102. Os princípios para identificar se a pessoa compreende questões espirituais

(1) Primeiro, verifiquem se, ao ler as palavras de Deus, a compreensão que alguém tem delas é pura e se consegue sintetizar seu próprio estado corrupto e compará-lo com o que é revelado pelas palavras de Deus;

(2) Verifiquem se alguém consegue buscar a verdade e colocá-la em prática em palavras e ações ou se ainda age de acordo com noções e imaginações ou adere a regras;

(3) Verifiquem se alguém consegue identificar cada tipo de pessoa; se trata cada um de acordo com os princípios; se, ouvindo regularmente sermões e comunhão, consegue compreender a verdade e ter uma senda de prática;

(4) Verifiquem se a fala de cada qual sobre autoconhecimento é prática; se se arrependeu verdadeiramente; e se seus pontos de vista sobre as coisas, suas perspectivas sobre a vida e seus valores sofreram uma transformação verdadeira.

Palavras de Deus relevantes:

Você entender ou não de assuntos espirituais nada tem a ver com quanto tempo você leva para entender a verdade. Tem a ver com se você consegue entender a palavra de Deus. Se, depois de ouvi-la, você sente que a entende, mas, quando enfrenta um problema, acaba mostrando que não, então você não entende assuntos espirituais. Se, no momento, alguém sente que entendeu a palavra de Deus, mas não completamente, mas depois de experimentar por um tempo aquilo fica claro para ele e ele entende esse aspecto da verdade, então tem entendimento espiritual. Não tem nada a ver com quantas palavras e frases ele entende. Isso está relacionado ao calibre das pessoas, bem como à senda que elas percorrem e à sua busca. Existem alguns anticristos que são de bom calibre. Depois que você prega para eles, eles são capazes de repetir o que você disse e até de tirar inferências a partir daquilo, de forma que, depois que outros os ouvem falar, achem mais claro do que o sermão que você deu. Mas quando algo acomete esses anticristos, suas ações estão totalmente em desacordo com as doutrinas que eles entenderam, e eles não conseguem aplicar o que entendem. Os sermões que eles dão fazem parecer que eles entendem esse aspecto da verdade e, portanto, eles deveriam saber o que fazer e conseguir entender os princípios. Mas quando algo lhes acontece, eles se afastam da mensagem e são propensos a adotar alguma outra teoria — o que prova que eles não entendem esse aspecto da verdade e o que eles estão pregando é apenas uma doutrina para eles, um tipo de teoria, e eles não entendem a verdade. Quando você os ouve pregar doutrina, parece que eles a entendem muito bem, mas, na verdade, eles não têm entendimento espiritual; eles não entendem a verdade, nem buscam a verdade. Quando solicitados a buscar, eles não têm senda de como buscar — não entendem. Por exemplo, quando encontram uma dificuldade, tornam-se negativos, e, quando você comunga com eles, eles dizem: “Não comungue comigo, eu entendo tudo”. Na verdade, eles não entendem; se realmente entendessem, então, mesmo que não praticassem a verdade, no mínimo não seriam tão negativos e absurdos. Tão logo os ouve dizer essas coisas absurdas e ridículas, você sabe que eles não entendem nada. Ao se depararem com algo que contraria suas opiniões, existem aqueles que reclamam de Deus, aqueles que tentam argumentar com Deus, aqueles que interpretam errado e aqueles que espalham ideias; tão logo você ouve as coisas que eles estão espalhando, quando vê o que estão dizendo, o que vai no coração deles, você percebe que eles não têm nenhum entendimento da verdade. Independentemente de até que ponto as pessoas entendem coisas espirituais, contanto que não sejam anticristos especialmente malignos nem pessoas que carecem de humanidade ou de qualquer consciência e senso, então, se forem pessoas normais que entendem um pouco da verdade, elas terão temor de Deus, e, quando algo acontece com elas, mesmo que sejam fracas e negativas, é improvável que espalhem absurdos e falácias. Agora, quando você consegue discernir se alguém entende questões espirituais ou não, a maioria das pessoas é exposta como quem não entende a verdade; normalmente, elas não têm nenhuma dificuldade de pregar palavras e frases — em especial no caso em que, quanto mais tempo as pessoas têm acreditado em Deus, melhores são em pregar e mais acreditam que têm capital — com o resultado de serem expostas como não tendo nenhum entendimento de coisas espirituais.

A que, especificamente, se refere o não entender coisas espirituais? Em resumo, não entender coisas espirituais significa não entender a verdade. Algumas pessoas sabem como dizer todas as coisas certas e parecem ter grande vigor e convicção em sua fé em Deus — como poderiam não entender coisas espirituais? Você vê que elas sempre falam com muito vigor e que são sempre muito motivadas pela paixão. Raramente são negativas e com facilidade podem sofrer e pagar um preço. Mas elas não entendem a verdade. Não importa por quanto tempo tenham sido crentes, aqueles que nunca entenderam a verdade não entendem coisas espirituais. Para aqueles que entendem coisas espirituais, há princípios em suas ações. Quer isso seja informado pela consciência ou por seu entendimento da verdade, há princípios em como lidam com tudo que encontram; eles não são desinformados, não agem cegamente, apegando-se a regras — o que é um sinal claro. No entanto, quando se trata daqueles que não entendem coisas espirituais, alguns têm suas ações informadas pela experiência; outros, por seus próprios dons; outros, por seu conhecimento; outros, pelo conhecimento, pela teoria e pela teologia que têm ouvido por anos; e outros, pela consciência, paixão e bondade natural. O que prova o fato de que, qualquer que seja a área em que as pessoas entendem coisas espirituais, essa é a área em que suas ações têm princípios? Isso prova que, qualquer que seja a área em que as pessoas entendem a verdade, essa é a área em que suas ações têm princípios.

Extraído de ‘Somente aqueles que entendem a verdade entendem questões espirituais’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Quais são as expressões das pessoas que entendem questões espirituais e das pessoas que não as entendem? Aquelas que não entendem questões espirituais não sabem absolutamente nada do significado da verdade ou dos estados, backgrounds e referentes dos quais Deus fala. Elas não conseguem compreendê-los nem podem se comparar com eles. Aquelas que entendem as questões espirituais são bem o contrário. Por exemplo, quando Eu comungo sobre o tópico da desobediência das pessoas, uma coisa que inclui sua dureza, egoísmo, insensatez, seu antagonismo em relação a Deus e resistência contra Ele e seus equívocos sobre Ele, e quando falo sobre todos os estados que envolvem esse tópico — seja por meio de exemplos, ou falando sobre um aspecto da verdade, ou indicando um estado que seja exatamente o estado de seu coração, ou talvez simplesmente falando sobre tópicos dentro de princípios relacionados — você entende, e algumas imagens vêm à tona de sua mente e pensamentos, e você diz: “Acontece que meu estado daquela única vez foi de desobediência!”. Ou quando a conversa se transforma em equívocos sobre Deus, se você considerar os estados e expressões que revelou e perceber que é um equívoco sobre Deus que as pessoas tenham tais ideias ou tais exigências e imaginações Dele, então isso significa que você se comparou com essas coisas. Quando Eu falo de antagonismo em relação a Deus e resistência contra Ele, se você tem tais sentimentos e vive em tal estado, ou se tal caráter ou essência está em seu interior, você pode usar essas coisas para comparação. Que coisas você pode submeter a tal comparação? Ideias e pensamentos ou as ações e comportamentos que você manifesta podem ser universalmente verificados; isso significa que você é capaz de entender o que Deus diz e o que é pregado em sermões e de saber quais de seus comportamentos e suas revelações, manifestações, estados e essências são os mesmos que aqueles revelados por Deus e pregados em sermões. Essas são as expressões de alguém que entende questões espirituais.

Extraído de ‘Somente na busca da verdade há entrada na vida’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Em sua consideração das palavras de Deus, aqueles que não entendem questões espirituais nem sabem o que essas palavras dizem nem a que elas se referem; tais pessoas também não sabem os estados que Deus revela nem podem se comparar com essas coisas. Elas tratam as palavras de Deus, todos elas, como regras, cartas, slogans e doutrina, e em momento algum compreendem o verdadeiro significado da frase: “As palavras de Deus são a verdade”. Essa é uma expressão das pessoas que não entendem questões espirituais. […] Aqueles que entendem questões espirituais são capazes de entender a verdade e são capazes de se comparar com ela; eles sabem o que as palavras de Deus revelam, o que é a verdade em Suas palavras e quais são as Suas exigências. Ser capaz de entender essas coisas é o mesmo que ter obtido entrada? (Não é.) A que então “ser capaz de entender” se refere? A que está direcionado? A alguém que é capaz de se examinar à luz dessas coisas; que é capaz de reconhecer o caráter corrupto e os vários estados da humanidade conforme revelados por Deus; que é capaz de saber, até certo ponto, as exigências de Deus; e que é capaz de conhecer os princípios proferidos nas palavras de Deus e a Sua vontade — considera-se que tal pessoa, que tem clareza e entendimento a respeito de todas essas coisas, portanto, entende questões espirituais. Aqueles que entendem questões espirituais conseguem se comparar às palavras de Deus ao comerem e beberem delas; eles conseguem entender Suas referências e quais são Suas exigências. Isso demonstra que tais pessoas têm a capacidade de recepção, bem como o calibre e a capacidade para receber a verdade.

Extraído de ‘Somente na busca da verdade há entrada na vida’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A principal expressão das pessoas que não entendem questões espirituais é a adesão estrita a regras. Elas frequentemente tomam uma sentença ou um evento e o designam como uma regra ou um modo a seguir. Essas pessoas, então, tratam a verdade da mesma forma? Aqueles que não entendem questões espirituais lembram um aspecto das manifestações da verdade sobre a qual você comungou hoje; eles designam essas palavras e comportamentos como regras que devem ser praticadas, lembrando-se de cada uma delas sem falhar. Então, na próxima vez, ao depararem com uma situação diferente e sem ninguém comungando, eles aplicarão aqueles métodos e regras anteriores indiscriminadamente e os colocarão em prática. Essa é uma manifestação concreta das pessoas que não entendem questões espirituais. Como tais pessoas se sentem enquanto estão aderindo tanto a regras? (Cansadas.) Elas não se sentem cansadas; caso se sentissem, elas parariam. Elas sentem que estão praticando a verdade; elas não sentem que estão aderindo a um conjunto de regras nem sentem que não entendem questões espirituais. Menos ainda elas sentem que não entenderam a verdade ou que não têm entendimento do que os princípios da verdade são. Ao contrário, elas acham que entenderam o lado prático da verdade, bem como os princípios desse lado da verdade; ao mesmo tempo, acham que entenderam a vontade de Deus e que, se puderem agir conforme suas regras, terão entrado nesse aspecto da verdade-realidade, crendo o tempo todo que estão satisfazendo a vontade de Deus e pondo a verdade em prática. Tal prática dogmática da verdade é realmente uma expressão de sua busca? (Não.) Essa é uma expressão do tipo de pessoa que não entende questões espirituais, que está vinculada a convenções e que é preguiçosa; ao deparar com um problema, esse tipo de pessoa não busca a verdade; ela não pensa sobre a verdade, não a examina nem a investiga em detalhes. Além disso, mesmo que examinasse a verdade, ela ainda seria incapaz de entendê-la. Por que ela não pode entendê-la? Basicamente, é porque ela não tem entendimento algum de questões espirituais.

Extraído de ‘Somente na busca da verdade há entrada na vida’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Qual é a principal expressão da maneira com a qual aqueles que não entendem as questões espirituais buscam a verdade? Sua prática da verdade se manifesta como cumprimento de regras ao pé da letra; eles falam a pessoas sobre doutrina e aplicam rigidamente os métodos dos outros. Qual, então, é a essência de tais pessoas? O que faz com que elas confundam obediência às regras com busca da verdade? O que levou a esse problema? Há uma causa básica; vocês podem encontrá-la? (Tais pessoas são arrogantes e hipócritas por natureza. Elas não buscam a verdade; antes, tratam o que pensam que é certo como se fosse a verdade.) Isso acontece com alguns que não entendem questões espirituais, mas não é a causa básica. Quando essas pessoas, que não têm entendimento de questões espirituais e que amam seguir regras, ouvem a verdade e sermões, elas o fazem de forma bastante diligente, com cuidadosa atenção — em especial para com as coisas que têm a ver com sua prática própria. Elas ouvem atentamente as ideias acerca de como cumprir seus deveres, por exemplo, ou de como fazer bem aquilo que elas têm que fazer. O problema-chave é que elas não podem comparar o conteúdo dos sermões que ouvem aos próprios estados. Por exemplo, assim que ouvem uma discussão sobre rebelião humana, elas dizem: “Rebelião? Eu não sou rebelde! Uma vez que isso não é permitido, se eu alguma vez deparar com esse tipo de situação, simplesmente manterei minha boca calada, tentarei ficar quieto, farei um balanço da situação e farei o que todos ao meu redor fazem”. Após ouvirem algo, elas tiram disso um conjunto próprio de estilos lógicos e métodos de prática, mas, no fundo, seus pensamentos são turvos no que diz respeito à verdade e a vários estados expostos e mencionados nos sermões. O que significa que seus pensamentos são turvos? Significa que elas não entendem o que está sendo dito e pensam consigo: “O que é toda essa comunhão? Por que não colocá-la toda de forma um pouco mais simples? Hoje, é um tipo de comunhão, e amanhã é outro!”. Na visão delas, é simples efetuar mudança no caráter de alguém — simplesmente faça o que mandam. Elas não conseguem se comparar com esses estados e esse caráter corrupto. Ocorre essencialmente o mesmo com elas quando se trata de várias revelações, pensamentos, ideias, intenções e manifestações do caráter corrupto do homem que emergem em diferentes ambientes no processo de entrada na vida: elas são vazias e não conseguem se comparar com essas coisas. Como as pessoas que não conseguem se comparar com essas coisas se sentem quando ouvem a verdade? (Elas sentem que a verdade se refere a outras pessoas e não tem nenhuma influência sobre elas.) Esta é a principal característica delas — quando coisas ruins são mencionadas, elas acreditam que todas se aplicam aos outros, mas quando regras que elas podem seguir e compreender são mencionadas, elas sentem que estas lhes são relevantes. Quando se trata das coisas que envolvem estados, mudanças no caráter e a natureza-essência e o caráter de uma pessoa, elas não reconhecem nenhuma delas; elas não conseguem aceitá-las nem as entendem. Todos que não entendem questões espirituais têm esse traço em comum. Isto é, não podem se comparar com tudo aquilo que Deus diz que revela os vários estados e manifestações das pessoas e as revelações de sua essência, e não têm o menor discernimento; estão sempre comparando alhos com bugalhos. É como se, quando você lhes pergunta se comeram, eles dizem que não beberam água alguma; ou, se você lhes pergunta se estão com sono, eles dizem que não estão com sede. Tal situação — tal estado de coisas — acontece com bastante frequência.

Extraído de ‘Somente na busca da verdade há entrada na vida’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Não importa há quantos anos elas acreditem em Deus ou como elas pareçam buscar a verdade, as pessoas que não entendem assuntos espirituais nunca fazem qualquer progresso. Não importa há quantos anos sejam crentes, pessoas que não entendem assuntos espirituais ignoram o que significa conhecer a si mesmo e o que é um caráter corrupto. Elas não sabem o que é a manifestação de um caráter arrogante quando enfrentam um problema ou qual é a manifestação de submissão à verdade. Elas não sabem como se comportar como pessoas honestas ou que tipo de comportamento é enganoso. Elas não sabem o que é obediência ou o que significa se rebelar, se opor e rejeitar as orquestrações e arranjos de Deus. Elas não sabem o que é boa vontade humana ou o que significa praticar de acordo com a verdade e se submeter às orquestrações e arranjos de Deus. Elas não têm ideia das diferenças entre essas minúcias. Elas não sabem se têm sido leais no desempenho de seu dever ou se têm sido negligentes, ou que caracteres corrompidos lhes foram revelados, quais são suas motivações ou se a senda que trilham é a correta. Elas não sabem se a perspectiva de sua prática está correta ou que tipo de comportamento é amado por Deus e que tipo é desprezado por Deus. Elas acreditam que, se continuarem agindo dessa maneira, elas não têm como errar e que devem simplesmente fazer tudo que querem — é tão simples e não envolve nenhum detalhe. Algumas pessoas têm entendimento espiritual, mas não buscam ou praticam a verdade; elas apenas procuram trabalhar e fazer algum serviço. Algumas pessoas não têm nenhum entendimento espiritual e não entendem as questões espirituais na vida. Elas meramente aderem às regras e nada mais. Elas apenas se apegam a ler as palavras de Deus e a levar uma vida espiritual normal. Ao cumprir seu dever, elas não enrolam ou causam problemas. Elas não fazem deliberadamente coisas que causam interrupções ou perturbações. Elas fazem o que lhes é pedido e seguem princípios simples. Mas quando se trata de detalhes, dos estados envolvidos na entrada na vida e das várias perspectivas e atitudes, elas os ignoram completamente. Quando você fala em resolver noções, elas não acreditam que têm quaisquer noções, pensam que todas as suas noções já foram resolvidas e o que você está comunicando não tem nada a ver com elas. Elas não sabem a que noções você está se referindo ou qual é a verdade-realidade sobre aquilo que você está comunicando. Quando você fala em conhecer a si mesmo, elas dizem: “O homem não é rebelde e arrogante? Quando alguém enfrenta um problema, ele não deve se rebelar ou se exibir, mas ser despretensioso e humilde — isso não basta?” Quando você fala em obediência, elas dizem: “Obediência? Você fica falando sobre isso ser obediente, e aquilo não — como pode ser tão complicado?” Quando você diz que as pessoas devem renunciar a si mesmas e disciplinar seu corpo, ou que devem amar a Deus, e que devem deixar de lado suas próprias motivações e ambições quando se encontram em determinado ambiente, elas dizem: “Não tenho muitas motivações e ambições”. O pensamento delas é simplista assim. Essas pessoas podem finalmente ganhar a verdade? (Não.) Qual é a atitude delas em relação à verdade? Elas não acham que possuem essas corrupções. Elas pensam: “Já ouvi essas palavras antes, e todas elas são mais ou menos iguais. Não falam todas elas sobre submeter-se e fazer o que mandam você fazer?” Mas é assim tão simples? Para algumas pessoas, é. Vendo outros que são negativos, dizem: “Apenas ame a Deus! Por que chorar? Sobre o que há para ser negativo?” Elas não entendem assuntos espirituais. O que significa quando as pessoas não entendem assuntos espirituais? Significa que, não importa o que Deus diga, sobre qual aspecto da verdade Ele fale, tudo parece teoria para elas. Elas não entendem os riscos envolvidos ou por que Deus está comunicando isso. Elas não entendem nada a respeito desse aspecto da verdade, qual é sua relação com a entrada das pessoas e sua vida de fé em Deus, qual é sua relação com as dificuldades que as pessoas encontram na vida real e com os caráteres corrompidos que revelam, qual é a relação entre a verdade e a humanidade e entre a verdade e a consciência. Elas ignoram por completo o que esses detalhes e as palavras ditas por Deus têm a ver com o que é revelado e manifestado na vida real das pessoas e o que as pessoas devem praticar, e elas não entendem essas coisas; tudo que ouvem são palavras como: “Obediência, lealdade, não seja superficial, não cause interrupções ou perturbações” — do que destilam uma coisa: “Não preciso me lembrar de nada disso. Eu apenas farei o que Deus pede; fico feliz em prestar serviço”. Elas não sabem que, além de prestar serviço, o homem possui muitas corrupções, bem como ambição, desejos, preferências, noções e imaginações. Há muitas coisas dentro das pessoas, e quando Deus profere essas palavras, Ele está pedindo que as pessoas resolvam essas coisas e as substituam pela verdade. O objetivo de Deus em falar essas verdades é fazer com que você as compreenda e aceite, após o que essas verdades podem ser usadas para resolver os problemas da vida real, resolver as dificuldades que você tem, para que essas verdades se tornem sua realidade e sejam vividas em você. O que é então revelado em você não é mais arrogância, ambição, desejos, noções, imaginações, conhecimento e filosofia, mas a verdade-realidade. Pessoas que não têm qualquer entendimento espiritual não entendem isso. Depois de anos ouvindo sermões, pensam: “Como é que todo sermão é mais ou menos o mesmo? Você tem pregado há anos sobre conhecer a si mesmo — não é apenas uma questão de reconhecer as próprias fraquezas mortais e a corrupção?” Outros dizem que os sermões de hoje são mais profundos e detalhados do que antes, mas não têm noção disso. Essas são as manifestações de pessoas que não têm qualquer entendimento espiritual.

Extraído de ‘Somente aqueles que entendem a verdade entendem questões espirituais’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Pessoas astutas e aquelas de calibre real que compreendem os assuntos espirituais são buscadores da verdade; se algo acontecer com elas dez vezes, então, em talvez oito desses casos, elas seriam capazes de ganhar alguma inspiração, aprender alguma lição, alcançar algum esclarecimento e fazer algum progresso. Quando coisas acontecem dez vezes a um tolo — alguém que não entende os assuntos espirituais — nem uma vez isso beneficiará sua vida, nem uma vez isso o mudará e nem uma vez fará com que ele entenda sua natureza — e esse é o fim dele. Sempre que algo acontece a ele, ele cai, e toda vez que cai, ele precisa de alguém que o apoie e persuada; sem apoio e persuasão, ele não consegue se levantar. Se, toda vez que algo acontece, ele estiver em perigo de cair e se, toda vez que estiver em perigo de ser degradado, isso não será o fim para ele? Existem quaisquer outras razões para tal pessoa inútil ser salva? A salvação da humanidade por parte de Deus é uma salvação daqueles que amam a verdade, uma salvação da parte dela com vontade e resolução, e a parte dela que é o seu anseio pela verdade e pela justiça em seu coração. A determinação de uma pessoa é a parte dela em seu coração que anseia por justiça, bondade e verdade e que possui consciência. Deus salva essa parte das pessoas, e, através disso, Ele muda o caráter corrupto delas, de modo que possam entender e ganhar a verdade, de modo que a corrupção delas seja purificada e o seu caráter de vida possa ser transformado. Se você não tem essas coisas dentro de você, você não pode ser salvo. Se, dentro de você, não existe amor pela verdade nem aspiração por justiça e luz; se, sempre que encontrar o mal, você não tem nem a vontade de descartar as coisas malignas nem a resolução de suportar adversidade; se, além disso, a sua consciência está entorpecida; se sua capacidade de receber a verdade também está entorpecida e você não está sintonizado com a verdade e os eventos que surgem; e se você não for capaz de discernir em todos os assuntos e for incapaz de lidar com as coisas ou de resolvê-las, então não há como ser salvo. Tal pessoa não tem nada que a recomende, nada com que valha a pena trabalhar. Sua consciência está entorpecida, sua mente está confusa e ela não ama a verdade nem anseia pela justiça no fundo de seu coração, e, não importa o quão clara ou transparentemente Deus fale da verdade, ela não reage, como se já estivesse morta. Não acabou para ela? Uma pessoa em quem ainda reste um suspiro pode ser salva por respiração artificial, mas se ela já morreu e sua alma partiu, a respiração artificial nada fará. Se, sempre que você se deparar com um problema, você recuar dele e tentar evitá-lo, isso significa que você não deu testemunho; assim você nunca pode ser salvo e está completamente condenado.

Extraído de ‘Pessoas confusas não podem ser salvas’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Ao determinar se alguém tem entendimento espiritual, é aceitável analisar apenas se eles entendem o significado literal das palavras de Deus? (Não.) Então, o que exatamente significa ter entendimento espiritual? Como se pode alcançar a entendimento espiritual completo? Por um lado, uma pessoa deve ter fome das palavras de Deus, deve esforçar-se nas palavras de Deus e aprender a contemplá-las, lê-las orando, comungar sobre elas e buscá-las. Qual é a coisa mais importante? Ela deve praticar e experimentar as palavras de Deus. Depois de praticá-las e experimentá-las, essas palavras se tornam sua realidade. Somente então você poderá verdadeiramente entender a que as palavras se referem e exatamente quais verdades elas contêm. Somente então você poderá alcançar um entendimento espiritual completo. Mas alcançar entendimento espiritual não é o objetivo. Qual é o objetivo? O objetivo é praticar a verdade e entender a verdade. Se você tem uma senda para praticar a verdade e sabe como praticá-la, e se, depois de praticá-la, você é capaz de entender a verdade interior e conhecer os relacionamentos e princípios da prática interior, então você é alguém com entendimento espiritual, e o resultado da compreensão da verdade terá sido alcançado.

Extraído de ‘Somente aqueles que entendem a verdade entendem questões espirituais’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Há alguns que não entendem questões espirituais, mas cuja humanidade é, não obstante, muito boa. Eles pagam o preço, despendem-se voluntariamente e acatam o que quer que Deus diga com coração de obediência. Porém, quando se trata da verdade, eles não têm a capacidade de ser receptivos. Entretanto, se forem capazes de entender algumas das palavras de Deus, e puderem se comparar a elas, e se possuírem então uma entrada e uma prática, tais pessoas têm esperança de serem salvas. Elas podem vir gradualmente a entender questões espirituais ao passarem por tal experiência por um tempo. Quanto mais atentamente elas leem as palavras de Deus, mais o Espírito Santo as ilumina; elas serão capazes de comparar o que quer que entendam das palavras de Deus com seus estados, de aceitar Seu tratamento e poda, Suas provações e refinamento, e Seu julgamento e castigo. Para isso, elas pagarão o preço e, ao final, serão capazes de alcançar uma mudança correspondente no caráter. Tal pessoa também é considerada como alguém que busca a verdade. As pessoas que podem ser consideradas como aquelas que buscam a verdade têm esperança de ser salvas? O que vocês dizem? Elas têm; assim, a tais pessoas não pode ser dada a “pena de morte”. Ao contrário, é difícil dizer qual será o resultado para o tipo de pessoa que consegue entender a verdade e se compara com ela, mas nunca entra nela. Qual é a raiz desse problema? É a atitude dela em relação à verdade, que é de desprezo e desdém. O que significa “desdém”? Significa não ser capaz de aceitar a verdade; significa desprezar a verdade. Significa não reconhecer as palavras de Deus como verdade e não as considerar importantes. Não importa quanto entende do que ouve, ela não pratica, e não importa até que ponto se compara com as palavras de Deus e sabe que tipo de pessoa é, ainda assim ela não pratica. A própria palavra “prática” não tem relação com tais pessoas, e sua salvação não virá facilmente.

Extraído de ‘Somente na busca da verdade há entrada na vida’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 101. Os princípios para identificar se alguém tem calibre

Próximo: 103. Os princípios para distinguir o trigo do joio

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro