Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

O juízo começa na casa de Deus

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

A décima terceira declaração

Ocultas nas proclamações da Minha voz estão inúmeras das Minhas intenções. No entanto, o homem não conhece e não entende nada sobre elas e continua recebendo Minhas palavras do lado de fora e seguindo-as do lado de fora, sem ser capaz de perceber Meu coração ou intuir a Minha vontade em Minhas palavras. Mesmo se Eu tivesse explicado as Minhas palavras, alguém as teria compreendido? De Sião, Eu vim para a humanidade. Porque Eu assumi a humanidade de um homem ordinário e Me revesti da pele de um homem, os homens simplesmente passaram a conhecer a Minha aparência exterior, porém, eles não conhecem a vida que está em Mim, tampouco reconhecem o Deus do Espírito, e só conhecem o homem de carne. Será que o Próprio Deus verdadeiro é indigno de sua tentativa de conhecê-Lo? Será que o Próprio Deus verdadeiro é indigno de seu esforço para tentar “dissecá-Lo”? Eu odeio a corrupção de toda a raça humana, mas Eu sinto compaixão pela fraqueza dela. Eu também estou lidando com a velha natureza de toda a raça humana. Como um dos Meus povos na China, vocês também não são parte da raça humana? Entre todo o Meu povo e entre todos os Meus filhos, isto é, entre aqueles a quem Eu escolhi dentre toda a raça humana, vocês pertencem ao grupo mais baixo. Por essa razão, Eu despendi a maior quantidade de energia em vocês, a maior quantidade de esforço. Vocês ainda não apreciam a vida abençoada que desfrutam hoje? Vocês ainda estão endurecendo seu coração para se rebelarem contra Mim e estabelecerem seus próprios desígnios? Se Eu ainda não tivesse piedade e amor por vocês, toda a humanidade há muito tempo estaria cativa a Satanás e teria se transformado em "deliciosos petiscos” em sua boca. Hoje, em meio a toda humanidade, aqueles que se despendem por Mim e Me amam genuinamente ainda são raros o bastante para serem contados nos dedos de uma mão. Será que, hoje, o título de “Meu povo”[a] já se tornou sua propriedade pessoal? Sua consciência simplesmente se esfriou? Você é verdadeiramente digno de se tornar o povo que Eu exijo? Pensando no passado e olhando outra vez para o hoje, qual de vocês satisfez o Meu coração? Qual de vocês demonstrou genuína solicitude para com Minhas intenções? Se Eu não os tivesse motivado, vocês ainda não teriam despertado, mas teriam permanecido como se estivessem em condição de congelamento e, outra vez, como se estivessem em condição de hibernação.

Em meio às ondas agitadas, o homem vê a Minha ira; no turbilhão das nuvens escuras, os homens estão aterrorizados, fora de seu juízo e não sabem para onde fugir, como temendo que o trovão e a chuva os levem embora. Então, depois que a turbulenta tempestade de neve passa, o humor deles se torna mais fácil e leve enquanto eles se regozijam no belo cenário da natureza. No entanto, em tais momentos, qual entre eles já experimentou o amor ilimitado que Eu possuo pela humanidade? No coração dela, está apenas a Minha imagem, mas não a substância do Meu Espírito: será que homem não está Me desafiando abertamente? Quando a tempestade terminar, toda humanidade estará como que renovada, como se, a seguir do refinamento através das tribulações, ela tivesse recuperado luz e vida. Vocês também, depois de resistirem aos infortúnios que Eu causei, não tiveram a sorte de chegar ao hoje? No entanto, quando o hoje tiver passado e o amanhã chegado, vocês serão capazes de manter a pureza que vem a seguir da tempestade? Vocês serão capazes de manter a devoção que seguiu o seu refinamento? Vocês serão capazes de manter a obediência de hoje? A sua devoção consegue permanecer firme e imutável? Por certo, essa não é uma exigência que está além da capacidade do homem de cumprir? Dia a dia, Eu vivo com homens e atuo junto com homens no meio da humanidade, porém, ninguém nunca observou isso. Se não fosse pela orientação do Meu Espírito, quem dentre toda a raça humana ainda existiria na era presente? Será que, quando Eu digo que Eu vivo e atuo na companhia dos homens, Eu estou exagerando? No passado, Eu disse: “Eu criei a humanidade e conduzi toda a humanidade, e comandei toda a humanidade”; não foi realmente assim? Será que a sua experiência dessas coisas é insuficiente? A simples palavra “servidor” deve ser suficiente para vocês gastarem os esforços de uma vida inteira explicando. Sem experiência real, um ser humano jamais viria a Me conhecer, jamais seria capaz de vir a Me conhecer por meio de Minhas palavras. Contudo, hoje, Eu vim pessoalmente entre vocês: isso não facilitará com que vocês Me conheçam? Será que a Minha encarnação não é também salvação para vocês? Se Eu não descesse à humanidade em Minha própria pessoa, toda a raça humana há muito teria sido permeada com concepções, o que significa dizer que teria se tornado posse de Satanás, pois no que você acredita é meramente a imagem de Satanás e não tem nada a ver com o Próprio Deus. Essa não é a Minha salvação?

Quando Satanás vem perante Mim, Eu não recuo diante de sua ferocidade selvagem, tampouco Me assusto com sua hediondez: Eu simplesmente o ignoro. Quando Satanás Me tenta, Eu percebo seus artifícios, fazendo com que saia sorrateiramente, envergonhado e humilhado. Quando Satanás luta Comigo e tenta arrebatar o Meu povo escolhido, Eu faço tudo possível em Minha carne; e, em Minha carne, Eu sustento e pastoreio o Meu povo para que não caia nem se perca facilmente, e Eu os conduzo em cada passo do caminho. E, quando Satanás recuar derrotado, Eu serei glorificado em Meu povo, e Meu povo terá dado um vivo e ressonante testemunho a Mim. Então, Eu pegarei os contrastes em Meu plano de gerenciamento e as lançarei de uma vez por todas no poço sem fundo. Esse é o Meu plano, essa é a Minha obra. Em sua vida, pode chegar o dia em que você se depare com este tipo de situação: você prontamente se deixaria ser cativo a Satanás, ou você deixará que Eu o obtenha? Esse é o seu próprio destino, e você deve pensar a respeito dele com cuidado.

A vida no reino é a vida das pessoas e do Próprio Deus. Toda humanidade está sob o Meu cuidado e proteção, e todos estão engajados na luta para a morte do grande dragão vermelho. A fim de vencer essa batalha final, a fim de executar o grande dragão vermelho, todas as pessoas devem oferecer todo o seu ser a Mim em Meu reino. Quando Eu digo “reino”, o que Eu quero dizer é a vida que é vivida diretamente sob os auspícios da divindade, onde toda a humanidade é pastoreada por Mim diretamente, é treinada por Mim diretamente de modo que a vida de toda a humanidade, embora ainda na terra, seja como se estivesse no céu, uma verdadeira encarnação da vida no terceiro céu. Apesar de Eu estar na Minha carne, Eu não sofro as limitações da carne. Quantas vezes Eu vim no meio do homem para ouvir suas orações e quantas vezes Eu, caminhando entre homens, desfrutei de seus louvores? Mesmo que os seres humanos nunca tenham estado cientes da Minha existência, Eu ainda continuo fazendo a Minha obra dessa maneira. Na Minha morada, que é o lugar onde Eu estou escondido, todavia, nessa Minha morada, Eu derrotei todos os Meus inimigos; na Minha morada, Eu ganhei experiência real de viver na terra; na Minha morada, Eu estou observando cada palavra e ação do homem, e vigiando e dando ordens para toda a raça humana. Se a humanidade pudesse sentir solicitude por Minhas intenções, satisfazendo, assim, o Meu coração e dando-Me prazer, Eu, então, por certo, abençoaria toda a humanidade. Não é isso o que Eu pretendo para a humanidade?

Quando a humanidade entra em coma, é somente através do ressoar dos Meus trovões que os seres humanos acordam de seus sonhos. E, quando abrem seus olhos, muitos estão feridos nos olhos por essas rajadas de brilho frio ao ponto de perderem seu sentido de direção, não sabendo de onde vêm nem para onde estão indo. Muitas pessoas são atingidas pelos feixes de laser e, como resultado, desmoronam num amontoado de destroços sob a tempestade, seus corpos são levados pelas torrentes efusivas, sem deixar rastos para trás. Na luz, os sobreviventes finalmente são capazes de enxergar o Meu rosto de forma clara e, só então, eles passam a conhecer alguma coisa da Minha aparência exterior, a ponto de não mais ousarem olhar para Mim diretamente no rosto, com profundo receio de que Eu inflija o Meu castigo e as Minhas maldições mais uma vez sobre sua carne. Quantas pessoas desabam em soluços incontroláveis? Quantas caem em desespero? Quantas formam rios com seu sangue? Quantas se tornam cadáveres vagando sem rumo para lá e para cá? Quantas pessoas, encontrando seu próprio lugar na luz, sentem uma súbita pontada de sofrimento e derramam lágrimas por seus muitos anos de infelicidade? Quantas pessoas, sob o brilho ameaçador da luz, confessam sua impureza e decidem por uma autotransformação? Quantas pessoas, estando cegas, já perderam a alegria de viver e, como consequência, não se importam em observar a luz e, assim, continuam estagnadas, esperando pelo seu fim? E quantas pessoas estão hasteando as velas da vida e, sob a direção da luz, avidamente preveem seu amanhã? ... Hoje, quem, dentre a humanidade, não existe nessa condição? Quem não existe em Minha luz? Mesmo que você seja forte, ou, supondo que você seja fraco, como você pode evitar a vinda da Minha luz?

10 de março de 1992

Nota de rodapé:

[a] O texto original omite “o título de”.

Anterior:A décima segunda declaração

Próximo:A décima quarta declaração

Coisas que talvez lhe interessem