Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)
Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)

Quando estava sendo castigado por Deus, Pedro orou: “Ó Deus! Minha carne é desobediente e, por isso, me castigas e me julgas. Alegro-me com Teu castigo e julgamento, e mesmo que não me queiras, em Teu julgamento contemplo Teu santo e justo caráter. Sinto contentamento quando me julgas para que os outros possam contemplar Teu justo caráter em Teu julgamento. Se isso pode mostrar Teu caráter e permitir que o Teu justo caráter seja visto por todas as criaturas, e se puder tornar meu amor por Ti mais puro, de modo que eu possa alcançar a imagem de alguém que é justo, então Teu julgamento é bom, porque essa é Tua vontade graciosa. Sei que ainda há muita rebeldia dentro de mim e que ainda não estou apto para comparecer diante de Ti. Desejo que me julgues ainda mais, seja por meio de um ambiente hostil seja por meio de pesadas tribulações; independentemente de como me julgares, para mim isso é algo precioso. Teu amor é muito profundo e estou disposto a ficar à Tua mercê sem a menor queixa”. Esse é o conhecimento de Pedro após ter experimentado a obra de Deus e também é um testemunho do seu amor por Deus. Hoje vocês já foram conquistados – mas como essa conquista se expressa em vocês? Algumas pessoas dizem: “Minha conquista é a suprema graça e exaltação de Deus. Somente agora percebo que o ser humano leva uma vida vazia e sem sentido. Viver é tão sem propósito que eu preferia estar morto. Embora passe sua vida com pressa, dando à luz e criando uma geração após a outra de crianças, o ser humano acaba ficando sem nada. Hoje, só depois de ter sido conquistado por Deus, eu vi que de nada vale viver desse jeito; realmente é uma vida sem sentido. Dá no mesmo morrer e acabar com isso!”. Essas pessoas que foram conquistadas também poderão ser ganhas por Deus? Elas poderão vir a ser exemplos e modelos? Pessoas como essas dão lição de passividade, não têm aspirações e não se esforçam para melhorar a si mesmas! Mesmo que contem como tendo sido conquistadas, pessoas passivas assim não podem ser aperfeiçoadas. Perto do final de sua vida, depois de ter sido aperfeiçoado, Pedro disse: “Ó Deus! Se vivesse mais alguns anos, eu desejaria chegar a um amor mais puro e mais profundo por Ti”. Quando estava para ser pregado na cruz, ele orou em seu coração: “Ó Deus! Teu tempo chegou; chegou o tempo que Tu preparaste para mim. Tenho de ser crucificado por Ti, tenho de dar esse testemunho de Ti e espero que meu amor seja capaz de satisfazer Tuas exigências e que ele possa se tornar mais puro. Hoje, poder morrer por Ti e ser pregado na cruz por Ti é algo reconfortante e tranquilizador para mim, porque nada é mais gratificante para mim do que poder ser crucificado por Ti e satisfazer Teus desejos, e ser capaz de dar a mim mesmo a Ti, de oferecer minha vida a Ti. Ó Deus! És tão amoroso! Se me permitisses viver, eu estaria ainda mais desejoso de Te amar. Vou Te amar enquanto eu viver. Desejo que o meu amor por Ti seja mais profundo. Tu me julgas, me castigas e me pões à prova porque não sou justo e porque pequei. E assim Teu justo caráter se torna mais perceptível para mim. Isso é uma bênção para mim porque me torna capaz de Te amar mais profundamente, e estou disposto a Te amar desse modo mesmo que Tu não me ames. Estou disposto a observar Teu justo caráter, porque isso me torna mais capaz de viver uma vida com sentido. Sinto que agora minha vida tem mais sentido porque estou sendo crucificado por Tua causa e é significativo morrer por Ti. Ainda assim, não me sinto satisfeito, porque conheço muito pouco de Ti, sei que não consigo satisfazer completamente Teus desejos e a retribuição que Te dei foi muito pequena. Na minha vida, tenho sido incapaz de me devolver inteiro a Ti; estou longe disso. Quando olho para trás neste momento, sinto-me muito em dívida contigo e só tenho este momento para compensar todos os meus erros e todo o amor não retribuído a Ti”.

O homem tem de buscar viver uma vida com sentido e não deve se contentar com suas circunstâncias atuais. Para viver a imagem de Pedro ele precisa possuir o conhecimento e as experiências de Pedro. O homem tem de buscar coisas que são mais elevadas e mais profundas. Ele deve buscar um amor mais profundo e mais puro por Deus e uma vida que tenha valor e sentido. Somente isso é vida; somente então o homem será igual a Pedro. Você deve concentrar-se em ser proativo para com sua entrada no lado positivo e não deve permitir de modo submisso que você retroceda por bem de algum alívio momentâneo, enquanto ignora verdades mais profundas, mais específicas e mais práticas. Seu amor tem de ser prático e você deve encontrar maneiras de libertar-se dessa vida depravada e despreocupada que não se diferencia da vida de um animal. Você deve viver uma vida com sentido, uma vida de valor, e não deve enganar a si mesmo nem tratar sua vida como um brinquedo com que se deve brincar. Pois para quem aspira amar a Deus não existem verdades inalcançáveis nem justiça pela qual não possa se manter firme. Como você deve viver sua vida? Como deve amar a Deus e usar esse amor para satisfazer Seu desejo? Não existe assunto mais importante do que esse para a sua vida. Acima de tudo, você deve ter tais aspirações e perseverança, e não pode ser como aqueles fracotes medrosos. Você deve aprender a experimentar uma vida com sentido e experimentar verdades significativas, e não deve tratar a si mesmo de modo superficial. Sua vida passará sem que você se dê conta; e depois? Você acha que terá outra oportunidade de amar a Deus? O homem poderá amar a Deus depois que estiver morto? Você deve ter as mesmas aspirações e a mesma consciência que Pedro teve; sua vida deve ter sentido e você não deve brincar consigo mesmo! Como ser humano e como pessoa que busca a Deus, você deve ser capaz de considerar cuidadosamente como trata a sua vida, como deve se oferecer a Deus, como deve ter uma fé em Deus mais significativa e, já que você ama a Deus, como amá-Lo de modo mais puro, mais belo e melhor. Hoje, você não pode mais se contentar com a maneira como é conquistado, mas deve considerar também o caminho que tomará no futuro. Você deve ter aspirações e a coragem de ser aperfeiçoado, e não deve sempre pensar que é incapaz. A verdade tem favoritos? A verdade pode se opor às pessoas deliberadamente? Se você buscar a verdade, isso o sobrecarregará? Se você assumir uma posição firme pela justiça, isso o derrubará? Se verdadeiramente for sua aspiração buscar a vida, a vida poderia escapar de você? Se você estiver sem a verdade, não será porque a verdade não o reconhece, mas porque você se mantém afastado da verdade; se você não consegue se manter firme pela justiça, não é por haver algo errado com a justiça, mas porque você acredita que ela não está alinhada com os fatos; se você não ganhou a vida depois de buscá-la por muitos anos, não é porque a vida não tem consciência de você, mas porque você não tem consciência para com a vida e afugentou a vida; se você vive na luz e é incapaz de ganhar a luz, não é por ser impossível que a luz o ilumine, mas porque não deu a menor atenção à existência da luz e, assim, a luz silenciosamente se afastou de você. Se você não buscar, só resta dizer que você é lixo sem valor, não tem coragem na sua vida e não tem o espírito necessário para resistir às forças das trevas. Você é fraco demais! Você é incapaz de escapar das forças de Satanás que estão sitiando você e apenas está disposto a levar esse tipo de vida segura e protegida e morrer na ignorância. O que você deve alcançar é sua busca por ser conquistado; este é seu dever moral. Se você se contentar com ser conquistado, você expulsa a existência da luz. Você deve sofrer dificuldades pela verdade, deve se entregar à verdade, suportar humilhação pela verdade e, para ganhar mais da verdade, você deve passar por mais sofrimento. É isso que você deve fazer. Você não deve jogar a verdade fora em favor de uma vida familiar pacífica nem deve perder a dignidade e integridade da sua vida por causa de um prazer momentâneo. Você deve buscar tudo que é belo e bom e procurar uma senda na vida que seja mais significativa. Se você levar uma vida tão vulgar e não buscar quaisquer objetivos, não está desperdiçando a vida? O que você ganhará com uma vida assim? Você deve esquecer todos os prazeres da carne em favor da verdade e não deve jogar fora todas as verdades em favor de um pouco de prazer. As pessoas que fazem isso não têm integridade nem dignidade; sua existência não faz sentido!

Deus castiga e julga o ser humano porque Sua obra exige isso e, ademais, porque o ser humano precisa disso. Ele precisa ser castigado e julgado; somente assim ele alcançará o amor de Deus. Hoje vocês foram cabalmente convencidos, mas quando se deparam com a mais leve contrariedade, vocês têm problemas; a estatura de vocês ainda é muito pequena e ainda precisam experimentar mais desse castigo e julgamento para chegar a um conhecimento mais profundo. Hoje, vocês têm alguma reverência por Deus, temem a Deus e sabem que Ele é o verdadeiro Deus, mas não têm um grande amor por Ele e muito menos alcançaram um amor puro; o saber que vocês possuem é muito superficial e sua estatura ainda não é suficiente. Na verdade, quando vocês chegam a um ambiente e ainda não deram testemunho, uma parte muito pequena de sua contribuição é proativa e vocês não têm ideia de como praticar. Em sua maioria, as pessoas são passivas e inativas; elas se limitam a amar a Deus secretamente em seus corações, mas não têm o caminho da prática, nem têm clareza sobre quais são seus objetivos. Aquelas que foram aperfeiçoadas não só possuem a humanidade normal, mas também estão possuídas por verdades que excedem as medidas da consciência e que estão acima dos padrões da consciência; elas não só usam sua consciência para retribuir o amor de Deus, mas, mais do que isso, elas conheceram Deus e viram que Deus é amoroso e digno do amor do ser humano, e que em Deus há tanta coisa para ser amada que o ser humano não tem alternativa senão amá-Lo. O amor a Deus daqueles que foram aperfeiçoados visa a satisfazer as próprias aspirações pessoais. Seu amor é espontâneo, um amor que não pede nada em troca e que não é um negócio. Eles amam a Deus unicamente por causa do conhecimento que têm Dele. Essas pessoas não se importam se Deus lhes concede graças ou não; elas se contentam com nada mais do que satisfazer Deus. Não tentam barganhar com Deus nem medem seu amor a Deus por meio da consciência: “Tu me deste e, em consequência, eu Te retribuo com meu amor; se Tu não me deres, não tenho como retribuir-Te”. Aquelas que foram aperfeiçoadas nunca deixam de crer que Deus é o Criador, que Ele realiza Sua obra sobre elas; e, tendo essa oportunidade e a condição e a qualificação de serem aperfeiçoadas, sua busca deve ser a de viver uma vida com sentido, e elas devem satisfazê-Lo. É exatamente igual ao que Pedro experimentou: quando se encontrou em seu estado de maior fraqueza, ele orou a Deus e disse: “Ó Deus! Tu sabes que, independentemente de tempo e lugar, eu sempre me lembro de Ti. Tu sabes que, não importa quando nem onde, eu quero Te amar, mas minha estatura é muito pequena, sou muito fraco e impotente, meu amor é muito limitado e minha sinceridade para contigo é muito escassa. Em comparação com o Teu amor, eu simplesmente não sou apto para viver. Só desejo que minha vida não seja em vão e que eu não só possa retribuir Teu amor, mas, além disso, também dedicar a Ti tudo que tenho. Se eu puder Te satisfazer, então, na condição de criatura, terei paz de espírito e não pedirei mais nada. Embora eu esteja fraco e impotente agora, não esquecerei Tuas exortações nem esquecerei o Teu amor. Agora nada estou fazendo além de retribuir o Teu amor. Ó Deus, sinto-me horrível! Como poderei devolver a Ti o amor que está no meu coração? Como poderei fazer o que está ao meu alcance e ser capaz de cumprir Teus desejos? Como poderei ser capaz de oferecer a Ti tudo que tenho? Tu conheces a fraqueza do homem; como poderei ser digno do Teu amor? Ó Deus! Tu sabes que tenho pouca estatura e que meu amor é muito escasso. Como poderei dar o melhor de mim nesse tipo de ambiente? Eu sei que devo retribuir Teu amor; eu sei que devo dar a Ti tudo que tenho, mas hoje minha estatura é baixa demais. Peço que me dês força e que me dês confiança, para que eu seja mais capaz de ter um amor puro para dedicar a Ti, e mais capaz de dedicar a Ti tudo que tenho; não só serei mais capaz de retribuir Teu amor, mas também mais capaz de experimentar Teu castigo, Teu julgamento e provações e até as maldições mais severas. Tu me permitiste contemplar o Teu amor e sou incapaz de não Te amar, e, embora eu esteja fraco e impotente hoje, como eu poderia Te esquecer? Teu amor, castigo e julgamento fizeram-me Te conhecer, ainda que eu também me sinta incapaz de cumprir Teu amor, pois Tu és tão grandioso. Como poderei dedicar tudo que tenho ao Criador?”. Esse foi o pedido de Pedro, ainda que sua estatura fosse demasiado inadequada. Naquele momento, ele sentiu como se uma faca estivesse sendo revirada em seu coração e ficou em agonia; ele não sabia o que fazer nessas condições. Contudo, ele continuou a orar: “Ó Deus! O ser humano possui uma estatura infantil, sua consciência é débil e a única coisa que eu posso fazer é retribuir Teu amor. Hoje não sei como satisfazer Teus desejos, não sei como fazer o que posso ou dar tudo que tenho ou dedicar a Ti tudo que tenho. Independentemente do Teu julgamento, independentemente do Teu castigo, independentemente do que me deres, independentemente do que tirares de mim, livra-me de expressar a mais leve queixa contra Ti. Muitas vezes, quando estavas me castigando e julgando, murmurei para mim mesmo e fui incapaz de obter a pureza ou de cumprir Tuas vontades. Minha retribuição pelo Teu amor nasceu da obrigação e, neste momento, eu me odeio ainda mais”. Foi por buscar um amor a Deus ainda mais puro que Pedro orou desse modo. Ele estava buscando, suplicando e, além disso, recriminando a si mesmo e confessando seus pecados a Deus. Ele se sentiu em dívida com Deus e sentiu ódio por si mesmo, mas também ficou um tanto triste e passivo. Ele sempre sentiu assim, como se não estivesse à altura das vontades de Deus, como se fosse incapaz de dar o seu melhor. Nessas condições, Pedro ainda perseguiu a fé de Jó. Ele viu como foi grande a fé de Jó, pois este reconhecera que tudo lhe fora dado por Deus e era natural que Deus tirasse tudo dele, que Deus poderia dar para quem Ele quisesse – esse era o justo caráter de Deus. Jó não apresentou queixas e ainda conseguiu louvar a Deus. Pedro também se conhecia bem e orou em seu coração: “Hoje, eu não devo me contentar com retribuir Teu amor usando minha consciência, por maior que seja o amor que eu devolva a Ti, e isso porque meus pensamentos são corrompidos demais e porque sou incapaz de ver-Te como o Criador. Porque ainda não sou apto para Te amar, devo alcançar a capacidade de dedicar a Ti tudo que tenho, o que eu farei de boa vontade. Devo conhecer tudo o que fizeste, não tenho escolha, tenho de contemplar Teu amor, ser capaz de Te louvar e exaltar Teu santo nome, de modo que Tu ganhes grande glória por meio de mim. Estou disposto a não vacilar nesse testemunho a Ti. Ó Deus! Como é precioso e belo o Teu amor; como poderia eu desejar viver nas mãos do maligno? Não fui criado por Ti? Como poderia eu viver sob o império de Satanás? Eu preferiria que todo o meu ser vivesse em meio ao Teu castigo. Não estou disposto a viver sob o império do maligno. Se eu puder ser purificado e devotar tudo que sou a Ti, estou disposto a oferecer meu corpo e minha alma ao Teu julgamento e castigo, porque detesto Satanás e não estou disposto a viver sob seu império. Aplicando a mim o Teu julgamento, demonstras o Teu justo caráter; sinto-me feliz e não tenho a menor queixa. Se eu for capaz de cumprir o dever de criatura, estou disposto a deixar minha vida inteira ser acompanhada pelo Teu julgamento, por meio do qual chegarei a conhecer o Teu justo caráter e me livrarei da influência do maligno”. Pedro sempre orou assim, sempre almejou assim e alcançou um reino mais elevado. Ele não só foi capaz de retribuir o amor de Deus, mas, o que é ainda mais importante, também cumpriu seu dever de criatura. Ele não só não foi acusado por sua consciência, mas também foi capaz de transcender os padrões da consciência. Suas orações continuaram a subir até a presença de Deus, de tal maneira que suas aspirações se tornaram cada vez mais elevadas e seu amor por Deus cresceu continuamente. Embora tenha sofrido dor agonizante, ainda assim não se esqueceu de amar a Deus e ainda buscou obter a capacidade de compreender a vontade de Deus. Em suas orações estão expressas as seguintes palavras: “Nada fiz além de retribuir o Teu amor. Não dei testemunho de Ti diante de Satanás, não me libertei da influência de Satanás e ainda vivo na carne. Quero usar meu amor para derrotar Satanás e envergonhá-lo, e, desse modo, satisfazer Teu desejo. Quero dar-me todo a Ti, não quero dar nem a menor porção de mim a Satanás, porque Satanás é Teu inimigo”. Quanto mais ele buscava nessa direção, tanto mais ele era movido e tanto mais elevado se tornou seu conhecimento desses assuntos. Sem se dar conta, ele ficou ciente de que deveria se libertar da influência de Satanás e fazer a devolução completa de si mesmo a Deus. Tal foi o reino que ele alcançou. Ele estava transcendendo a influência de Satanás, libertando-se dos prazeres e das delícias da carne e estava disposto a experimentar mais profundamente tanto o castigo quanto o julgamento de Deus. Ele disse: “Mesmo vivendo em meio ao Teu castigo e em meio ao Teu julgamento, independentemente das dificuldades daí decorrentes, não estou disposto a viver sob o império de Satanás, não estou disposto a sofrer a trapaça de Satanás. Alegro-me por viver em meio às Tuas maldições e estou triste por viver em meio às bênçãos de Satanás. Eu Te amo por viver em meio ao Teu julgamento e isso me traz grande alegria. Teu castigo e Teu julgamento são justos e santos; eles visam a purificar-me e, ademais, salvar-me. Prefiro passar toda a minha vida em meio ao Teu julgamento para estar aos Teus cuidados. Não estou disposto a viver sob o império de Satanás por um momento sequer; quero ser purificado por Ti, sofrer dificuldades, mas não estou disposto a ser explorado e enganado por Satanás. Eu, esta criatura, devo ser usado por Ti, possuído por Ti, julgado por Ti e castigado por Ti. Eu deveria até ser amaldiçoado por Ti. Meu coração se regozija quando Te dispões a abençoar-me, pois vi o Teu amor. Tu és o Criador e eu sou criatura: não devo Te trair e viver sob o império de Satanás nem devo ser explorado por Satanás. Deve ser Teu cavalo ou Teu boi, em vez de viver para Satanás. Eu preferiria viver em meio ao Teu castigo, sem bem-aventurança física, e isso me deixaria contente mesmo que perdesse a Tua graça. Mesmo que Tua graça não esteja comigo, eu apreciarei ser castigado e julgado por Ti; essa é Tua melhor bênção, Tua maior graça. Embora Tu sejas sempre majestoso e estejas irado comigo, sou incapaz de Te deixar, não consigo Te amar o suficiente. Prefiro viver em Tua casa, prefiro ser amaldiçoado, castigado e golpeado por Ti, mas não estou disposto a viver sob o império de Satanás nem estou disposto a correr e me ocupar unicamente em função da carne, muito menos a viver em função da carne”. O amor de Pedro era um amor puro. Essa é a experiência de ser aperfeiçoado e é o reino supremo de ser aperfeiçoado; não existe vida que tenha mais sentido do que esta. Ele aceitou o castigo e o julgamento de Deus, deu valor ao justo caráter de Deus, e não há nada mais precioso do que isso a respeito de Pedro. Ele disse: “Satanás me proporciona alegrias materiais, mas eu não lhes dou valor. O castigo e julgamento de Deus vêm sobre mim – nisso sou agraciado, nisso vejo motivo para alegrar-me e nisso sou abençoado. Se não fosse pelo julgamento de Deus, eu jamais amaria Deus e ainda viveria sob o império de Satanás, ainda seria controlado por ele e comandado por ele. Nesse caso, eu nunca me tornaria um ser humano real, pois seria incapaz de satisfazer Deus e não me teria dedicado integralmente a Deus. Mesmo se Deus não me abençoar, deixando-me sem consolo interior, como se um fogo queimasse dentro de mim, privado de paz e alegria, e mesmo se o castigo e a disciplina de Deus nunca se afastarem de mim, no castigo e julgamento de Deus sou capaz de contemplar Seu justo caráter. Eu me deleito nisso; não há coisa mais valiosa ou significativa na vida. Mesmo que Sua proteção e Seu cuidado tenham se transformado em castigo, julgamento, maldições e golpes implacáveis, ainda assim me alegro nessas coisas, porque elas podem melhor me purificar, elas podem mudar-me, podem aproximar-me de Deus, podem tornar-me mais capaz de amar a Deus e podem tornar meu amor por Deus mais puro. Isso me torna capaz de cumprir meu dever de criatura e me leva para perto de Deus e para longe da influência de Satanás, de modo que não continuo a servir a Satanás. Só ficarei plenamente satisfeito quando eu não viver sob o império de Satanás e for capaz de dedicar a Deus tudo que tenho e tudo que posso fazer, sem reter nada para mim. Foram o castigo e o julgamento de Deus que me salvaram e minha vida é inseparável do castigo e julgamento de Deus. Minha vida na terra está sob o império de Satanás e, se não fossem o cuidado e a proteção do castigo e julgamento de Deus, eu teria vivido para sempre sob o império de Satanás e, além disso, eu não teria tido a oportunidade nem os meios de viver uma vida com sentido. Somente se o castigo e o julgamento de Deus jamais me deixarem, serei capaz de ser purificado por Deus. Somente mediante as duras palavras e o justo caráter de Deus, bem como mediante o julgamento majestoso de Deus, obtive a proteção suprema e vivi na luz e ganhei as bênçãos de Deus. Ser capaz de ser purificado e livrar-me de Satanás e viver sob o domínio de Deus – esta é a maior bênção na minha vida hoje”. Este é o reino supremo experimentado por Pedro.

Esses são os estados a que o homem deve chegar depois de ser aperfeiçoado. Se você não puder alcançar isso, não poderá viver uma vida com sentido. O homem vive em meio à carne, o que significa que ele vive em um inferno humano e, sem o julgamento e castigo de Deus, o homem é tão imundo quanto Satanás. Como o homem pode ser santo? Pedro acreditava que castigo e julgamento da parte de Deus eram a melhor proteção do ser humano e sua maior graça. O castigo e o julgamento de Deus são a única maneira de despertar o homem, para que ele odeie a carne e odeie Satanás. A disciplina estrita de Deus liberta o homem da influência de Satanás, livra-o do mundinho só seu e possibilita que ele viva na luz da presença de Deus. Não há melhor meio de salvação do que castigo e julgamento! Pedro orou: “Ó Deus! Enquanto Tu me castigares e julgares, saberei que não me abandonaste. Mesmo que não me dês alegria ou paz, mesmo que me faças viver em sofrimento e me inflijas incontáveis castigos, enquanto não me deixares, meu coração estará tranquilo. Hoje, Teu castigo e julgamento tornaram-se minha melhor proteção e minha maior bênção. A graça que me concedes me protege. A graça que Tu me propicias hoje é a manifestação de Teu justo caráter, e é castigo e julgamento; além disso, é uma provação e, mais do que isso, é uma vida de sofrimento”. Pedro foi capaz de deixar de lado os prazeres da carne e buscar um amor mais profundo e uma proteção maior, porque foi muito agraciado pelo castigo e julgamento de Deus. Se o ser humano desejar ser purificado em sua vida e obter mudanças em seu caráter, se desejar viver uma vida com sentido e cumprir seu dever de criatura, então ele precisa aceitar o castigo e o julgamento de Deus e não deve permitir que a disciplina de Deus e os golpes de Deus se afastem dele, de modo que possa se livrar da manipulação e influência de Satanás e viver na luz de Deus. Saiba que o castigo e o julgamento de Deus são a luz, a luz da salvação do homem, e que não há maior bênção, graça ou proteção para ele. O homem vive sob a influência de Satanás e existe na carne; se não for purificado e não receber a proteção de Deus, o ser humano ficará ainda mais depravado. Se quiser amar a Deus, ele tem de ser purificado e salvo. Pedro orou: “Deus, quando me tratas com amabilidade fico feliz e sinto-me consolado; quando me castigas, fico ainda mais consolado e feliz. Embora eu seja fraco e suporte sofrimento indescritível, embora haja lágrimas e tristeza, Tu sabes que essa tristeza se deve à minha desobediência e à minha fraqueza. Choro porque não consigo satisfazer Teus desejos, fico triste e arrependido por ficar aquém das Tuas exigências, mas estou disposto a alcançar esse reino, estou disposto a fazer o que estiver ao meu alcance para Te satisfazer. Teu castigo me trouxe proteção e me proporcionou a melhor salvação; Teu julgamento eclipsa Tua tolerância e paciência. Sem Teu castigo e julgamento, eu não desfrutaria Tua misericórdia e benignidade. Hoje, vejo bem melhor que Teu amor transcendeu os céus e superou tudo em termos de excelência. Teu amor não é só misericórdia e benignidade; é mais do que isso: é castigo e julgamento. Teu castigo e julgamento me proporcionaram tanta coisa. Sem Teu castigo e julgamento, ninguém seria purificado e ninguém seria capaz de experimentar o amor do Criador. Embora eu tenha suportado centenas de provações e tribulações e estado à beira da morte, esse sofrimento[a] permitiu que eu Te conhecesse de fato e ganhasse a salvação suprema. Se Teu castigo, Teu julgamento e Tua disciplina fossem afastados de mim, eu viveria em trevas, sob o império de Satanás. Que benefícios traz a carne do ser humano? Se Teu castigo e julgamento me deixassem, seria como se Teu Espírito me tivesse esquecido, como se Tu não estivesses mais comigo. Se isso acontecesse, como eu poderia continuar vivendo? Se me deres enfermidade e tirares minha liberdade, posso continuar vivendo, mas se Teu castigo e julgamento me deixarem, eu não terei como continuar vivendo. Se eu estivesse sem Teu castigo e julgamento, eu teria perdido Teu amor, um amor que é profundo demais para que eu o expresse com palavras. Sem Teu amor, eu viveria sob o império de Satanás e seria incapaz de ver Tua face gloriosa. Explica-me como eu poderia continuar vivendo? Eu não conseguiria aguentar tanta escuridão, tal vida. Ter-Te comigo é como ver-Te; então, como eu poderia deixar-Te? Eu Te imploro, eu Te suplico que não tires de mim meu maior consolo, tranquiliza-me mesmo que seja com apenas poucas palavras. Apreciei Teu amor e hoje não posso mais ficar afastado de Ti; como, dize me, eu poderia não Te amar? Derramei muitas lágrimas de tristeza por causa do Teu amor, mas sempre senti que uma vida como esta tem mais sentido, é mais capaz de me enriquecer, mais capaz de me mudar e mais capaz de possibilitar que eu chegue à verdade que deve estar em poder das criaturas”.

Declarações de Cristo dos últimos dias (Seleções)

Somente aquele que experimenta a obra de Deus verdadeiramente crê em Deus A quarta declaração A quinta declaração A oitava declaração A nona declaração A décima declaração A décima segunda declaração A décima terceira declaração A décima quarta declaração A décima sexta declaração A décima sétima declaração A décima nona declaração A vigésima declaração A vigésima primeira declaração A vigésima quarta declaração A vigésima quinta declaração A vigésima sexta declaração A vigésima oitava declaração A aparição de Deus trouxe uma nova era Deus preside o destino de toda a humanidade Qual ponto de vista os crentes devem manter O homem corrupto é incapaz de representar Deus Você deve obedecer a Deus em sua fé Promessas para aqueles que foram aperfeiçoados Os perversos devem ser punidos Como servir em harmonia com a vontade de Deus Os mandamentos da Nova Era O Reino Milenar chegou Você deveria saber que o Deus prático é o Próprio Deus Conhecer a obra de Deus hoje A obra de Deus é tão simples quanto o homem imagina? Já que crê em Deus você deve viver para a verdade A diferença essencial entre o Deus encarnado e as pessoas usadas por Deus Crer em Deus deve focalizar a realidade, não rituais religiosos Somente aqueles que conhecem a obra de Deus hoje podem servir a Deus A Era do Reino é a Era da Palavra Apenas amando a Deus é que verdadeiramente se crê em Deus Uma breve conversa sobre “O Reino Milenar chegou” Como Pedro conheceu Jesus Aqueles que amam a Deus viverão para sempre em Sua luz Você se tornou vivo? Ter um caráter que não muda é sentir inimizade por Deus Todos os que não conhecem a Deus são aqueles que se opõem a Ele A Trindade existe? As experiências de Pedro: seu conhecimento do castigo e do julgamento (Parte 1) As experiências de Pedro: seu conhecimento do castigo e do julgamento (Parte 2) Como desempenhar sua missão futura Quando se trata de Deus, qual é o seu entendimento? O que significa ser um homem de verdade O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca” A obra na Era da Lei Sobre denominações e identidade (Parte 1) Como o homem que definiu Deus de acordo com as suas concepções pode receber as revelações de Deus? Somente aqueles que conhecem Deus e Sua obra podem satisfazer Deus A diferença entre o ministério do Deus Encarnado e o dever do homem Deus é o Senhor de toda a criação Conhecer os três estágios da obra de Deus é o caminho para conhecer Deus (Parte 1) Conhecer os três estágios da obra de Deus é o caminho para conhecer Deus (Parte 2) A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado (Parte 2) A humanidade corrupta está mais necessitada da salvação do Deus encarnado (Parte 1) A obra de Deus e a prática do homem (Parte 1) A substância de Cristo é obediência à vontade do Pai Celestial Quando você contemplar o corpo espiritual de Jesus será quando Deus já terá feito novo céu e nova terra Aqueles que são incompatíveis com Cristo certamente são oponentes de Deus Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos Você deve buscar o caminho da compatibilidade com Cristo Você é um verdadeiro crente a Deus? Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade Deus fez algo grandioso entre os homens, você sabia? Só o Cristo dos últimos dias pode dar ao homem o caminho de vida eterna Você deveria preparar uma quantidade suficiente de boas ações por seu destino A quem você é leal? É muito importante entender o caráter de Deus Como conhecer o Deus na Terra Os dez decretos administrativos que devem ser obedecidos pelo povo escolhido por Deus na Era do Reino Deus é a fonte da vida do homem O suspiro do Todo-Poderoso O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus O ressoar dos sete trovões – profetizando que o evangelho do reino se expandirá por todo o universo

00:00
00:00

0Busca por x resultados