Ficar em seu lugar em seu dever traz paz

13 de Junho de 2022

Por Jiang Ling, Espanha

Na medida em que o evangelho do reino se espalha, mais e mais pessoas investigam e aceitam a obra de Deus dos últimos dias, e nossos irmãos estão ocupados espalhando o evangelho e regando recém-convertidos. Quando vi que alguns irmãos em minha volta estavam sendo transferidos para pregar o evangelho, fiquei muito animada. Deus apareceu e operou na carne por trina anos. Sua obra está se aproximando do fim, o grande desastre começou, e hoje é o momento crítico para espalhar o evangelho do reino. Espalhar o evangelho é a boa obra maior, Então, seu eu também pudesse pregar o evangelho e trazer mais pessoas até Deus, isso seria perfeito. Eu certamente seria lembrada e abençoada por Deus. Eu vivia na expectativa de poder cumprir esse dever. Visto, porém, que eu era o membro mais antigo do time e era líder de equipe, tal transferência seria improvável. Ainda assim ansiava pelo dia em que eu poderia pregar o evangelho.

Numa reunião, ouvi uma comunhão de irmãos que pregavam o evangelho sobre como confiavam em Deus para trazer alvos evangelísticos para diante de Deus e como, ao fazerem isso, eles viam a orientação de Deus e ganhavam confiança em Deus. Eu os invejei muito quando ouvi isso. Eles pregavam o evangelho para ganhar pessoas e contribuíam para o trabalho da igreja. E eu? Eu passava meus dias criando imagens e eu não sabia o quanto isso contribuía para espalhar o evangelho. Eu temia que não contribuía muito para a casa de Deus. Era difícil dizer se, caso isso continuasse e a obra de Deus terminasse, eu sobreviveria. Mas eu estava sempre ocupada criando imagens, nunca tinha tempo para pregar o evangelho. Pensei: “Já que não posso pregar o evangelho, posso criar mais imagens que meus irmãos possam usar quando eles o fazem. Assim, eu também participaria dos efeitos do trabalho evangelístico”. Na verdade, algumas imagens só precisavam de uma versão para alcançar o efeito desejado, mas eu sempre criava uma versão adicional, por isso, eu levava mais tempo para terminar, o que atrasava o progresso do trabalho. Na época, eu não estava muito interessada em levar minha equipe a estudar habilidades profissionais. Eu sabia remotamente que isso era inapropriado e me senti um pouco culpada, mas não refleti sobre mim mesma. Fui pega de surpresa quando muitas das imagens que eu tinha feito para a pregação foram acidentalmente apagadas. Na época, fiquei muito irritada. Foi quando percebi que havia algo de errado com meu estado, então orei a Deus para buscar: “Deus, não sei por que isso aconteceu. Eu fiz algo que se opôs à Tua vontade? Por favor, guia-me a refletir e conhecer a mim mesma”.

Numa reunião, li esta passagem da palavra de Deus: “À medida que o Meu dia se aproxima, seu desejo vai ficando cada vez mais forte. E, quanto maior o desastre, mais ele os torna impotentes, sem saber por onde começar para Me fazer regozijar e para evitar perder as bênçãos pelas quais ansiaram durante tanto tempo. Tais pessoas ficam ávidas por entrar em ação e servir como a vanguarda assim que Minha mão começa sua obra. Elas pensam apenas em lançar-se bem na linha de frente das tropas, com medo profundo de que Eu não as veja. Fazem e dizem aquilo que pensam estar certo, sem saber que seus feitos e ações nunca foram relevantes para a verdade, e que seus atos simplesmente interrompem e interferem com o Meu plano. Elas podem ter dedicado grande esforço e podem ser verdadeiras em sua vontade e intenção de suportar as dificuldades, mas nada que fazem tem a ver Comigo, porque nunca vi seus feitos vindo de boas intenções, muito menos os vi colocando qualquer coisa em Meu altar. Tais são os feitos que fizeram diante de Mim durante todos esses anos” (‘Vocês precisam considerar seus feitos’ em “A Palavra manifesta em carne”). Contemplei as palavras de Deus e refleti sobre meu estado recente. Vi que, quando os irmãos em minha volta iam pregar o evangelho, eu ficava animada, porque achava que pregar e levar pessoas até Deus é o que Deus mais aprecia e que esse dever é o mais valioso. Mas agora eu só estava criando imagens na obscuridade, e que era difícil saber quão úteis tais imagens eram na pregação, por isso eu temia que não receberia muito mérito nem um bom destino se continuasse cumprindo esse dever. Para mim, os deveres tinham valores diferentes e achava que o trabalho evangelístico valia mais e oferecia uma chance melhor de ser abençoado, enquanto meu dever atual era inútil e oferecia pouca esperança de bênçãos. Quando vi o entusiasmo com que todos espalhavam o evangelho e regavam os recém-convertidos, fiquei invejosa e ansiosa. Eu queria fazer parte da equipe evangelística, estar na linha de frente e fazer contribuições importantes porque achava que, assim, Deus me abençoaria. Quando vi que não tinha chance de fazer trabalho evangelístico, eu quis fazer mais imagens para os irmãos no trabalho evangelístico para aumentar o valor do meu dever, sem me importar se isso atrasava o progresso do trabalho. Só então vi que tudo que eu fazia era motivado pelo desejo de bênçãos. Eu considerava a vontade de Deus nem me despendia por Deus. Também percebi que a perda das imagens era Deus usando o ambiente para me lembrar a refletir e me arrepender antes que fosse tarde demais. Quando percebi isso, meu coração se iluminou, então orei a Deus para dizer que queria obedecer e cumprir meu dever.

Não demorou, e mais irmãos da nossa equipe foram pregar o evangelho, e só restaram poucos de nós. Na hora, perdi o ânimo. Comecei a achar que meu dever era inútil e irrelevante. Pensei: “Gastar tanto tempo e esforço criando imagens e estudando essas habilidades não é em vão? Um dia talvez nem precise mais delas. Outros podem pregar o evangelho, testificar da obra de Deus e trazer pessoas para diante de Deus. Isso é trabalho significativo. Quando finalmente poderei parar de criar imagens?”. Depois disso, me senti desanimada e abatida. Eu era desleixada todos os dias em meu dever e não me interessava por nada. Quando encorajava minha equipe a aprender as habilidades, eu agia sem me envolver. Quando o alarme tocava de manhã, eu nem queria me levantar. Àquela altura, percebi que meu estado estava errado e me perguntei: “Eu sempre gostei desse dever, por que estou tão cansada dele agora? Por que sempre quero pregar o evangelho?”. Vim para diante de Deus para refletir sobre mim mesma.

Um dia li esta passagem da palavra de Deus: “O propósito de acreditar em Deus é obter bênçãos. Isso não existe no coração de todos? É fato que existe. Embora as pessoas não falem frequentemente sobre isso e até encubram o seu motivo e o desejo de obter bênçãos, esse desejo e esse motivo, no fundo do coração das pessoas, sempre foi inabalável. Não importa quanta teoria espiritual as pessoas entendam, que experiência ou conhecimento tenham, que dever possam cumprir, quanto sofrimento suportem ou quanto paguem, elas nunca abandonam a motivação de obter bênçãos escondida no fundo do coração e sempre trabalham em silêncio a seu serviço. Não é essa a coisa mais profundamente enterrada dentro das pessoas? Sem essa motivação de receber bênçãos, como vocês se sentiriam? Com que atitude cumpririam seu dever? O que aconteceria se essa motivação de receber bênçãos que está escondida no coração das pessoas fosse eliminada? Talvez muitas pessoas se tornariam negativas, enquanto algumas poderiam ficar desmotivadas nos seus deveres. Perderiam o interesse na sua crença em Deus, como se a sua alma tivesse desaparecido. Seria como se a sua alma tivesse sido arrebatada. É por isso que digo que a motivação de obter bênçãos é a coisa mais profunda nas pessoas. Talvez, ao cumprir o seu dever ou ao viver a vida de igreja, elas se sentiriam capazes de abandonar suas famílias e de se despender alegremente por Deus, e sentiriam que agora tinham conhecimento da sua motivação de receber bênçãos e tinham renunciado a essa motivação, e já não eram mais governadas ou constrangidas por ela. Então, pensariam que já não tinham a motivação de ser abençoadas, mas Deus acreditaria o contrário. As pessoas só veem as coisas superficialmente. Sem provações, elas se sentem bem consigo. Contanto que não abandonem a igreja, não neguem o nome de Deus e persistam em se despender por Deus, elas acreditam que mudaram. Sentem que já não são movidas por entusiasmo pessoal ou impulsos momentâneos no cumprimento do seu dever. Em vez disso, acreditam que podem buscar a verdade e que podem buscar e praticar a verdade continuamente no cumprimento do seu dever, para que os seus caracteres corruptos possam ser purificados e elas possam alcançar alguma mudança genuína. Contudo, quando acontecem coisas que estão diretamente relacionadas ao destino e ao fim de alguém, seu comportamento revela completamente a sua verdade em sua totalidade” (‘Seis indicadores de crescimento na vida’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus revelou meu estado verdadeiro. Lembrei-me de que, quando comecei a criar imagens e descobri a importância do trabalho profissional, eu me concentrei em estudá-lo, quis cumprir bem o meu dever. Mais tarde, tornei-me líder de equipe. Embora soubesse que teria que trabalhar e sofrer mais, eu nunca fugi disso. Acreditava que contribuir em deveres importantes seria abençoado por Deus e que, quanto mais alto fosse o preço que pagava, mais eu receberia. Quando vi cada vez menos pessoas em nossa equipe, achei que esse tipo de dever profissional não era importante e que não havia desenvolvimento futuro para mim criando imagens, por isso, não quis mais esse dever. Mesmo se esse dever aproveitasse ao máximo os meus pontos fortes, eu não o queria. Eu estava mais interessada em pregar o evangelho. Naquele tempo, dei quase atenção nenhuma às minhas tarefas, o que me tornou cada vez menos eficiente em meu trabalho. Só então percebi que meu desejo de bênçãos em minha crença em Deus nunca tinha mudado. Queria usar meu dever e fazer contribuições em troca de um destino lindo. Eu tinha experimentado muitos ambientes nos últimos anos de crença em Deus e achava que minha busca nela tinha mudado. Agora, achava que realmente tinha começado a me despender por Deus, mas os fatos expuseram a adulteração da minha crença em Deus e minha estatura real. Quando meu dever não satisfazia meu desejo por bênçãos, eu me voltava contra ele, resistia e me desligava dele. Como podia alegar que tinha uma consciência? Ou humanidade? Quando pensei nisso, senti remorso e culpa. Orei a Deus com lágrimas nos olhos: “Deus! Sou tão rebelde! Obrigada por usar esse ambiente para me revelar e fazer-me ver a busca equivocada em minha crença em Deus. Não desejo mais buscar bênçãos em minha crença. Não importa o dever que cumpra, só quero me submeter aos Teus arranjos e orquestrações. Por favor, guia-me a conhecer melhor a mim mesma”.

No dia seguinte, durante meus devocionais, li uma passagem da palavra de Deus. Deus diz: “Nos últimos dias, Deus vem encarnado para operar, expressa muitas verdades, revela à humanidade todos os mistérios do plano de gerenciamento de Deus e fornece todas as verdades que as pessoas devem entender e nas quais devem entrar para serem salvas. Essas verdades e essas palavras de Deus são tesouros para todos os que amam coisas positivas. As verdades são exigidas pela humanidade corrupta e são também tesouros inestimáveis para a humanidade. Cada parte da palavra, das exigências e da vontade de Deus são coisas que as pessoas devem entender e compreender, são coisas às quais as pessoas devem obedecer para alcançar salvação e são verdades que os seres humanos devem ganhar. Mas os anticristos veem essas palavras como teorias e slogans, se fingem de surdos diante delas ou até as desprezam e negam. Os anticristos consideram que as coisas mais preciosas na humanidade são as mentiras dos charlatães. Os anticristos acreditam que não há Salvador, muito menos verdade ou coisas positivas no mundo. Eles pensam que qualquer coisa bela ou benéfica deve ser conquistada por mãos humanas e obtida pela luta humana. Os anticristos pensam que as pessoas sem ambições e sonhos nunca serão bem-sucedidas, mas o seu coração está cheio de doença e ódio pela verdade expressa por Deus. Eles consideram as verdades expressas por Deus como teorias e lemas, mas consideram poder, interesses, ambição e desejo como coisas justas a serem buscadas e que merecem seu empenho. Também utilizam o serviço prestado com os seus dons como meio para fazer negócios com Deus numa tentativa de entrar no reino dos céus, obter coroas e desfrutar de bênçãos maiores. Isso não é maligno? Como eles interpretam a vontade de Deus? Eles dizem: ‘Deus determina quem é o chefe observando quem se despende e sofre mais por Ele e quem paga o preço mais alto. Ele determina quem pode entrar no reino e quem recebe coroas observando quem é capaz de correr por aí, falar eloquentemente e quem tem o espírito de um bandido e consegue tomar coisas à força. Como disse Paulo: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada” (2Tm 4:7-8)’. Eles seguem as palavras de Paulo e acreditam que as palavras de Paulo são verdadeiras, mas ignoram as exigências e as declarações de Deus para a humanidade, pensando: ‘Essas coisas não são importantes. O que importa é que, uma vez que eu tenha combatido e acabado a minha carreira, há uma coroa à minha espera no final. Isso é verdade. Não é isso que Deus quer dizer? Deus falou milhares e milhares de palavras e proferiu inúmeros sermões. O que Ele quer dizer às pessoas é que, se você quiser coroas e recompensas, cabe a você lutar, combater, apoderar-se e tomar’. Essa não é a lógica dos anticristos? No fundo do seu coração, é assim que os anticristos veem a obra de Deus, e é assim que eles interpretam a palavra de Deus e o plano de gerenciamento. Seu caráter é maligno, não é? Eles distorcem a vontade de Deus, a verdade e todas as coisas positivas. Eles consideram o plano de gerenciamento de Deus para salvar a humanidade como uma transação nua e consideram o dever que o Criador exige que a humanidade desempenhe como uma expropriação, agressão, enganação e transação nua. Isso não é o caráter maligno dos anticristos? Os anticristos acreditam que, para obter bênçãos e entrar no reino dos céus, eles devem obter isso através de uma transação e que isso é justo, sensato e muito legítimo. Não é essa a lógica do maligno? Não é essa a lógica satânica? Os anticristos sempre têm tais opiniões e atitudes no seu coração, o que prova que o caráter dos anticristos é maligno” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 7)’ em “Expondo os anticristos”). A revelação na palavra de Deus comoveu meu coração. Deus expressa a verdade para prover para as pessoas e salvá-las. Essa é a grande salvação que Deus concede à humanidade, e as pessoas devem amar e obedecer às palavras de Deus. Mas os anticristos têm caracteres malignos e nunca levam a verdade expressada por Deus a sério. Em vez disso, colocam seus interesses acima de tudo. Pegam coisas positivas como a expressão da verdade por Deus para salvar pessoas e a distorcem em transações entre pessoas e Deus, achando que aquele que fizer mais trabalho e sofrer mais receberá bênçãos maiores de Deus. Fazem sacrifícios e se despendem por Deus como meio para pedir remuneração a Deus, para alcançar seu objetivo de ser abençoados. Quando cumprem seus deveres desse jeito, eles enganam e usam Deus e brincam com a verdade, e eles são odiados e condenados por Deus. Percebi que meus motivos e opiniões sobre a busca na crença em Deus e no dever eram iguais aos dos anticristos. Eu via a obra de Deus de salvar as pessoas como transação e achava que minha crença em Deus e meu dever deviam ser pagos como salários, como se aquele que trabalhava e contribuía mais merecesse as maiores coroas e bênçãos e aquele que trabalhava e contribuía menos tivesse menos esperança de ser salvo. Por isso, queria pregar o evangelho, mesmo que fosse exaustivo ou difícil, e quando meu desejo não se cumpriu, fiquei desleixada. Em que minhas buscas, pensamentos e opiniões eram diferentes dos anticristos e descrentes? Eu acreditava em Deus, mas praticava “Cada um por si e o demônio pega quem fica por último”, “Nunca mexa um dedo sem recompensa” e outras filosofias satânicas. Em tudo, eu usava meus interesses para avaliar meu dever e minha atitude em relação a ele. Eu sempre queria deveres mais importantes para me exibir mais e para que todos vissem meus esforços, pois achava que, assim, eu ganharia um bom destino na minha fé. Minhas opiniões sobre a busca e todas as minhas ações eram tão vergonhosas e malignas! Como isso era praticar a verdade e cumprir meu dever? Tudo que fazia era negar a verdade e resistir a Deus. Lembrei-me de Paulo, que queria trocar seus esforços por uma coroa. Embora tivesse pregado o evangelho por toda a Europa, sofrido muito e pago um preço alto, ele não se despendeu por Deus, ele queria recompensas e entrar no reino de Deus, razão pela qual ele disse: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada” (2 Timóteo 4:7-8). As palavras de Paulo faziam ameaças e exigências a Deus. Sua insinuação era que, se Deus não o coroasse e recompensasse, Deus não seria justo. Paulo acreditou em Deus por muitos anos, e embora tivesse viajado e sofrido muito, seus atos e ações iam contra Deus, por isso ele foi condenado e amaldiçoado por Deus. Só então percebi que buscar bênçãos em minha crença em Deus é um beco sem saída. Tal busca é hostil a Deus e, no fim, será punida por Deus. Também agradeci a Deus por esse ambiente, que me deu a chance de refletir sobre mim mesma. Caso contrário, eu nunca teria percebido que minha crença em Deus estava adulterada nem teria percebido como eram malignas as minhas buscas e como Deus odeia e se enoja com isso.

Depois disso, li duas passagens da palavra de Deus: “Como ser criado, quando você vem para diante do Criador, você deve cumprir o seu dever. É a coisa correta a se fazer e é a responsabilidade sobre seus ombros. Com base no fato de que os seres criados cumprem seus deveres, o Criador fez obra maior entre a humanidade. Ele realizou mais um passo de obra na humanidade. E que obra é essa? Ele provê a humanidade com a verdade, permitindo que ela ganhe a verdade Dele ao cumprir o seu dever e ao se livrar de seu caráter corrupto e ser purificada. Assim, as pessoas vêm a satisfazer a vontade de Deus e a embarcar na senda correta na vida e, por fim, elas são capazes de temer a Deus e evitar o mal, alcançar salvação completa e não mais estar sujeitas às aflições de Satanás. Esse é o efeito que Deus quer que a humanidade alcance no fim através do cumprimento de seu dever. Portanto, o processo de cumprir não é meramente levá-lo a ver uma coisa claramente e a entender um pouco da verdade, nem é meramente capacitá-lo a desfrutar da graça e das bênçãos que você recebe ao cumprir o seu dever como um ser criado. É, antes, permitir que você seja purificado e salvo e, no fim, passe a viver na luz da face do Criador” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 7)’ em “Expondo os anticristos”). “Seres criados deveriam cumprir seu dever para receber a aprovação do Criador. Seres criados deveriam viver sob o domínio do Criador. Deveriam aceitar tudo que é fornecido por Deus e tudo que vem de Deus, e deveriam cumprir suas responsabilidades e obrigações. Isso é ordenado pelo Céu e reconhecido pela Terra; é o decreto de Deus. Isso mostra que, para as pessoas, o cumprimento do dever de um ser criado é mais justo, mais lindo e mais nobre do que qualquer outra coisa feita durante a vida no mundo do homem; nada em meio à humanidade é mais significativo ou digno e nada traz maior significado e valor para a vida de ser criado do que cumprir o dever de um ser criado. Não é verdade? Um ser criado ser capaz de cumprir o dever de ser criado, ser capaz de satisfazer o Criador, é a coisa mais maravilhosa em meio à humanidade e é algo que deve ser celebrado pela humanidade. Qualquer coisa confiada pelo Criador aos seres criados deve ser aceita por elas incondicionalmente; para a humanidade, isso é algo abençoado e glorioso, e para toda a humanidade que cumpre o dever de um ser criado, nada é mais maravilhoso ou digno de comemoraçãoé algo positivo. E quanto a como o Criador trata aqueles que cumprem o dever de um ser criado e o que lhes promete, isso é um assunto do Criador e não interessa à humanidade criada. Franca e claramente, isso cabe a Deus, e o homem não tem o direito de interferir. Você receberá o que Deus lhe der, e se Ele não lhe der nada, não há nada que você possa dizer a respeito. Quando um ser criado aceita a comissão de Deus e coopera com o Criador para cumprir seu dever e fazer o que puder, isso não é uma transação ou um negócio; pessoas não devem tentar usar alguma atitude ou algo para trocar por bênçãos ou promessas de Deus” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 7)’ em “Expondo os anticristos”). A palavra de Deus me fez sentir culpa e remorso. Dentre todas as pessoas, Deus me escolheu, me deu a verdade e me mostrou como viver uma vida significativa, como me comportar e que senda eu devo escolher na vida. Como ser criado, eu tinha desfrutado da rega e do suprimento de tantas palavras de Deus, por isso eu devia ser grata e entregar meu coração a Deus, cumprir meu dever incondicionalmente para me despender por Deus, buscar mudança em meu caráter de vida no meu dever e buscar ser alguém que teme a Deus e obedece a Ele. Essas são a consciência e a razão que se deve ter e a senda na vida que se deve seguir. Nos dias que se seguiram, acalmei-me aos poucos e parei de pensar no tempo evangelístico o tempo todo. Consegui me concentrar em meu dever atual e buscar a verdade no dia a dia. Quando pratiquei desse jeito, me senti mais à vontade e segura.

Durante uma reunião, comunguei sobre meu estado e entendimento recentes, e uma irmã me enviou uma passagem das palavras de Deus. “Por fim, se podem alcançar a salvação não depende de que dever as pessoas cumprem, mas de se conseguem entender e ganhar a verdade e de se podem, no fim, submeter-se completamente a Deus, colocar-se à mercê de Seus arranjos e tornar-se um ser criado qualificado. Deus é justo e santo, e esse é o padrão que Ele usa para medir toda a humanidade. Esse padrão é imutável, e você precisa se lembrar disso. Inscreva esse padrão em sua mente e não pense em encontrar alguma outra senda para buscar algo irreal. As exigências e os padrões que Deus tem para todos que querem alcançar a salvação não mudam jamais. Eles continuam os mesmos, seja você quem for. Você só pode alcançar a salvação acreditando em Deus, de acordo com os padrões e exigências de Deus. Se você encontrar outra senda para buscar coisas que são vagas e imaginar que você será bem-sucedido por sorte, você é alguém que resiste e trai a Deus e definitivamente será amaldiçoado e punido por Deus” (“As declarações de Cristo dos últimos dias”). Quando ponderei sobre as palavras de Deus, meu coração se iluminou. Deus não decide o desfecho de uma pessoa com base no dever que cumpriu, em quanto trabalho faz ou em quanto contribui. Isso depende na senda que ela trilha cumprindo seu dever, se ela busca e entende a verdade, se ela consegue obedecer a Deus e se consegue mudar seu caráter de vida. Deus trata todos com justiça. Não importa o dever que você cumpre, você deve se concentrar em buscar a verdade. Se não fizer isso, não importa quão importante seja seu dever, será tudo em vão.

Mais tarde, li mais duas passagens das palavras de Deus, e meu coração se iluminou ainda mais. Deus diz: “O trabalho de espalhar o evangelho é um tipo de trabalho específico e complicado que inclui muitas tarefas separadas. Cada tarefa deve ser feita bem e rapidamente, e essa é a comissão de Deus. Isso deve ser bem-feito e deve tornar-se cada vez mais eficaz para estar de acordo com a vontade de Deus. Todos os outros trabalhos profissionais, tais como filmes, trabalho baseado em texto, música, arte e tradução, existem para apoiar e reforçar o trabalho evangelístico. O trabalho evangelístico é a linha da frente de todo trabalho. Portanto, aqueles que desempenham os vários deveres devem fazer bem o seu trabalho e alcançar os resultados exigidos por Deus. Dessa forma, eles terão uma parte no trabalho de espalhar o evangelho, pois todas essas tarefas existem a serviço da divulgação do evangelho. Todo trabalho deve ser centrado no trabalho de espalhar o evangelho e fornecer-lhe um suprimento inesgotável. Atualmente, todos os materiais, obras, filmes e vídeos necessários para a divulgação do evangelho são criados, nos bastidores, através do esforço de muitas das pessoas escolhidas por Deus. Tudo o que essas pessoas fazem nos bastidores fornece um apoio poderoso ao trabalho de espalhar o evangelho” (“Identificando falsos líderes”). “No trabalho de espalhar o evangelho do reino, todo o trabalho da casa de Deus é governado por regras bem definidas e prossegue de forma ordenada. O trabalho de espalhar o evangelho é uma tarefa crítica, árdua e de longo prazo. Portanto, aqueles que assumem o trabalho evangelístico, quer sejam supervisores, quer sejam pessoas comuns que espalham o evangelho, devem perceber a importância desse trabalho no seu coração. Embora vocês estejam trabalhando na linha da frente do evangelho e cumprindo os seus deveres, na retaguarda, ou seja, nos bastidores, há muitos irmãos e irmãs fazendo vários tipos de trabalho para apoiá-los, e eles são a força que apoia o trabalho de espalhar o evangelho. O que quero dizer com isso? O trabalho inteiro da casa de Deus está centrado na divulgação do evangelho, e os deveres desempenhados por todas as pessoas escolhidas de Deus servem ao propósito de espalhar o evangelho. Não importa o dever que cada uma das pessoas escolhidas de Deus desempenha, tudo está tudo relacionado à divulgação do evangelho. Cada irmão e irmã que desempenha um dever tem uma parte no trabalho evangelístico, e todo tipo de trabalho está intimamente relacionado ao trabalho evangelístico. Em suma, cada tipo de trabalho, incluindo o próprio trabalho evangelístico, é feito para testificar da obra de Deus. Não existe trabalho não relacionado ao testificar da obra de Deus, e todo tipo de trabalho está intimamente relacionado ao trabalho mais importante, que é testificar de Deus. Essa é a verdade” (“Identificando falsos líderes”). A palavra de Deus me mostrou que o dever que as pessoas cumprem, quando e sob qual aspecto o cumprem, tudo é orquestrado e arranjado por Deus. Nossos deveres são a comissão de Deus para nós e a missão que Ele nos dá. Cada dever, não importa em que aspecto, deve espalhar o evangelho do reino de Deus e está intimamente relacionado ao trabalho evangelístico. Aos olhos de Deus, não há distinção entre deveres nobres e baixos. Já que o trabalho tem necessidades diferentes e as pessoas têm pontos fortes diferentes, deveres diferentes são arranjados para as pessoas para que cada uma tenha uma função. Eu devia cumprir bem o meu dever com os pés no chão e exercer meu papel para espalhar o evangelho do reino. Depois, eu me dediquei a adquirir habilidades profissionais, compartilhei tudo com meus irmãos e encorajei todos a estudarem juntos. Depois de um tempo, senti que estávamos progredindo, e eu dei graças a Deus!

Por meio dessa experiência, ganhei algum conhecimento da minha motivação de buscar bênçãos na minha fé. Agora entendo que buscar a verdade é o que mais importa na crença em Deus e que devo ficar no lugar de um ser criado, cumprir bem o meu dever e não fazer coisas em troca de bênçãos. Só desejo obedecer aos arranjos e orquestrações de Deus, cumprir bem o meu dever e retribuir o amor de Deus com um coração honesto.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Não encontre novos truques ao servir a Deus

Eu tinha acabado de ser promovida e assumir a responsabilidade de líder da igreja. Mas, depois de um período de trabalho árduo, não somente a obra evangélica da igreja era bastante fraca, como meus irmãos e irmãs na equipe evangélica também estavam vivendo em negatividade e fraqueza. Deparando-me com essa situação, eu não conseguia mais conter os meus sentimentos.

O Espírito Santo trabalha de maneira fundamentada

Por algum tempo, embora eu não tivesse deixado de comer e beber das palavras de Deus, nunca senti a luz. Eu orava a Deus por isso, embora eu ainda não tivesse sido iluminada. Então pensei: “Há um tempo para Deus iluminar cada homem, então não há nenhum motivo para tentar apressar.” Continuei seguindo as regras, comendo e bebendo das palavras de Deus sem ansiedade, “pacientemente” esperando a iluminação de Deus.

Uma cura para a inveja

Por Xunqiu, China Deus Todo-Poderoso diz: “A carne do homem é de Satanás, está cheia de caráter rebelde, é deploravelmente imunda e é algo...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp