7. Os princípios para orar e suplicar a Deus

(1) Ao encontrar qualquer dificuldade ou ao ser confrontado com um problema ou dilema, deve-se abrir bem o coração em oração e súplica a Deus para buscar Sua liderança e orientação;

(2) Ao orar a Deus, a pessoa deve, além de suplicar a Ele, ter comunhão com Ele frequentemente, desnudar o coração com palavras simples e francas e aprender a compreender Sua vontade;

(3) Especialmente ao ler as palavras de Deus, deve-se buscar Sua verdade e aprender a orar de acordo com Suas palavras e ter comunhão com Ele. Essa é a maneira mais eficaz de compreender a verdade;

(4) Deve-se orar a Deus com um coração reverente e também com bom senso. Não se deve fazer pedidos a Ele, nem tentar coagi-Lo ou explorá-Lo, nem tentar fazer negócios com Deus.

Palavras de Deus relevantes:

A oração é uma das maneiras pelas quais o homem coopera com Deus, é um meio pelo qual o homem clama a Deus e é o processo pelo qual o homem é tocado pelo Espírito de Deus. Pode-se dizer que aqueles que não oram são mortos desprovidos de espírito, uma prova de que lhes faltam as faculdades para serem tocados por Deus. Sem oração, seria impossível levar uma vida espiritual normal, muito menos acompanhar a obra do Espírito Santo. Não orar é cortar o relacionamento com Deus e impossibilitar o recebimento de Sua aprovação. Como alguém que crê em Deus, quanto mais o indivíduo ora, isto é, quanto mais é tocado por Deus, mais cheio de resolução e mais capaz de receber novo esclarecimento de Deus ele se torna. Como resultado, este tipo de pessoa pode ser rapidamente aperfeiçoado pelo Espírito Santo.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

A oração não é um tipo de ritual; é uma comunhão verdadeira entre uma pessoa e Deus e contém um significado profundo. A partir das orações das pessoas, pode-se ver que elas estão servindo a Deus diretamente. Se você vê a oração como um ritual, então é certeza que não serve bem a Deus. Se as suas orações não são feitas a sério ou com sinceridade, então pode-se dizer que, do ponto de vista de Deus, você não existe como pessoa. Como, então, você pode ter o Espírito Santo operando em você? Como resultado, após trabalhar por um período de tempo, você ficará exausto. De agora em diante, sem oração, você não será capaz de trabalhar. É a oração que produz trabalho, é a oração que produz serviço. Se você é uma pessoa que lidera e que serve a Deus, mas nunca se devotou à oração ou nunca foi sério em suas orações, então o modo como você serve acabará por fazê-lo cair. O que faz as pessoas sentirem que têm o direito de não orar? Elas pararam de orar porque Deus está encarnado? Isso não é desculpa; às vezes até Eu oro! Quando estava na carne, Jesus também orava quando se tratava de questões críticas. Ele orou nas montanhas, dentro de barcos e em jardins; Ele também levou Seus discípulos a orar. Se pode vir perante Deus e orar a Ele com frequência, isso prova que você trata Deus como Deus. Se você negligencia a oração com frequência e tende a fazer as coisas por conta própria, fazendo isso e aquilo pelas costas de Deus, então você não está servindo a Deus; está meramente envolvido em seus interesses próprios. Assim, você não será condenado? De fora, não parecerá que você fez algo perturbador, nem parecerá que blasfemou contra Deus, mas você estará simplesmente fazendo o que quer. Ao fazê-lo, você não está interrompendo? Mesmo que na superfície não pareça, em essência, você está resistindo a Deus.

Extraído de ‘A importância da oração e sua prática’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O que é a oração verdadeira? É contar a Deus o que está dentro do seu coração, comungar com Deus ao captar Sua vontade, comunicar-se com Deus por meio de Suas palavras, sentir-se particularmente próximo de Deus, sentir que Ele está diante de você e crer que você tem algo a dizer a Ele. Seu coração parece cheio de luz e você sente como Deus é amável. Você se sente especialmente inspirado, e ouvir você traz gratificação aos seus irmãos e irmãs. Eles sentirão que as palavras ditas por você são as palavras que estão no coração deles, as palavras que eles desejam dizer, como se as suas palavras substituíssem as deles. É isso o que significa verdadeira oração. Depois de ter se envolvido em verdadeira oração, seu coração estará em paz e conhecerá a gratificação. A força para amar a Deus pode elevar-se, e você sentirá que nada tem mais valor e significância na vida do que amar a Deus. Tudo isso prova que suas orações foram eficazes. Você alguma vez já orou de tal maneira?

E quanto ao conteúdo da oração? A sua oração deveria proceder passo a passo, de acordo com o verdadeiro estado do seu coração e a obra do Espírito Santo; você deve comungar com Deus de acordo com Sua vontade e com o que Ele exige do homem. Quando iniciar a prática da oração, primeiro entregue seu coração a Deus. Não tente captar a vontade de Deus; apenas tente falar as palavras que estão dentro do seu coração a Ele. Quando se puser diante de Deus, fale assim: “Ó, Deus! Somente hoje percebo, de fato, que eu costumava desobedecer a Ti. Eu sou verdadeiramente corrompido e desprezível. Estive apenas desperdiçando a minha vida. A partir de hoje, viverei para Ti. Viverei uma vida com significado e satisfarei à Tua vontade. Que Teu Espírito sempre opere em mim e continuamente me ilumine e esclareça. Que eu dê um forte e retumbante testemunho perante Ti. Que Satanás veja Tua glória, Teu testemunho e a prova de Teu triunfo, manifesto em nós”. Quando orar dessa forma, seu coração será completamente liberto. Tendo orado dessa maneira, seu coração estará mais próximo de Deus; e, se você puder orar frequentemente dessa forma, o Espírito Santo inevitavelmente irá operar dentro de você. Se sempre clamar a Deus dessa maneira e fizer sua resolução perante Ele, chegará o dia em que a sua resolução será aceitável perante Ele, em que seu coração e todo o seu ser serão ganhos por Deus, e você será, enfim, aperfeiçoado por Ele. Para vocês, a oração é de extrema importância. Quando você ora e recebe a obra do Espírito Santo, seu coração é tocado por Deus, e a força para amá-Lo aflora. Se não orar com seu coração, se não abrir seu coração para comungar com Deus, Ele não terá como operar em você. Se, após orar e falar as palavras do seu coração, o Espírito de Deus não começou Sua obra, e você não recebeu inspiração, isso mostra que seu coração carece de sinceridade, que suas palavras são falsas e permanecem impuras. Se, após orar, você se sentir gratificado, então suas orações foram aceitáveis a Deus, e o Espírito de Deus está operando em você. Como alguém que serve a Deus, você não pode ficar sem oração. Se você realmente vê a comunhão com Deus como algo significativo e valioso, como poderia renunciar à oração? Ninguém pode ficar sem comunhão com Deus. Sem oração, você vive na carne, em escravidão a Satanás; sem a verdadeira oração, você vive sob a influência das trevas. Espero que vocês, irmãos e irmãs, sejam capazes de se envolver em oração verdadeira a cada dia. Não se trata de seguir as regras, mas de alcançar um determinado resultado. Você está disposto a privar-se de um pouco de sono e diversão para acordar cedo, orar e apreciar as palavras de Deus? Se orar com um coração puro e comer e beber as palavras de Deus desse modo, você será mais aceitável a Ele. Se fizer assim toda manhã, se você praticar a entrega do seu coração a Deus todos os dias, comunicando-se e envolvendo-se com Ele, seu conhecimento sobre Deus certamente aumentará, e você será mais capaz de captar a vontade de Deus. Você diz: “Ó, Deus! Eu estou disposto a cumprir meu dever. Eu só sou capaz de consagrar todo meu ser a Ti, para que Tu possas ganhar glória de nós e para que possas deleitar-Te no testemunho dado pelo nosso grupo. Suplico que operes em nós, para que eu me torne capaz de verdadeiramente Te amar e satisfazer a Ti, e Te buscar como meu objetivo”. Ao tomar esse fardo, Deus certamente o aperfeiçoará. Você não deve orar somente em benefício próprio, mas também com o intuito de seguir a vontade de Deus e O amar. Este é o tipo mais verdadeiro de oração. Você é alguém que ora a fim de seguir a vontade de Deus?

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ao orar, seu coração deve estar sereno perante Deus e ser sincero. Você está comungando e orando verdadeiramente com Deus; não deve tentar enganá-Lo com palavras que soam bem. A oração deveria ser centrada em torno daquilo que Deus deseja realizar agora. Peça a Deus que lhe conceda mais esclarecimento e iluminação; coloque seu estado atual e seus problemas em Sua presença ao orar, incluindo a resolução que fez perante Ele. Orar não é seguir um procedimento, mas buscar a Deus com um coração sincero. Peça a Deus que proteja seu coração, a fim de que esteja constantemente sereno perante Ele; para que, no ambiente em que Ele o colocou, você se conheça, despreze a si mesmo e se abandone, permitindo, assim, que tenha um relacionamento normal com Deus e verdadeiramente se torne alguém que ama a Deus.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

As pessoas podem até ser capazes de executar a prática da oração e compreender o significado da oração, mas fazer com que ela seja eficaz não é uma questão simples. Orar não é simplesmente fazer algo sem se envolver, seguir um procedimento ou recitar as palavras de Deus. Ou seja, orar não é papaguear determinadas palavras nem imitar os outros. Na oração, é preciso alcançar aquele estado em que o coração do indivíduo pode ser entregue a Deus e aberto para que seja tocado por Ele. A fim de que a oração seja eficaz, ela deve se basear na leitura das palavras de Deus. Somente orando com base nas palavras de Deus é possível receber mais esclarecimento e iluminação. As manifestações de uma oração verdadeira são: ter um coração que anseia por tudo o que Deus pede e, além disso, deseja cumprir o que Ele exige; odiar aquilo que Deus odeia e então, edificando sobre esta base, ganhar algum entendimento disso e ter algum conhecimento e clareza sobre as verdades que Deus expõe. É somente onde há resolução, fé, conhecimento e uma senda de prática após a oração que ela pode ser chamada de oração verdadeira, e somente esse tipo de oração pode ser eficaz. No entanto, a oração deve ser construída sobre o deleite das palavras de Deus, deve ser estabelecida sobre a base da comunhão com Deus em Suas palavras, e o coração deve ser capaz de buscar a Deus e aquietar-se perante Ele. A oração desse tipo já atingiu o ponto de verdadeira comunhão com Deus.

O conhecimento mais básico sobre a oração:

1. Não diga cegamente o que vier à mente. Deve haver um fardo em seu coração, isto é, você deve ter um objetivo quando orar.

2. A oração deve conter as palavras de Deus; ela deve se basear nas palavras de Deus.

3. Ao orar, você não deve reintroduzir assuntos antigos. Suas orações deveriam ter relação com as palavras atuais de Deus e, quando orar, conte a Deus seus pensamentos mais íntimos.

4. A oração em grupo deve revolver em torno de um núcleo, que é, necessariamente, a obra atual do Espírito Santo.

5. Todas as pessoas têm de aprender a oração intercessória. Essa também é uma maneira de mostrar consideração pela vontade de Deus.

A vida de oração do indivíduo se baseia em uma compreensão do significado da oração e de um conhecimento básico da oração. Na vida diária, ore com frequência por suas próprias falhas, ore para realizar mudanças em seu caráter na vida e ore com base no seu conhecimento das palavras de Deus. Cada pessoa deveria estabelecer sua própria vida de oração, ela deveria orar pelo conhecimento das palavras de Deus e deveria orar a fim de buscar o conhecimento da obra de Deus. Exponha suas circunstâncias pessoais perante Deus e seja real, sem prestar atenção à maneira como ora. A questão central é alcançar um conhecimento verdadeiro e ganhar uma experiência real das palavras de Deus. Uma pessoa que busca entrada na vida espiritual tem de ser capaz de orar de muitas maneiras diferentes. Oração silenciosa, ponderação sobre as palavras de Deus, vir a conhecer a obra de Deus — todos esses são exemplos da obra propositada de comunhão espiritual para se alcançar entrada na vida espiritual normal, o que sempre aprimora o estado do indivíduo perante Deus e o leva a fazer cada vez mais progresso na vida. Em resumo, tudo o que você faz — seja comer e beber as palavras de Deus, orar silenciosamente ou proclamar em voz alta — é para permitir-lhe ver claramente as palavras de Deus, Sua obra e aquilo que Ele deseja alcançar em você. Mais importante, tudo o que você faz é para alcançar os padrões que Deus exige e elevar sua vida a novas alturas. O mínimo que Deus exige do homem é que ele seja capaz de abrir seu coração a Ele. Se o homem oferecer seu verdadeiro coração a Deus e falar aquilo que realmente está dentro de seu coração, então, Deus Se dispõe a operar nele. O que Deus deseja não é o coração distorcido do homem, mas um coração puro e honesto. Se o homem não falar sinceramente com Deus, Deus não tocará seu coração nem irá operar nele. Portanto, o ponto crucial da oração é falar com Deus de coração, contando-Lhe suas falhas ou caráter rebelde e abrindo-se completamente diante Dele. Somente então Deus estará interessado nas suas orações; caso contrário, Ele ocultará Sua face de você. O critério mínimo para a oração é que você seja capaz de manter seu coração sereno perante Deus e que ele não se aparte de Deus. Pode ser que, durante essa fase, você não obtenha uma visão mais nova ou mais elevada, mas você deve, então, usar a oração para manter o status quo — você não deve regredir. Isso é o mínimo que você deve alcançar. Se não puder realizar nem isso, então isso prova que a sua vida espiritual não está na trilha certa. Como resultado, você será incapaz de manter sua visão original, perderá a fé em Deus, e sua resolução subsequentemente se dissipará. Um sinal de que você entrou na vida espiritual ou não é ver se suas orações estão na trilha certa. Todas as pessoas têm de entrar nessa realidade; todas elas têm de realizar o trabalho de se exercitar conscientemente na oração, não esperando passivamente, mas buscando conscientemente ser tocadas pelo Espírito Santo. Somente então elas serão pessoas que verdadeiramente buscam a Deus.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

Como você busca ser tocado pelo Espírito Santo? A coisa crucial é viver nas palavras atuais de Deus e orar com base nas exigências de Deus. Tendo orado desta forma, é certo que o Espírito Santo o tocará. Se você não buscar com uma base na fundação das palavras pronunciadas por Deus hoje, isso é inútil. Você deve orar e dizer: “Ó Deus! Eu me oponho a Ti, e Te devo tanto; sou tão desobediente e nunca sou capaz de Te satisfazer. Ó Deus, desejo que Tu me salves, desejo servir-Te até o fim, desejo morrer por Ti. Tu me julgas e me castigas, e eu não me queixo; oponho-me a Ti e mereço morrer, para que todos possam contemplar o Teu justo caráter em minha morte”. Quando você ora do fundo do coração dessa forma, Deus o ouvirá e o guiará; se você não orar com base nas palavras atuais do Espírito Santo, não haverá possibilidade de o Espírito Santo o tocar. Se orar conforme a vontade de Deus e de acordo com o que Deus deseja fazer hoje, você dirá: “Ó Deus! Desejo aceitar Tuas comissões e ser fiel a Tuas comissões, e estou disposto a devotar minha vida inteira à Tua glória, de modo que tudo que eu faça consiga alcançar os padrões do povo de Deus. Que meu coração seja tocado por Ti. Desejo que Teu Espírito sempre me ilumine, para que tudo o que eu faça traga vergonha para Satanás, para que finalmente seja ganho por Ti”. Se você orar assim, de uma maneira que esteja centrada em torno da vontade de Deus, o Espírito Santo inevitavelmente trabalhará em você. Não importa a quantidade de palavras de suas orações — o essencial é se você compreende ou não a vontade de Deus. Talvez todos vocês tenham tido a seguinte experiência: às vezes, enquanto se ora em grupo, a dinâmica da obra do Espírito Santo atinge seu apogeu, fazendo com que a força de todos aumente. Algumas pessoas choram amargamente e derramam lágrimas enquanto oram, vencidas pelo remorso diante de Deus, e algumas mostram sua determinação e fazem votos. Tal o efeito a ser atingido pela obra do Espírito Santo. Hoje é crucial que todas as pessoas derramem completamente o seu coração nas palavras de Deus. Não se concentre nas palavras faladas anteriormente; se você ainda se agarrar ao que veio antes, o Espírito Santo não operará dentro de você. Você percebe a importância disto?

Extraído de ‘Conheça a mais nova obra de Deus e siga os Seus passos’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando começar a orar, não se exceda e espere alcançar tudo de uma só vez. Você não pode fazer exigências extravagantes, esperando, assim que abrir a boca, ser tocado pelo Espírito Santo, ou receber esclarecimento e iluminação ou que Deus derrame graça sobre você. Isso não acontecerá — Deus não realiza coisas sobrenaturais. Deus responde às orações das pessoas a Seu próprio tempo e, por vezes, testa sua fé para ver se você é fiel a Ele. Ao orar, você tem de ter fé, perseverança e resolução. A maioria das pessoas, quando começa a treinar, perde o ânimo por não ser tocada pelo Espírito Santo. Isso não basta! Você deve perseverar, deve se concentrar em sentir o toque do Espírito Santo, buscar e explorar. Às vezes, a senda da sua prática não está certa; às vezes, suas motivações e noções pessoais são incapazes de permanecer firmes perante Deus, e, portanto, o Espírito de Deus não o toca. Em outros momentos, Deus vê se você é fiel ou não. Em resumo, ao treinar, você deve pagar um preço mais elevado. Caso descubra que está se desviando na senda de sua prática, você pode mudar sua maneira de orar. Contanto que busque com um coração sincero e anseie receber, o Espírito Santo certamente o levará a essa realidade. Às vezes, você ora com um coração verdadeiro, mas não se sente como se tivesse sido particularmente tocado. Em momentos como esse, você deve confiar na fé, crendo que Deus está vendo suas orações; você deve ter perseverança nas suas orações.

Seja uma pessoa honesta e ore para que Deus o livre do engano em seu coração. Purifique-se por meio da oração em todos os momentos, seja tocado pelo Espírito de Deus por meio da oração, e seu caráter mudará gradualmente. A verdadeira vida espiritual é uma vida de oração — é uma vida tocada pelo Espírito Santo. O processo de ser tocado pelo Espírito Santo é o processo de mudança do caráter do homem. Uma vida que não é tocada pelo Espírito Santo não é uma vida espiritual, mas uma vida de ritual religioso apenas. Somente aqueles que são tocados com frequência pelo Espírito Santo e esclarecidos e iluminados pelo Espírito Santo entraram na vida espiritual. O caráter do homem muda constantemente à medida que ora. Quanto mais o Espírito de Deus o toca, mais proativo e obediente ele se torna. Assim, também, seu coração será gradualmente purificado, e seu caráter mudará gradualmente. Tal é o efeito da verdadeira oração.

Extraído de ‘Acerca da prática da oração’ em “A Palavra manifesta em carne”

A primeira coisa a fazer ao deparar com um problema é orar. Orar não é simplesmente tagarelar sem sinceridade; isso não resolveria problema algum. Você pode orar oito ou dez vezes e não ganhar nada, mas não perca a esperança — mesmo assim, você deve orar. Quando algo lhe acontece, ore primeiro, conte primeiro a Deus, permita que Deus assuma, permita que Deus o ajude, permita que Deus o guie e lhe mostre o caminho. Isso prova que você colocou Deus em primeiro lugar, que Ele está em seu coração. Se, ao deparar com um problema, a primeira coisa que você faz é resistir, se irritar e se enfurecer — se, antes de qualquer outra coisa, você se torna negativo — isso é uma manifestação de que Deus não está em seu coração. Na vida real, você deve orar sempre que algo lhe acontece. Ao primeiro sinal, você deve se ajoelhar e orar — isso é crucial. A oração demonstra a sua atitude em relação a Deus na presença Dele. Você não o faria se Deus não estivesse em seu coração. Algumas pessoas dizem: “Eu oro, mas mesmo assim Deus não me esclarece!”. Você não deve dizer isso. Veja primeiro se suas motivações para orar são corretas; se você realmente busca a verdade e ora a Deus com frequência, Ele pode muito bem esclarecer você em alguma questão para que você possa entender — ou seja, Deus o fará entender. Sem o esclarecimento de Deus, você não poderia entender por conta própria: falta-lhe perspicácia, você não tem cérebro para isso, e isso é inalcançável para o intelecto humano. Quando você entende, esse entendimento nasceu na sua mente? Se você não é iluminado pelo Espírito Santo, ninguém a quem você perguntar saberá qual é o significado da obra do Espírito ou o que Deus significa; somente quando o Próprio Deus lhe disser o significado você saberá. E assim, a primeira coisa a fazer quando algo acontece com você é orar. Orar exige sondar com uma atitude de buscador e expressar seus pensamentos, opiniões e atitudes — é isso que orar deveria envolver. Simplesmente agir sem se envolver não terá efeito algum, portanto não culpe o Espírito Santo por não esclarecer você. Descobri que, na fé em Deus de algumas pessoas, elas continuam crendo, mas Deus está apenas em seus lábios. Deus não está em seu coração; elas negam a obra do Espírito e também negam a oração; só leem as palavras de Deus, e nada mais. Isso pode ser chamado de fé em Deus? Ficam só acreditando até que Deus desaparece totalmente de sua fé. Em especial, existem aquelas que, frequentemente, tratam de assuntos gerais e acham que estão muito ocupadas e que nada ganham em troca de seus esforços. Esse é o caso de pessoas que não trilham a senda correta em sua fé em Deus. Não é trabalho árduo seguir o caminho certo? Elas não conseguem seguir esse caminho nem mesmo após entenderem muita doutrina e tendem a seguir a senda ladeira abaixo. Por isso, quando algo lhe acontece, você deve gastar mais tempo orando e buscando — isso é o mínimo que deve fazer. Aprender a buscar a vontade de Deus e as intenções do Espírito Santo é a chave. Se as pessoas que acreditam em Deus forem incapazes de experimentar e praticar dessa forma, elas não ganharão nada e sua fé não servirá para nada.

Extraído de ‘Veja todas as coisas através dos olhos da verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Não existe nada que Deus despreze mais do que as orações da cerimônia religiosa. Orações a Deus só são aceitas quando são sinceras. Se você não tiver nada sincero a dizer, fique calado; não fale sempre palavras falsas e cegamente faça juramentos diante de Deus, tentando enganá-Lo, falando sobre o quanto você O ama, sobre o quanto deseja ser leal a Ele. Se você é incapaz de alcançar seus desejos, se carece dessa determinação e estatura, não ore, sob quaisquer circunstâncias, dessa forma diante de Deus. Isso é ridículo. Ridicularizar significa zombar de alguém, brincar com ele. Quando as pessoas oram diante de Deus com esse tipo de caráter, então, no mínimo, isso é enganação. No pior dos casos, se você fizer isso com frequência, você tem um caráter totalmente desprezível. Se Deus fosse condenar você, isso seria chamado de blasfêmia! As pessoas não têm reverência para com Deus, não sabem como reverenciar a Deus, nem como amá-Lo e satisfazê-Lo. Se a verdade não for clara para elas ou se seu caráter for corrupto, Deus deixará passar. No entanto, elas trazem tal caráter para diante de Deus e tratam Deus como os incrédulos tratam outras pessoas. Além do mais, elas se ajoelham solenemente diante Dele em oração, usando essas palavras para tentar e enganar a Deus, e quando terminam, elas não só não sentem nenhuma reprovação própria, mas também não têm nenhum senso da seriedade de suas ações. Sendo esse o caso, Deus está com elas? Alguém que carece totalmente da presença de Deus pode ser esclarecido e iluminado? Pode ser iluminado com a verdade? (Não, não pode.) Então, está encrencado. Vocês oraram dessa maneira muitas vezes? Vocês fazem isso com frequência? Quando as pessoas passam tempo demais no mundo externo, elas fedem ao mau cheiro da sociedade, sua natureza escória é amplificada, e elas ficam encharcadas com os venenos e modos de viver satânicos; o que sai de sua boca são palavras de falsidade e enganação, elas falam sem pensar ou então falam palavras que nunca contêm nada além de seus próprios objetivos e motivações, e raramente têm as motivações corretas. Esses são problemas sérios. Quando as pessoas levam essas filosofias e esses modos de viver satânicos para diante de Deus, elas não ofendem o caráter de Deus? E qual será a consequência disso? Na superfície, essas orações são tentativas de enganar Deus e fazê-Lo de bobo, e são incompatíveis com Sua vontade e exigências. Em termos fundamentais, isso é causado pela natureza humana; não é uma revelação momentânea de corrupção.

Extraído de ‘Apenas conhecendo a si mesmo você pode buscar a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Descobri um problema que todas as pessoas têm: quando algo lhes acontece, elas vêm para diante de Deus para orar, mas, para elas, a oração é uma coisa e o assunto em questão é outra. Elas acreditam que, na oração, não deveriam falar sobre o que está acontecendo com elas. Vocês raramente oram de modo genuíno, e existem alguns que nem sabem como. Na verdade, orar é principalmente dizer o que está em seu coração, como se você estivesse falando como faz normalmente. No entanto, existem pessoas que se esquecem de seu lugar assim que começam a orar; insistem que Deus lhes conceda algo, desatentas quanto a se isso está de acordo com a vontade Dele, e, como resultado, suas orações murcham no orar. Quando ora, não importa o que você está pedindo em seu coração, não importa o que você deseja; ou talvez exista algum problema que você deseja tratar, mas lhe falta percepção, e você pede que Deus lhe dê sabedoria ou força ou que Ele o ilumine — qualquer que seja o seu pedido, você deve ser sensato ao formulá-lo. Se você não for sensato, se ajoelhar e disser: “Deus, dá-me força; deixa-me ver minha natureza; imploro que Tu operes; peço-Te isso e aquilo; imploro que me faças isso ou aquilo…”, esse seu “imploro” tem uma qualidade coerciva; é uma tentativa de pressionar Deus, de forçá-lo a fazer o que você quer — cujos termos você definiu unilateralmente de antemão, nada menos. Aos olhos do Espírito Santo, que efeito tal oração poderia ter, quando você já estabeleceu os termos e decidiu o que você quer fazer? Deve-se orar com um coração submisso, que busca. Quando algo o acometeu, por exemplo, e você não tem certeza sobre como deve lidar com isso, você poderia dizer: “Deus! Não sei o que fazer a respeito disso. Desejo satisfazer-Te nesse assunto e buscar a Tua vontade. Que seja feita a Tua vontade. Só desejo fazer o que Tu desejas, não o que eu desejo. Tu sabes que toda a vontade humana é contrária à Tua e resiste a Ti e não está de acordo com a verdade. Peço que Tu me ilumines, que me dês orientação nessa questão e não permitas que eu Te ofenda…”. Esse é o tom apropriado para uma oração. Se você disser apenas: “Deus, peço que me ajudes, me guies, me equipes com o ambiente certo e as pessoas certas e me deixes fazer bem o meu trabalho”, depois da sua oração, você não terá compreendido a vontade de Deus, pois terá pedido que Deus aja de acordo com a sua vontade.

Agora você deve verificar se as palavras que usa em oração são sensatas. Se suas orações não forem sensatas, não importa se isso se deve à sua tolice ou é intencional, o Espírito Santo não operará em você. Portanto, quando ora, você deve falar de modo sensato, num tom adequado. Diga isto: “Deus! Tu conheces minha fraqueza e minha rebeldia. Peço somente que me dês força e me ajudes a suportar minhas circunstâncias, mas somente de acordo com a Tua vontade. Isso é tudo que peço. Não sei qual é a Tua vontade, mas, mesmo assim, seja feita a Tua vontade. Mesmo que eu tivesse de prestar serviço ou servir como contraste, eu o faria voluntariamente. Peço que me dês força e sabedoria e que me permitas satisfazer-Te nessa questão. Desejo apenas submeter-me aos Teus arranjos…”. Depois de uma oração assim, seu coração se sentirá à vontade. Se tudo que você faz é implorar constantemente, não importa quanto diga, serão todas palavras vazias; Deus não operará em resposta a seu pleito, pois você já terá decidido de antemão o que você quer. Quando se ajoelhar em oração, diga isto: “Deus! Tu conheces a fraqueza do homem e conheces os estados do homem. Peço que Tu me ilumines nessa questão. Deixa-me entender a Tua vontade. Desejo apenas submeter-me a tudo que Tu arranjas; meu coração está disposto a obedecer-Te…”. Ore assim, e o Espírito Santo o moverá. Se seu modo de orar não for correto, sua oração será estéril, e o Espírito Santo não o moverá. Não fique tagarelando, falando consigo — fazer isso é desleixado e superficial. O Espírito Santo operará se você for desleixado e superficial? Quando a pessoa vem para diante de Deus, ela deve ser correta e apropriada, ter uma atitude devota, como os sacerdotes na Era da Lei, que se ajoelhavam quando ofereciam sacrifício. Orar não é coisa fácil. Como poderia ser viável uma pessoa vir para diante de Deus com garras e dentes à mostra ou orar deitada, aninhada em seu cobertor, acreditando que Deus pode ouvi-la? Isso não é devoção! Meu propósito nesta fala não é exigir que as pessoas sigam uma regra específica; o mínimo que se pode fazer é inclinar seu coração na direção de Deus e vir para diante Dele com uma atitude devota.

Extraído de ‘A importância da oração e sua prática’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Embora ajoelhar-se para orar seja conversar com Deus a partir do coração, saibam disto: as orações das pessoas também são canais para a obra do Espírito Santo. Enquanto a pessoa ora e busca num estado correto, o Espírito Santo também está operando. Essa é uma boa coordenação entre Deus e o homem a partir de duas perspectivas diferentes, ou pode-se dizer que Deus ajuda o homem a resolver alguns de seus problemas, e esse é um tipo de cooperação quando as pessoas vêm para diante de Deus. É também uma das maneiras com que Deus salva e purifica as pessoas, e, além disso, é a senda da entrada na vida normal. Não é um ritual. A oração não é meramente uma coisa que revigora as pessoas; se fosse, bastaria agir sem se envolver e gritar alguns chavões, e não haveria necessidade de implorar a Deus por nada, nem por adoração, nem por devoção. A oração é algo de profunda importância! Se você sabe orar e o faz com frequência, com orações frequentes que são submissas a Deus e sensatas, então seu estado, na maioria das vezes, será bem normal. Se, por outro lado, suas orações consistirem com frequência apenas em alguns chavões, e você não tomar sobre si nenhum fardo, e não ponderar sobre o que seria sensato ou não dizer em oração, nem sobre o que seria realmente reverente dizer, e nunca levar essas questões a sério, você nunca terá sucesso em sua oração e seu estado interior será sempre anormal. Você nunca se aprofundará na lição nem aprofundará sua entrada naquilo que é senso normal, submissão verdadeira, adoração verdadeira e a perspectiva com que se deve orar. Tudo isso são coisas sutis. Visto que a maioria de vocês raramente interage Comigo diretamente, você está restrito a orar diante do Espírito, e uma vez que começa a orar, torna-se uma questão de se as palavras que você diz são sensatas; se você é realmente um adorador; se o que está pedindo recebe a aprovação de Deus; se, dentro da sua oração, existe um elemento transacional ou se ela é adulterada por impurezas humanas; se sua fala, seu comportamento e suas decisões estão de acordo com a verdade; se você tem reverência, respeito e obediência especiais para com Deus; e se você está realmente tratando Deus como Deus. É preciso tratar com seriedade o que se diz privadamente em oração e fazer isso com sinceridade; somente assim você terá um senso normal quando vier para diante de Cristo. Se não levar o assunto a sério diante do Espírito, quando vier para diante de Cristo, você sempre resistirá ou então falará insensatamente, ou falará desonestamente, ou causará perturbação com sua fala e suas ações, e depois se sentirá repreendido. Por que você sempre se sentirá repreendido? Porque, como regra, você não tem o menor conhecimento das verdades de como adorar ou tratar a Deus; por isso, quando depara com um problema, você fica confuso e não sabe como praticar, e vive cometendo erros. Como as pessoas que acreditam em Deus devem entrar em Sua presença? Elas devem examinar, por meio da oração, como se deve falar com bom senso, como se deve falar a partir de uma posição que um ser humano deve assumir, como se deve falar a partir de um estado de obediência, como se deve falar quando se sente confusão interior ou quando não se consegue dizer o que se pretende dizer, e como se deve falar de coração ou falar a verdade. Você se tornará muito melhor nisso ao entrar na presença de Deus depois de praticar por um tempo. Normalmente, suas orações na presença do Espírito não são sensatas — você nunca deu importância alguma a isso, e até acredita que Deus não percebe, portanto pode dizer o que quiser, e que não importa se você disser algo errado. Você é desleixado e confuso durante o dia inteiro e, como resultado, quando entra na presença de Cristo, você teme dizer ou fazer algo errado. Mas quanto mais medo você tem de errar, mais você errará e nunca poderá se redimir. E já que não pode estar em contato constante com Cristo nem ouvir Cristo falando com você face a face, tudo que pode fazer é vir para a presença do Espírito com frequência para orar e buscar e alcançar submissão. Isso é porque, mesmo se Eu falasse com você face a face, você ainda teria que depender de si mesmo para trilhar essa senda. A partir de agora, você deve prestar mais atenção ao que diz quando ora. Tente orar, ponderar e sentir gradativamente, ao longo do tempo, e então, quando o Espírito Santo o esclarecer, você terá feito progresso nesse aspecto. O sentimento que você tem quando o Espírito Santo o ilumina é especialmente sutil. Depois de ter um pouco desses sentimentos sutis e desse conhecimento sutil, se fizer algumas coisas ou, entrando em contato com Cristo, cuidar de algumas coisas, você então será capaz de reconhecer quais palavras são ditas com bom senso e quais não são, quais coisas são feitas com bom senso e quais não são. Você terá alcançado os propósitos da oração.

Extraído de ‘A importância da oração e sua prática’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A oração consiste basicamente em falar com honestidade: “Oh, Deus! Tu conheces a corrupção do homem. Hoje, fiz outra coisa desarrazoada. Eu abrigava uma intenção — sou uma pessoa enganosa. Nao estava agindo segundo a Tua vontade ou a verdade. Agi conforme eu quis e tentei me justificar. Agora, reconheço a minha corrupção. Peço que me esclareças mais e me permitas entender a verdade, colocá-la em prática e me livrar dessas corrupções”. Fale desse jeito; faça um relato factual de questões factuais. A maioria das pessoas não ora verdadeiramente na maior parte do tempo; apenas se lembra do passado, com pouco conhecimento em sua mente e disposição de se arrepender, mas nem contemplou nem sondou a verdade. Contemplar as palavras de Deus e buscar a verdade durante a oração é muito mais profundo do que mera lembrança e conhecimento. Os estímulos que lhe são enviados pela obra do Espírito Santo e o esclarecimento e a iluminação que Sua obra lhe fornece por meio das palavras de Deus o guiam para o conhecimento e o arrependimento verdadeiros; eles são muito mais profundos do que os pensamentos e o conhecimento humanos. Isso é algo que você deve conhecer bem. Se você se empenhar apenas em pensamento e investigação superficiais e aleatórios, se não tiver uma senda apropriada para praticar e fizer pouco progresso em direção à verdade, você permanecerá incapaz de mudar. Há momentos, por exemplo, em que as pessoas resolvem se despender sinceramente por Deus e sinceramente retribuir Seu amor — no entanto, com esse desejo, talvez você não se despenda com tanta energia e seu coração não se dedique totalmente ao empreendimento. Se, porém, depois de orar e ser movido, você toma atitude e diz: “Deus, estou disposto a sofrer adversidade; estou disposto a aceitar Tuas provações; e estou disposto a me submeter a Ti completamente. Não importa quão grande é meu sofrimento, estou disposto a retribuir Teu amor. Desfruto do Teu grande amor, e Tu me levantaste tanto — por isso eu Te agradeço do fundo do meu coração e dou toda a glória a Ti”, depois de ter oferecido tal oração, seu corpo inteiro será empoderado e você terá uma senda para praticar. Esse é o efeito da oração. Depois que uma pessoa ora, o Espírito Santo se põe a operar nela, esclarecendo, iluminando e guiando-a e dando-lhe a fé e a coragem necessárias para colocar a verdade em prática. Há pessoas que leem as palavras de Deus diariamente sem alcançar esse resultado, mas, após lê-las, quando comungam sobre elas, seu coração se ilumina e elas encontram algo como um caminho adiante. Se, além disso, o Espírito Santo o move um pouco e lhe dá um pouco de orientação e também um pouco de fardo, os resultados realmente são muito diferentes. Quando lê as palavras de Deus por conta própria, talvez você seja movido um pouco, talvez você chore, mas o sentimento logo passará. Se, porém, oferecer uma oração cheia de lágrimas, uma oração séria ou uma oração que é genuína e sincera, você receberá um vigor que pode perdurar por dias. Esse é o efeito da oração. O propósito da oração é fazer com que as pessoas venham para diante de Deus e aceitem aquilo que Ele lhes deseja dar. Se você orar e vir para diante de Deus para comungar com Ele com frequência e tiver um relacionamento normal com Ele, então você sempre será movido por dentro por Ele e sempre receberá Suas provisões — e aquele que sempre recebe as provisões de Deus é transformado, e suas condições sempre melhoram. Principalmente quando irmãos e irmãs oram juntos, surge depois uma energia especialmente maravilhosa, e eles sentem que ganharam muito. Na verdade, talvez não tenham comungado muito em seu tempo juntos; foi a oração que os despertou, tanto que não conseguiam esperar um segundo sequer para renunciar às suas famílias e ao mundo, e não queriam nada, e ter Deus, apenas, lhes bastava. Que fé maravilhosa! O poder que a obra do Espírito Santo dá ao homem pode ser desfrutado infinitamente! Até onde você pode ir sem confiar nesse poder, apenas se preparando e estufando o peito ao avançar, ou dependendo de sua perseverança e força de vontade? Pouco depois você cairá e será degradado; ao caminhar, sua força falhará. As pessoas devem manter seu contato com Deus até o fim! O homem, porém, ao caminhar, se afasta muito de Deus. Deus é Deus, homem é homem, e cada um segue a própria senda; Deus fala as palavras de Deus, e o homem segue sua senda, que não é igual à senda de Deus. Quando uma pessoa perde força em sua crença em Deus, ela vem para diante de Deus para orar algumas palavras e pegar emprestado um pouco de força. Depois de receber um pouco de energia, ela parte mais uma vez. Depois de um tempo, o combustível acaba, e ela volta para Deus, para pedir mais. Agindo dessa forma, a pessoa não consegue perseverar por muito tempo; quando se afasta de Deus, a pessoa não tem um caminho a seguir.

Extraído de ‘A importância da oração e sua prática’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Vejo que, agora, muitas pessoas carecem especialmente da capacidade de se conter. Por que isso? É porque nunca oram. Quando não oram, as pessoas se tornam dissolutas, e quando são dissolutas, elas perdem sua devoção e humildade. Só falam de humanidade, integridade e de conhecer a própria natureza corrupta. No que diz respeito a como, exatamente, o Espírito Santo age, como Ele move as pessoas e como as pessoas deveriam buscar a vontade de Deus em seu dia a dia — todas essas coisas desaparecem. Em seu coração, as pessoas só acreditam que realmente existe um Deus, e tudo que resta de sua fé é um reconhecimento de Deus; os assuntos da vida do espírito se foram. Sua fé se estende somente até o mundo material, e elas negam questões do espírito, e assim, ao caminhar sozinhas, elas se desviam e caem. Quando uma pessoa que não ora pratica a verdade, ela só pode seguir um princípio dentro de certo escopo — meras regras. Embora você possa se ater aos arranjos do Alto em suas ações e não ofender a Deus, tudo que está fazendo é seguir regras. O espírito das pessoas anda tão fraco e entorpecido. Há muitas coisas complexas no relacionamento do homem com Deus, tais como ser movido e esclarecido pelo Espírito. O homem não pode sentir essas coisas — ele está entorpecido demais! O homem não lê as palavras de Deus, não está em contato com os assuntos da vida do espírito e não consegue obter controle sobre o próprio estado. Para obter controle sobre o estado da vida do espírito, não orar e não viver a vida da igreja não funciona. Vocês percebem isso? Para crer em Deus, é preciso orar; sem oração, não há semelhança de crença em Deus. Digo que vocês não precisam seguir regras — podem orar em qualquer lugar e a qualquer hora —, e por isso há alguns que raramente oram. Não oram de manhã, quando acordam; apenas leem algumas passagens das palavras de Deus e ouvem hinos. Durante o dia, ocupam-se com assuntos externos, e também não oram antes de se deitar, à noite. Vocês não se sentem assim? Se apenas lê as palavras de Deus e não ora, você não é igual a um incrédulo que lê as palavras Dele sem assimilar? Sem oração, o coração não se envolve, e não há sentimentos nem impulsos sutis em seu espírito. A pessoa está fraca e entorpecida; fala superficialmente de coisas relacionadas a uma mudança de caráter e parece crer em Deus, mas o sentimento nas profundezas do seu espírito não é tão forte. É igual àqueles que não creem em Deus. Não importa como tentem orar, são incapazes de dizer as palavras. Isso é muito perigoso — significa que você está distante demais de Deus e que Ele não está mais em seu coração. Na verdade, não existe conflito entre tratar de assuntos externos e trabalhar e voltar para o espírito para orar. Não só não existe conflito, como voltar para o espírito para orar é, na verdade, mais benéfico para o seu trabalho.

Extraído de ‘A importância da oração e sua prática’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Agora você deveria ser capaz de ver claramente a senda exata que Pedro tomou. Se você consegue ver claramente a senda de Pedro, então estará seguro sobre a obra que está sendo feita hoje, assim você não reclamará nem será passivo, tampouco ansiará por algo. Você deveria experimentar o estado de humor de Pedro daquela época: ele estava afligido por tristeza; ele não mais pedia por um futuro ou por quaisquer bênçãos. Não buscava o lucro, a felicidade, a fama ou a fortuna do mundo, mas somente viver a vida mais significativa possível, que era pagar de volta o amor de Deus e dedicar o que ele considerava mais completamente precioso para Deus. Então, ele estaria satisfeito em seu coração. Ele frequentemente orava a Jesus com estas palavras: “Senhor Jesus Cristo, eu Te amei uma vez, mas eu não Te amei de verdade. Apesar de eu ter dito que eu tinha fé em Ti, eu nunca Te amei com um coração verdadeiro. Eu somente Te admirava, Te adorava, sentia falta de Ti, mas nunca Te amei, nem tive uma fé verdadeira em Ti”. Ele sempre orava para fazer sua resolução, e era constantemente encorajado pelas palavras de Jesus e extraía motivação delas. Mais tarde, depois de um período de experiência, Jesus o testou, provocando-o para que ansiasse por Ele ainda mais. Ele disse: “Senhor Jesus Cristo! Como eu sinto saudades de Ti, e anseio olhar para Ti. Eu careço de muita coisa e não posso compensar o Teu amor. Eu imploro que Tu me leves embora em breve. Quando terás necessidade de mim? Quando me levarás embora? Quando irei, mais uma vez, olhar a Tua face? Eu não desejo viver mais neste corpo, continuar a me corromper, nem desejo me rebelar ainda mais. Estou pronto a dedicar tudo o que tenho a Ti assim que puder e não tenho desejo de entristecer-Te mais ainda”. Era assim que ele orava, mas ele não sabia, na época, o que Jesus aperfeiçoaria nele. Durante a agonia de sua prova, Jesus apareceu a ele novamente e disse: “Pedro, desejo te aperfeiçoar de modo que tu te tornes um pedaço de fruta, algo que seja a cristalização do Meu aperfeiçoamento de ti, e do qual Eu vou usufruir. Tu podes, de fato, testemunhar para Mim? Tu já fizeste o que Eu pedi que fizesses? Tu já viveste as palavras que Eu falei? Uma vez tu Me amaste, mas apesar de teres Me Amado, tu tens Me vivido? O que fizeste por Mim? Tu reconheces que és indigno do Meu amor, mas o que fizeste por Mim?” Pedro viu que ele não tinha feito nada para Jesus e se lembrou de seu juramento anterior de dar sua vida para Deus. E, então, ele não mais reclamou, e suas orações daí em diante ficaram muito melhores. Ele orou, dizendo: “Senhor Jesus Cristo! Uma vez eu Te deixei, e Tu também uma vez me deixaste. Passamos um tempo separados e um tempo juntos na companhia um do outro. Contudo, Tu me amas mais que qualquer outra coisa. Eu me rebelei repetidamente contra Ti e repetidamente Te entristeci. Como posso me esquecer dessas coisas? Eu sempre tenho tido em mente e nunca me esqueço da obra que Tu tens feito em mim e o que me tens confiado. Eu tenho feito tudo que posso pela obra que Tu tens feito em mim. Tu sabes o que eu posso fazer, e Tu sabes mais ainda o papel que posso desempenhar. Desejo me submeter a Tuas orquestrações e dedicarei tudo que tenho a Ti. Só Tu sabes o que eu posso fazer para Ti. Apesar de Satanás ter me enganado tanto e de eu ter me rebelado contra Ti, creio que Tu não Te lembras de mim por causa daquelas transgressões, que Tu não me tratas com base nelas. Desejo dedicar minha vida inteira a Ti. Não peço nada nem tenho outras esperanças ou planos; eu somente desejo agir de acordo com a Tua intenção e fazer a Tua vontade. Beberei do Teu cálice amargo e estou ao Teu inteiro dispor”.

Extraído de ‘Como Pedro conheceu Jesus’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 6. Os princípios para comungar com Deus

Próximo: 8. Os princípios para orar a Deus e adorá-Lo

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro