Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

O Pergaminho aberto pelo Cordeiro

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

A nona declaração

Já que você é uma das pessoas da Minha casa e já que você é fiel no Meu reino, tudo que você faz deve corresponder aos padrões exigidos por Mim. Não peço que você seja apenas uma nuvem flutuando no ar, mas que você seja neve reluzente e esteja de posse de sua substância e ainda mais de seu valor. Porque Eu vim da terra santa, não como o lótus, que tem apenas nome sem ter substância, porque ele veio do pântano e não da terra santa. O tempo em que um novo céu desce sobre a terra e uma nova terra se espalha sobre os céus também é justamente o tempo em que Eu opero formalmente entre os homens. Quem entre os homens Me conhece? Quem contemplou o momento da Minha chegada? Quem viu que Eu não só tenho um nome, mas, ademais, possuo substância? Eu afasto as nuvens brancas com a Minha mão e observo de perto os céus; no espaço, nada há que não tenha sido disposto pela Minha mão e, abaixo do espaço, não há homem que não contribua com seu próprio minúsculo esforço para levar a cabo Meu portentoso empreendimento. Eu não faço exigências pesadas aos povos da terra, porque sempre fui o Deus prático e porque Eu sou o Todo-Poderoso que criou o homem e o conhece bem. Todas as pessoas estão diante dos olhos do Todo-Poderoso. Como poderiam mesmo as que estão nos cantos mais remotos da terra escapar ao escrutínio do Meu Espírito? Embora o homem conheça Meu Espírito, ele também ofende Meu Espírito. Minhas palavras põem a descoberto a face feia de todas as pessoas e põem a descoberto os pensamentos mais íntimos de todas as pessoas, fazendo com que todos sobre a terra sejam iluminados pela Minha luz e caiam por terra em meio ao Meu escrutínio. Porém, embora o homem caia por terra, seu coração não ousa se afastar de Mim. Entre as criaturas, quem não passou a Me amar por causa dos Meus feitos? Quem não anseia por Mim em decorrência das Minhas palavras? Em quem não nasceram sentimentos de devoção por causa do Meu amor? Somente por causa da corrupção de Satanás o homem é incapaz de alcançar o reino como exigido por Mim. Até os padrões mais baixos exigidos por Mim produzem inquietações nele, para não falar de hoje, desta era em que Satanás causa tumultos e é tremendamente despótico, ou do tempo em que o homem foi tão pisoteado por Satanás que todo o seu corpo ficou endurecido de sujeira. Quando a falha do homem em cuidar do Meu coração como resultado da sua depravação não Me causou pesar? Será que Eu tenho pena de Satanás? Será que Eu estou equivocado no Meu amor? Quando o homem desobedece a Mim, Meu coração chora secretamente; quando o homem se opõe a Mim, Eu o castigo; quando o homem é salvo por Mim e ressuscitado dos mortos, Eu o alimento com o máximo cuidado; quando o homem Me obedece, Meu coração fica tranquilo e imediatamente sinto grandes mudanças em todas as coisas no céu e na terra; quando o homem Me louva, como Eu poderia não gostar disso? Quando o homem Me testemunha e é ganho por Mim, como Eu poderia não ser glorificado? Será que tudo o que o homem faz não é governado e propiciado por Mim? Quando Eu não dou o rumo, as pessoas ficam ociosas e quiescentes e, pelas Minhas costas, envolvem-se naqueles “louváveis” negócios sujos. Você pensa que a carne com a qual Me visto nada conhece a respeito das suas ações, do seu comportamento e das suas palavras? Durante muitos anos suportei o vento e a chuva, e assim Eu também experimentei a amargura do mundo humano, contudo, pensando bem, nenhuma quantidade de sofrimento pode fazer o homem de carne perder a esperança em Mim, muito menos pode qualquer doçura fazer com que o homem de carne se torne frio, desanimado ou desdenhoso para Comigo. O amor do homem por Mim estaria realmente limitado à ausência de dor ou à ausência de doçura?

Hoje, Eu habito na carne e comecei a realizar oficialmente a obra que tenho de fazer, contudo, embora o homem tema a voz do Meu Espírito, ele desobedece à substância do Meu Espírito. Não preciso detalhar como é difícil para o homem conhecer o Eu da carne em Minhas palavras. Como Eu disse antes, não estou sendo exigente em Meus requisitos e não é necessário que vocês cheguem a ter pleno conhecimento de Mim (porque o homem é falho; esta é uma condição inerente e condições adquiridas são incapazes de compensar isso). Vocês somente precisam saber tudo o que foi feito e dito por Mim na forma carnal. Já que meus requisitos não são exigentes, espero que vocês possam vir a conhecer e que vocês consigam. Vocês devem se livrar de suas impurezas neste mundo imundo, devem se empenhar por progredir nessa família retrógrada de imperadores e vocês mesmos não devem tirar nenhuma folga. Você não deve ser nem um pouquinho leniente consigo mesmo: você teria de dedicar muito tempo e esforço para conhecer aquilo que declaro em um único dia, e o conhecimento, mesmo que seja de uma única sentença dita por Mim, é digno de uma experiência de toda a vida. As palavras que Eu falo não são vagas nem abstratas, não são conversa fiada. Muitas pessoas esperam ganhar Minhas palavras, mas Eu não dou atenção a elas; muitas pessoas suspiram pela Minha opulência, mas não lhes dou nem um pouquinho; muitas pessoas desejam ver Minha face, contudo desde sempre Eu a ocultei; muitas pessoas ouvem atentamente a Minha voz, mas Eu fecho os Meus olhos e inclino Minha cabeça para trás, impassível diante do seu anseio; muitas pessoas temem o som da Minha voz, mas Minhas palavras estão sempre na ofensiva; muitas pessoas ficam temerosas de ver Minha face, mas Eu apareço deliberadamente para derrubá-las. O homem jamais viu verdadeiramente a Minha face nem ouviu verdadeiramente a Minha voz, porque ele não Me conhece verdadeiramente. Mas mesmo sendo derrubado por Mim, mesmo Me deixando, mesmo sendo castigado pela Minha mão, ele ainda não sabe se tudo o que ele faz é verdadeiramente segundo o Meu próprio coração e ainda ignora a quem precisamente Meu coração é revelado. Desde a criação do mundo até agora, ninguém me conheceu verdadeiramente nem Me viu verdadeiramente, e, embora Eu tenha me tornado carne hoje, vocês ainda não Me conhecem. Isso não é um fato? Alguma vez você contemplou mesmo que fosse uma pequena parte das Minhas ações e do Meu caráter na carne?

É no céu que Me reclino e é abaixo do céu que encontro repouso. Eu tenho lugar para morar e tenho um tempo certo para mostrar Meus poderes. Se Eu não estivesse na terra, se Eu não tivesse Me ocultado na carne e se Eu não fosse humilde e oculto, o céu e a terra já não teriam mudado há muito tempo? Vocês, que são Meu povo, já não teriam sido usados por Mim? Contudo há sabedoria nas Minhas ações e, embora Eu esteja plenamente consciente da falsidade do homem, não sigo o seu exemplo, mas, em vez disso, faço uma troca por ela. Minha sabedoria no reino espiritual e inesgotável, ao passo que Minha sabedoria na carne é perene. Esse não é o tempo exato em que Meus feitos se tornam manifestos? Eu perdoei e desculpei o homem muitas vezes, até o dia de hoje, na Era do Reino. Eu poderia realmente protelar mais ainda Meu tempo? Embora Eu tenha sido um pouco mais misericordioso para com o homem frágil, quando Minha obra estiver completa, Eu poderia ainda criar problemas para Mim mesmo fazendo obra antiga? Eu poderia deliberadamente permitir que Satanás acuse? Não preciso que o homem faça nada além de aceitar a realidade das Minhas palavras e o sentido original das Minhas palavras. Embora Minhas palavras sejam simples, elas são complexas em sua substância, porque vocês são muito pequenos e se tornaram muito entorpecidos. Quando revelo Meus mistérios diretamente e manifesto Minha vontade na carne, vocês não percebem; vocês escutam o som, mas não entendem o sentido. Estou coberto de tristeza. Embora Eu esteja na carne, sou incapaz de fazer a obra do ministério da carne.

Quem chegou a conhecer Meus feitos na carne em meio às Minhas palavras e ações? Quando revelo Meus mistérios por escrito ou os falo em voz alta, as pessoas ficam atônitas e fecham os olhos em silêncio. Por que o que Eu digo é incompreensível para o homem? Por que as Minhas palavras são inconcebíveis para ele? Por que ele é cego para os Meus feitos? Quem é capaz de Me ver e jamais esquecer? Quem é capaz de ouvir Minha voz e não permitir que ela passe em branco? Quem é capaz de sentir Minha vontade e agradar Meu coração? Eu vivo e Me movimento entre pessoas, cheguei a experimentar suas vidas e, embora Eu sinta que todas as coisas eram boas depois de criá-las para o homem, não sinto alegria em viver em meio aos homens e não tenho satisfação na felicidade em meio aos homens. Eu não detesto nem rejeito o homem, mas tampouco sou sentimental em relação a ele – porque ele não Me conhece, ele acha difícil ver Minha face na escuridão, tem dificuldade em ouvir Minha voz e é incapaz de discernir Minhas palavras em meio ao clamor. Em consequência, superficialmente, vocês fazem tudo em obediência a Mim, mas, no seu coração, vocês ainda desobedecem a Mim. Pode-se dizer que a totalidade da velha natureza do gênero humano é assim mesmo. Quem é exceção? Quem não é um dos objetos do Meu castigo? E quem não vive sob a Minha tolerância? Se o homem fosse destruído pela Minha ira, qual seria o significado de Eu ter criado os céus e a terra? Antigamente adverti muitas pessoas e exortei muitas pessoas e julguei francamente muitas pessoas – isso não é bem melhor do que destruir diretamente o homem? Meu objetivo não é matar o homem, mas levá-lo a conhecer todos os Meus feitos em meio ao Meu julgamento. Quando vocês subirem do abismo sem fundo, quer dizer, quando vocês se livrarem do Meu julgamento, todas as suas considerações pessoais e todos os seus planos desaparecerão, e todas as pessoas aspirarão satisfazer-Me. E, nesse caso, não terei atingido Meu objetivo?

1º de março de 1992

Anterior:A oitava declaração

Próximo:A décima declaração

Coisas que talvez lhe interessem