110. Os princípios para distinguir entre igrejas reais e falsas

(1) Determinem se o Espírito Santo está operando na vida de uma igreja; se sua congregação come e bebe das palavras de Deus e compartilha genuinamente a verdade; e se isso produz ou não um efeito prático;

(2) Determinem se os líderes da igreja amam e buscam a verdade; se eles possuem a obra do Espírito Santo; e se eles realmente entendem a verdade e a colocam em prática;

(3) Determinem se, de fato, é a verdade que reina na igreja ou se são pessoas más; e se são os seguidores da verdade que reinam lá ou pessoas más e encrenqueiras;

(4) Somente uma assembleia de pessoas que buscam a verdade e são possuidoras da obra do Espírito Santo se qualifica como igreja; onde pessoas más e confusas se reúnem é um local de religião, não uma igreja.

Palavras de Deus relevantes:

A cada estágio da obra de Deus correspondem exigências feitas ao homem. Os que estão dentro da corrente do Espírito Santo possuem a presença e a disciplina do Espírito Santo, e aqueles que não estão dentro da corrente do Espírito Santo estão sob o comando de Satanás e desprovidos de qualquer parte da obra do Espírito Santo. Os que estão na corrente do Espírito Santo são aqueles que aceitam a nova obra de Deus e que colaboram com a nova obra de Deus. Se os que estão dentro dessa corrente forem incapazes de colaborar e de colocar em prática a verdade requerida por Deus durante essa era, nesse caso serão disciplinadas e, na pior das hipóteses, abandonados pelo Espírito Santo. Os que aceitam a nova obra do Espírito Santo viverão dentro da corrente do Espírito Santo, e eles receberão o cuidado e a proteção do Espírito Santo. Os que estão dispostos a colocar em prática a verdade são iluminados pelo Espírito Santo, e os que não estão dispostos a colocar em prática a verdade são disciplinados pelo Espírito Santo, e podem até ser punidos. Independentemente do tipo de pessoa que são, se estiverem dentro da corrente do Espírito Santo, Deus assumirá a responsabilidade por todos que aceitam Sua nova obra para o bem de Seu nome. Os que glorificam Seu nome e estão dispostos a colocar Suas palavras em prática receberão Suas bênçãos; os que O desobedecerem e não colocarem Suas palavras em prática receberão Sua punição. As pessoas que estão na corrente do Espírito Santo são aquelas que aceitam a nova obra e, ao aceitarem a nova obra, devem cooperar apropriadamente com Deus e não agir como rebeldes que não cumprem seu dever. Essa é a única exigência que Deus faz ao homem. O mesmo não ocorre com as pessoas que não aceitam a nova obra: estão fora da corrente do Espírito Santo e a disciplina e a reprovação do Espírito Santo não se aplicam a elas. Todos os dias essas pessoas vivem na carne, vivem em sua mente e só agem de acordo com a doutrina produzida pela análise e pesquisa de seu próprio cérebro. Isso não é o que a nova obra do Espírito Santo exige, muito menos é cooperação com Deus. Os que não aceitam a nova obra de Deus são privados da presença de Deus e, ademais, desprovidos das bênçãos e proteção de Deus. A maior parte de suas palavras e ações se prendem a exigências passadas da obra do Espírito Santo; são doutrina, não verdade. Tais doutrina e normas bastam para provar que a reunião dessas pessoas não passa de religião; não são os escolhidos ou os objetos da obra de Deus. A reunião deles só pode ser considerada um grande congresso religioso e não uma igreja. Esse é um fato inalterável. Eles não têm a nova obra do Espírito Santo; o que fazem se assemelha a religião, o que vivem parece ser pleno de religião; eles não possuem a presença e a obra do Espírito Santo, muito menos são dignos de receber a disciplina ou a iluminação do Espírito Santo. Essas pessoas são cadáveres inertes e vermes desprovidos de espiritualidade. Não têm conhecimento da rebeldia e oposição do homem, não têm conhecimento de todos os malfeitos do homem, muito menos sabem tudo sobre a obra de Deus e a vontade atual de Deus. São pessoas ignorantes, reles, e são escória indigna de ser chamada de crente! Nada do que fazem tem qualquer relação com o gerenciamento de Deus, nem pode prejudicar os planos de Deus. Suas palavras e ações são repugnantes demais, patéticas demais e indignas de menção. Nada feito por aqueles que não estão dentro da corrente do Espírito Santo tem a ver com a nova obra do Espírito Santo. Consequentemente, não importa o que façam, estão desprovidos da disciplina do Espírito Santo e, além disso, desprovidos da iluminação do Espírito Santo. Pois são pessoas que não têm amor pela verdade e que foram detestadas e rejeitadas pelo Espírito Santo. São chamadas de malfeitores porque andam na carne e fazem o que lhes agrada debaixo da tabuleta de Deus. Enquanto Deus opera, elas são deliberadamente hostis a Ele e correm na direção contrária a Ele. O fracasso do homem em colaborar com Deus é em si um ato de extrema rebeldia, então aquelas pessoas que correm contrárias a Deus deliberadamente não receberão especialmente a sua justa retribuição? À menção dos malfeitos dessas pessoas, alguns ficam ansiosos por amaldiçoá-las, enquanto Deus as ignora. Para o homem, as ações delas parecem relacionadas ao nome de Deus, mas, na verdade, para Deus eles não têm qualquer relação com Seu nome ou com Seu testemunho. Não importa o que façam, não há relação com Deus: não há relação com Seu nome e Sua obra atual. Essas pessoas se humilham e manifestam Satanás; são malfeitores que estão se acumulando para o dia da ira.

Extraído de ‘A obra de Deus e a prática do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Que nome Deus dá à religião daqueles que acreditavam em Jeová? Judaísmo. Eles se tornaram uma espécie de grupo religioso. E como Deus define a religião daqueles que acreditam em Jesus? (Cristianismo.) Aos olhos de Deus, o judaísmo e o cristianismo representam grupos religiosos. Por que Deus os define assim? Entre todos aqueles que são membros desses organismos religiosos definidos por Deus, há alguém que teme a Deus e evita o mal, que faz Sua vontade e segue Seu caminho? (Não.) Isso esclarece as coisas. Aos olhos de Deus, todos aqueles que nominalmente seguem a Deus podem ser os que Ele reconhece como crentes? Todos eles têm uma conexão com Deus? Todos eles poderiam ser alvos da salvação de Deus? (Não.) Então, chegará um dia em que vocês serão reduzidos ao que Deus vê como um grupo religioso? (É possível.) Ser reduzido a um grupo religioso — isso parece inconcebível. Se se tornarem parte de um grupo religioso aos olhos de Deus, as pessoas serão salvas por Ele? Elas são da casa de Deus? (Não, não são.) Então, tentemos resumir: essas pessoas que nominalmente acreditam no Deus verdadeiro, mas que Ele crê que pertencem a grupos religiosos — que senda elas trilham? É possível dizer que essas pessoas trilham a senda de brandir a bandeira da fé sem nunca seguir o caminho de Deus, e de acreditar Nele sem nunca O adorar e, ao contrário, abandoná-Lo? Ou seja, elas trilham a senda de crer em Deus, mas O abandonam e não seguem Seu caminho; o caminho delas é aquele no qual elas acreditam em Deus, mas adoram Satanás, adoram o diabo, tentam executar um gerenciamento próprio e tentam estabelecer o próprio reino. Não é essa a essência disso? Pessoas como essas têm alguma conexão com o plano de gerenciamento de Deus para a salvação da humanidade? (Não.) Não importa quantas pessoas acreditam em Deus, assim que sua crença é definida por Deus como sendo a de uma religião ou um grupo, Ele já determinou que elas não podem ser salvas. Por que digo isso? Num bando ou numa multidão de pessoas que estão sem a obra e a orientação de Deus, e que não O adoram de forma alguma, quem elas adoram? Quem elas seguem? Na forma e no nome, elas seguem uma pessoa, mas a quem elas seguem essencialmente? Em seu coração, elas reconhecem Deus, mas, na prática, estão sujeitas à manipulação, aos arranjos e ao controle humano. Elas seguem Satanás, o diabo; seguem as forças que são hostis a Deus, que são inimigas Dele. Deus salvaria um bando de pessoas como essas? (Não.) Por que não? Elas são capazes de se arrepender? (Não.) Elas são incapazes de se arrepender. Elas brandem a bandeira da fé, executam empreendimentos humanos e conduzem o próprio gerenciamento, e vão contra o plano de gerenciamento de Deus para a salvação da humanidade. Seu desfecho final é serem detestadas e rejeitadas por Deus; Ele jamais poderia salvar essas pessoas, elas jamais poderiam se arrepender, já foram capturadas por Satanás — estão inteiramente nas mãos de Satanás. Em sua fé, a quantidade de anos em que você tem crido em Deus importa quanto a você ser louvado ou não por Ele? Os rituais e as regras que você respeita importam? Deus observa os métodos de prática das pessoas? Ele observa quantas são essas pessoas? Ele selecionou uma porção da humanidade; como Ele avalia se elas podem e deveriam ser salvas? Ele baseia Sua decisão nas sendas que essas pessoas trilham. Na Era da Graça, embora as verdades que Deus dizia às pessoas fossem menos numerosas do que as de hoje, e não tão específicas, ainda assim Ele podia aperfeiçoar as pessoas, na época, e a salvação ainda era possível. E assim, para as pessoas desta era, que ouviram muitas verdades e vieram a entender a vontade de Deus, se são incapazes de seguir o caminho Dele e incapazes de trilhar a senda da salvação, qual será seu desfecho final? Seu desfecho final será o mesmo que o de quem acredita no cristianismo e no judaísmo; não haverá diferença. Esse é o caráter justo de Deus! Não importam quantos sermões a pessoa ouviu ou quantas verdades entendeu, se no fim ela ainda segue pessoas e Satanás, e no fim ainda é incapaz de seguir o caminho de Deus e incapaz de temer a Deus e evitar o mal, pessoas como esta serão detestadas e rejeitadas por Deus. Ao que tudo indica, essas pessoas que são detestadas e rejeitadas por Deus podem falar muito sobre letras e doutrinas, e talvez tenham entendido muitas verdades, mas ainda são incapazes de adorar a Deus; são incapazes de temer a Deus e evitar o mal, e são incapazes da total submissão a Deus. Aos olhos de Deus, Ele as define como parte de uma religião, como apenas um grupo de humanos — um bando de humanos — e como local de morada para Satanás. Elas são lembradas coletivamente como o bando de Satanás e são completamente desprezadas por Deus.

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

O que, exatamente, é a casa de Deus? Se fosse definida teoricamente, a casa de Deus seria um lugar em que reina a verdade, uma assembleia de pessoas cujos princípios de prática são as palavras de Deus. […] A casa de Deus é o lugar onde Deus opera e fala, onde Deus salva pessoas, onde as palavras de Deus são praticadas e concretizadas por pessoas, onde o propósito e a vontade de Deus podem ser executados sem obstrução, e onde o plano de gerenciamento de Deus é implementado e realizado. Em suma, a casa de Deus é o lugar onde Deus detém poder, onda reinam as palavras de Deus e a verdade; não é um lugar em que qualquer indivíduo exerce autoridade, conduz operação própria ou alcança os próprios desejos, esquemas ou grandes planos.

Extraído de ‘Eles tratam a casa de Deus como seu império pessoal’ em “Expondo os anticristos”

Não importa quantas pessoas cumpram seu dever numa igreja, se são duas ou uma dúzia, no momento em que perdem a obra do Espírito Santo, elas não estão experimentando a obra de Deus e não têm conexão alguma com a obra de Deus nem têm parte nela. Tornaram-se um grupo religioso. Essas pessoas não estão em grande perigo? Nunca buscam a verdade quando confrontadas com problemas e não agem de acordo com as verdades-princípio, e estão sujeitas aos arranjos e manipulações de seres humanos. Há até muitas que, enquanto cumprem seu dever, nunca oram nem buscam as verdades-princípio; só perguntam aos outros e fazem o que os outros dizem, agindo de acordo com as deixas dos outros. Para onde quer que as outras pessoas apontem, é para lá que vão. Em sua fé, sentem que buscar a verdade é vago e incômodo, enquanto confiar nos outros e fazer o que os outros dizem é fácil e muito prático, e por isso fazem o que é mais direto e indolor, perguntando aos outros e fazendo o que os outros dizem em tudo. Como resultado, mesmo após crerem por muitos anos, quando confrontadas com um problema, essas pessoas não vêm para diante de Deus uma única vez orando e buscando a Sua vontade e a verdade, para então alcançar um entendimento da verdade, e agindo e se comportando de acordo com a vontade de Deus — elas nunca tiveram tal experiência. Tais pessoas realmente praticam fé em Deus? Eu me pergunto: por que, assim que algumas pessoas se tornam parte de um grupo, é tão fácil para elas — em forma — transformar-se imediatamente de alguém que acredita em Deus em alguém que acredita no homem, de alguém que segue a Deus em alguém que segue o homem? Por que elas mudam tão rapidamente? Por que se comportam dessa maneira mesmo após acreditar em Deus por tantos anos? Elas acreditaram em Deus por todos esses anos, mas, estranhamente, Deus nunca teve um lugar em seu coração. Elas nunca tiveram conexão alguma com Deus. Suas ações, palavras, vida, sua conduta e manuseio de assuntos, até o cumprimento de seu dever e seu serviço a Deus — tudo que fazem, todas as condutas que revelam, tudo que expressam e até cada um de seus pensamentos ou ideias — nada disso tem conexão alguma com a fé em Deus. Essa pessoa é, então, um dos crentes verdadeiros? A totalidade de anos em que uma pessoa teve fé pode revelar o tamanho de sua estatura em sua fé em Deus? Isso é prova de que ela tem um relacionamento normal com Deus? É claro que não.

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Muitas vezes, falsos líderes dizem coisas que parecem corretas na superfície, a fim de confundir e enganar as pessoas, o que, por sua vez, tem um impacto negativo na entrada na vida dessas pessoas. Isso também leva a algumas consequências que jamais deveriam ocorrer. Os chamados ditos espirituais e expressões fixas dos falsos líderes podem ser chamados heresias e falácias. Na superfície, não parece haver nada de errado com eles, mas, na verdade, servem como obstáculos, perturbações e confusão na entrada na vida das pessoas e na senda que trilham. Até levam algumas pessoas a desenvolver equívocos em relação a Deus e a formar dúvidas e resistência em relação às palavras de Deus. Esses são os efeitos das palavras dos falsos líderes sobre as pessoas. Os falsos líderes usam tais heresias e falácias para guiar os outros, de modo que, ao mesmo tempo que essas pessoas estão seguindo a Deus, elas estão constantemente gerando noções, defesas e dúvidas sobre Ele. Então, sob a confusão e a influência dos falsos líderes, uma nova religião se estabelece. Esse tipo de nova religião é igual ao cristianismo de dois mil anos atrás, que só defende palavras e ensinamentos humanos, tais como os ensinamentos de Paulo ou algum outro discípulo, sem aderir ao próprio caminho de Deus. O que os falsos líderes fazem é enganar, e eles obstruem o caminho das pessoas que seguem a senda normal e correta de buscar a verdade. Desviam as pessoas da trilha certa de buscar a verdade e as levam para uma senda pseudoespiritual; eles as levam para a fé no modo religioso. Quando as pessoas são confundidas, lideradas e guiadas por falsos líderes, elas constantemente inventam teorias, ditados, ações ou perspectivas que nada têm a ver com a verdade, embora pareçam ser totalmente corretos. Essas coisas são totalmente contrárias à verdade e não apresentam relação alguma com ela. Mas sob a orientação de falsos líderes, todos aceitam essas coisas como a verdade e todos acreditam equivocadamente que elas realmente são a verdade. Acreditam que, contanto que alguém fale bem e tenha crença em seu coração e professe a fé com a boca, essa pessoa ganhou a verdade. Enganadas por esses pensamentos e visões, as pessoas não só se tornam incapazes de entrar na verdade-realidade, ou de entrar nas palavras de Deus, ou de colocá-las em prática, ou de viver em Suas palavras, mas acabam se afastando cada vez mais das palavras de Deus. Parecem estar fazendo tudo de acordo com as palavras de Deus, mas essas assim chamadas palavras de Deus não apresentam relação alguma com as exigências de Deus e Sua vontade. Nada têm a ver com as verdades-princípio. Elas têm a ver com o quê, então? Com os ensinamentos dos falsos líderes, com as intenções dos falsos líderes e com os desejos e entendimentos pessoais desses falsos líderes. Seu modo de liderar aproxima mais pessoas de rituais religiosos e regras rígidas, da mera letra de doutrina, de conhecimento e filosofia. Embora, ao contrário dos anticristos, os falsos líderes não levem os outros para diante de si ou de Satanás, o coração das pessoas mesmo assim é dominado por essas heresias e falácias. Quando as pessoas, consumidas por essas heresias e falácias, acreditam equivocadamente que já ganharam a vida, elas se tornam inimigos convictos e implacáveis da verdade, das palavras de Deus e daquilo que Deus exige.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (2)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Nenhuma igreja governada por anticristos pode ser chamada de igreja, e qualquer pessoa que tenha experimentado isso entenderá. Não há atmosfera pacífica, feliz e dinâmica; em vez disso, prevalece uma atmosfera de pandemônio, na qual o coração de todos está profundamente perturbado com uma sensação de inquietação e desconforto, e se sentem angustiados, como se um grande desastre estivesse prestes a ocorrer. O discurso e as ações dos anticristos podem criar uma certa atmosfera, confundindo o coração das pessoas, tornando-as incapazes de distinguir entre coisas positivas e negativas. Além disso, quando os anticristos enganam as pessoas por muito tempo, seu coração fica cada vez mais distante de Deus, e seu relacionamento com Deus não é mais normal, como se vivessem dentro da religião; nominalmente, acreditam em Deus, mas Deus não está em seu coração. Há também um problema prático: surgem divisões na igreja, e todos os que amam a verdade não gostam de se reunir lá nem ganham libertação e gostariam de deixar a igreja e realizar suas próprias reuniões. Quando o Espírito Santo está operando em uma igreja, independentemente de as pessoas entenderem a verdade, todas se reúnem para trabalhar em busca de um único resultado, e a atmosfera é pacífica, estável e imperturbada. No entanto, tão logo os anticristos dão um passo, a atmosfera fica inquieta e grotesca. Onde quer que eles causem problemas, aparecem panelinhas; as pessoas ficam em guarda umas contra as outras, julgam umas às outras, atacam umas às outras, boicotam umas às outras pelas costas. Que papel os anticristos obviamente estão desempenhando aqui? O papel deles é o de lacaios de Satanás. As consequências das ações dos anticristos: uma é que irmãos e irmãs se julgam, desconfiam uns dos outros e estão em guarda uns contra os outros; além disso, não há mais limites entre homens e mulheres, e eles gradualmente se aproximam; outra é que as visões no coração das pessoas ficam embaçadas, e elas não se concentram mais em praticar a verdade, nem sabem mais como trabalhar de acordo com as verdades-princípio. As poucas coisas que uma vez entenderam agora se foram, seus pensamentos estão confusos, e elas seguem cegamente os anticristos, concentrando-se em aparências externas e em manter-se ocupados. Algumas pessoas podem sentir que seguir os anticristos é, na verdade, entrar em um beco sem saída e conseguem sentir como seria agradável se todos os que buscam a verdade se reunissem e cumprissem seu dever. Quando os anticristos tomam o poder, o Espírito Santo não está mais operando, e todos os irmãos e irmãs caem nas trevas por dentro e não são mais levados a crer em Deus ou a cumprir seu dever. Se isso continuar por um longo período, Deus não os expulsará?

Extraído de ‘Eles se comportam de maneiras estranhas e misteriosas, são arbitrários e ditatoriais, nunca comungam com os outros e os obrigam a lhes obedecer’ em “Expondo os anticristos”

Um anticristo transforma seu império num grupo social, num bando de anticristos. Ele se empenha em atos abomináveis e destrutivos e se comporta em fala e ato como os incrédulos. Todos eles são eloquentes e desinibidos, canalhas da cabeça aos pés, e são insidiosos e malignos. Nenhum deles aceita a verdade. Por fora, fingem ser educados, parecem ser civilizados, seguem a etiqueta e as regras de comportamento, e podem até ser cultos, de bom calibre e caráter. Na verdade, porém, cada um deles é insidioso, vil, enganoso e maligno. Eles conspiram uns com os outros, mexendo os pauzinhos. Eles se importam com poder e prestígio, com as relações entre etnias na sociedade, com quem tem o maior poder social, com aqueles cujo status e renome são maiores, e com quem é mestre em artifícios sociais. Dificilmente se evidenciam nisso as palavras de Deus, a verdade, os decretos administrativos e sua fé. Sua fé nada mais é que jogo e falcatrua. Essas pessoas malignas transformam a casa de Deus num grupo social, no império de pessoas malignas que conspiram umas com as outras, mas dizem sem parar: “Cremos em Deus e cumprimos nossos deveres na casa de Deus. Fizemos tal e tal coisa na casa de Deus e seguimos a Deus de tal e tal modo; fizemos isto para o bem-estar dos nossos irmãos e irmãs e aquilo para ajudá-los e apoiá-los, e tal coisa para nos unir como grupo”, e outras declarações grandiosas como esta. Elas tratam seus irmãos e irmãs de maneiras malignas, com técnicas humanas e filosofias de vida satânicas, das maneiras com que Satanás trata pessoas malignas, e reproduzem essa fórmula na casa de Deus. Ao mesmo tempo, acreditam realmente que estão agindo para o bem da casa de Deus, ajudando seus irmãos e irmãs, glorificando a Deus e dando testemunho Dele. Contudo, esses comportamentos e táticas não são, em essência, as manipulações dos anticristos, nos bastidores? Os anticristos colocam os seguidores de Deus sob sua influência, transformando a igreja em seu império, num grupo social, num grupo de pessoas que estão sob o império de Satanás. Esse grupo poderia fazer parte da família de Deus? (Não.) Não é repugnante que os anticristos fazem isso? (É, sim.) Vocês já viram uma gentalha de anticristos como essa? O que você sente quando está no meio deles? Por fora, parecem ser pura gentileza — mas quando você comunga com eles sobre a verdade e a vontade de Deus, a atitude que manifestam é diametralmente oposta à sua gentileza exterior, isto é, eles ficam extremamente repugnados e totalmente desinteressados. Quando você comunga sobre a verdade com eles, eles acham que você é alguém de fora, e quando você comunga sobre o trabalho da igreja, eles sentem isso ainda mais; quando você comunga sobre se detalhes específicos do trabalho da igreja foram executados e sobre quão bem foram executados, é provável que eles comecem a cochilar e a revelar uma semelhança demoníaca, eles coçam a cabeça e os ouvidos, bocejam, seus olhos lacrimejam, e eles podem até espirrar. Isso não é possessão por espírito maligno? Por que sua semelhança demoníaca aparece assim que você comunga sobre a verdade? Todos eles não têm muito amor em seu coração? Como podem perder o interesse quando você começa a comungar sobre a verdade? Eles não são, assim, revelados? Eles não têm muito entusiasmo e dedicação para executar tarefas externas? E se forem dedicados, eles não possuem a realidade? Se tivessem realidade, eles deveriam ficar felizes ao ouvir pessoas comungando sobre a verdade, deveriam ansiar por isso. Por que, então, surge o fenômeno da possessão por espíritos malignos? Isso prova que a gentileza habitual deles é totalmente falsa — a verdade os expôs.

Extraído de ‘Eles tratam a casa de Deus como seu império pessoal’ em “Expondo os anticristos”

Toda igreja tem pessoas que lhe causam problemas ou se intrometem na obra de Deus. Todas essas pessoas são Satanases que se infiltram disfarçados na casa de Deus. Tais pessoas são boas em atuar: vêm diante de Mim com grande reverência, curvando-se e se coçando, vivendo como cães sarnentos, dedicando o seu “tudo” para alcançar os próprios objetivos — mas, na frente dos irmãos e irmãs, mostram seu lado feio. Quando veem pessoas que praticam a verdade, elas as atacam e as empurram para o lado; quando veem pessoas mais formidáveis que elas mesmas, as lisonjeiam e as bajulam. Elas agem sem controle na igreja. Pode-se dizer que tais “valentões locais”, tais “cães de colo”, existem na maioria das igrejas. Eles andam juntos por aí sorrateiramente, enviando piscadelas e sinais secretos uns aos outros, e nenhum deles pratica a verdade. O que tem mais veneno é o “demônio principal”, e o que tem mais prestígio os lidera, portando sua bandeira erguida. Essas pessoas promovem desordem na igreja, espalhando sua negatividade, dando vazão à morte, agindo como lhes apraz, dizendo o que bem entendem, e ninguém ousa pará-las. Elas transbordam do caráter de Satanás. Mal causam uma perturbação, e logo um ar de morte entra na igreja. Aqueles dentro da igreja que praticam a verdade são expulsos, incapazes de dar tudo de si, enquanto lá dentro aqueles que perturbam a igreja e espalham morte correm em desordem — e, além disso, a maioria das pessoas os segue. Tais igrejas são governadas por Satanás, pura e simplesmente; o diabo é o seu rei. Se não se levantarem e rejeitarem os demônios principais, os congregados, também, irão à ruína, mais cedo ou mais tarde. De agora em diante, medidas precisam ser tomadas contra tais igrejas. Se aqueles que são capazes de praticar um pouco da verdade não buscarem, então essa igreja será eliminada. Se uma igreja não tiver ninguém que esteja disposto a praticar a verdade e ninguém que possa ser testemunha de Deus, então essa igreja deveria ser completamente isolada e suas conexões com outras igrejas precisam ser rompidas. Isso é chamado de “enterrar a morte”; é isso que significa expulsar Satanás. Se uma igreja tiver diversos valentões e eles forem seguidos por “pequenas moscas” que carecem inteiramente de discernimento, e se os congregados, mesmo depois de terem visto a verdade, ainda forem incapazes de rejeitar as amarras e a manipulação desses valentões, então todos aqueles tolos serão eliminados no fim. Essas pequenas moscas poderiam não ter feito nada terrível, mas são ainda mais enganosas, ainda mais escorregadias e evasivas, e todos os que forem assim serão eliminados. Nem um permanecerá! Aqueles que pertencem a Satanás serão devolvidos a Satanás, enquanto aqueles que pertencem a Deus certamente irão em busca da verdade; isso é decidido pela natureza deles. Que todos aqueles que seguem Satanás pereçam! Nenhuma piedade será mostrada a tais pessoas. Que todos os que buscam a verdade sejam providos e possam ter prazer na palavra de Deus para o contentamento de seu coração. Deus é justo; Ele não mostraria favoritismo a ninguém. Se você for um diabo, então será incapaz de praticar a verdade; se você for alguém que busca a verdade, então é certo que não será levado cativo por Satanás. Isso está além de qualquer dúvida.

Extraído de ‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 109. Os princípios para distinguir entre seguir a Deus e seguir humanos

Próximo: 111. Os princípios para identificar heresia e falácia

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro