Deus e o homem entrarão em descanso juntos (Trecho VII)

No início, não havia famílias entre a humanidade, só homem e mulher, dois tipos de pessoa. Não havia países, para não falar das famílias, mas, devido à corrupção do homem, pessoas de todos os tipos se organizaram em clãs específicos e depois se desenvolveram em países e nações. Esses países e nações foram constituídos de famílias pequenas e particulares, por isso, todos os tipos de pessoas foram distribuídos entre raças diversas, de acordo com as diferenças idiomáticas e os marcos divisórios. Na verdade, apesar de existirem muitas raças no mundo, a humanidade tem um único ancestral. No início, só havia dois tipos de pessoa, que eram homem e mulher. No entanto, devido ao progresso da obra de Deus, ao transcorrer da história e às mudanças geográficas, esses dois tipos se desenvolveram, em graus diferentes, em mais tipos de pessoa ainda. No fim de contas, independentemente do número de raças de que é constituída, toda a humanidade ainda é a criação de Deus. Não importa a que raça as pessoas pertençam, todas são Suas criaturas, todas são descendentes de Adão e Eva. Mesmo que não sejam criadas pelas mãos de Deus, elas são as descendentes de Adão e Eva, a quem Deus criou pessoalmente. Não importa a que tipo as pessoas pertençam, todas são Suas criaturas; uma vez que pertencem à humanidade, que foi criada por Deus, o destino delas é o que a humanidade deveria ter, por isso são divididas segundo as regras que organizam a humanidade. Ou seja, os malfeitores e os justos, apesar de tudo, são criaturas. Criaturas que cometem maldades acabarão sendo destruídas e as criaturas cujas ações sejam justas sobreviverão. Essa é a disposição mais adequada para esses dois tipos de criaturas. Por causa da desobediência, os malfeitores não podem negar que sejam a criação de Deus, mas foram saqueadas por Satanás e, assim, são incapazes de serem salvos. Criaturas de conduta justa não podem valer-se do fato de que sobreviverão para negar que foram criadas por Deus, ainda que tenham recebido a salvação após serem corrompidas por Satanás. Malfeitores são criaturas desobedientes a Deus, são criaturas que não podem ser salvas e já foram completamente saqueadas por Satanás. As pessoas que cometem maldades também são pessoas; são pessoas que foram corrompidas ao extremo e que não podem ser salvas. Da mesma forma que elas também são criaturas, as pessoas de conduta justa também foram corrompidas, mas são pessoas que estão dispostas a se libertar do caráter corrupto e são capazes de obedecer a Deus. Pessoas de conduta justa não transbordam de justiça; em vez disso, elas receberam a salvação e se libertaram do caráter corrupto para obedecer a Deus; elas permanecerão firmes no final, o que não quer dizer, porém, que não tenham sido corrompidas por Satanás. Quando a obra de Deus terminar, dentre todas as Suas criaturas haverá aquelas que serão destruídas e as que sobreviverão. Essa é uma tendência inevitável de Sua obra de gerenciamento. Ninguém pode negar. Os malfeitores não podem sobreviver; os que obedecem e seguem a Ele até o fim certamente sobreviverão. Como essa obra é a de gerenciamento da humanidade, haverá quem permaneça e quem será eliminado. São esses os diferentes desfechos para os tipos diferentes de pessoa, são essas as disposições mais adequadas para Suas criaturas. O arranjo final de Deus para com a humanidade é separar as famílias, fragmentar as nações e as fronteiras nacionais. Um arranjo sem famílias nem fronteiras nacionais, pois o homem vem, no fim das contas, de um ancestral e é a criação de Deus. Resumindo, criaturas malfeitoras serão destruídas e criaturas que obedecem a Deus sobreviverão. Dessa forma, não haverá famílias nem países e sobretudo nenhuma nação no descanso do futuro; esse tipo de humanidade é o tipo mais santo de humanidade. Adão e Eva foram criados originalmente para que o homem pudesse cuidar de todas as coisas na terra; no princípio, o homem era o senhor de todas as coisas. Ao criar o homem, a intenção de Jeová era permitir que ele existisse sobre a terra e cuidasse de todas as coisas que havia nela, pois no início o homem não tinha sido corrompido e era incapaz de cometer o mal. No entanto, após ter sido corrompido, o homem não era mais o cuidador de todas as coisas. E o propósito da salvação de Deus é restaurar essa função do homem, restaurar a razão original do homem e sua obediência original; a humanidade em descanso será o próprio retrato do resultado que Sua obra de salvação espera alcançar. Embora não seja mais uma vida como a do jardim do Éden, sua essência será a mesma; a humanidade simplesmente não terá mais a natureza incorrupta de antes, mas será uma humanidade que foi corrompida e que então recebeu a salvação. Essas pessoas que receberam a salvação finalmente (isto é, depois que Sua obra terminar) entrarão no descanso. Da mesma forma, o desfecho daqueles que foram punidos também será totalmente revelado no fim e eles só serão destruídos depois que Sua obra terminar. Isso equivale a dizer que, depois que Sua obra estiver terminada, todos os malfeitores e os que foram salvos serão revelados, pois a obra de revelar todos os tipos de pessoa (sejam malfeitores ou salvos) será realizada sobre todas as pessoas ao mesmo tempo. Os malfeitores serão eliminados e os que podem permanecer serão revelados ao mesmo tempo. Portanto, o desfecho de todos os tipos de pessoa será revelado ao mesmo tempo. Ele não permitirá que um grupo de pessoas que foram salvas entre no descanso primeiro para depois separar os malfeitores, para julgá-los ou puni-los um pouco por vez; a verdade não é de fato assim. Quando os malfeitores forem destruídos e os que podem sobreviver entrarem no descanso, Sua obra no universo todo terá terminado. Não haverá nenhum tipo de prioridade entre os que recebem bênçãos e os que sofrem infortúnios; os que recebem bênçãos viverão eternamente e os que sofrerem infortúnios perecerão por toda a eternidade. Essas duas etapas da obra deverão ser concluídas ao mesmo tempo. Precisamente por existirem pessoas desobedientes é que a justiça das obedientes será revelada, assim como precisamente por existirem os que receberam bênçãos é que o infortúnio sofrido pelos malfeitores por sua má conduta será revelado. Se Deus não revelasse os malfeitores, as pessoas que Lhe obedecem sinceramente nunca veriam o sol; se Deus não conduzisse os que Lhe obedecem a um destino adequado, os desobedientes não poderiam receber a merecida retribuição. Esse é o processo da Sua obra. Se Ele não realizasse essa obra de punir o mal e recompensar o bem, Suas criaturas nunca poderiam entrar nos respectivos destinos. Uma vez que a humanidade tenha entrado no descanso, os malfeitores serão destruídos, toda a humanidade entrará no caminho certo e cada tipo de pessoa estará com seu próprio tipo, de acordo com as funções que devem realizar. Apenas esse será o dia do descanso da humanidade e a tendência inevitável para o desenvolvimento da humanidade; só quando a humanidade entrar no descanso é que a grande e final realização de Deus alcançará a completude; essa será a última nota musical de Sua obra. Essa obra vai encerrar toda a vida física decadente da humanidade e a vida da humanidade corrupta. Daí a humanidade entrará em um novo reino. Embora o homem viva uma existência física, existem diferenças significativas entre a essência da vida dele e a essência da vida da humanidade corrupta. O significado da existência dele e o significado da existência da humanidade corrupta também são diferentes. Embora não seja a vida de um novo tipo de pessoa, pode-se dizer que é a vida de uma humanidade que recebeu a salvação, uma vida com a humanidade e a razão recuperadas. Essas são pessoas que antes foram desobedientes a Deus, que foram conquistadas por Deus antes e depois salvas por Ele; essas são pessoas que humilharam a Deus e depois deram testemunho Dele. A existência delas, depois de se submeter e sobreviver ao Seu teste, é a mais significativa; são pessoas que deram testemunho de Deus diante de Satanás; são pessoas que estão aptas a viver. Os que serão destruídos são pessoas que não podem dar testemunho de Deus e não estão aptas a viver. A destruição delas deve-se à má conduta delas e é o melhor destino para elas. Quando mais tarde o homem entrar no bom reino, não haverá mais relacionamentos entre marido e mulher, entre pai e filha, entre mãe e filho, como o homem imagina que encontrará. Nesse tempo, o homem seguirá a própria espécie e a família já terá sido separada. Tendo fracassado totalmente, Satanás nunca mais perturbará a humanidade e o homem não terá mais o caráter satânico corrupto. Essas pessoas desobedientes já terão sido destruídas e só as obedientes sobreviverão. Pouquíssimas famílias sobreviverão intactas; como os relacionamentos físicos ainda poderão existir? A antiga vida física do homem será completamente banida; como os relacionamentos físicos podem existir entre as pessoas? Sem o caráter satânico corrupto, a vida das pessoas não será mais a antiga vida do passado, mas, sim, uma vida nova. Os pais perderão filhos e os filhos perderão os pais. Maridos perderão esposas e esposas perderão maridos. Agora as pessoas têm relacionamentos físicos entre si. Quando todos entrarem no descanso não haverá mais relacionamentos físicos. Tal humanidade só terá justiça e santidade, tal humanidade será só aquela que adora a Deus.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado