Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

O juízo começa na casa de Deus

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

A décima quinta declaração

O homem é uma criatura sem autoconhecimento. Mesmo assim, incapaz de se conhecer, não obstante, conhece a todos como a palma da sua mão, como se todos os outros tivessem passado por sua inspeção e recebido sua aprovação antes de dizer ou fazer qualquer coisa, e, consequentemente, como se ele tivesse tirado a medida completa de todos os outros até o nível do seu estado psicológico. Os seres humanos são todos assim. O homem entrou na Era do Reino hoje, porém sua natureza permanece inalterada. Ele ainda faz o que Eu faço na Minha frente, mas pelas Minhas costas ele começa a levantar-se para seu próprio “negócio” exclusivo. Basta concluí-lo e ele volta a comparecer perante Mim, contudo, ele é como uma pessoa diferente, parecendo audaciosamente calmo, feições compostas, pulso constante. Não é isso que faz o homem tão desprezível? Quantas pessoas usam duas caras completamente diferentes, uma na Minha frente e outra pelas Minhas costas? Quantos deles são como cordeiros recém-nascidos perante Mim, mas por trás de Mim se transformam em tigres vorazes e depois se tornam como passarinhos esvoaçando alegremente pelas colinas? Quantos mostram propósito e resolução na Minha frente? Quantos vêm perante Mim, buscando Minhas palavras com ânsia e desejo, mas pelas Minhas costas se enojam delas e renunciam a elas, como se Minhas palavras fossem um estorvo? Tantas vezes, vendo a raça humana corrompida pelo Meu inimigo, Eu desisti de colocar Minhas esperanças no gênero humano. Tantas vezes, vendo o homem vir perante Mim em lágrimas para pedir perdão, mas por causa da sua falta de autorrespeito, sua obstinada incorrigibilidade, encolerizado Eu fechei Meus olhos para seu ato, mesmo quando seu coração é genuíno e suas intenções sinceras. Tantas vezes, Eu vejo o homem capaz de ter fé para cooperar Comigo e como, perante Mim, ele aparenta repousar no Meu abraço, provando o calor do Meu abraço. Tantas vezes, vendo a inocência, vivacidade e amabilidade do Meu povo escolhido, em Meu coração Eu sempre tive prazer por causa dessas coisas. Os seres humanos não sabem como desfrutar de sua bênção predestinada em Minhas mãos, porque eles não sabem o que se quer dizer, no final das contas, com benção ou sofrimento. Por essa razão, o gênero humano está longe de ser sincero em sua busca por Mim. Se não houvesse algo como o amanhã, qual de vocês, estando perante Mim, seria tão branco como a neve, tão limpo como jade puro? Decerto o amor de vocês por Mim não é algo que possa ser trocado por uma refeição deliciosa nem por um conjunto de roupas elegante nem por um alto cargo com um belo rendimento? Ou poderia ser trocado pelo amor que outros nutrem por você? Decerto passar por provação não fará o homem abandonar seu amor por Mim? Decerto sofrimento e tribulação não farão com que ele reclame do que Eu planejei? Nenhum homem jamais apreciou verdadeiramente a espada em Minha boca: ele somente conhece o sentido superficial sem entender realmente o sentido interior. Se os seres humanos fossem genuinamente capazes de enxergar como Minha espada é afiada, eles correriam como ratos para os seus buracos. Por causa de seu entorpecimento, os seres humanos não entendem nada do verdadeiro sentido das Minhas palavras e assim eles não têm a mínima ideia de como são formidáveis as Minhas palavras nem de quanto da sua natureza é revelada e de quanto da sua corrupção recebeu julgamento nessas palavras. Por essa razão, baseadas em suas ideias imaturas sobre Minhas palavras, a maioria das pessoas adotou uma postura indiferente e descompromissada.

Dentro do reino, não só saem declarações da Minha boca, mas também Meus pés pisam cerimoniosamente cada porção do terreno. Dessa forma, Eu triunfei sobre todos os lugares sujos e imundos, de modo que não só o céu está mudando, mas a terra também está no processo de mudança, e logo depois será renovada. Dentro do cosmo, tudo se torna novo no esplendor da Minha glória, apresentando um aspecto reconfortante que arrebata os sentidos e eleva os espíritos, como se o homem agora existisse em um céu além dos céus, como concebido pela imaginação humana, não molestado por Satanás, livre dos ataques dos inimigos de fora. Acima do cosmo, as miríades de estrelas ocupam, ao Meu comando, os lugares que lhes foram designados, irradiando sua luz através das regiões astrais nas horas de escuridão. Nenhum ser se atreve a abrigar pensamentos de recalcitrância e assim, de acordo com o conteúdo dos Meus decretos administrativos, o universo inteiro está bem regulado e em perfeita ordem: jamais existiu uma perturbação sequer e nunca foi rompida a unidade do cosmo. Eu executo saltos acima das estrelas e, quando o sol dispara seus raios, Eu abafo o seu calor, lançando gigantescos turbilhões de flocos de neve tão grandes como penas de gansos escorrendo das Minhas mãos. Mas quando Eu mudo de ideia, toda a neve derrete e forma um rio. Em um momento, a primavera brotou de todos os lugares sob os céus e o verde-esmeralda transforma toda a paisagem sobre a terra. Eu passeio acima do firmamento e imediatamente a terra fica envolta em escuridão negra como breu por causa da Minha forma: sem aviso, chegou a “noite” e, em todo mundo, está tão escuro que não se consegue enxergar um palmo à frente do nariz. Quando a luz se apaga, o gênero humano aproveita o momento para embarcar num tumulto de destruição mútua, roubando e saqueando uns aos outros. As nações da terra, caindo em desunião caótica, entram em um estado de turbulência desorientada a ponto de irem além da redenção. Os homens lutam na agonia do sofrimento, choram e gemem em meio ao sofrimento, promovem um lamento deplorável em seu sofrimento, ansiando que a luz venha para o meio deles novamente e, assim, acabe com os dias de escuridão e restaure a vitalidade que existiu outrora. Mas há muito tempo Eu deixei o homem com uma sacudidela das Minhas mangas para nunca mais ter pena dele pelos erros do mundo: por longo tempo Eu detestei e rejeitei as pessoas do mundo inteiro, fechei Meus olhos para as condições da terra, virando Meu rosto para cada movimento do homem, cada gesto dele, deixando de sentir prazer em sua infância e inocência. Eu embarquei em outro plano para tornar o mundo novo, para que esse novo mundo possa encontrar renascimento a tempo e não mais estar submerso. Em meio à humanidade, quantos estados bizarros estão esperando que Eu os conserte, quantos enganos esperando que Eu venha pessoalmente impedir que aconteçam, quanta poeira para Eu varrer, quantos mistérios para Eu revelar: toda a humanidade Me espera e anseia por Minha vinda.

Na terra, Eu sou o Próprio Deus prático no coração dos homens; no céu, Eu sou o Senhor de toda a criação. Eu escalei montanhas e atravessei rios, e Eu também entrei e saí do meio da humanidade. Quem ousa se opor ao Próprio Deus prático? Quem ousa romper com a soberania do Todo-Poderoso? Quem ousa afirmar que Eu estou, sem sombra de dúvida, no céu? De novo, quem ousa afirmar que Eu estou, sem a menor chance de errar, na terra? Não há ninguém em toda a humanidade capaz de expressar em todos os detalhes os lugares onde Eu resido. Será que, quando estou no céu, Eu sou o Próprio Deus sobrenatural? Será que, quando estou na terra, Eu sou o Próprio Deus prático? Que Eu seja o Soberano de toda a criação ou que Eu experimente os sofrimentos do mundo humano – isso decerto não poderia determinar se Eu sou ou não o Próprio Deus prático? Se o homem pensa assim,[a] ele não é irremediavelmente ignorante? Eu estou no céu; Eu também estou na terra; Eu estou no meio das inúmeras coisas da criação e também no meio de pessoas sem conta. O homem pode Me tocar todos os dias; e mais, ele pode Me ver todos os dias. No que concerne à humanidade, às vezes pareço estar oculto e às vezes visível; Eu pareço ter existência real e, no entanto, também pareço não ter existência. Em Mim, residem mistérios inconcebíveis à humanidade. É como se todos os homens estivessem olhando para Mim através de um microscópio a fim de descobrir ainda mais mistérios em Mim, esperando assim dissipar esse sentimento desconfortável em seu coração. Porém, mesmo que usasse um fluoroscópio, como a humanidade poderia desvendar qualquer dos segredos alojados em Mim?

Quando Meu povo, através do Meu trabalho, for glorificado Comigo, nesse momento o covil do grande dragão vermelho terá sido desenterrado, toda a lama e sujeira varrida e a água poluída, acumulada por incontáveis anos, secado nas Minhas chamas ardentes para não existir mais. Por isso, o grande dragão vermelho perecerá no lago de fogo e enxofre. Vocês estão realmente dispostos a permanecer ao Meu cuidado vigilante para não serem apanhados pelo dragão? Vocês realmente odeiam seus estratagemas enganosos? Quem é capaz de dar testemunho firme de Mim? Pelo bem do Meu nome, pelo bem do Meu Espírito, pelo bem de todo Meu plano de gestão – quem é capaz de oferecer toda a força de seu corpo? Hoje, quando o reino está no mundo dos homens, é o tempo em que Eu vim pessoalmente para o mundo dos homens. Se não fosse assim, há alguém que possa intrepidamente entrar no campo de batalha em Meu nome? Para que o reino possa tomar forma, para que Meu coração fique contente e, de novo, para que Meu dia chegue, para que chegue o tempo em que as inúmeras coisas da criação renasçam e cresçam em abundância, para que o homem seja resgatado do mar de sofrimento, para que o amanhã chegue, e para que possa ser maravilhoso, desabrochar e florescer, e, de novo, para que o gozo do futuro possa acontecer, toda a humanidade está lutando com todas as suas forças, não poupando nada em se sacrificar por Mim. Esse não é um sinal de que a vitória já é Minha e uma marca da conclusão do Meu plano?

Quanto mais os homens habitarem os últimos dias, mais sentirão o vazio do mundo e menos coragem terão de viver a vida. Por essa razão, inúmeras pessoas morrem decepcionadas, inúmeras outras ficam desapontadas em sua busca e inúmeras outras sofrem para ser manipuladas nas mãos do Satanás. Eu resgatei tantas pessoas, socorri tantas outras e, com muita frequência, quando os seres humanos perderam a luz, Eu os movi de volta para um lugar de luz, para que pudessem Me conhecer dentro da luz, e comprazer-se de Mim em meio à felicidade. Por causa da vinda da Minha luz, cresceu a adoração nos corações das pessoas que habitam Meu reino, pois Eu sou um Deus para a humanidade amar, um Deus a quem a humanidade se pega com profunda afeição, e o gênero humano está preenchido com uma impressão permanente da Minha figura. Porém, quando tudo está dito e feito, não há ninguém que entenda se isso é obra do Espírito ou uma função da carne. Essa única coisa é suficiente para o homem experimentar nos mínimos detalhes no decurso de uma vida. O homem nunca Me desprezou nos recantos mais profundos do seu coração; antes, ele se apega a Mim nas profundezas do seu espírito. Minha sabedoria aumenta a sua admiração, as maravilhas que Eu opero são uma festa para seus olhos, Minhas palavras deixam sua mente atônita e, ainda assim, ele as estima muito. Minha realidade faz o homem sentir-se sobrecarregado, deixando-o estupefato e perplexo, e, ainda assim, ele está disposto a aceitar tudo. Essa não é precisamente a medida do homem como ele de fato é?

13 de Março de 1992

Nota de rodapé:

a. O texto original traz “Nesse caso”.

Anterior:A décima quarta declaração

Próximo:A décima sexta declaração

Coisas que talvez lhe interessem