75. Os princípios de confirmar o lugar que cabe a cada um

(1) Escolham seu dever de acordo com seus pontos fortes e talentos. Contanto que a maioria das pessoas considere sua escolha apropriada, vocês devem confirmá-la como um dever que lhes é próprio;

(2) Quem cumpre bem seu dever encontrou o lugar que lhe cabe, e quem cumpre bem seu dever permanece firme em sua posição como ser criado;

(3) A pessoa deve se submeter aos arranjos da casa de Deus ao cumprir seu dever. Se sentir que seu dever é inadequado, pode, em comunicação com líderes e obreiros, selecionar deveres adequados;

(4) Independentemente do dever particular de cada um, é preciso orar a Deus e confiar Nele e, em todos os casos, buscar a verdade e agir de acordo com os princípios. Ao fazer isso, cada um se tornará capaz de cumprir seu dever de forma satisfatória.

Palavras de Deus relevantes:

Em todo o Seu plano de gerenciamento, muito tempo atrás, Deus planejou quantas vezes você viria ao mundo dos homens, de que linhagem e de que família você nasceria durante os últimos dias, quais seriam as circunstâncias dessa família, se você seria homem ou mulher, quais seriam as suas qualidades, qual seria o seu nível de educação, quanto seria articulado, qual seriam o seu calibre e a sua aparência, e com que idade você viria à casa de Deus para começar a cumprir o seu dever, e qual dever cumpriria nesse momento — há muito tempo, Deus planejou cada passo para você. Antes de você nascer, quando chegou entre os homens em suas últimas diversas vidas, Deus já havia arranjado o dever que você cumpriria nesta, a etapa final da obra. Isso não é piada! Até mesmo você estar aqui ouvindo este sermão foi determinado por Deus — e isso não é pouca coisa! Ademais, sua condição física, sua experiência em determinada idade, os tipos de deveres que você poderia assumir, seus talentos e habilidades — tudo isso foi destinado por Deus a você há muito tempo. O que significa que Deus deseja usá-lo, e, antes de lhe dar essa comissão e vocação, Ele já o havia preparado para isso. Então, será que está certo você fugir? Está certo você vacilar? Você desaponta Deus ao fazer isso! Não há maior ato de rebeldia do que virar as costas ao seu dever — é um pecado hediondo. As intenções de Deus são meticulosamente sinceras. Há incontáveis gerações, Deus já havia predestinado sua chegada hoje e lhe dado esta missão — por isso, não é você o responsável por essa missão? Esse não é o valor da sua vida? E se você não executar a missão que lhe foi dada por Deus, haverá alguma utilidade em sua vida? Deus pôs você nesta situação, Ele lhe deu este calibre, esses talentos e habilidades, Ele lhe deu todas as condições de viver até esta idade e fazer esta coisa — mas você não a faz e foge. Você só quer ter uma vida confortável, traçar seu caminho no mundo, usar o que Deus lhe deu para servir a Satanás. Será que Deus poderia se deleitar nisso? Isso poderia deixá-Lo feliz? Você não cumpre sua missão, não conclui a comissão que lhe foi dada por Deus e foge do trono do julgamento de Deus. O que Deus determina para tais pessoas? Ele as aniquila! Nunca mais você nascerá e virá a este mundo. Nunca mais Deus confiará qualquer coisa a você. Sua missão lhe será tomada, e você não terá mais chances — o que significa que está encrencado! Deus dirá: “Tal pessoa fugiu do Meu olhar uma única vez, fugiu do Meu trono de julgamento, da Minha presença. Ela não cumpriu sua missão e não concluiu sua comissão. Este é o fim, a vida dela termina aqui, ela foi encerrada e nunca mais precisa ser mencionada”. Como isso é trágico!

Hoje, quando vocês cumprem um dever na casa de Deus, seja ele grande ou pequeno, quer envolva trabalho físico ou uso de seu cérebro, seja ele feito fora ou dentro da igreja, o dever que vocês cumprem não é casual; não é sua escolha, é dirigido por Deus. É só por causa da comissão de Deus que vocês se motivam, têm esse sentido de missão e responsabilidade, e são capazes de realizar esse dever. Entre os incrédulos, há muitos que são atraentes, inteligentes ou capazes. Mas Deus os favorece? Não. Deus só favorece vocês, este grupo de pessoas. Ele os faz desempenhar todo tipo de papel, assumir todos os tipos de deveres e responsabilidade em Sua obra de gerenciamento, e quando, finalmente, o plano de gestão de Deus chega ao fim e se completa, que glória e que honra isso será! E assim, ao cumprir seu dever, as pessoas sofrem uma pequena adversidade quando precisam abrir mão de coisas e se despender, quando pagam um preço, quando perdem status, fama e fortuna no mundo, é como se Deus tivesse tirado essas coisas delas — mas elas ganharam algo maior e melhor. O que elas ganharam de Deus? Só quando você tiver cumprido bem seu dever, quando tiver completado a comissão de Deus para você, quando viver a vida toda para sua missão e comissão e viver uma vida que vale a pena — só então você será uma pessoal real! E por que digo que você é uma pessoa real? Porque Deus escolheu você, permitiu que você realizasse o dever de uma criatura de Deus em Seu gerenciamento, e não pode haver maior valor ou significado na sua vida.

Extraído de ‘Os princípios da prática de se submeter a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Quais são os seus princípios de conduta? Vocês deveriam se conduzir de acordo com suas estações, encontrar a estação certa para vocês e ficar firmes em suas estações. A título de exemplo, há pessoas que são boas em uma profissão e compreendem seus princípios, e deveriam fazer as verificações finais a esse respeito; há pessoas que podem fornecer ideias e percepções, permitindo que todos os outros desenvolvam suas ideias e desempenhem melhor esse dever — elas deveriam, então, fornecer ideias. Se puder encontrar a estação certa para você e trabalhar em harmonia com seus irmãos e irmãs, você estará cumprindo seu dever e se conduzindo de acordo com sua estação. Se você é capaz somente de fornecer alguns de seus pensamentos, mas gostaria de fornecer outras coisas, e você acaba se esforçando muito para fazer isso, mas ainda é incapaz; e então, quando outras pessoas fornecem essas outras coisas, você se sente desconfortável e não deseja ouvir, e seu coração fica dolorido e constrangido, e você diz que Deus é injusto e culpa Deus — então isso é ambição. Que caráter é esse que gera ambição em uma pessoa? Um caráter arrogante gera ambição. Esses estados podem certamente surgir em vocês a qualquer momento, e, se vocês não puderem buscar a verdade para resolvê-los, e não tiverem entrada na vida, e não puderem mudar nesse sentido, então os graus de qualificação e pureza com que vocês cumprem seus deveres serão baixos. Se vocês não puderem alcançar essas coisas, também será muito difícil para vocês dar a Deus a glória devida a Ele. Algumas pessoas têm talentos em duas ou três áreas, outras têm talento em uma área, e algumas não têm talento algum — se vocês puderem abordar essas questões corretamente, então vocês terão encontrado sua estação. As pessoas que encontraram suas estações podem se comportar de acordo com suas estações e desempenhar bem suas funções. Há pessoas que nunca são capazes de encontrar suas estações, que sempre estendem a mão para a panela quando há comida em suas tigelas, que agarram qualquer coisa que apareça que lhes interesse, que sempre têm as próprias ambições, entretanto acreditam que estão mostrando consideração pelas intenções de Deus e fielmente cumprindo seu dever — essa crença está errada, e é um entendimento errôneo de “lealdade”. Se você deseja ser leal e executar seu dever satisfatoriamente, se esta é sua busca e seu desejo, primeiro você deve encontrar a estação certa para você e depois fazer o que puder com todo o seu coração, com toda a sua mente e com toda a sua força. Isso é satisfatório, e tal desempenho de dever tem um grau de pureza. Isso é o que um verdadeiro ser criado deveria fazer. Primeiro, você deve entender o que é um verdadeiro ser criado: um verdadeiro ser criado não é sobre-humano, mas uma pessoa que vive de forma direta e humilde na terra e não é nem um pouco extraordinária. O que significa não ser extraordinário? Significa que, não importa quão alto você seja ou quão alto possa pular, permanece o fato de que sua altura não mudará, e que você não tem nenhuma capacidade extraordinária. Se você sempre deseja superar os outros, ser classificado acima dos outros, então isso é gerado por seu caráter arrogante e satânico, e é sua ilusão. Você não pode, na verdade, alcançar isso, e é impossível para você fazê-lo. Deus não lhe deu tal talento ou habilidade, nem Ele lhe deu tal essência. Não se esqueça de que você é um membro normal e comum da humanidade, de maneira alguma diferente dos outros, embora sua aparência, família e a década de seu nascimento possam ser diferentes, e possa haver algumas diferenças em seus talentos e dons. Mas não se esqueça disto: não importa quão diferente você seja, é apenas nesses pequenos modos, e seu caráter corrupto é igual ao de outras pessoas, e os princípios, objetivos e orientações aos quais você deve aderir no desempenho do seu dever são idênticos aos dos outros. É apenas em seus pontos fortes e dons que as pessoas diferem.

Extraído de ‘Os princípios que devem guiar a conduta da pessoa’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas acham que têm um dom ou uma especialidade em alguma área e que são muito boas em cumprir o seu dever nessa área, então fazem o que podem para recomendar a si mesmas. É claro, a casa de Deus não decepcionará tal pessoa; a casa de Deus preza talento e usará cada tipo de pessoa da melhor maneira. Qualquer que seja a área em que você tem habilidades especiais ou em que você é capaz de usar seus pontos fortes ao máximo, a casa de Deus fará de tudo para promover e usar você nessa área e não o negligenciará. Algumas pessoas, por exemplo, acham que têm talento literário, que amam literatura e que sabem escrever um pouco — que têm um talento especial nessa área. A casa de Deus arranjará para que essa pessoa trabalhe no campo da escrita. Mas se ela não trabalhar bem após um tempo, a casa de Deus verá que seu suposto hobby, essa especialidade, nada mais é do que algo em que ela quer acreditar em relação a si mesma e que seu calibre e talentos simplesmente não estão à altura do trabalho. O que, então, deve ser feito? Podemos simplesmente nos contentar com ela e dizer: “Você tem uma paixão. Embora não seja muito talentoso e tenha um calibre mediano, contanto que esteja escrevendo e disposto a trabalhar muito, a casa de Deus se contentará com você e permitirá que você continue trabalhando aqui. Tudo bem se você fizer um trabalho ruim — a casa de Deus fará de conta que não vê, e você não precisará ser realocado”? Esse é o princípio da casa de Deus para lidar com tais assuntos? (Não.) O que deve ser feito quando se encontra tal situação? (Designar a pessoa para um dever que combine com ela, de acordo com seu calibre e pontos fortes.) Essa não é a coisa certa a fazer? Mas algumas pessoas não conseguem lidar com isso. Não existe, então, um problema com sua humanidade? Qual é esse problema? Essa pessoa diz: “Durante toda a minha vida, eu quis ser um homem das letras no mundo dos incrédulos, ser jornalista, escritor ou editor, mas, por causa das condições da minha família ou por outras razões, eu não pude fazer o trabalho de que gosto. Agora, tendo vindo para a casa de Deus, posso finalmente conseguir o que quero, mas eles dizem que meu calibre não basta, que não sei fazer bem o trabalho e que não sou qualificado para ele. Não me deixam fazê-lo. Isso significa que o maior desejo da minha vida não se realizará. Não gosto de nenhum outro trabalho; quero fazer trabalho que me interessa, mas agora a casa de Deus não deixa”. O que uma pessoa deveria fazer, sob circunstâncias normais, quando é designada para um dever diferente? (Ela deve se submeter.) Por que deve se submeter? A casa de Deus não designa deveres às pessoas de acordo com suas preferências, mas de acordo com os resultados do trabalho. Vocês acham que a casa de Deus deveria arranjar os deveres das pessoas de acordo com suas preferências pessoais? Satisfazer a preferência de uma pessoa deveria ser uma precondição da casa de Deus ao usá-las? (Não.) Qual abordagem está de acordo com os princípios de usar as pessoas na casa de Deus? Qual abordagem está de acordo com as verdades-princípio? A abordagem que se baseia nos resultados do trabalho e naquilo que o trabalho da casa de Deus requer. Você tem seus hobbies, interesses e desejos, mas seus desejos, interesses e hobbies devem estar acima do trabalho da casa de Deus? Se você persistir nisso e disser: “Eu quero fazer isso. Se não me deixarem fazer isso, não quero viver e não quero cumprir meu dever. Se não me deixarem fazer isso, seja lá o que quiserem que eu faça, eu não o farei de coração e não darei tudo de mim”. Isso não é uma coisa vergonhosa? É consistente com a verdade sacrificar a eficácia do trabalho da casa de Deus em prol da satisfação de seus desejos, interesses e hobbies pessoais? (Não é.) Como as pessoas devem tratar assuntos que não são consistentes com a verdade? Algumas pessoas dizem: “Eles deveriam fazer sacrifícios para o bem do grupo”. Isso é correto? Isso é a verdade? (Não.) É um comentário confuso, são palavras que confundem os outros, palavras de disfarce. Se você aplicar essas palavras ao desempenho do seu dever, você blasfemará contra Deus. Por que isso é blasfêmia? Deus não precisa que você se sacrifique. Deus exige que as pessoas pratiquem a verdade e renunciem à carne, e se você não conseguir praticar a verdade, você não conseguirá cumprir bem o seu dever. A casa de Deus o priva do direito de cumprir seu dever se você não cumpre bem o seu dever? Ela o priva do direito de aceitar as palavras de Deus? Ela o priva do direito de comer e beber das palavras de Deus ou de praticá-las? Ela não faz nada disso. Ela não o priva da oportunidade nem do direito de ser salvo; ela simplesmente o transfere para um dever e um ambiente adequados para você porque você não é apropriado para um dever específico. Isso é tudo. É algo muito normal e muito compreensível. Deveria ser visto corretamente. Qual é a maneira correta de ver? Quando você se depara com esse assunto, a primeira coisa que deve fazer é aceitar a avaliação da casa de Deus. Embora ame esse trabalho subjetivamente, a verdade é que você não está à altura dele ou não é bom nele, portanto não pode fazer esse trabalho e deve ser transferido para outro dever. Essa é a maneira correta de ver isso? Você deve perceber isso primeiro. Depois que você treina por um tempo, quando a casa de Deus vê que, ainda assim, você não consegue fazer o trabalho, que seu calibre é insuficiente e que você não está à altura desse dever, não obrigue o jumento a dançar. A casa de Deus não dificulta as coisas para você nem obriga as pessoas a fazer coisas que estão fora de seu alcance. Então, a exposição dessa situação não foi algo bom para você? Em primeiro lugar, ela o faz ser sensato em relação às suas preferências e desejos. Antes, você tinha um hobby, na forma de literatura e na forma de escrever, mas isso era apenas um hobby baseado em desejo, um hobby unilateral, uma manifestação da vontade subjetiva. Estava muito longe de seus talentos e calibre reais. Tendo passado por um período de provação, você, como também a casa de Deus e os irmãos e irmãs à sua volta, podem entender claramente seu verdadeiro talento e calibre. Isso é algo bom para você. No mínimo, permite que você conheça a extensão de seu calibre e o capacita a se enxergar corretamente. Seu entendimento de si mesmo não está mais preso em meio a seus hobbies e desejos. No mínimo, você tem um entendimento e uma avaliação corretos do seu calibre. Você não se sente mais com os pés no chão, agora? Você não está preso em sua imaginação e em seus desejos; está de pés no chão, mais realista e mais correto com relação à sua capacidade de fazer esse trabalho ou àquilo que pode fazer. Isso é uma parte. É de uso positivo para conhecer a si mesmo. A outra parte, a mais importante, é que, não importa em que medida você é capaz de reconhecer essas coisas ou se é capaz de reconhecer essas coisas de todo, a atitude mínima que você deveria ter em relação aos arranjos da casa de Deus é uma atitude de obediência. Você não pode ficar escolhendo, ou entreter planos e escolhas pessoais. Esse é o senso que você mais deveria ter. Se você não reconhecer essas coisas agora, isso não é um problema. Contanto que seja obediente e aceite os arranjos da casa de Deus, faça progresso constante nos dias vindouros e contanto que leve a sério o seu dever e seja fiel, você virá a reconhecer aos poucos esses problemas que não reconhece agora, à medida que sua experiência crescer gradualmente. Deus não o tratará injustamente.

Extraído de ‘Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos’ em “Expondo os anticristos”

Muitas vezes, há um conflito entre os sonhos e a realidade. Na maior parte do tempo, as pessoas pensam que seus sonhos são legítimos. Elas não sabem que sonhos e realidade são inteiramente diferentes? Os sonhos são apenas o que você quer, são alguma preocupação fugaz, que muitas vezes nasce de voluntariedade ou fantasia, e em desacordo com a realidade. Que erros geralmente ocorrem quando as pessoas têm muitos sonhos? Elas ignoram a obra que está bem diante dos seus olhos — a obra que deveriam realizar no momento presente. Ignoram a realidade e põem de lado o dever que deveriam cumprir, a obra que deveriam realizar, suas obrigações e responsabilidades nesse momento; elas as tratam levianamente e se comprazem em sonhos próprios, levantando-se quando têm vontade e fazendo o que querem. Sendo assim, essas pessoas não só são incapazes de realizar verdadeiramente seu dever, mas — o que é mais importante — também atrasam a obra da casa de Deus e perturbam a obra da casa de Deus. Muitas pessoas não entendem a verdade e também não perseguem a verdade. Como elas tratam seu dever? Elas o tratam como trabalho ou como hobby ou como interesse. Não o tratam como uma tarefa ou missão que lhes foi dada por Deus nem como uma responsabilidade a assumir, muito menos procuram entender a verdade e a vontade de Deus no desempenho de seu dever. E, assim, há algumas que, no desempenho de seu dever, passam por um pequeno sofrimento e mudam de atitude e começam a pensar em como escapar dele. Quando encontram uma dificuldade ou um contratempo, elas retrocedem, e novamente estão suscetíveis a tentar escapar do serviço. Em vez de buscar a verdade, pensam em como escapar. São como tartarugas: assim que acontece alguma coisa, escondem-se em sua carapaça e só voltam a sair quando tudo passou. Muitas pessoas são assim. Em particular, existem aquelas que, quando solicitadas a cumprir um dever, não pensam em como cumpri-lo com lealdade, como fazê-lo adequadamente ou como fazer bem essa obra. Em vez disso, pensam em como se esquivar de sua responsabilidade, como evitar que lidem com elas, como diminuir sua responsabilidade, como se isentar totalmente de um problema ou de uma falha, quando ocorre. A primeira coisa em que pensam é sua rota de fuga; antes de tudo, consideram as próprias preferências e predileções, e não como podem cumprir seu dever e fazê-lo com lealdade. Tais pessoas podem obter a verdade? Elas não fazem esforço algum pela verdade. Para elas, a grama é cada vez mais verde: hoje, elas querem fazer isso, amanhã, querem fazer aquilo. O dever dos outros parece melhor do que o que elas estão cumprindo, e todos parecem mais fáceis. Elas simplesmente não fazem esforço algum pela verdade. Não refletem sobre qual é o problema quando têm tais pensamentos, nem resolvem o problema. Sempre focam nas práticas externas, olhando para quem está no centro das atenções, quem foi reconhecido por quem está acima, quem consegue ter contato com quem está acima, quem não precisa que lidem com ele enquanto trabalha. Essas coisas são tudo em que elas pensam. Vocês diriam que as pessoas que só pensam nessas coisas são capazes de cumprir seu dever fielmente? Isso nunca vai acontecer. Então, que tipo de pessoa é essa que cumpre seu dever dessa forma? Ela busca a verdade? Em primeiro lugar, a única coisa certa é que esse tipo de pessoa não busca a verdade. Tudo o que ela busca é se insinuar na casa de Deus, desfrutar de algumas bênçãos, fazer um nome para si mesma, ser vista e notada — o que não é diferente de estar em sociedade. Que tipo de pessoas são essas em termos de essência? Elas são descrentes.

Extraído de ‘Eles gostariam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”

Compreender o que é calibre bom e ruim e ter clareza sobre o próprio calibre, natureza-essência, tudo isso é benéfico ao autoconhecimento. Quando as pessoas conhecem sua posição, elas cometem menos erros. Quando as pessoas entendem a si mesmas, deixam de ser arrogantes, e seu comportamento é mais consciencioso e diligente. Não conhecer a si mesmo pode causar muitos problemas. Existem algumas pessoas de calibre comum, mas elas pensam que são de alto calibre. Elas acreditam que têm um dom de liderança; por dentro, elas ficam muito ansiosas para serem líderes, liderar a equipe, mas ninguém nunca as escolhe. E isso não as agita? Quando as pessoas ficam agitadas por essas coisas e se sentem inquietas, elas não cumprem bem o seu dever e são passíveis de fazer coisas tolas que causam constrangimento, coisas sem sentido que são desprezadas por Deus. Como tal, antes de mais nada, elas devem abordar essas revelações fundamentais de seu caráter corrupto ao conhecerem a si mesmas. Isso inclui ser arrogante, insensato, sempre pensar que seu calibre é bom, que são melhores do que as outras pessoas, que devem treinar outros, e assim por diante. Depois que essas questões forem resolvidas, você será firme em cumprir bem seu dever, mais adequado em seu comportamento, e pensamentos e comportamentos como agressividade externa, vaidade, arrogância e pensar que você é especial não o incomodarão, e você terá se tornado muito mais maduro. No mínimo, você terá a atitude dignificada e reta de um santo, e essa é a única maneira com que você será capaz de vir para diante de Deus.

Extraído de ‘Entender a verdade é crucial para cumprir corretamente o seu dever’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

A casa de Deus usa as pessoas da melhor maneira possível de acordo com suas capacidades reais, da forma mais apropriada. Se sua humanidade é boa, mas seu calibre é baixo, cumpra seu dever com todo o seu coração e com toda a sua força. Você não precisa ser um líder ou obreiro para receber a aprovação de Deus. Se está disposto a se preocupar com aquilo com o que um líder deve se preocupar, mas é incapaz disso, se não possui as qualidades exigidas para ser um líder e não está à altura da tarefa, o que deve fazer? Nesse caso, não insista nisso nem dificulte as coisas para si mesmo. Se consegue carregar 25 quilos, carregue 25 quilos sem se exibir e dizer: “25 quilos não bastam — quero carregar um fardo maior! Quero carregar 50 quilos! Estou disposto a morrer de exaustão!”. Você não pode ser um líder ou obreiro e não morrerá de exaustão, mas atrasar o trabalho da casa de Deus e afetar sua taxa de progresso e eficiência e também atrasar o progresso de várias pessoas na vida delas é uma responsabilidade que você não pode suportar, pois seu calibre não é suficiente. Assim, se você tem autoconsciência, deve tomar a iniciativa de se demitir e sugerir alguém como líder ou obreiro cujo calibre seja bom, que seja apropriadamente qualificado e que seja melhor que você. Esse é o curso sábio, e somente fazendo isso você será uma pessoa com verdadeiro senso e humanidade, que realmente entende a verdade e a pratica. Você sempre pensa: “Embora meu calibre seja pobre, minha humanidade é boa. Estou disposto a assumir preocupações, a suportar adversidade e a pagar um preço. Sou determinado e faço coisas com maior perseverança que você. Sou tolerante e não tenho medo de receber tratamento ou poda, nem de ser provado. O que importa se meu calibre não for tão maravilhoso?”. Isso não é para condená-lo, mas para classificá-lo, para lhe dar clareza sobre aquilo que é capaz de fazer, sobre aquilo que lhe convém e o dever que lhe convém. Em outro aspecto, um dos problemas mais práticos que você enfrenta agora é que sua qualidade é baixa demais. Você não pode cumprir o dever de um líder. Isso não lhe convém, e, se tentar liderar, você atrasará o trabalho da casa de Deus. Se gosta de estar ocupado e tem humanidade e se está disposto a assumir preocupações e a pagar um preço, então existe um trabalho que lhe convém, um dever que você precisa desempenhar, e a casa de Deus arranjará isso apropriadamente. Está de acordo com as regras e os princípios da casa de Deus não permitir que você seja um líder, mas a casa de Deus certamente nunca privará você de seu direito de cumprir seu dever nem de seu direito de crer e de seguir a Deus por causa de seu calibre. Isso é apropriado? Ainda existe a necessidade de uma comunicação mais detalhada sobre esse assunto? Algumas pessoas de calibre mais baixo ouvem isso e pensam: “Chega de comunicação. Não existe lugar para eu mostrar essa minha face. Sei que meu calibre é baixo, portanto, não serei líder nem obreiro — ser um líder de grupo ou supervisor bastaria, ou talvez faça trabalhos ocasionais, como cozinhar, limpar… qualquer coisa serve. Simplesmente farei o que devo fazer, não importa o que os outros digam, e me submeterei aos arranjos da casa de Deus e aos planos de Deus. Ser de calibre mais baixo também é a graça de Deus. A boa vontade de Deus está nisso, e Deus não opera de forma errada”. Se você conseguir olhar para as coisas desse jeito, isso servirá, e o problema não precisará de mais comunicação. Em suma, dissecamos apenas os problemas de pessoas de calibre mais baixo, revelando a verdade como ela é para que mais pessoas tenham a atitude e visão corretas em relação a essas pessoas e para que essas pessoas possam ter a atitude e a visão corretas em relação a seu próprio calibre baixo. Então, podem situar-se adequadamente e encontrar seu próprio dever e posição apropriados, para que o preço que pagam e sua determinação de suportar adversidade possam ser usados sensatamente e aproveitados. Isso não afeta seu entendimento da verdade nem sua prática da verdade. E não afeta sua imagem na casa de Deus nem na presença de Deus.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (8)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Há aqueles que dizem: “Sou uma pessoa muito boa; não fiz nada para resistir a Deus e sofri muito por Ele. Por que Ele ainda me poda e lida comigo assim? Por que Deus nunca me reconhece nem me eleva?”. Ainda outros dizem: “Sou franco e honesto; tenho crido em Deus desde que estava no útero e ainda creio Nele agora. Sou tão puro! Deixei minha família e larguei meu emprego para me despender por Deus e ainda penso no quanto Deus me ama. Agora, Deus parece não amar tanto as pessoas, e sinto que fui largado no frio, desapontado e consternado com Ele”. O que essas pessoas estão fazendo de errado? Elas não permaneceram em seu devido lugar; não sabem quem são e sentem sempre que são figuras estimadas que Deus deveria respeitar e elevar ou valorizar e apreciar. Se as pessoas sempre têm tais concepções erradas, tais exigências absurdas e insensatas, então isso causará problemas. O que, então, as pessoas deveriam fazer, e como elas deveriam conhecer e tratar a si mesmas para serem capazes de se conformar à maneira como Deus trata o homem, a fim de resolverem essas dificuldades e abandonarem essas exigências que fazem de Deus? Algumas pessoas são designadas líderes pela casa de Deus e fazem seu trabalho muito bem, sem causar nenhum incômodo ou perturbação; mais tarde, quando Deus as coloca em determinada situação, para expô-las, e as despeja de sua liderança, elas começam a tentar argumentar: “Quem deveria ser substituído são os falsos líderes e falsos trabalhadores e pessoas que tentam interromper e perturbar — por que eu deveria ser substituído se não interrompi nem fui incômodo?”. Elas se sentem ofendidas. Por quê? Elas acreditam que essa posição lhes é devida, que elas não deveriam ter sido substituídas; são qualificadas para a posição por causa dessas coisas que são exibidas nelas. Assim, sua opinião é de que Deus as despojou dessa posição apesar de elas serem qualificadas para exercê-la, e, por isso, elas não conseguem aceitar — e assim nascem nelas noções em relação às ações de Deus. E na gênese dessas noções, elas acham que foram tratadas duramente e começam a se queixar: “Não foi dito que existem princípios para a eleição e a eliminação de líderes? Parece-me que não há princípios naquilo que aconteceu; Deus cometeu um erro!”. Em suma, assim que Deus faz algo que prejudica os interesses delas e as magoa, elas começam a criticar. Isso não é um problema? Como esse problema pode ser resolvido? Você deve saber quem você é. Não importa que tipo de dons ou pontos fortes você tenha ou quanta aptidão ou habilidade você tenha, nem mesmo de quanto mérito você tenha ganhado na casa de Deus, ou de quanto você tenha corrido de um lado para outro, ou de quanto capital você tenha acumulado, essas coisas são nada para Deus, e se elas parecem importantes de onde você está, então não surgiram novamente equívocos e contradições entre você e Deus? Como esse problema deve ser resolvido? Você deve reduzir a distância entre você e Deus, resolver essas contradições e negar aquelas coisas que você considera certas e às quais você se apega. Ao fazê-lo, não haverá mais distância entre você e Deus, e você se colocará devidamente em seu posto e será capaz de se submeter, capaz de reconhecer que tudo que Deus faz é certo, capaz de negar a si mesmo e de abrir mão de si mesmo. Você não tratará mais o mérito que ganhou como um tipo de capital, nem tentará mais estabelecer condições com Deus, nem fazer exigências a Ele, nem pedir recompensa a Ele. Nesse momento, você não terá mais dificuldades. Por que surgem todas as concepções erradas do homem sobre Deus? Elas surgem porque as pessoas não conhecem minimamente a si mesmas; para ser preciso, elas não sabem que tipo de coisas elas são aos olhos de Deus. Elas se avaliam de forma elevada demais e estimam sua posição aos olhos de Deus de forma elevada demais, e elas veem o que consideram ser o valor e o capital de uma pessoa como os padrões pelos quais Deus mede se elas serão salvas. Isso é errado. Você deve saber que tipo de lugar você tem no coração de Deus, e como é adequado que Deus o trate. Saber isso é se conformar à verdade e estar de acordo com as visões de Deus. Quando sua prática e tratamento de si mesmo estiverem de acordo com esse conhecimento, não haverá mais qualquer contradição entre você e Deus. E quando Deus o tratar novamente à Sua maneira, você não será capaz de se submeter? Você pode sentir algum desconforto em seu coração ou não entender essas coisas e sentir que elas não são como você deseja, porém, porque você será equipado com essas verdades e entenderá essas verdades, e porque será capaz de permanecer firme em sua posição, você não lutará mais contra Deus, o que significa que aqueles seus comportamentos e práticas que o fariam perecer cessarão de existir. E então você não estará seguro? Uma vez seguro, você se sentirá fundamentado, que é o que significa trilhar a senda de Pedro.

Extraído de ‘A atitude que o homem deve ter para com Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Não importa o que o Criador faça, não importa como Ele Se manifeste e não importa se aquilo que Ele faz é um grande feito ou um pequeno feito, Ele ainda é o Criador; ao passo que toda a humanidade, a qual Ele criou, independentemente daquilo que ela tenha feito e independentemente de quão talentosa e favorecida ela possa ser, continua sendo seres criados. Quanto à humanidade criada, não importa quanta graça ou quantas bênçãos tenha recebido do Criador ou quanta misericórdia, amabilidade ou benevolência, ela não deveria crer-se destacada das massas ou pensar que pode estar em pé de igualdade com Deus e que se tornou altamente conceituada entre os seres criados. Não importa quantos dons Deus tenha lhe concedido, ou quanta graça Ele tenha lhe dado, ou quão generosamente Ele tenha tratado você, ou se Ele tenha lhe dado alguns talentos especiais, nenhum desses é recurso seu. Você é um ser criado e assim para sempre será um ser criado. Jamais você deve pensar: “Sou um queridinho nas mãos de Deus. Ele não levantaria a mão contra mim. A atitude de Deus para comigo sempre será de amor, cuidado, carícias suaves, com sussurros calorosos de conforto e encorajamento”. Ao contrário, aos olhos do Criador, você é igual a todos os outros seres criados; Deus pode usar você como desejar, e também pode orquestrar você como desejar, e pode arranjar como desejar para que você desempenhe qualquer papel entre todos os tipos de pessoas, eventos e coisas. Esse é o conhecimento que as pessoas devem ter e o bom senso que devem possuir. Se alguém conseguir entender e aceitar essas palavras, seu relacionamento com Deus se tornará mais normal, e ele estabelecerá o mais legítimo relacionamento com Ele; se alguém conseguir entender e aceitar essas palavras, ele orientará sua estação corretamente, assumirá ali o seu lugar e manterá seu dever.

Extraído de ‘Só buscando a verdade pode-se conhecer os feitos de Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Como uma das criaturas, o homem deve guardar sua própria posição, e se comportar conscienciosamente. Obedientemente protege aquilo que lhe é confiado pelo Criador. Não aja indevidamente, nem faça coisas além de sua capacidade ou que são abomináveis para Deus. Não tente ser grande nem se tornar um super-homem nem estar acima dos outros, nem busque tornar-se Deus. É isso que as pessoas não devem desejar ser. Querer se tornar grande ou um super-homem é absurdo. Querer se tornar Deus é ainda mais vergonhoso; é repugnante e desprezível. O que é louvável, e o que as criaturas devem valorizar acima de tudo, é se tornar uma criatura verdadeira; esse é o único objetivo que todas as pessoas devem perseguir.

Extraído de ‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”

Anterior: 74. Os princípios de abordagem do dever de cada um

Próximo: 76. Os princípios de despender-se por Deus

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro