as coisas. Assim você será libertado de seu caráter corrupto, cumprirá o desejo de Deus e virá a conhecer Deus. Somente por meio de tal jornada se poderá dizer que crê em Deus.

1. A Bíblia é apenas um registro dos dois estágios da obra de Deus, que são a Era da Lei e a Era da Graça; não é um registro da totalidade da obra de Deus

Ninguém conhece a realidade da Bíblia: que não é mais do que um registro histórico da obra de Deus e um testamento dos dois estágios anteriores da obra de Deus, e não oferece uma compreensão dos objetivos da obra de Deus. Todo mundo que leu a Bíblia sabe que documenta os dois estágios da obra de Deus durante a Era da Lei e a Era da Graça. O Antigo Testamento narra a história de Israel e a obra de Jeová desde o tempo da criação até o fim da Era da Lei. O Novo Testamento registra a obra de Jesus na terra que está nos Quatro Evangelhos, bem como a obra de Paulo; eles não são registros históricos?

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro

Entre em contato conosco pelo WhatsApp