Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Erguendo-se em meio à terrível opressão

1

Mo Zhijian Província de Guangdong

Nasci em uma área pobre, nas montanhas remotas, onde se queima incenso e adora a Buda há muitas gerações. Existem templos budistas espalhados por toda a região, aonde todas as famílias vão para queimar incenso. Ninguém ali jamais havia crido em Deus. Em 1995, eu e minha esposa estávamos em outra parte do país, onde críamos no Senhor Jesus. Depois que retornamos, começamos a compartilhar o evangelho e o número de pessoas que o aceitaram cresceu lentamente para mais de 100 pessoas. Como cada vez mais pessoas estavam crendo em Deus, isso alarmou o governo local. Um dia, em 1997, fui chamado pela polícia para ir à delegacia local, onde o Chefe do Gabinete de Segurança Pública do Município, o Chefe do Gabinete de Segurança Nacional, o Chefe do Gabinete de Religião e o Chefe da delegacia de polícia, bem como alguns policiais, estavam me aguardando. O Chefe do Gabinete de Segurança Pública me perguntou: “Por que você acredita em Deus? Com quem você tem contato? De onde vêm as bíblias? Por que vocês não se reúnem na Igreja das Três Autonomias?” Respondi: “As pessoas foram criadas por Deus. Toda a luz do sol, o ar e a água foram criados por Deus. É a lei do céu e da terra que as pessoas creiam em Deus e O adorem. A Constituição nacional também estabelece expressamente que os cidadãos têm liberdade religiosa. Por que vocês não nos permitem crer livremente em Deus?” Ao que o Chefe do Gabinete de Religião contestou: “Há limites à liberdade religiosa: assim como um passarinho dentro de uma gaiola, mesmo que suas asas e pés não estejam presos, ele só pode mover-se dentro da gaiola”. Ao ouvi-lo dizer essas falácias, fiquei indignado e retruquei com raiva: “Então o governo nacional está mentindo para o seu povo!” Quando me ouviram dizer isso, entenderam que estavam errados e não tinham nada mais a dizer, então me deixaram ir para casa. Naquela época, eu não tinha ideia do tamanho da perseguição do governo chinês aos crentes até 1999, quando aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso para os últimos dias. Por meio da leitura das palavras de Deus e de sofrer perseguição ainda mais cruel por parte do governo chinês, pude ver claramente que a China era a personificação do espírito maligno de Satanás, era o inimigo de Deus, de que fala a Bíblia: “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo” (Apocalipse 12:9).

Logo após as cinco horas, na manhã do dia 28 de junho de 2002, eu estava me preparando para ir a uma reunião com alguns irmãos e irmãs quando, de repente, ouvimos batidas fortes na porta. Escondemos rapidamente os livros da palavra de Deus e, em seguida, abrimos a porta. Sem que esperássemos, quando a porta se abriu, uns doze policiais entraram correndo. Empunhavam cassetetes elétricos e armas e nos obrigaram a nos agacharmos, com as mãos na cabeça. Depois que esses policiais cruéis nos detiveram, como bandidos invadindo uma aldeia, entraram em cada cômodo, fazendo a maior bagunça: puxaram os lençóis de nossas camas, as roupas e os espalharam pelo chão. No passado eu havia assistido na televisão cenas do crime organizado e de bandidos saqueando e roubando, mas nunca imaginei que a “polícia do povo” agiria exatamente como os tiranos e bandidos na TV. Naquela hora fiquei extremamente temeroso e preocupado de que eles encontrassem os livros da palavra de Deus. Eu orava sem parar em meu coração e pedia a Deus para nos guardar e nos proteger. Depois de orar, vi os feitos maravilhosos de Deus. Eles vasculharam a casa toda, procuraram e confiscaram os nossos pertences, mas não encontraram os livros da palavra de Deus. Eu sabia que isso era a onipotência e a proteção de Deus e sabia que Ele estava conosco, e a minha fé em Deus aumentou. Depois, levaram-nos para a delegacia de polícia e, à noite, nos transferiram para um centro de detenção e lá nos trancaram. Três dias depois, a polícia aplicou a cada um de nós uma multa de 300 yuans [cerca de R0,00] que tivemos que pagar para sermos postos em liberdade. Ao ver o governo da China agir como predadores rudes e irracionais que despojam o povo de sua liberdade religiosa, senti um profundo ressentimento e lembrei-me na hora das palavras de Deus: “Durante milhares de anos, essa tem sido a terra da imundice, é insuportavelmente suja, a miséria abunda, fantasmas correm desenfreados por toda parte, enganando e iludindo, fazendo acusações infundadas,[1] sendo impiedosos e viciosos, pisoteando essa cidade fantasma e a deixando coberta de cadáveres; o fedor da decadência cobre a terra e permeia o ar, e é fortemente vigiada.[2] Quem é capaz de enxergar o mundo além dos céus? […] Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado!” (de ‘Obra e entrada (8)’ em “A Palavra manifesta em carne”). Nesta cidade fantasma da China, o partido governante da China arvora bandeiras promovendo a “liberdade religiosa e a liberdade de direitos humanos”, mas, na verdade, eles perseguem a Deus sem qualquer pudor, encarceram e perseguem o povo que segue a Deus. Eles não permitem que as pessoas creiam em Deus e trilhem a senda correta da vida. E estavam ansiosos para eliminar todos os crentes de uma só vez. Não tínhamos transgredido a lei nem feito nada de errado. Tudo o que fizemos foi compartilhar o evangelho para que as pessoas viessem a conhecer a Deus e adorá-Lo, rompendo com uma vida de trevas e dor. Ainda assim, a polícia da China queria nos prender, nos deter e aplicar-nos uma multa, em vez de se preocupar com os malfeitores envolvidos em prostituição, assassinatos, incêndios criminosos, fraudes e trapaças. Eles permitiam que essas pessoas do mal saíssem impunes de seus crimes. À luz dos fatos, pude ver que o governo da China era um grupo demoníaco que resistia a Deus, cegava e enganava as pessoas: eram o inimigo de Deus.

Em 28 de novembro do mesmo ano, eu e alguns irmãos e irmãs estávamos compartilhando o evangelho com um líder religioso. Mas fomos delatados por uma pessoa má e cerca de uma dúzia de policiais cercaram o nosso prédio e irromperam pela porta. Eles empunhavam armas e cassetetes e gritaram: “Ninguém se mexa! Coloquem as mãos para cima!” Eles nos revistaram e roubaram o nosso dinheiro e objetos de valor, totalizando mais de 5.000 yuans [cerca de R.600,00]. Mandaram-nos colocar as mãos na cabeça e nos agacharmos virados para a parede. Duas jovens estavam assustadas e eu disse para elas: “Não fizemos nada de mal, não tenham medo”. Assim que eu disse isso, vários policiais avançaram sobre mim e me deram tapas e chutes, derrubando-me ao chão. Deixaram todos os cômodos de pernas para o ar, transformando-os em uma bagunça. Foram mais ferozes e bárbaros que bandidos saqueando uma aldeia. Uma irmã não quis sair de um dos quartos e um policial iníquo correu e a agarrou com força, puxando-a para fora. Outro policial perverso viu que ela era muito bonita e começou a molestá-la, tocando em seu corpo todo. A irmã gemeu desesperadamente e, felizmente, o proprietário chegou a tempo de acabar com aquilo, o que permitiu à irmã escapar da coerção. Naquele momento, pude ver claramente que slogans como “a polícia do povo é para o povo e, se precisar de ajuda, chame a polícia” e “a polícia é a guardiã do povo” eram tudo mentiras. Esses policiais iníquos eram simplesmente um bando de malfeitores e gângsteres locais! Em seguida, trancaram-nos no carro da polícia e nos levaram para a delegacia. Depois nos algemaram no corredor por dois dias e duas noites, sem nos dar nada para comer ou beber. Eu orava sem cessar em meu coração e pedia a Deus para nos guiar e nos dar a fé e a força para que pudéssemos dar um testemunho naquele ambiente. Mais tarde, a polícia interrogou um irmão, e por não ficarem satisfeitos com as respostas dele, alguns policiais malignos o seguraram no chão enquanto outro policial maligno enchia a boca desse irmão com fezes de cão. O estado mental desse irmão foi seriamente afetado. Ao ver essa situação miserável, o meu coração ficou extremamente angustiado e inflamou-se uma fúria dentro de mim. Eu queria poder me levantar e cortá-los em pedaços, mas a palavra de Deus guiou meu coração: “Sinto certa compaixão por Meus irmãos e irmãs que também vivem nesta terra de imundície, por isso desenvolvi um ódio pelo grande dragão vermelho. […] Todos nós somos suas vítimas. Por essa razão, Eu o odeio do fundo do coração e mal posso esperar para vê-lo destruído. Quando, porém, volto a pensar nisso, é inútil e só causa problemas a Deus, razão pela qual volto para estas palavrasconcentro Meu coração no cumprimento de Sua vontadea amar a Deus. […] viver uma vida cheia de significado e brilho. Com isso, poderei morrer sem remorsos, com um coração cheio de satisfação e conforto. Você gostaria de fazer isso? Você é alguém com esse tipo de determinação?” (de ‘A senda… (2)’ em “A Palavra manifesta em carne”). A palavra de Deus me acalmou e, na tentativa de entender Sua palavra, pude entender Sua vontade. De fato, Deus despreza grandemente esses demônios, Ele quer destruir a todos eles imediatamente, mas, para consumar Sua obra dos últimos dias e nos aperfeiçoar, Ele precisa utilizar os esforços de Satanás. Deus usa essa perseguição para nos dar discernimento, o que nos permite ver por completo a face repulsiva e a substância demoníaca do governo do Partido Comunista da China. Assim, podemos rejeitá-lo e quebrar relações com ele e voltar inteiramente o nosso coração sincero para Deus. Deus está sempre suportando a perseguição implacável do Partido Comunista da China para obter melhores resultados em Sua obra. Então, o que é essa pequena tribulação que eu tenho que sofrer para poder obter a salvação como parte da criação? Deus me iluminou e me deu fé e força, por isso quero imitar Cristo e estar firmemente decidido a realizar a vontade de Deus — buscar amá-Lo! Naquela altura, eu só desejava que Deus nos conduzisse e nos preservasse para darmos testemunho por meio das perseguições de Satanás. Eu queria que pudéssemos usar o nosso amor a Deus para contra-atacar os ardis de Satanás para que ele fosse vencido vergonhosamente.

Na terceira noite, a polícia injusta nos transferiu para o Gabinete de Segurança Pública do Município e ali nos interrogaram a noite toda. Um diretor-adjunto primeiro usou de palavras lisonjeiras para seduzir-me, dizendo: “Fale! Você tem esposa, filhos e seus pais em casa que precisam de você para cuidar deles! Se você falar logo, poderá ir para casa, OK?” Depois de ouvir essas palavras, fiquei um pouco tentado e pensei: “Se eu lhes disser algumas poucas coisas insignificantes, então poderei ir embora e não terei que ficar aqui e sofrer”. Naquele momento, fui despertado pelas palavras de Deus: “Não terei mais misericórdia daqueles que não Me ofereceram sequer um pingo de lealdade em tempos de adversidade, pois Minha misericórdia vai só até esse ponto. Além disso, não tenho apreço algum por quem quer que já tenha Me traído e gosto ainda menos de Me associar com quem trai os interesses de seus amigos. Esse é Meu caráter, seja quem for a pessoa” (de ‘Você deve preparar boas ações suficientes para seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”). Por meio das palavras majestosas de Deus, era como se eu pudesse vê-Lo olhando para mim, esperando pela minha resposta. Assim, afastei rapidamente o pensamento e com séria retidão, respondi: “Eu não planejei sair daqui desde que cheguei!” Quando o policial iníquo viu que seu truque não estava funcionando, ele expôs sua face demoníaca real, e o vice-diretor levantou um balde de excremento de porcos sobre a minha cabeça como se fosse derramá-lo sobre mim. Eu disse a ele: “Esta é uma punição cruel e incomum que você está usando para extorquir uma confissão”. Quando ele me ouviu dizer isso, na mesma hora parou e abaixou o balde de excremento, sem derramá-lo sobre mim. Outro policial iníquo, que estava usando sapatos de couro, pisou com toda força em meu dedão do pé com o calcanhar e girou e girou até eu não aguentar mais. A dor lancinante passou para o meu corpo inteiro e eu gritei de dor. A minha roupa ficou encharcada de suor, mas o maldito policial encheu-se de ira e continuou a pisar e torcer o calcanhar até que a unha do meu dedão se soltou. A essa altura, o meu dedo já estava mutilado e ensanguentado. Na minha dor extrema, clamei persistentemente a Deus, pedindo-Lhe para proteger o meu coração para que eu não me rendesse a Satanás e, assim, pudesse dar testemunho de Deus. A crueldade do diabo ultrapassa tudo isso. Eu vi um irmão voltando do interrogatório e ele havia sido torturado até à beira da morte. O corpo dele todo estava ferido e marcado e parecia que ele estava morrendo. Os policiais iníquos ficaram com medo de que ele pudesse morrer, então, com muita relutância, o soltaram. Mais tarde, eles me levaram junto com um irmão e uma irmã para a equipe da SWAT da cidade para mais interrogatórios.

Quando chegamos na equipe da SWAT, os policiais malditos nos forçaram a nos despir completamente, em seguida, algemaram as nossas mãos e colocaram correntes em torno dos nossos pés. Então, obrigaram-nos a dar três voltas no pátio para nos humilhar. Depois, prenderam-nos em celas separadas. As pessoas que estavam ali encarceradas eram todos assassinos, todos eles eram como demônios e monstros. Os policiais iníquos ordenaram que os prisioneiros me torturassem, mas, por causa da proteção de Deus, os prisioneiros não apenas não mexeram comigo, como, na verdade, cuidaram de mim. Depois de quatro dias, a polícia tentou forçar-me a trair a Deus e delatar meus irmãos e irmãs, mas eu nada dizia. Eles levaram a mim e a outro irmão e nos arrastaram para o pátio, onde nos algemaram e colocaram grilhões em torno dos nossos pés. Colocaram sacos pretos na nossa cabeça e nos penduraram em uma árvore no meio do pátio. Com uma crueldade desvairada, espalharam formigas na árvore inteira, que rastejavam sem parar pelo nosso corpo para nos morder. A tortura de milhares de picadas de formigas era semelhante à tortura de milhares de flechas atravessando o coração, o que fez a morte parecer mais atraente do que viver. Só me restava naquele instante orar a Deus com todas as minhas forças para proteger meu coração e espírito, para que Ele me desse força e coragem em meu sofrimento, ajudando-me a resistir para não traí-Lo. Naquele momento, as palavras de Deus surgiram em minha mente: “[…] para que a Minha glória possa encher o cosmo, todas as pessoas sofrem a última dificuldade por Mim. Vocês entendem a Minha vontade? Essa é a exigência final que Eu faço do homem, o que significa dizer que Eu espero que todas as pessoas possam dar um testemunho forte e ressonante de Mim diante do grande dragão vermelho, que elas possam se oferecer a Mim uma última vez e cumprir as Minhas exigências uma última ocasião. Vocês podem verdadeiramente fazer isso? Vocês foram incapazes de satisfazer Meu coração no passadovocês poderiam quebrar esse padrão no último momento?” (de ‘Capítulo 34’ das Palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus deram ânimo ao meu coração. Deus sofreu, sendo perseguido de todas as maneiras possíveis pelo governo do Partido Comunista da China, para nos salvar. Deus não tinha onde reclinar a cabeça. Hoje sou capaz de sofrer com Cristo; esse é o amor de Deus e Sua exaltação para mim. Enquanto eu for capaz de dar glória a Deus, estarei feliz e disposto a morrer. Eu confiava na palavra de Deus para subsistir a cada minuto e segundo de dor. Ficamos suspensos na árvore por dois dias e duas noites. No terceiro dia, eu realmente não aguentava mais. Era o início do inverno e estava chovendo, e tudo o que eu estava vestindo era uma única peça de roupa sem forro. Eu estava pendurado na árvore com os meus pés descalços e não havia comido nem bebido nada. O sofrimento da fome e do frio, bem como a dor insuportável, me fizeram desejar a morte; tudo o que eu podia fazer era orar com todas as minhas forças. O meu maior medo era que, por causa da fraqueza da carne, eu não fosse capaz de lidar com a tortura e acabasse traindo a Deus. No meio da minha dor, lembrei-me do apóstolo Estêvão, da Era da Graça. Ele foi apedrejado até a morte pela multidão porque estava pregando o evangelho do Senhor Jesus. Antes de morrer, pediu a Deus que aceitasse o espírito dele. Assim sendo, orei a Deus: “Ó Deus, a minha carne é muito fraca e agora estou sentindo mais dor do que eu possa suportar. Toma o meu espírito, porque eu prefiro morrer a Te trair”. Depois da oração, o milagre mais inesperado aconteceu: tive uma experiência fora-do-corpo e fui levado a um gramado. Era um vasto gramado verde exuberante, com vacas, bois e ovelhas por toda a volta. O meu estado de espírito ficou especialmente relaxado e louvei a Deus em alta voz: “Deus encarnado apareceu na China, expressando a verdade para julgar e purificar as pessoas. Como uma espada afiada, Suas palavras estão repletas de autoridade, julgando, purificando e trazendo salvação para o Seu povo. Louvadas sejam a onipotência e a sabedoria de Deus por colocar o grande dragão vermelho a Seu serviço, formando um grupo de vencedores e derrotando as forças de Satanás. Louvado seja o caráter justo de Deus por ter sido completamente revelado. Louvado seja Deus Todo-Poderoso por estar humildemente oculto e ser tão amável! Louvado seja Deus Todo-Poderoso! Teus feitos são realmente maravilhosos! Louvado seja Deus Todo-Poderoso pela glória que Ele ganhou. O relâmpago reluz do Oriente para o Ocidente, e virgens sábias são atraídas para a luz. Pessoas de cada nação e terra retornam para diante de Deus, curvando-se para adorar a Deus e aceitando Seu julgamento. Louvado seja Deus por retornar nos últimos dias para conceder à humanidade o caminho da vida eterna. Louvado seja o julgamento justo de Deus por purificar e trazer salvação para a humanidade. Louvado seja Deus por ter completado Sua grande obra e por Suas palavras terem realizado tudo. Todas as nações e todos os povos estão cantando louvores ao querido Deus Todo-Poderoso. Toda a criação de Deus vem louvar Deus Todo-Poderoso. Louvado sejas, Deus Todo-Poderoso! Todos vêm para Ti louvar! Louvado sejas! Louvado seja Deus Todo-Poderoso!” (de ‘Todas as nações e todos os povos louvam Deus Todo-Poderoso’ em “Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”). Enquanto eu imergia completamente nessa incomparável alegria e experimentava os limites da liberdade, a fome, o frio e a dor de estar pendurado na árvore, como também a dor das mordidas das formigas, tudo desapareceu. Quando eu acordei, já era a terceira noite e os policiais iníquos tiraram-me da árvore. Eu fiquei pendurado por três dias e não somente não morri, como também estava cheio de espírito. Esse realmente era o grandioso poder e a proteção milagrosa de Deus! Rendi fervente graças e louvor a Deus.

No quarto dia, os malditos policiais interrogaram-me novamente e tentaram obrigar-me a delatar meus irmãos e irmãs; também tentaram me obrigar a admitir que eu acreditava em uma seita, fazendo-me trair a Deus e abandonar o verdadeiro caminho. Deus me iluminou e fez-me pensar na palavra Dele: “Enquanto passam por provações, é normal que as pessoas estejam fracas ou tenham negatividade dentro delas, que lhes falte clareza quanto à vontade de Deus ou quanto à senda para a prática. Mas, em todo caso, você deve ter fé na obra de Deus e não negar Deus, como Jó” (de ‘Aqueles que hão de ser aperfeiçoados devem passar pelo refinamento’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus deram-me coragem para pôr em prática a verdade e testificar Dele. Custasse o que custasse, eu não poderia resistir a Deus ou blasfemar contra Ele. Assim, com ousadia e confiança, eu disse: “Eu creio no Deus Todo-Poderoso, que é o único e verdadeiro Deus governando sobre todas as coisas! Eu não acredito em uma seita maligna, vocês estão distorcendo a verdade e me incriminando!” Quando um dos policiais malignos me ouviu dizer isso, ficou fora de si, pegou um banquinho de madeira comprido e começou a espancar-me loucamente com ele. Ele me bateu tanto que eu estava cuspindo sangue. Fiquei paralisado e prostrado no chão. Quando viram que eu estava inconsciente, jogaram água fria em mim para me acordar e continuar a me bater. Durante esse espancamento demoníaco e desumano, o meu peito e as minhas costas estavam cheios de hematomas e eu tinha sofrido muitos danos internos. Uma semana depois, a minha urina era só sangue e o meu rim direito estava gravemente afetado (ainda hoje sinto muitas dores). Um mês depois, os policiais iníquos não conseguiram encontrar nenhuma prova, por isso forjaram alguns materiais falsos e obrigaram-me a assinar. Então me encarceram no centro de detenção municipal. Três meses depois, culparam-me de “destruir a aplicação das leis sociais” e me condenaram a um ano de reabilitação por meio de trabalho. No campo de trabalho forçado, vivi uma vida desumana. Todos os dias eu passava fome e tinha que trabalhar cerca de doze horas por dia. Eu era com frequência importunado e insultado pela polícia carcerária. Eles me batiam com cassetetes elétricos ou me trancavam em um quarto pequeno e escuro. Se não fosse por Deus cuidando de mim e me protegendo, eu teria sido torturado até a morte por aquela polícia perversa. Em 7 de novembro de 2003, a minha pena se encerrou e fui liberado do inferno na terra.

Depois de sofrer cruel perseguição, finalmente vi com clareza que as proclamações do governo do Partido Comunista da China, como “o partido comunista é bom, glorioso e correto” e “a China tem liberdade religiosa”, entre outras coisas, são, na verdade, apenas expressões de uma conspiração sinistra para enganar o público e ludibriar os cidadãos. Odeio esse diabo velho do fundo do meu coração. Ele fala palavras lisonjeiras e faz coisas muito más. Com o intuito de banir a obra de Deus dos últimos dias e fazer da China um país ateísta, ele persegue e mata os crentes sem nenhum pudor. Seu nível de crueldade já atingiu altos patamares e tem feito as pessoas ferverem de raiva! Eu penso em como fui constante e cruelmente torturado, forçado a fazer confissão e atormentado com crueldade por demônios durante o meu processo de interrogatório. Fui nocauteado em várias ocasiões, e se não fosse a proteção de Deus, eu teria sido engolido por aqueles demônios. Nos momentos de maior fraqueza minha, a palavra de Deus Todo-Poderoso continuamente me encorajava: “Vocês já aceitaram as bênçãos que lhe foram dadas? Alguma vez vocês já procuraram as promessas que foram feitas para vocês? Vocês certamente irão, sob a orientação da Minha luz, romper a repressão das forças das trevas. Certamente, no meio da escuridão, não vão perder a luz que os guia. Vocês certamente vão ser o mestre de toda criação. Vocês certamente serão vencedores diante de Satanás. Vocês certamente, na queda do reino do grande dragão vermelho, levantar-se-ão no meio das miríades das multidões para dar testemunho da Minha vitória. Vocês certamente serão firmes e inabaláveis na terra de Sinim. Através dos sofrimentos que vocês suportam, vão herdar a bênção que vem de Mim, e certamente irradiarão Minha glória por todo o universo” (de ‘Capítulo 19’ das Palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus deram-me algo sólido em que confiar! Elas me permitiram desfrutar da iluminação e orientação de Deus durante a minha dor e fraqueza extremas, e foi a única coisa que me fez suportar aqueles longos e tenebrosos dias. Mesmo que eu tenha sido preso e perseguido diversas vezes pelo governo do Partido Comunista da China e a minha carne tenha sofrido crueldades e tormentos implacáveis, eu genuinamente compreendo muitas verdades que não compreendia no passado e vejo claramente a substância demoníaca do mal reacionário do governo chinês. Também tenho experimentado o verdadeiro amor de Deus Todo-Poderoso por mim e provado da sabedoria e dos feitos maravilhosos Dele. Isso me desperta para buscar amá-Lo e agradá-Lo. Hoje, ainda cumpro o meu dever na igreja como fazia no passado. Sigo a Deus na senda correta da vida, busco a verdade e procuro viver uma vida com propósito.

Notas de rodapé:

1. “Fazendo acusações infundadas” se refere aos métodos por meio dos quais o diabo prejudica as pessoas.

2. “Fortemente vigiada” indica que os métodos que o diabo usa para afligir as pessoas são particularmente perversos e controlam tanto as pessoas que elas não têm espaço para se mover.

Conteúdo Relacionado

  • As riquezas da vida

    Wang Jun Província de Shandong Ao longo dos anos, desde que aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias, eu e minha esposa temos vivencia…

  • A juventude sem arrependimentos

    Xiaowen Cidade de Chongqing “O ‘amor’, refere-se a uma emoção que é pura e sem máculas, em que você usa o coração para amar, sentir e ser atencioso…

  • Provando o amor de Deus em meio à adversidade

    Chen Lu Província de Zhejiang Nasci na década de 1980 em uma aldeia — nós éramos uma família de agricultores por gerações. Eu me joguei em meus est…

  • Em tempos difíceis, a palavra de Deus me encorajou

    Por Chen Hui, Província de Jiangsu Fui criada em uma família comum na China. Meu pai era militar, e por ter sido moldada e influenciada por ele desde …