É crucial precaver-se contra os anticristos e sua senda

O segredo para um crente em Deus conseguir ser salvo e aperfeiçoado ou não é a senda que ele escolhe. De acordo com a palavra de Deus: “O sucesso ou o fracasso dependem da senda que o homem trilha.” Deus colocou a senda de Paulo e a de Pedro diante do homem para ele escolher. Isso é extremamente significativo para ser salvo e aperfeiçoado. A senda escolhida depende da pessoa. As pessoas que não buscam a verdade escolhem, inevitavelmente, a senda de Paulo, enquanto as que buscam a verdade escolhem, naturalmente, a de Pedro. Isso é suficiente para demonstrar que o tipo de pessoa que você é determina a senda que toma. A senda que você percorre é determinada pela sua natureza. Isso é certo. Por que as pessoas que não buscam a verdade percorrem a senda de Paulo? É por causa de sua natureza desafiadora e traidora a Deus. A natureza das pessoas que não buscam a verdade é obviamente a natureza de Satanás, e ele tem uma natureza que desafia e trai a Deus. Mais especificamente, é arrogante e convencido, sem razão, mente com frequência, não fala a verdade e não tem qualquer temor ou obediência a Deus. Ele busca posição social e poder, espera dominar as pessoas, governar a humanidade e gosta de fazer as pessoas obedecer a ele e elogiá-lo. Ele não tem amor algum pela verdade, além disso, não dá testemunho de Deus; pelo contrário, ele O desafia, opõe-se a Ele e mente frequentemente a fim de enganar a humanidade, corrompê-la e realizar toda sorte de esquemas astutos para trapaceá-la, enganá-la e prejudicá-la. Seu objetivo é sempre conseguir controlar a humanidade e, por fim, destruí-la e fazer com que a obra de Deus e o Seu plano de salvá-la fracassem. Essa é a natureza e a essência desafiadora e traidora de Satanás a Deus. Se uma pessoa tem tal natureza satânica, ela inevitavelmente fará coisas que resistem e traem a Ele. A senda que uma pessoa com a natureza traidora a Deus percorre pode ser discernida, verificando-se as ações e o comportamento dos falsos líderes, obreiros e anticristos. Em primeiro lugar, vamos analisar dissecar o exemplo de Paulo para mostrar a existência direta de um relacionamento entre a senda que uma pessoa percorre e a essência da sua natureza. Deus diz: “Ao mencionar Paulo, vocês pensarão em sua história e em algumas narrativas a respeito dele que são imprecisas e fogem da realidade. Ele foi ensinado por seus pais desde a juventude e recebeu Minha vida e, como resultado da Minha predestinação, ele possuiu o calibre que Eu exijo. Aos 19 anos de idade, ele leu vários livros sobre a vida; portanto, não preciso entrar em detalhes sobre como, por causa do seu calibre e por causa do Meu esclarecimento e da Minha iluminação, ele não só pôde falar com alguma noção dos assuntos espirituais, mas também foi capaz de compreender Minhas intenções. É claro que isso não exclui a combinação de fatores internos e externos. Ainda assim, sua única imperfeição foi que, por causa dos seus talentos, ele com frequência foi insincero e arrogante. Em consequência disso, devido a sua desobediência, parte da qual representou diretamente o arcanjo, quando Eu me tornei carne pela primeira vez, ele não mediu esforços para Me desafiar. Ele foi um daqueles que não conhecem Minhas palavras e Meu lugar no seu coração já havia desaparecido. Tais pessoas se opõem diretamente à Minha divindade e são abatidas por Mim, e só se curvaram e confessaram seus pecados no fim. Daí que, depois que Eu utilizei seus pontos fortes – e isso quer dizer, depois que ele trabalhou para Mim por um período de tempo –, ele voltou a adotar suas antigas maneiras e, embora não tenha desobedecido às Minhas palavras diretamente, ele desobedeceu à Minha condução e ao Meu esclarecimento interiores e, por isso, tudo que havia feito no passado foi fútil; em outras palavras, a coroa da glória de que ele falou se converteu em palavras vazias, um produto da sua imaginação, porque até hoje ele está sujeito ao Meu julgamento em meio às Minhas amarras” (de ‘A quarta declaração’ das declarações de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”).

Com base no que está registrado na Bíblia e é revelado pelas palavras de Deus, Paulo começou a estudar livros sobre a vida em sua juventude e foi ensinado por Gamaliel. Isso significa que Paulo buscou conhecimento da Bíblia. Quando o Senhor Jesus começou a pregar a respeito do caminho do reino do céu e percorreu todas as terras judaicas, toda a Judeia ficou atordoada, na época, a ponto de todos os chefes sacerdotes e escribas saírem de suas colônias para condenar e perseguir o Senhor Jesus. Paulo deve ter ouvido a respeito disso na época, porém, não o vemos ir em busca do verdadeiro caminho com o Senhor Jesus. Ademais, não temos conhecimento quanto ao entendimento e a avaliação de Paulo sobre as Suas pregações. As pregações do Senhor Jesus eram tão significativas que abalaram todos da Judeia e, ainda assim, não vemos que Paulo tinha qualquer entendimento positivo delas. Tudo o que vemos é Paulo seguindo e obedecendo os chefes sacerdotes e fazendo tudo o que podia para capturar o Senhor Jesus e os Seus discípulos. A partir disso, podemos ver que Paulo era leal ao judaísmo e odiava o Senhor Jesus; ele era uma pessoa que condenava o verdadeiro caminho, desafiava a Deus e agia como um cúmplice e subordinado das forças de Satanás na religião. Definitivamente, Paulo não era uma pessoa que buscava a verdade. Isso pode ser verificado a partir dos três pontos a seguir:

Em primeiro lugar, nos vários anos desde quando ele começou a estudar a Bíblia até a época em que o Senhor Jesus pregou e foi crucificado, Paulo nunca admitiu que as palavras pregadas pelo Senhor Jesus eram a verdade e a voz de Deus. Parece que ele não examinava de forma alguma o caminho do reino do céu que o Senhor Jesus pregou e, em vez disso, era capaz de não gostar, de condenar e até persegui-Lo, bem como aos Seus discípulos. Evidentemente, Paulo não reconhecia que as palavras pregadas pelo Senhor Jesus eram a verdade. Isso é suficiente para demonstrar que ele não amava a verdade e que não havia lugar para Deus em seu coração.

Em segundo lugar, o fato de Paulo ter acompanhado os chefes sacerdotes e escribas na captura dos discípulos do Senhor Jesus nos mostra que ele venerava especialmente a posição social e o poder, bem como protegia os interesses e a imagem da elite religiosa. Isso basta para provar que o que Paulo buscava era posição social e poder. Ele estudou a Bíblia e os livros relacionados à vida exclusivamente para buscar conhecimento e fama, bem como para obter posição social dentro da religião. Ele não era, de forma alguma, era uma pessoa que ia atrás e buscava a verdade.

Em terceiro lugar, o testemunho da ressurreição do Senhor Jesus e os sermões que Ele pregou são suficientes para provar que o Senhor Jesus é o Filho de Deus e o Cristo, mas Paulo não acreditava nisso. Na época, muitas pessoas que perseguiam o Senhor Jesus ficaram chocadas e assustadas, e admitiram que Ele, de fato, era o Filho de Deus. Contudo, Paulo não sentiu temor algum e, ainda pior, não se arrependeu. Evidentemente, ele, de fato, não tinha temor a Deus e não examinava o verdadeiro caminho de modo algum, e ainda perseguia, com furor, o Senhor Jesus e ia ao encalço dos Seus discípulos. Isso é suficiente para provar que Paulo podia negar a verdade e condenar o verdadeiro caminho em prol da posição social e da fama e, por certo, não era uma pessoa que amava e buscava a verdade.

Os três pontos acima expõem completamente a natureza de Paulo. A natureza dele é a natureza desafiadora e traidora de Satanás, e o caminhoa senda que ele percorreu foi precisamente a dos anticristos. Em particular, quando perseguia de forma furiosa os discípulos do Senhor Jesus, e o Senhor Jesus apareceu perante ele e disse: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues”, se Paulo tivesse se arrependido verdadeiramente depois de cair, teria buscado a verdade, se autoexaminado de forma genuína e reconhecido os seus pecados e sua natureza. No entanto, vimos em sua obra missionária que ele simplesmente admitiu ser o principal pecador da perseguição ao Senhor Jesus e achava que persegui-Lo, bem como a Seus discípulos, era errado. Todavia, não teve entendimento algum quanto à essência de sua natureza desafiadora a Deus. Além do mais, depois de ter aceitado o que o Senhor Jesus lhe encarregou, mesmo tendo dado testemunho do amor e da redenção de Deus durante a sua obra, ele não teve uma compreensão genuína da essência divina do Senhor Jesus na carne. Apesar de ter suportado muito sofrimento por causa de sua pregação no fim, ele ainda disse as imodestas palavras: “Para mim, o viver é Cristo”. Isso mostra que, mesmo tendo pregado até o fim, Paulo não conhecia verdadeiramente o Deus encarnado e não tinha qualquer temor a Ele. Estava usando suas experiências de sofrimento e a iluminação do Espírito Santo para vangloriar-se e exibir-se, retomando, de fato, suas antigas maneiras. Isso mostra ainda mais que Paulo não tinha o mínimo de conhecimento do caráter de Deus e que seu caráter de vida não havia mudado de modo algum, demonstrando, bem o bastante, que ele havia percorrido a senda dos anticristos. A senda percorrida por uma pessoa que não busca a verdade é a senda do desafio e da traição a Deus. É a busca pelo conhecimento e dons, e o trabalhar e sofrer em prol de ser recompensado e alcançar o objetivo de governar como um rei. Portanto, Paulo, por certo, não era uma pessoa que buscava a verdade. O que ele buscava era conhecimento, posição social e poder, e seu propósito era ser recompensado e glorificado. A senda percorrida por ele certamente era a senda dos anticristos.

Podemos ver um problema bastante crucial no exemplo do desafio de Paulo a Deus: a essência da natureza dentro de uma pessoa, em seu cerne, determina basicamente a senda que ela percorre na vida. A vida de Paulo pode ser dividida em dois estágios, sendo o ponto decisivo quando ele cai em terra depois de ter visto o Senhor Jesus aparecer do céu. Antes de tê-Lo visto aparecer do céu para ele, Paulo era uma pessoa que desafiava a Deus com veemência, perseguia-O e tinha um ódio extremo pela verdade. Isso não é incomum. Na verdade, as pessoas que se opõem a Cristo definitivamente não têm inimizade pessoal alguma com o Próprio Cristo . É tudo porque odeiam a verdade que elas condenam a Cristo e o verdadeiro caminho. As pessoas que creem que Cristo é Deus O aceitam porque as palavras de Cristo são a verdade e a voz de Deus. Se elas não admitirem que as palavras de Cristo são a verdade e a voz de Deus, certamente não acreditarão que um homem é Deus e não O aceitarão nem Lhe obedecerão. Portanto, todos aqueles que se opõem a Cristo estão se opondo à verdade e a Deus. Todos aqueles que se opõem à verdade são autênticos anticristos. Antes de ter visto o Senhor Jesus aparecer a ele do céu, Paulo era um zeloso e autêntico anticristo que desafiava e se opunha com veemência a Deus como o grande dragão vermelho. Ele seguia ordens dos chefes sacerdotes e devotava sua lealdade ao judaísmo, perseguindo o Senhor Jesus e indo ao encalço dos Seus discípulos. Tal fato mostra que Paulo era um anticristo que odiava a verdade em sua natureza e alma. Alguns podem dizer que é muito cedo para chegar a tal conclusão, então, vejamos uma realidade ainda mais cruel: nem mesmo toda a série de testemunhos milagrosos relacionados à crucificação e ressurreição do Senhor Jesus, e os quarenta dias de Sua aparição na terra não geraram nenhum autoexame ou arrependimento em Paulo; ele ainda intensificou seus esforços e perseguiu veementemente o Senhor Jesus e foi ao encalço dos Seus discípulos. Nem mesmo os dois maiores milagres da ressurreição do Senhor Jesus e de Sua aparição por quarenta dias assombraram Paulo de modo a admitir os feitos de Deus. Em vez disso, sua perseguição ao Senhor Jesus tornou-se ainda mais frenética e ele ainda ia ao encalço dos Seus discípulos. O que esse fato demonstra? Mostra-nos que o coração de Paulo era extremamente endurecido e que ele não examinou o verdadeiro caminho de forma alguma. Ele não reconhecia a Deus independentemente do que Ele fizesse. A única maneira de forçar uma pessoa de coração endurecido e que não teme a Deus, como Paulo, a reconhecê-Lo é Ele aparecendo-lhe diretamente do céu. Essa realmente foi uma questão em que Deus não tinha escolha, senão aparecer do céu para Paulo em seu caminho para perseguir os discípulos do Senhor Jesus e fazer esse diabo cair, confessar e se arrepender. Claro, isso foi arranjado intencionalmente por Deus para fazer Paulo prestar-Lhe serviço, e foi também a última chance que Ele lhe deu. O Espírito Santo usou Paulo e o esclareceu, iluminou e guiou para dar testemunho de Deus. Paulo, de fato, suportou muito sofrimento e colocou sua lealdade final em prol do que Deus lhe confiou, porém, durante esse período no qual pregou e deu testemunho do Senhor Jesus, nós não vemos testemunhos genuínos dele buscando a verdade e conseguindo mudança em seu caráter de vida. Isso pode ser verificado por quatro fatos:

1. Paulo não reconheceu sua própria natureza pecaminosa em sua perseguição ao Senhor Jesus e ao ir ao encalço dos Seus discípulos. Ele apenas admitiu que era o principal pecador na perseguição a Ele. Com base no calibre de Paulo, ele deveria ter reconhecido a essência de sua própria natureza, porém, não o vemos tendo uma compreensão genuína quanto à sua essência e natureza pecaminosas contrárias a Deus em nenhuma de suas cartas.

2. Paulo nunca comunicou seu conhecimento em nenhuma de suas cartas a respeito de como foi movido pelo Espírito Santo, e como Ele lhe deu esclarecimento, iluminação e orientação interior. Uma pessoa usada pelo Espírito Santo teria necessariamente a compreensão da obra e da orientação Dele. Isso mostra que Paulo não tinha muito conhecimento de Sua obra. Isso é o suficiente para demonstrar que ele não tinha verdadeira comunhão com Deus em seu coração e, por certo, era desobediente e inflexível. Parecia que raramente abria seu coração a Deus e só sabia como fazer planos em busca de posição social e recompensas.

3. Paulo raramente testificava sua genuína compreensão de Deus em todas as suas cartas e quase nunca discutia seu conhecimento sobre o Seu caráter, bem como a onipotência e sabedoria com as quais Ele domina todas as coisas. Além disso, em 30 anos ou mais em que Paulo experimentou a obra de Deus na Era da Graça, ele prestou especial atenção, em sua própria obra, a dons, identidade e posição social, e frequentemente vangloriava-se de sua identidade como apóstolo. Isso mostra que a sua obra se baseava por completo em seus dons, eloquência e na iluminação do Espírito Santo, e que não tinha conhecimento verdadeiro de Deus e seu caráter de vida não mudou em nada. Sua obra e cumprimento de deveres eram todos para reparar erros passados e, mais do que isso, para ganhar recompensas, e estavam cheios de segundas intenções para obter algo em retorno e receber bênçãos.

4. O que Paulo mais discutia em suas cartas era suas experiências de sofrimento durante sua obra missionária, e utilizava isso como qualificação para vangloriar-se e dar testemunho de sua lealdade a Deus. Essa é a razão por que Paulo expressou seus verdadeiros sentimentos no fim: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 8Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, […]” (2 Timóteo 4:7-8). Essa foi a senda percorrida por ele e a ideologia orientadora que dominou aquilo pelo que lutou na vida. “Usar feitos meritórios para reparar pecados do passado e ser recompensado” era o motivo de Paulo e seu lema para crer em Deus, o que representa completamente a senda dos anticristos percorrida por ele e a essência de sua natureza.

Podemos ver a partir da conduta e das ações de Paulo que ele não tinha temor a Deus e, mais do que isso, não era uma pessoa que buscava a verdade. Isso é completamente provado por meio da perseguição de Paulo ao Senhor Jesus e sua caçada furiosa aos Seus discípulos. Paulo foi capaz de cometer todos os tipos de maldade e de desafiar veementemente a Deus porque, com certeza, não tinha temor a Ele. Em face da maneira do reino do céu pregada pelo Senhor Jesus, ele não foi de todo movido ou surpreendido, tampouco a examinou de alguma forma. Em particular, quando se tratava do testemunho da ressurreição do Senhor Jesus e dos muitos sinais e maravilhas que Ele realizou, Paulo não tinha nenhum autoexame ou introspecção, embora o nascimento, pregação, crucificação, ressurreição e ascensão do Senhor Jesus ao céu, bem como a oferta pelo pecado, tudo isso tenha cumprido as profecias da Bíblia. Paulo havia estudado a Palavra, porém, não viu nem reconheceu o que havia se tornado realidade nela. Isso é realmente inacreditável. Esses fatos são suficientes para provar que Paulo não era uma pessoa que buscava a verdade. Ele ainda só mudou e admitiu seus pecados depois de Deus ter aparecido para ele do céu enquanto estava em seu caminho para ir ao encalço dos discípulos do Senhor Jesus. Vemos que pregou pelo Senhor Jesus por muitos anos, contudo, não tinha conhecimento verdadeiro de sua natureza e essência desafiadora a Deus. Ele apenas admitiu que era o principal pecador da perseguição do Senhor Jesus, e não tinha muito conhecimento verdadeiro da natureza divina do Senhor Jesus na carne mesmo depois de trabalhar por muitos anos. Depois de trabalhar por muitos anos, ele saiu para todos os lugares vangloriando-se e dando testemunho de si mesmo, voltando às suas maneiras antigas e desobedecendo diretamente ao esclarecimento do Espírito Santo. Isso revelou por completo que Paulo não era uma pessoa que obedecia e adorava a Deus de forma verdadeira. Ele foi punido por Deus e ainda permanece ligado a Ele, aceitando Seu julgamento.

Agora que temos verdadeiro entendimento de Paulo e da senda por ele percorrida, precaver-se contra o engano dos anticristos e sua senda parece ainda mais crucial. Quando olhamos para a senda que está sendo percorrida pelos falsos líderes e falsos obreiros hoje, com base na senda percorrida por Paulo, o que os anticristos e suas sendas são torna-se completamente evidente.

Os falsos líderes, falsos obreiros e anticristos percorrem todos a senda dos anticristos. Toda conduta e feitos deles desafiam e traem a Deus, vão contra as Suas palavras e se opõem à verdade. Portanto, todos eles estão perturbando e interrompendo a obra de Deus e desafiando-O. Por favor, analise esses comportamentos dos falsos líderes e obreiros e as coisas ficarão completamente claras:

1. Eles não compreendem a verdade de jeito nenhum, não reconhecem sua própria essência corrupta e são arrogantes e convencidos, não obedecem a ninguém e buscam poder e posição social. Tudo o que dizem em sua obra é para proteger sua própria posição social, além disso, sempre falam das cartas e doutrinas, chegam a interpretar erroneamente as palavras de Deus, tirando-as do contexto, defendem-se e justificam-se para enganar o povo escolhido de Deus.

2. Recusam-se a aceitar a poda e o tratamento; oprimem, incriminam, acusam e até segregam ou expelem qualquer pessoa que tenha opiniões críticas ou discernimento com relação a eles, não se importando se ela vive ou morre. Não têm amor algum pelo povo escolhido de Deus nem fazem qualquer trabalho para regá-lo, supri-lo ou apoiá-lo; em vez disso, importam-se somente com o ávido desfrute dos benefícios da posição social, lutando por poder, sem consideração alguma com o fato de o povo escolhido de Deus ter ou não vida na igreja e entrada na vida.

3. Todo trabalho deles é para proteger sua própria posição social, chegam até a suprimir os arranjos de trabalho, sermões e as comunhões, não permitem que o povo escolhido de Deus aceite a liderança e a provisão do alto. Eles são extremamente temerosos de que o povo escolhido de Deus compreenda a verdade e, assim, se torne uma ameaça à posição social deles, portanto, não se rebaixam em nada a fim de incriminar o povo escolhido de Deus para proteger sua própria posição social e cometem todo tipo de maldade em prol de desfrutar dos benefícios dela, chegando ao ponto de desafiar e opor-se com veemência a Deus.

4. Eles mesmos não buscam a verdade, mas também restringem o povo escolhido de Deus a comer e beber de Suas palavras, usando todo o tipo de desculpas para tirar os livros das palavras de Deus possuídos pelo Seu povo escolhido, não permitindo que eles ouçam os sermões e tenham comunhões do alto e, ainda pior, não permitindo que comam e bebam das palavras Dele e busquem a verdade de acordo com os arranjos de trabalho. Tentam sempre controlar o povo escolhido de Deus e impedi-lo completamente de ter discernimento em relação a eles e, assim, o rejeitam e o desprezam. Odeiam e perseguem, em especial, aqueles que revelam a real situação da igreja.

5. A fim de proteger sua própria posição social, eles chegam a odiar o homem usado pelo Espírito Santo e julgam os arranjos de trabalho da parte dele, utilizando todo tipo de desculpa para impedir o povo escolhido de Deus de proceder de acordo com os arranjos de trabalho. Eles nunca se preocupam se o povo escolhido de Deus pode ou não ser salvo por Ele, e ainda conseguem desfrutar, descarada e avidamente, dos benefícios da posição social, ignoram a obra do Espírito Santo, cometem qualquer maldade que lhes apraz e são completamente rebeldes.

Os cinco comportamentos acima nos permitem ver com clareza que os falsos líderes e falsos obreiros que percorrem a senda dos anticristos não têm qualquer temor a Deus e, por certo, não são pessoas que buscam a verdade. Eles creem em Deus para buscar colocação, posição social e recompensas. Em prol de obter colocação e posição social, eles são capazes de realizar qualquer ato perverso que desafie a Deus. Isso confirma que todos aqueles que não têm temor a Ele com certeza não são pessoas que buscam a verdade, e todas elas estão percorrendo a senda dos anticristos. Não há dúvida quanto a isso. Por meio dos variados comportamentos dos falsos líderes, falsos obreiros e anticristos, somos capazes de resumir os cinco comportamentos básicos e comuns:

1. Eles não têm temor a Deus; a consciência deles não sente culpa e eles não têm medo de Deus, não importa quanta maldade façam.

2. Eles não amam a verdade e estão enojados e entediados com ela; não buscam nem aceitam a verdade com relação a coisa alguma.

3. Eles são notadamente arrogantes e convencidos, não têm razão, não obedecem a ninguém, não têm lugar para Deus em seus corações e estão repletos de concepções e desobediência para com Deus.

4. Eles idolatram o poder e a posição social, gostam de governar e controlar as pessoas; se a casa de Deus não lhes dá posição social e poder, eles nem mesmo creem Nele.

5. Eles são especialmente maliciosos e traiçoeiros, gostam de jogar sujo para consertar e punir as pessoas e até tentam fazer com que todos os exaltem para que se sintam emocionalmente equilibrados.

Todos os falsos líderes e anticristos possuem, inevitável e claramente, esses cinco comportamentos básicos, e quanto maior a sua posição social e maior o seu poder, mais óbvios ficam esses comportamentos. Qualquer um que possua esses cinco comportamentos básicos pode ser confirmado como alguém que percorre a senda dos anticristos e que se tornará um deles no fim. Tal pessoa por certo não tem a obra do Espírito Santo. Se esse tipo de pessoa ímpia ganhar uma posição social alta e grande poder, será capaz de cometer toda sorte de maldade e até rejeitar a liderança e a provisão do homem usado pelo Espírito Santo, logo, pode seguir seu próprio caminho ou mesmo tentar estabelecer um reino independente. Todo o povo escolhido de Deus pode ver com clareza que todo o falso líder e falso trabalhador possui necessariamente esses cinco comportamentos básicos. A essência da natureza deles é a mesma, apenas a extensão de seus feitos malignos é diferente. Portanto, todas essas pessoas são mudas dos anticristos e, no tempo certo, podem transformar-se em anticristos. Não há dúvida de que todas elas não têm temor a Deus nem buscam a verdade de forma alguma e estão percorrendo a senda dos anticristos. Tais pessoas se tornarão anticristos assim que detiverem poder na igreja. São o tipo de pessoa a partir da qual são gerados os falsos líderes e osanticristos.

Como é possível discernir as forças malignas de Satanás? Todas as pessoas negativas que pertencem às suas forças têm quatro características – enganosas, malignas, maliciosas e arrogantes. Os cinco comportamentos básicos dos falsos líderes e falsos obreiros estão completamente de acordo com as quatro características do diabo, Satanás: falsidade, malignidade, malícia e arrogância. Isso é absolutamente verdadeiro. Quando uma pessoa não entrou na realidade da verdade, todas as coisas que ela diz são mentiras e tudo o que faz tem segundas intenções. É tudo para que possa desfrutar das bênçãos e obter lucros, e ela faz o que for preciso para alcançar seus desejos e ambições pessoais. Esse é o motivo por que são repletas de mentiras, malignidade, malícia e arrogância. As pessoas que possuem tais comportamentos e características são claramente vívidos anticristos e demônios. Não é de se admirar que todos os tipos de falsos líderes e anticristos não tenham a obra do Espírito Santo. A essência da natureza de tais pessoas desafia e trai a Deus. Isto é, é a natureza de Satanás. Eles são puramente a reencarnação dos demônios e nasceram como demônios que se opõem à verdade e odeiam a Deus, logo, como poderiam receber a obra do Espírito Santo? Os falsos líderes e anticristos talvez sejam bons em disfarçar sua aparência, fingindo serem bondosos, saibam como falar sobre as letras e doutrinas, falem palavras rebuscadas e digam algumas palavras vazias e impraticáveis, porém, quando olhamos para os vários atos perversos que desafiam a Deus, vemos que todos eles são, na verdade, rebanho e demônios sem espírito humano. Deus não os salvará de modo algum, logo, eles não têm a obra do Espírito Santo e serão expostos por Ele.

Todos os anticristos negam o Deus encarnado em seu coração. Mesmo que alguns deles digam que aceitam o Deus encarnado, seus corações estão repletos de concepções e desobediência. Se conseguem admitir verbalmente que as palavras de Deus são a verdade e a Sua voz, então, por que ainda conseguem desenvolver concepções para com Ele, não se sentem convictos no coração e ainda são capazes de perturbar a obra de Deus e se oporem a Ele? Isso é suficiente para mostrar que a natureza dos anticristos é notoriamente arrogante, convencida e hipócrita. Eles sempre acham que são corretos, sábios e importantes. Deus não tem lugar algum no coração deles; não têm temor a Ele e não obedecem a ninguém, motivo por que podem ter concepções e desobediência para com a obra de Deus, o Deus encarnado, e para com o homem usado pelo Espírito Santo. Eles até conseguem encontrar falhas que não existem e ser críticos – contanto que algo não se conforme inteiramente com suas próprias concepções e imagens, eles desenvolverão concepções e se tornarão desobedientes, e conseguem julgar, desafiar e até condenar. Essa é a essência da natureza satânica dos anticristos. Eles não desafiariam e trairiam a Deus de modo malicioso se a essência de sua natureza não fosse a de Satanás. Todos os falsos líderes e anticristos escondidos dentro da igreja são servos dele. São todos incrédulos que dizem reconhecer que Cristo é Deus, porém, negam a essência divina de Cristo em seu coração.

A senda percorrida pelos anticristos é determinada por sua natureza satânica. Nós podemos ver, a partir de todos os falsos líderes e anticristos, diversos problemas comuns: 1. Eles nunca exaltam nem dão testemunho de Deus em sua obra; 2. Nunca discutem seu conhecimento de Deus; 3. Nunca discutem o conhecimento de sua própria natureza corrupta; 4. Nunca comunicam suas verdadeiras experiências; 5. Nunca comunicam a verdade para resolver problemas. Todos os falsos líderes e anticristos têm esses cinco problemas. Eles atentam-se especialmente a exibir-se falando de doutrinas e são notoriamente hábeis na dissimulação de si mesmos para fazerem as pessoas olharem e terem uma opinião elevada sobre eles e só se satisfazem quando obtêm a aprovação ou até mesmo a admiração das pessoas. Podem, de fato, enganar alguns, porém, que tipo de prejuízo isso traz para o povo escolhido de Deus? Faz as pessoas venerarem o conhecimento da Bíblia e as vãs teorias teológicas, levando-as a idolatrarem ainda mais as pessoas famosas e os grandes homens e, portanto, desafiando e se opondo mais a Deus. Como os anticristos são orgulhosos e arrogantes, não obedecem a ninguém, não têm temor a Deus e não buscam a verdade; eles não têm coisa alguma da obra do Espírito Santo. E quanto mais uma pessoa não tem a obra do Espírito Santo, mais ela busca falar muito de letras e doutrinas para enganar as pessoas para que ela possa proteger a imagem que elas têm de si. Isso é capaz de resolver os problemas com relação à entrada na vida do povo escolhido de Deus? Isso é capaz de verdadeiramente conduzir o povo escolhido de Deus à realidade das palavras Dele? Absolutamente não! Tudo o que isso pode fazer é enganar as pessoas, prejudicá-las, arruiná-las e levá-las a uma senda oposta a Deus da qual elas não conseguem retornar. Uma vez que os falsos líderes e anticristos não têm o verdadeiro temor a Ele e não experimentaram genuinamente a Sua obra, tudo o que fazem é estudar as Suas palavras e condescender-se em conversas vãs a respeito das palavras de Deus; portanto, tudo o que conseguem fazer é enganar, prejudicar e corromper as pessoas. Eles fingem que são santos de nascença que não têm corrupção, mas, na verdade, são todos hipócritas. As práticas dos falsos líderes e anticristos são todas exatamente iguais àquelas dos pastores religiosos. Os pastores da comunidade religiosa usam todas as oportunidades para exibirem seu grau de conhecimento e darem a aparência de piedosos. O objetivo deles é fazer as pessoas os admirarem e adorarem, e usam a própria imagem para fazerem as pessoas obedecer a eles e segui-los. Como resultado, levam as pessoas a adorarem o conhecimento da Bíblia, adorarem o status e o poder, adorarem a competência na pregação. Desse modo, a cada passo levam as pessoas ao caminho da oposição a Deus. Aqueles que são liderados por anticristos acreditam em um Deus vago, são bons em discursarem sobre doutrinas vazias, e possuem habilidades em hipocrisia, e todos eles acreditam em Deus, mas, ainda assim, se opõem e se rebelam contra Deus. Não há dúvida de que o modo como os falsos líderes e anticristos trabalham – servindo a Deus, mas sendo contra Ele – é extremamente prejudicial às pessoas. Portanto, quando discernir os falsos líderes e anticristos, não preste atenção simplesmente a quanta maldade eles fizeram. A coisa principal ainda é perceber a senda que eles percorrem e quanto prejuízo o estilo de obra deles traz para o povo escolhido de Deus. Somente discernindo dessa maneira é que podemos ter um conhecimento substancial dos anticristos e da senda que percorrem.

A senda que um cristão percorre está diretamente relacionada à essência de sua natureza. É possível dizer que: “A pessoa que você é determina a senda que você percorre”. Isso é absolutamente correto. Em outras palavras, uma pessoa que não ama a verdade não percorrerá a senda da busca por ela; uma pessoa que não teme a Deus não evitará o mal; uma pessoa que não busca a verdade não a compreenderá, não entrará na realidade nem obedecerá verdadeiramente a Deus. Apenas as pessoas que amam genuinamente a verdade são capazes de buscar a verdade, o conhecimento de Deus, ser aperfeiçoadas e ser conquistadas por Ele. Não há dúvida disso. Todos aqueles que creem em Deus, mas, no fim, ainda não compreendem a verdade, não a praticam nem submetem-se verdadeiramente a Ele, percorreram a senda dos anticristos. Todos aqueles que acreditam em Deus, mas, no fim, ainda não ganharam a verdade e a vida, podem ser enganados, controlados por Satanás e não se libertaram da influência dele, e percorreram a senda dos anticristos. Em outras palavras, todos aqueles que creem em Deus, mas não buscam a verdade, estão percorrendo a senda errada, a senda dos anticristos. Essa é uma senda que desafia a Deus, através da qual não é possível ser salvo no fim. Qualquer senda percorrida por um cristão que não seja a da obediência à Sua obra, não é uma senda da busca pela verdade nem para entrar na realidade de acordo com as Suas exigências; é considerada como a senda dos anticristos. Não há dúvida quanto a isso.

Se o povo escolhido de Deus conseguir discernir com clareza qual é a senda dos anticristos e o que é o anticristo, será fácil para ele entrar na trilha certa da crença em Deus. Todos aqueles que conseguem comer e beber normalmente as Suas palavras e comunicar a verdade ao experimentar a obra Dele são capazes de alcançar a compreensão da verdade. Se essas pessoas conseguirem buscar a verdade em todas as coisas e, por fim, usá-la para resolver problemas, então, terão entrado para a realidade da palavra de Deus e serão capazes de resolver o problema de sua corrupção por Satanás e livrarem-se de sua influência para serem salvas. Essa é a senda percorrida pelas pessoas que buscam a verdade e é precisamente a senda de Pedro para ser aperfeiçoado. Todas as pessoas que buscam a verdade podem aceitar o julgamento e o castigo de Deus e crer Nele de acordo com as Suas exigências, razão por que elas conseguem ganhar a obra do Espírito Santo. As pessoas que buscam a verdade podem, em relação a todas as coisas que enfrentam, sentir a vontade de Deus em completa harmonia com as Suas palavras, bem como praticá-la e lidar com ela de acordo com os princípios da verdade. Elas podem abandonar e rejeitar as coisas que violam a verdade e não se conformam à vontade de Deus. Portanto, quanto mais essas pessoas experimentam a Sua obra e percebem os vários tipos de problemas, mais conseguem entender a si mesmas, ver suas próprias deficiências e conhecer, buscar e aceitar a verdade. Dessa forma, elas se familiarizam com as exigências de Deus e, como consequência, conseguem acabar obedecendo e adorando a Ele, vivendo segundo as Suas palavras e entrando na trilha certa da crença Nele. As coisas são completamente diferentes quando fazemos a comparação com os comportamentos dos falsos líderes, falsos obreiros e anticristos. Estes não têm temor a Deus e não buscam a verdade de forma alguma, eles ainda vivem segundo a filosofia de Satanás “Cada um por si e o diabo fica com a maior parte” com relação a todas as coisas. Tudo o que fazem é pensando em ganhar bênçãos para si mesmos, para sua própria fama e ganho, ser bem-sucedido por conta própria, governar como rei e desfrutar das bênçãos. Eles não estão atentos de forma alguma ao coração de Deus e menos ainda buscam a verdade para se autoexaminarem com relação a como a senda que percorrem desafia a Deus. Não têm remorso independentemente de quanta maldade façam e não acham que pecaram independentemente de quantas pessoas prejudicaram ou destruíram. Mais do que isso, eles não acham que isso está perturbando e interrompendo a obra de Deus e Lhe desafiando por completo. Eles são totalmente ignorantes quanto à profundidade e gravidade de seus pecados. Esses falsos líderes e anticristos fazem tamanho mal, mas não parecem ter qualquer ciência ou consciência. São praticamente demônios vivendo na escuridão. Isso é mais do que apenas não ter a obra do Espírito Santo – eles, na realidade, caíram há muito tempo na punição de Deus.

Com base em que o povo escolhido de Deus discerne e lida com os líderes e obreiros de todos os níveis da igreja? Essa pergunta, na realidade, é muito fácil de entender. Se o que fazem é benéfico para a entrada na vida do povo escolhido de Deus, se consegue supri-lo, consegue usar a verdade para resolver os problemas da vida real da entrada na vida do povo escolhido de Deus e consegue conduzi-lo a entrar a trilha certa da crença Nele, então, esse líder ou trabalhador é aprovado por Deus e reconhecido por Ele como alguém que verdadeiramente O serve. Tais líderes e obreiros por certo têm a obra do Espírito Santo, motivo pelo qual o povo escolhido de Deus precisa apoiá-los, aceitá-los e cooperar com eles. Os falsos líderes e obreiros não têm a obra do Espírito Santo. Isto é, eles não provêm coisa alguma para a entrada na vida do povo escolhido de Deus, não conseguem conduzi-lo para compreender a verdade e entrada na realidade e continuam perturbando-o e interrompendo-o na busca pela verdade e entrada na realidade, enganando-o para que o sigam e lhe obedeçam, e oprimem e prejudicam o povo escolhido de Deus sem se importar com a vida ou morte dele. Tais pessoas são todos falsos líderes e falsos obreiros. Deus despreza e odeia esses falsos líderes e obreiros, razão por que não têm a obra do Espírito Santo. Isso comprova completamente que Deus não os reconhece como pessoas que Lhe servem. Deus não reconhece esses malfeitores, logo, o Seu povo escolhido deve rejeitá-los, abominá-los expô-los e retirá-los de seu posto. Fazer isso se conforma inteiramente à vontade de Deus. Discernir e lidar com os falsos líderes, falsos obreiros e anticristos dessa maneira conforma-se por completo com a verdade e está totalmente correto.

O caráter de Deus é justo e bom. Ele gosta das pessoas honestas e de bom coração e odeia os ímpios. Estes devem ser punidos. Se o povo escolhido de Deus reconhece esse ponto, então, pode ter certeza de que somente aqueles que têm temor a Ele e conseguem buscar a verdade podem ganhar a obra do Espírito Santo. Aqueles que não têm temor a Deus e não amam a verdade são ímpios e com certeza não ganharão a obra do Espírito Santo. Se uma pessoa tem ou não a obra do Espírito Santo é inteiramente determinado por Deus, pois Ele examina todas as coisas. Aqueles que conseguem perceber isso em seu coração saberão que Deus é justo e bom. Ele revela os verdadeiros e os falsos líderes com base se eles têm ou não a obra do Espírito Santo. Isso demonstra por completo o Seu caráter justo. Deus nunca está errado. Se um cristão não tem a obra do Espírito Santo, então, é certo que essa pessoa não é alguém que ama e busca a verdade. Isso é absolutamente exato.

O povo escolhido de Deus deve entender a verdade, a fim de possuir discernimento. Para discernir com precisão os falsos líderes, falsos obreiros e anticristos, deve-se possuir os cinco discernimentos a seguir: 1. Ser capaz de discernir se eles têm ou não temor a Deus; 2. Ser capaz de discernir se eles amam e buscam a verdade; 3. Ser capaz de discernir se eles têm ou não a obra do Espírito Santo; 4. Ser capaz de discernir se eles têm ou não a realidade da verdade; 5. Ser capaz de discernir se eles são pessoas boas ou ímpias. Se uma pessoa possuir esses cinco discernimentos, ela será completamente capaz de discernir quais pessoas são falsos líderes, falsos obreiros ou anticristos. Se uma pessoa não possuir esses cinco discernimentos, então, ela nunca será capaz de discernir quem é um falso líder, um falso trabalhador ou anticristo e, definitivamente, é uma pessoa confusa que não consegue dizer a diferença entre o bem o mal. Ela pode ser enganada e controlada com facilidade por pessoas ímpias para caminhada dos anticristos.

Um cristão deve atender a, no mínimo, duas condições a fim de ser salvo e aperfeiçoado:

Em primeiro lugar: ele deve ter temor a Deus.

Em segundo lugar: deve buscar a verdade.

Aqueles que atendem a essas duas condições podem conseguir ser salvos e aperfeiçoados de maneira completa. Aqueles que nunca têm a obra do Espírito Santo são, na verdade, pessoas que não a amam nem a buscam. Essa é a raiz do problema de não se ter a obra do Espírito Santo. A essência da natureza de alguém que não ama a verdade é definitivamente maligna; por certo, ela não é uma pessoa de bom coração. Pode-se dizer que uma pessoa que não ama a verdade tem a natureza e a essência de uma pessoa ímpia. Isso é certeza. Alguns líderes e obreiros creem em Deus por muitos anos, mas não conseguem sequer dizer se é ou não a voz Dele, se é ou não o arranjo de trabalho do alto e também não conseguem discernir se o que alguém comunica está em conformidade com a verdade. Essas são pessoas que não compreendem as questões espirituais e, para elas, compreender a verdade e entrar na realidade está ainda mais fora de questão. Portanto, é absolutamente adequado para o alto exigir que tais pessoas sejam substituídas. Como os falsos líderes e anticristos não compreendem a verdade, eles não sabem como falar sobre a realidade. Continuam falando sobre letras e doutrinas ou seguindo regras, ou interpretando erroneamente as palavras de Deus à sua própria maneira, e até tiram as coisas de contexto e interpretam a verdade de forma errada, o que, as pessoas que entendem a verdade, consideram absurdo e ridículo. Os falsos líderes e anticristos não fornecem provisão ou rega de forma alguma para o povo escolhido de Deus, e muito menos conseguem usar a verdade para resolver seus problemas. Tudo o que fazem para o povo escolhido Dele é usar regras a fim de limitá-lo, usar doutrinas para censurá-lo, usar falácias para enganá-lo e usar poder para subjugá-lo e controlá-lo. Eles apenas trazem ao povo escolhido de Deus engano, limitação, supressão, prejuízo e destruição, não rega, provisão, amor e apoio. Logo, os falsos líderes e anticristos são todos demônios que perturbam e interrompem a obra de Deus. Pode-se dizer com certeza que as pessoas que creram em Deus por muitos anos, mas não têm a obra do Espírito Santo são pessoas que há tempos foram expostas e eliminadas por Ele. Deus nunca erra. Ele salva as pessoas que têm temor a Deus e conseguem buscar a verdade. Todas elas são pessoas boas que têm consciência e razão. São todos seres humanos reais, pessoas com corações bons. As ações e conduta daqueles que amam a verdade são definitivamente benéficas para com as pessoas e fáceis de serem aceitas por elas. É fácil para tais pessoas fazerem boas ações. Portanto, aqueles que relativamente fazem mais boas ações devem ser pessoas de bom coração. Não é fácil para pessoas ímpias fazerem boas ações. Aqueles que relativamente fazem mais maldades devem ser pessoas que têm um caráter maligno, isso é certo. É possível falar de uma árvore a partir de seus frutos, e é possível falar se uma pessoa é boa ou má a partir de suas ações. Portanto, quando mensuramos líderes e obreiros de todos os níveis, tudo o que precisamos fazer é entender se eles são uma pessoa boa ou ímpia. Dessa forma, você saberá se eles são um líder verdadeiro ou falso. Um líder que é uma pessoa boa terá a obra do Espírito Santo, enquanto um líder que é uma pessoa ímpia não terá a Sua obra. Isso é absolutamente correto, pois Deus é justo e santo. Deus nunca está errado.

De fato, é muito fácil discernir se alguém percorre a senda da busca pela verdade ou a do anticristo de desafiar a Deus. É possível dizer a partir de sua atitude para com as Suas palavras e a verdade. É possível dizer a partir do fato de a pessoa ter ou não amor pelo Seu povo escolhido que genuinamente crê em Deus. É possível dizer a partir do fato de ela proteger ou não a obra de Deus e estar ou não ao Seu lado. É possível dizer a partir do fato de seu coração ser bom ou mau e se ela faz ou não boas ações. Em particular, é possível ver de modo ainda mais claro e preciso se você esteve em contato ou passou algum tempo com essa pessoa. Isso não mistério algum. É algo claro de se ver.

Todas as pessoas que temem a Deus e buscam a verdade percorrem a senda da busca por ela e de ser aperfeiçoado. As pessoas que não buscam a verdade são aquelas que estão focadas ao máximo na realidade. Elas comunicam todas as coisas de acordo com as palavras de Deus e a verdade e lidam com todos os problemas de acordo com a verdade. Isso é o que significa estar focado ao máximo na realidade. Somente aqueles que têm amor, assistem e apoiam o povo escolhido de Deus e desempenham o verdadeiro papel da liderança na entrada na vida do Seu povo escolhido são seus verdadeiros líderes e bons obreiros. Todos aqueles que ferem o povo escolhido de Deus, o enganam, o controlam e o destroem são falsos líderes ou falsos obreiros. Isso é algo que todo o povo escolhido de Deus pode sentir. Ele sabe, em seu coração, se o que uma pessoa faz é certo ou errado, e se é ou não benéfico a ele. Discernir dessa forma, por certo, não estará errado.

Se você descobre que um líder ou trabalhador é uma pessoa ímpia, que não ama a verdade, não a pratica ou não tem amor pelo povo escolhido de Deus, então, pode ter certeza de que ele é um falso líder ou falso trabalhador. Se você vir um falso líder ou falso trabalhador cometer todo tipo de maldade, então, isso significa que é um anticristo. Esse é o método de discernimento mais simples. As pessoas que não entendem a verdade não errarão se discernirem de acordo com esse princípio. Alguns falsos líderes e falsos obreiros são especialmente hábeis em sofismas. Sempre defendem seus feitos malignos e apresentam todo tipo de desculpas, porém, não conseguem, de forma alguma, encobrir sua natureza maligna. O povo escolhido de Deus não é fácil de se enganar. Todos aqueles que usam todos os tipos de desculpas para fazer o mal são pessoas que não amam a verdade e podem até violá-la e brincar com ela. Uma pessoa que faz o mal e ainda tenta encontrar desculpas e argumenta à sua maneira a respeito disso não é alguém que brinca com a verdade? Não é uma pessoa ímpia? Se for uma pessoa que ama a verdade, então, não fará mal nem se o seu pai lhe disser que o faça, e rejeitará fazer ações más mesmo que sua mãe lhe diga que as faça. Somente tal pessoa é alguém que ama genuinamente a verdade. Falsos líderes e anticristos podem violar os arranjos de trabalho para seguirem seu próprio caminho e ainda apresentam todos os tipos de desculpas para se defenderem. Isso está violando claramente a verdade e desafiando a Deus. Uma pessoa que ama de forma genuína a verdade rejeitaria todos os arranjos advindos dos líderes e obreiros que não estivessem em conformidade com a verdade e obedeceriam de modo incondicional aos arranjos de trabalho do alto. Se ela sabe com clareza que está violando os arranjos de trabalho do alto, mas ainda consegue forçar e mandar aqueles que estão abaixo dela a obedecerem à sua própria maneira, então, isso expõe completamente sua natureza desafiadora a Deus como um falso líder e anticristo que não ama nem pratica a verdade de forma alguma. As pessoas assim, que desafiam e se opõem abertamente a Deus, não são, de fato, falsos líderes e anticristos?

Se um falso líder ou falso trabalhador se arrepende de verdade, deve pessoalmente encontrar e trazer de volta todos aqueles a quem subjugou e incriminou – ou seja, todos aqueles que ele segregou e expulsou – bem como admitir suas transgressões. Essa é uma expressão de arrependimento verdadeiro e só então ele pode preencher a lacuna entre ele e Deus. Se resolutamente se recusar a admitir seus erros e insistir que o que fez estava certo, então, não pode ser salvo, e Deus também não o perdoará. É possível dizer que tal pessoa é um anticristo, um demônio que preferiria morrer a arrepender-se. Se um falso líder ou falso trabalhador consegue se arrepender de forma verdadeira, corrige seus erros e recupera as perdas causadas para a igreja, bem como o prejuízo dado ao povo escolhido de Deus, então, ele pode ser salvo. O Seu povo escolhido deve lidar com as pessoas da forma correta, tratando-as como um irmão ou irmã, de novo, com misericórdia e benignidade. Se um falso líder ou falso trabalhador faz muita maldade, segregou e expulsou muitas pessoas e ainda se recusa relutantemente a admitir seus erros ou fazer retificações, então, essa pessoa já se tornou um anticristo e deve ser substituída e eliminada. Tal fato se dá porque esse tipo de pessoa é certamente alguém ímpio que odeia a verdade. É um típico anticristo e precisamente objeto de punição de Deus.

As pessoas que compreendem de forma genuína a verdade não devem ser restringidas por falsos líderes e falsos obreiros e não podem ter misericórdia e benignidade para com pessoas negativas que pertencem às forças de Satanás. Devem tratar todos os tipos de pessoas com base nos princípios da verdade. Só então, serão capazes de proteger a si mesmas e beneficiar sua entrada na vida. Ter misericórdia e benignidade para com Satanás é como ter misericórdia de uma cobra venenosa – você acabará sendo ferido por ela. Deus não gosta dessas pessoas confusas. As pessoas que são confusas a esse ponto não podem ser salvas.

Todos os falsos líderes e anticristos dispensam especial atenção à posição social e às recompensas. Quando são cristão na igreja, valorizam principalmente a posição social e o poder de adoração. Imaginam que quando Deus vier, poderão ser recompensados e abençoados. Creem também que quanto maior a recompensa, melhor, e que não devem ser mais pobres do que os outros. Apenas têm que lutar por posição social na igreja e ficam ansiosos para alcançar a mais alta posição social para que não haja ninguém acima deles, exceto um. Essa é uma mentalidade comum entre todos os falsos líderes e anticristos. Tudo o que os falsos líderes e anticristos fazem é em prol da posição social e recompensas. Quando leem as palavras de Deus, se especializam na pesquisa daquilo que dá as maiores recompensas e a maior posição social; eles desejam sentar ao lado de Deus. Em Suas palavras, eles olham especificamente para qual é a maior bênção e a maior posição social, razão por que escolhem a posição social do filho primogênito de Deus como seu alvo de busca. Pesquisam, em especial, os mistérios da posição social e das recompensas nas palavras de Deus. Por isso, escolhem as Suas palavras nas Declarações e Testemunhos de Cristo no Princípio como foco de sua comida e bebida, tentando fazer distinções detalhadas daquilo que Deus diz todos os dias, de tal modo que perdem o sono e se esquecem de comer enquanto pensam em maneiras de alcançar resultados o mais rápido possível. A fim de ganhar rapidamente a posição social de filho primogênito, eles não se importam em tirar as coisas de contexto e interpretar de forma errada as Suas palavras. Ficam ansiosos para colocar todas as recompensas e coroas em sua própria cabeça e esforçam seus cérebros para esse fim. À parte das recompensas e posição social, eles focam também em quem deve desfrutar e gerenciar as ofertas a Deus. Mas então, eles descobriram um segredo nos dez decretos administrativos de Deus em que deu o direito ao homem usado pelo Espírito Santo de gerenciar as ofertas a Ele. Isso os desapontou grandemente, logo, para alcançar seu objetivo de controlar o dinheiro da casa de Deus, eles adotaram o método de negar as Suas palavras e até criar rumores de que os dez decretos administrativos não são a palavra de Deus, mas foram criados pelas pessoas. Isso realmente está perdendo todo o equilíbrio do julgamento e planejando tirar o direito do homem usado pelo Espírito Santo de gerenciar as ofertas. Tal fato nos mostra que, embora os anticristos não busquem a verdade de forma alguma, suas mentes são irriquietas e eles planejam cuidadosamente pegar o poder com uma mão, assim, conseguem ganhar recompensas maiores e agarrar dinheiro com a outra, assim, conseguem desfrutar avidamente os benefícios da posição social. Os falsos líderes e anticristos exaurem todo o poder de suas mentes e são, de fato, extremamente “inteligentes”. Não buscam nada, senão lucros, e tentam ganhar vantagens extras à custa de outros em todo lugar para onde vão. Essa é a senda percorrida pelos anticristos. Isso é o que os anticristos buscam e desejam. Através daquilo que eles focam, prestam atenção e buscam, bem como dos métodos que adotam e a senda que percorrem, nós podemos ver perfeita e claramente que os falsos líderes e anticristos são todos ladrões e demônios que são inacessíveis à razão. Não são diferentes do grande dragão vermelho e são todos servos de Satanás governados por ele.

O maior perigo para um cristão de entrar na trilha certa da crença em Deus e ser salvo e aperfeiçoado são os falsos líderes, os anticristos e a sua senda. Somente se o povo escolhido de Deus conseguir discernir os falsos líderes, os anticristos e sua senda será fácil para eles entrarem na trilha certa da crença Nele. Quando uma pessoa compreende de forma genuína a verdade e conhece a Deus, ela é capaz de se libertar verdadeiramente da influência de Satanás e se torna alguém que obedece de verdade a Deus e é ganho por Ele. Essa é a senda de crer Nele percorrida por uma pessoa que busca a verdade. Estar cuidadosamente atento aos anticristos e à sua senda é crucial.

12 de abril de 2011

Anterior : Como discernir o discurso demoníaco e as falácias dos espíritos malignos, falsos cristos e anticristos

Próximo : Boas ações, más ações e falácias que o povo escolhido de Deus deve discernir claramente

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro