O que é arrependimento verdadeiro?

10 de Maio de 2019

Por Liu Shuo

Numa reunião de colaboradores, Wang Wei, Ma Tao e Hu Zhi estavam empenhados no estudo bíblico.

Wang Wei sorriu e falou ao grupo, dizendo: “Colaboradores, comecemos com a leitura de alguns versículos das Escrituras. O Senhor Jesus diz: ‘Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus’ (Mateus 4:17). ‘O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho’ (Marcos 1:15). As palavras do Senhor nos mostram que, se quisermos entrar no reino de Deus, devemos confessar os nossos pecados a Deus e nos arrepender. No entanto, temos acreditado no Senhor por anos e, apesar de confessarmos nossos pecados a Ele com frequência, ainda somos capazes de cometer pecados, e vivemos num ciclo vicioso de confessar e pecar. Parece que ainda não entendemos o que é arrependimento verdadeiro e, assim, ainda não estamos livres do pecado. Portanto, ter clareza sobre o que é arrependimento verdadeiro é extremamente importante para a nossa capacidade de entrar no reino celestial. Hoje, examinaremos juntos essa questão”.

Então, Hu Zhi falou desdenhosamente, dizendo: “Acredito que, quando viermos para diante do Senhor de todo coração, orarmos a Ele e admitirmos nossos pecados, chorando copiosamente, isso é arrependimento verdadeiro. Contanto que confessemos e nos arrependemos com frequência dessa forma, seremos capazes de obter o perdão do Senhor e, quando Ele retornar, poderemos ser elevados para o céu”.

Wang Wei franziu a testa levemente e retrucou: “Mas nós oramos e confessamos dessa forma há tantos anos, reconhecendo nossos pecados diante do Senhor e derramando lágrimas amargas. Mas no momento em que nos deparamos com algo real, ainda cometemos pecados involuntariamente e, o que é ainda pior, cometemos exatamente os mesmos pecados sempre de novo. Eu realmente temo que nós, que, muitas vezes, vivemos em pecado, seremos abandonados e eliminados pelo Senhor quando Ele retornar”.

Ma Tao consentiu e disse: “Eu também já contemplei isso. Acho que chorar copiosamente com frequência em oração e confessar ao Senhor só demonstra que temos o desejo de confessar e nos arrepender ao Senhor. Mas se isso constitui arrependimento verdadeiro depende de como praticamos e se passamos por uma mudança real. Por exemplo, quando um ladrão é pego roubando algo, ele reconhecerá sua ofensa e prometerá nunca mais roubar coisas que pertencem a outras pessoas. Mas isso não demonstra que ele realmente virou a página e nunca mais roubará. Na maioria das vezes, a fim de não ter que assumir uma responsabilidade temporária por sua ofensa e evitar uma punição legal, ele não tem outra escolha senão admitir sua ofensa, mas isso não significa que ele não voltará a querer roubar no futuro. Se ele for capaz de se abster de roubar sob qualquer circunstância, essa é a única coisa que provará que ele realmente se arrependeu. Nós não somos iguais? Apesar de confessarmos com frequência os nossos pecados ao Senhor e a nossa atitude confessional parecer sincera, após um tempo cometemos pecados da mesma maneira e não os abominamos nem desdenhamos nem um pouco. Orar e confessar dessa forma é, na verdade, uma tentativa de enganar a Deus, e nós o fazemos para evitar a disciplina temporária de Deus e para buscar o perdão do Senhor. No entanto, não temos nenhuma intenção de nos transformar profundamente, como, então, isso pode ser arrependimento verdadeiro?”.

Wang Wei ouviu com seriedade a comunicação de Ma Tao e refletiu por um momento. Então ele disse: “Ao ouvir a comunicação do irmão Ma, eu me lembrei repentinamente do rei Davi. A fim de tomar Bate-Seba para si mesmo à força, Davi planejou a morte de Urias, e ele cometeu adultério e homicídio. Deus Jeová enviou Natã, o profeta, para falar com Davi, para conscientizar Davi dos pecados que ele tinha cometido e lhe dizer que ele seria punido. A partir de então, a espada jamais abandonaria a sua casa. Davi sabia que ele tinha violado os mandamentos proclamados por Deus e ofendido o caráter de Deus. Após se conscientizar de seus atos malignos, Davi se arrependeu extremamente e abominou os pecados que tinha cometido, portanto, orou sinceramente a Deus, confessou seus pecados e se arrependeu. Quando envelheceu, Davi odiava o frio, por isso seus servos escolheram uma moça virgem para aquecer sua cama, mas Davi não teve relações sexuais com ela. O arrependimento de Davi nos mostra que ele possuía um coração que temia a Deus e que ele não só se arrependia verdadeiramente e abominava seus pecados, mas também passou por uma transformação real — apenas isso é uma expressão de arrependimento verdadeiro”.

Estudo sobre arrependimento: ganhando inspiração do arrependimento de Davi e do rei de Nínive

Ma Tao consentiu e disse: “Sim, e o testemunho do arrependimento verdadeiro do povo de Nínive a Deus também está registrado na Bíblia. Quando o rei de Nínive ouviu o profeta Jonas transmitindo as palavras de Deus, dizendo: ‘Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida’ (Jonas 3:4), ele acreditou e obedeceu. Ele deixou de lado seu status de realeza, removeu suas vestes reais e liderou o povo da cidade de Nínive na confissão e no arrependimento a Deus em sacos e cinzas, como está registrado nas Escrituras: ‘A notícia chegou também ao rei de Nínive; e ele se levantou do seu trono e, despindo-se do seu manto e cobrindo-se de saco, sentou-se sobre cinzas. E fez uma proclamação, e a publicou em Nínive, por decreto do rei e dos seus nobres, dizendo: Não provem coisa alguma nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas; não comam, nem bebam água; mas sejam cobertos de saco, tanto os homens como os animais, e clamem fortemente a Deus; e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?’ (Jonas 3:6-9).”

Naquele momento, Wang Wei disse com entusiasmo: “Falando no arrependimento do povo de Nínive — recentemente li uma passagem num livro que trata exatamente dessa questão. Deixem-me lê-la para vocês”.

Wang Wei tirou um caderno de sua bolsa, folheou as páginas até encontrar a passagem que estava procurando e leu: “Após ouvir a declaração de Deus, o rei de Nínive e seus súditos realizaram uma série de atos. Qual é a natureza do comportamento e das ações deles? Em outras palavras, qual é a essência de toda a conduta deles? Por que eles fizeram o que fizeram? Aos olhos de Deus eles haviam se arrependido sinceramente, não apenas porque haviam suplicado com sinceridade a Deus e confessado seus pecados diante Dele, mas também porque eles haviam abandonado sua má conduta. Eles agiram assim porque, após ouvirem as palavras de Deus, ficaram incrivelmente atemorizados e creram que Ele faria conforme o que dissera. Ao jejuarem, vestirem-se de panos de saco e sentarem-se em cinzas, eles queriam expressar a disposição deles para reformarem seus caminhos e se absterem do mal, orarem para Deus Jeová restringir Sua ira, suplicarem para Deus Jeová revogar Sua decisão bem como a catástrofe prestes a cair sobre eles. Pelo exame de todo o comportamento deles, podemos ver que eles já entenderam que seus atos malignos anteriores eram detestáveis para Deus Jeová e que eles entenderam a razão por que Ele logo os destruiria. Por essas razões, eles todos desejaram se arrepender completamente, desviar de seus caminhos maus e abandonar a violência em suas mãos. Em outras palavras, uma vez que se tornaram cientes da declaração de Deus Jeová, cada um deles sentiu temor no coração; eles não mais continuaram sua má conduta, nem continuaram a cometer aqueles atos odiados por Deus Jeová. Adicionalmente, eles suplicaram para Deus Jeová perdoar seus pecados passados e não os tratar conforme suas ações passadas. Eles estavam dispostos a nunca mais se envolver em maldade e a agir de acordo com as instruções de Deus Jeová, se ao menos eles nunca mais enfurecessem Deus Jeová. O arrependimento deles era sincero e completo. Ele vinha das profundezas do coração deles e não era fingido, nem temporário” (de “O Próprio Deus, o Único II”).

Estudo sobre arrependimento: ganhando inspiração do arrependimento de Davi e do rei de Nínive

Então, Wang Wei comungou, dizendo: “Essa passagem nos mostra que arrependimento verdadeiro não é apenas admitir nossos pecados e atos maus. Precisamos saber também qual é a atitude de Deus em relação aos nossos pecados e devemos entender também a essência e os danos dos nossos pecados. Apenas assim uma reverência e um temor a Deus verdadeiros podem surgir dentro de nós, apenas assim sentiremos um arrependimento e uma aversão verdadeiros aos nossos pecados do fundo do nosso coração, apenas assim deixaremos de seguir a mesma senda antiga como sempre fizemos, e apenas assim começaremos a fazer uma mudança e nos tornar pessoas novas — apenas isso é arrependimento verdadeiro. Como o povo de Nínive, por exemplo. Aquelas pessoas perceberam que seus atos malignos tinham agravado o caráter de Deus e sabiam que, se elas não se arrependessem, elas seriam destruídas por Deus. Por isso elas se arrependeram a Deus em sacos e cinzas, desde o rei mais alto até o plebeu mais baixo. Elas começarem a se arrepender profundamente de seus delitos e não cometeriam mais nenhum mal nem desafiariam a Deus. Seu arrependimento era verdadeiro, e ele surgiu do fundo do seu coração. E quanto a nós? Apesar de dizermos que viemos diante de Deus com frequência para nos arrepender e confessar, isso é apenas uma confissão verbal, e não é desdenho ou aversão aos nossos pecados o que sentimos do fundo do nosso coração. Quando nos deparamos com questões, ainda nos importamos apenas com nossos próprios interesses, agimos sob o controle da nossa natureza interior pecaminosa, cobiçamos os prazeres do pecado e não passamos por nenhuma mudança real. Esse tipo de arrependimento é apenas agir sem se envolver e é totalmente contrário à vontade de Deus. Deus escrutina o íntimo do coração do homem, e o homem não pode enganar a Deus. É apenas através do arrependimento verdadeiro que podemos ganhar a graça e misericórdia de Deus”.

Então, Ma Tao disse com sinceridade: “Graças à orientação de Deus entendemos agora claramente o que é arrependimento verdadeiro. É impossível que o homem entre no céu com pecado. O Senhor Jesus disse: ‘Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. Ora, o escravo não fica para sempre na casa; o filho fica para sempre’ (João 8:34-35). E em outro lugar, a Bíblia diz: ‘A santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor’ (Hebreus 12:14). Deus é justo e santo, e o reino dos céus não permite que ninguém que ainda seja capaz de cometer pecados entre nele. Não importa quão bem alguém se arrependa da boca para fora, ele é incapaz de ganhar o louvor de Deus. Apenas se nos livrarmos de nossa natureza pecaminosa e formos capazes de ser absolutamente obedientes e devotos a Deus, podemos ser qualificados para entrar no céu. Apesar de termos acreditado no Senhor por muitos anos, ainda não reverenciamos a Deus em nosso coração nem um pouco e não tememos a Deus. Em vez disso, acreditamos que o Senhor é amoroso e misericordioso e que, quando cometemos um pecado, tudo que precisamos fazer é confessar e nos arrepender ao Senhor para que nossos pecados sejam perdoados, para que Deus não se lembre de nossas transgressões e para que sejamos elevados para o reino celestial quando o Senhor retornar. Por meio da nossa comunhão, finalmente percebi que a nossa fé é tão confusa. Somos como mendigos que apenas estendem a mão ao Senhor e pedem coisas, mas não entendemos como apreciar a preocupação de Deus e a tristeza que Ele sente em seu coração por vivermos em pecado e por não dedicarmos nenhum pensamento ao arrependimento, e falta-nos também a determinação para nos distanciar do pecado. Parece agora que, se não formos capazes de temer a Deus e evitar o mal, seremos incapazes de nos arrepender verdadeiramente, e nossa esperança de que o Senhor venha para nos elevar para o céu nada mais é do que um mero sonho. Não podemos continuar crendo em Deus confiando em nossos próprios equívocos e imaginações, pois isso é perigoso demais! Devemos nos concentrar na prática da verdade e na busca de mudança, pois apenas isso está de acordo com a vontade de Deus”.

Wang Wei continuou: “Recentemente, comunguei com um irmão sobre as condições para a nossa entrada no reino celestial. Ele disse: ‘O Senhor Jesus profetizou: “Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia” (João 12:48). “E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (João 16:8). Mesmo que nossos pecados sejam perdoados quando aceitamos a salvação do Senhor Jesus, nossa natureza pecaminosa continua profundamente enraizada dentro de nós, e continuamos capazes de involuntariamente cometer pecados e desafiar a Deus; se não conseguirmos nos livrar das amarras do pecado, não mereceremos entrar no céu. Quando o Senhor retornar, Ele realizará o estágio da obra de julgar e purificar o homem com palavras, e se quisermos entrar no reino de Deus, devemos aceitar a obra de julgamento do Senhor quando Ele retornar nos últimos dias, reconhecer nossa natureza pecaminosa, ser capazes de verdadeiramente abominar a nós mesmos e abandonar a nossa carne, praticar as palavras de Deus, obedecer e reverenciar a Deus e nos livrar do nosso caráter corrupto. Apenas assim podemos ser purificados e obter a salvação final de Deus’. Eu acredito que essa comunicação faz muito sentido, por isso eu o trarei aqui para comungar conosco, se vocês estiverem de acordo”.

Ma Tao disse imediatamente: “Maravilha! Se a obra de julgamento do Senhor nos últimos dias pode nos capacitar a sermos purificados e a alcançarmos arrependimento verdadeiro, então temos a esperança de entrar no céu. Somos realmente muito sortudos! Irmão Wang, é melhor que você se apresse e traga aquele outro irmão para comungar conosco”.

Wang Wei sorriu quando disse: “Ótimo, eu o procurarei amanhã…”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Obter inspiração do arrependimento de Davi

O rei Davi foi aquele que melhor entendeu o coração de Deus e que mais dava atenção à Sua vontade. Durante toda sua vida, o desejo do rei Davi foi construir um templo para Jeová, para que o povo pudesse vir diante de Deus e adorá-Lo e não mais pecasse adorando Satanás nem ídolos.

Três princípios para como orar a Deus corretamente

Por que Deus não ouve nossas orações? Que tipo de orações está em linha com a vontade de Deus? Tenhamos comunhão sobre isso hoje e, após resolvermos essas três questões, nossas orações poderão ser ouvidas por Deus.

Os dias de Noé se aproximam no fim dos tempos: como devemos buscar a manifestação de Deus?

Muitas pessoas mencionam este versículo da Bíblia: “Verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória” (Mateus 24:30). Elas acreditam que quando o Senhor retornar, Ele virá cavalgando abertamente sobre uma nuvem e nos elevará diretamente ao reino dos céus, à vista de todos. Assim, elas aguardam passivamente a vinda do Senhor sobre uma nuvem. No entanto, a verdade é que temos desconsiderado as profecias bíblicas que afirmam que há mais de uma maneira pela qual o Senhor retornará, por exemplo, “Eis que venho como ladrão” (Apocalipse 16:15). “Pois se não vigiares, virei como um ladrão” (Apocalipse 3:3). “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo” (Apocalipse 3:20).

Perguntas da Bíblia: O mistério de Mateus 24:36, “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe”, foi revelado

As quatro luas de sangue já surgiram e catástrofes como terremotos, fome e epidemias são cada vez mais comuns. As profecias sobre o retorno do Senhor já foram essencialmente cumpridas e algumas pessoas deram testemunho pela internet de que Ele já veio. Alguns irmãos e irmãs estão confusos, já que a Bíblia diz claramente: “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” (Mateus 24:36). Como eles podem saber que o Senhor já retornou? Ele realmente retornou? O que devemos fazer para que possamos acolhê-Lo? Vamos comunicar juntos sobre essa questão em particular.

Deixar uma resposta