Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

O juízo começa na casa de Deus

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

A vigésima primeira declaração

O homem cai em meio à Minha luz e permanece firme por causa da Minha salvação. Quando Eu trago salvação para todo o universo, o homem tenta encontrar maneiras de adentrar em meio ao fluxo da Minha restauração, contudo, há muitos que são arrastados sem deixar vestígios por essa torrente de restauração; há muitos que se afogam e afundam nas águas torrenciais; e também há muitos que permanecem firmes em meio à torrente, os quais nunca perderam seu senso de direção e, portanto, seguem a torrente até hoje. Eu avanço em sintonia com o homem, ainda assim, ele nunca Me conheceu; ele conhece apenas as vestimentas que Eu uso por fora e desconhece as riquezas escondidas dentro de Mim. Embora Eu proveja para o homem e lhe dê cada dia, ele é incapaz da aceitação verdadeira, é incapaz de receber todas as riquezas dadas por Mim. Nada da corrupção do homem foge da minha atenção; para Mim, seu mundo interior é como a lua brilhante sobre a água. Eu não estou brincando com o homem nem agindo sem Me envolver com ele; é que, simplesmente, o homem é incapaz de assumir a responsabilidade por si mesmo e, portanto, toda a humanidade sempre foi depravada e, até mesmo hoje, ela permanece incapaz de libertar-se de tal depravação. Pobre e lamentável humanidade! Por que o homem Me ama, mas é incapaz de seguir as intenções do Meu Espírito? Eu realmente não Me revelei para a humanidade? A humanidade realmente nunca viu a Minha face? Será que Eu demonstrei tão pouca misericórdia para com a humanidade? Ó rebeldes de toda humanidade! Eles devem ser destruídos debaixo dos Meus pés, eles devem desaparecer em meio ao Meu castigo e eles devem, no dia em que Meu grande empreendimento for concluído, ser expulsos de entre a humanidade, para que toda a humanidade conheça o rosto feio deles. A razão pela qual o homem raramente vê a Minha face ou ouve a Minha voz é porque todo o mundo está extremamente turvo, e seu clamor é muitíssimo grande e, portanto, o homem é demasiado preguiçoso para buscar a Minha face e tentar entender o Meu coração. Não é essa a causa da corrupção do homem? Não é esse o porquê de o homem estar em necessidade? Toda a humanidade sempre esteve entre Minha provisão; se assim não fosse, se Eu não fosse misericordioso, quem teria sobrevivido até hoje? As riquezas em Mim são sem igual, no entanto, todo desastre Eu seguro em Minhas mãos – e quem é capaz de escapar do desastre sempre que lhe apraz? As orações do homem lhe permitem fazer isso? Ou as lágrimas no coração do homem? O homem nunca orou verdadeiramente a Mim e, portanto, dentre toda a humanidade, ninguém viveu toda a sua vida dentre a luz da verdade, e as pessoas vivem apenas entre a oscilante aparência da luz. É isso o que tem levado à necessidade da humanidade hoje.

As pessoas estão por demais ansiosas, dispostas aos maiores esforços por Mim a fim de obter algo de Mim e, assim, de acordo com psicologia do homem, Eu lhe faço promessas para inspirar o verdadeiro amor nele. É realmente o verdadeiro amor do homem que lhe dá força? É a lealdade do homem a Mim que moveu o Meu Espírito no céu? O céu nunca foi minimamente afetado pelas ações do homem e, se o Meu tratamento para com o homem fosse baseado em todas as suas ações, então, toda a humanidade viveria no Meu castigo. Eu tenho visto muitas pessoas com lágrimas escorrendo por suas faces e tenho visto muitas pessoas oferecerem seu coração em troca das Minhas riquezas. Apesar de tal “piedade”, Eu nunca Me dei por completo gratuitamente ao homem como resultado de seus desejos repentinos, pois o homem nunca esteve, de bom grado, disposto a devotar-se perante Mim. Eu arranquei as máscaras de todas as pessoas e joguei tais máscaras no lago de fogo e, como resultado, a suposta lealdade e súplicas do homem nunca se mantiveram firmes perante Mim. O homem é como uma nuvem no céu: quando o vento uiva, ele teme o poderio de sua força e, por isso, flutua com pressa após ele, profundamente temeroso de que será derrubado por sua desobediência. Não é esse o rosto feio do homem? Não é essa a chamada obediência do homem? Não é esse o “verdadeiro sentimento” e a falsa boa vontade do homem? Muitas pessoas se recusam a ser convencidas por todos os dizeres advindos de Minha boca, e muitas não aceitam a Minha avaliação e, portanto, suas palavras e ações traem suas intenções rebeldes. O que Eu falo é contrário à velha natureza do homem? Eu não dei ao homem uma definição adequada de acordo com as “leis da natureza”? O homem não Me obedece verdadeiramente; se ele Me buscasse de verdade, Eu não teria de dizer tanta coisa. O homem é um refugo inútil, e Eu tenho que utilizar o Meu castigo para forçá-lo a ir adiante; se Eu não o fizer, como – mesmo que as promessas que Eu lhe dou sejam suficientes para o seu desfrute – o seu coração poderia ser mudado? O homem tem vivido em meio a lutas dolorosas há muitos anos; ele tem vivido, pode-se assim dizer, sempre em desespero. Como resultado, ele ficou desanimado e física e mentalmente exausto, portanto, ele não aceita com alegria as riquezas que Eu lhe dou. Mesmo hoje, ninguém é capaz de aceitar de Mim toda a doçura do espírito. As pessoas só podem permanecer pobres e aguardar o último dia.

Muitas pessoas desejam Me amar verdadeiramente, porém, porque o seu coração não é delas mesmas, elas não têm controle sobre si mesmas; muitas pessoas Me amam verdadeiramente entre as provações dadas por Mim, contudo, elas são incapazes de entender que Eu realmente existo e simplesmente Me amam em meio ao vazio, e não por causa da Minha verdadeira existência; muitas pessoas, depois de colocarem seu coração perante Mim, não prestam mais atenção neles, logo, seu coração é arrancado por Satanás sempre que ele tem a chance, depois disso, elas Me deixam; muitas pessoas Me amam de forma genuína quando Eu concedo Minhas palavras, contudo, não as apreciam em seu espírito, em vez disso, usam-nas de modo casual como propriedade pública e jogam-nas de volta para onde vieram quando querem. O homem Me busca em meio à dor e ele olha para Mim em meio às provações. Durante os momentos de paz, ele desfruta de Mim, quando está em perigo, ele Me nega, quando está ocupado, ele Me esquece e quando está ocioso Ele age sem se envolver Comigo — contudo, nunca alguém Me amou durante toda a sua vida. Eu desejo que o homem seja sincero perante Mim: Eu não peço que ele Me dê algo, mas apenas que todas as pessoas Me levem a sério, que, em vez de Me enganar, elas Me permitam trazer de volta a sinceridade do homem. O Meu esclarecimento, a Minha iluminação e o custo dos Meus esforços penetram entre todas as pessoas, mas também o fato verdadeiro de toda a ação do homem penetra todas as pessoas, penetrando o engano delas para Comigo. É como se os ingredientes do engano do homem estivessem com ele desde o ventre, como se ele possuísse essas habilidades especiais de trapaças desde o nascimento. Além disso, ele nunca entregou o jogo; ninguém jamais viu através da fonte dessas habilidades enganosas. Como resultado, o homem vive em meio ao engano sem ter consciência dele, e é como se ele perdoasse a si mesmo, como se fossem os arranjos de Deus ao invés de enganar-Me deliberadamente. Não é essa a exata fonte do homem enganar-Me? Não é esse o seu esquema astuto? Eu nunca fiquei perplexo com as lisonjas e chicanarias do homem, pois Eu descobri sua essência há muito tempo. Quem sabe quanta impureza há em seu sangue e quanto do veneno de Satanás está dentro de sua medula? O homem acostuma-se cada vez mais com isso a cada dia que passa, de tal forma a ser insensível à aflição de Satanás e, assim, não tem interesse em descobrir a “arte da existência saudável”.

Quando o homem está distante de Mim e quando ele Me testa, Eu Me escondo dele entre as nuvens. Como resultado, ele não consegue encontrar qualquer rastro de Mim e vive somente pela mão dos ímpios, fazendo tudo o que eles pedem. Quando o homem está perto de Mim, Eu apareço para ele e não oculto a Minha face dele e, nesse momento, o homem vê Meu semblante amável. Ele, de repente, vem à razão e, embora não perceba, nele nasce o amor por Mim. Em seu coração, ele, subitamente, sente uma doçura incomparável e se pergunta como pôde não saber da Minha existência no universo. Portanto, o homem tem um sentido maior da Minha amabilidade e, além disso, da Minha preciosidade. Como resultado, ele deseja nunca mais Me deixar, ele Me vê como a luz de sua sobrevivência e teme profundamente que Eu o deixe; ele Me abraça apertado. Eu não sou movido pelo zelo do homem, mas sou misericordioso para com ele por causa de seu amor. Nesse momento, o homem vive instantaneamente em meio às Minhas provações. Meu rosto desaparece de seu coração, e ele imediatamente sente que sua vida está vazia e pensa em fugir. Nesse instante, o coração do homem é revelado. Ele não Me abraça por causa do Meu caráter, mas pede que Eu o proteja por causa do Meu amor. Contudo, quando o Meu amor responde ao homem, ele imediatamente muda sua mente; ele rompe sua aliança Comigo e foge do Meu julgamento, relutante em olhar para a Minha face misericordiosa outra vez e, assim, ele muda a visão que tem de Mim e diz que Eu nunca salvei o homem. O verdadeiro amor realmente não envolve nada mais além de misericórdia? O homem apenas Me ama se vive sob a Minha luz brilhante? Ele olha para o ontem, mas vive no hoje – não são essas as circunstâncias do homem? Vocês realmente ainda estarão assim amanhã? O que Eu quero é que o homem tenha um coração que anseie por Mim em seu íntimo, não que se satisfaça com superficialidades.

21 de março de 1992

Anterior:A vigésima declaração

Próximo:A vigésima segunda declaração

Coisas que talvez lhe interessem