A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III (Trecho XVII)

Depois que o Senhor Jesus ressuscitou, Ele apareceu às pessoas que julgou necessário, falou com elas e fez exigências delas, deixando para trás as Suas intenções e Suas expectativas em relação às pessoas. Isto é, como Deus encarnado, quer tenha sido durante o Seu tempo vivendo na carne, ou no corpo espiritual depois de ter sido pregado na cruz e ressuscitado — a Sua preocupação com a humanidade e Suas exigências em relação às pessoas não mudaram. Ele estava preocupado com esses discípulos antes de subir à cruz; em Seu coração, Ele tinha clareza sobre o estado de cada pessoa, Ele compreendia as deficiências de cada pessoa e, é claro, a Sua compreensão de cada pessoa era a mesma depois que Ele morreu, ressuscitou e Se tornou um corpo espiritual, tal como era quando Ele vivia na carne. Ele sabia que as pessoas não estavam inteiramente certas de Sua identidade como Cristo, mas, durante Seu tempo vivendo na carne, Ele não fez exigências estritas às pessoas. No entanto, depois que Ele ressuscitou, Ele apareceu a elas, e as deixou absolutamente certas de que o Senhor Jesus havia vindo de Deus, de que Ele era Deus encarnado, e Ele usou o fato da Sua aparição e Sua ressurreição como a maior visão e motivação para os esforços da humanidade ao longo de toda a vida. Sua ressurreição da morte não apenas fortaleceu todos aqueles que O seguiam, mas também colocou Sua obra da Era da Graça plenamente em vigor em meio à humanidade, e assim o evangelho da salvação do Senhor Jesus na Era da Graça se difundiu gradualmente por todos os cantos da humanidade. Você diria que a aparição do Senhor Jesus após a ressurreição teve alguma importância? Se você fosse Tomé ou Pedro naquela época, e encontrasse essa única coisa na sua vida que fosse tão significativa, que impacto ela teria sobre você? Você veria isso como a melhor e a maior visão da sua vida de crente em Deus? Veria isso como uma força motriz da sua vontade de seguir a Deus, e esforçar-se para satisfazê-Lo, e buscar o amor a Deus na sua vida? Você despenderia uma vida inteira de esforços para espalhar essa que foi a maior das visões? Você tornaria a divulgação da salvação do Senhor Jesus uma comissão que você aceita de Deus? Mesmo que vocês não tenham experimentado isso, os dois casos de Tomé e Pedro já são suficientes para que as pessoas modernas tenham uma compreensão clara da vontade de Deus e de Deus. Pode-se dizer que depois de Deus ter-Se tornado carne, depois que Ele experimentou pessoalmente a vida em meio a humanidade e uma vida humana, e depois que Ele viu a depravação da humanidade e a situação da vida humana, Deus encarnado sentiu mais profundamente o desamparo, a tristeza e o estado lamentável da humanidade. Deus ganhou mais compaixão pela condição humana devido à Sua humanidade enquanto vivia na carne, devido aos Seus instintos na carne. Isso O levou a ter maior preocupação por Seus seguidores. Essas são coisas que provavelmente vocês não conseguem compreender, mas Eu posso descrever a preocupação e o cuidado de Deus vivendo na carne em relação a cada um dos Seus seguidores com estas palavras: preocupação intensa. Embora essa expressão venha da linguagem humana e embora seja uma expressão muito humana, ela expressa e descreve verdadeiramente os sentimentos de Deus por Seus seguidores. Quanto à preocupação intensa de Deus com os seres humanos, ao longo das suas experiências vocês sentirão isso aos poucos e poderão provar disso. No entanto, isso só pode ser alcançado através da compreensão gradual do caráter de Deus, com base em buscar uma mudança no seu próprio caráter. A aparição do Senhor Jesus materializou Sua intensa preocupação pelos Seus seguidores na humanidade e a entregou ao Seu corpo espiritual, ou, como se poderia dizer, à Sua divindade. Sua aparição permitiu que as pessoas experimentassem e sentissem de outra maneira o cuidado de Deus, enquanto também era uma prova poderosa de que Deus é Aquele que inicia uma era, que desenvolve uma era, e Aquele que encerra uma era. Através da Sua aparição Ele fortaleceu a fé de todas as pessoas, e através da Sua aparição Ele provou ao mundo o fato de que Ele é o Próprio Deus. Isso deu a Seus seguidores a uma confirmação eterna e, por meio da Sua aparição, Ele também abriu uma fase da Sua obra na nova era.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

O Deus encarnado é mais amável

I

Após Deus encarnar e viver entre a humanidade, Ele viu a depravação do homem, a sua situação de vida. Deus sentiu profundamente o desamparo do homem e sua situação lamentável. Ele sentiu a tristeza deles. Deus teve compaixão da condição humana e afeto por Seus seguidores pelo Seus instintos na carne.

II

Em Seu coração, Ele valoriza aqueles que Ele quer gerenciar e salvar. Ele os valoriza demais. Grande preço Ele pagou; traição e mágoa Ele suportou. Mas Ele nunca desiste, Sua obra é incessante. Ele não tem arrependimentos ou queixas. Deus teve compaixão da condição humana e afeto por Seus seguidores pelo Seus instintos na carne.

III

Ele nunca desiste, Sua obra é incessante. Porque Ele sabe que cedo ou tarde, as pessoas despertarão para o Seu chamado, serão movidas pelas Suas palavras, reconhecerão que Ele é o Senhor da criação e voltarão pra Ele. Deus teve compaixão da condição humana e afeto por Seus seguidores pelo Seus instintos. Deus teve compaixão da condição humana e afeto por Seus seguidores pelo Seus instintos na carne.

de Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado