Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

Anais selecionados dos arranjos de trabalho da Igreja de Deus Todo-Poderoso Versão prática

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Aparentando servir a Deus, mas, na verdade, desafiando a Deus – cinco comportamentos prodigiosamente malignos que devem ser compreendidos

Durante desastres e provações, alguns líderes fazem muita maldade; mesmo assim, não expressam arrependimento verdadeiro e há muito já perderam a obra do Espírito Santo, expondo-se assim como pessoas que não buscam a verdade. O povo escolhido de Deus deve ser capaz de distinguir os falsos líderes e falsos obreiros que perderam a obra do Espírito Santo e não têm um fragmento sequer da realidade da verdade; só então poderá escapar das garras malignas de Satanás e do controle dos perversos – essa é a premissa e a garantia para entrar na trilha certa de crer em Deus. Comportamentos malignos que preocupam, aparentando servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus, são expressos de várias maneiras. Todos os falsos líderes e falsos obreiros que estão sem a obra do Espírito Santo são pessoas que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus; isso é certo. Mas há também alguns líderes e obreiros que têm a obra do Espírito Santo e algumas expressões que causam perturbações e interrupções na obra de Deus; há uma diferença essencial entre essas pessoas e aqueles falsos líderes, falsos obreiros ou anticristos que desafiam a Deus. Não se deve, de maneira nenhuma, definir alguém como falso líder ou falso obreiro que está sem a obra do Espírito Santo com base em uma única expressão momentânea que interrompa ou perturbe a obra de Deus. Isso é algo que o povo escolhido de Deus deve discernir claramente. Se as pessoas conseguirem discernir e ver claramente os cinco comportamentos prodigiosamente malignos que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus, elas saberão exatamente o que é um falso líder, um falso obreiro e um anticristo. Seguem abaixo explicações específicas sobre esses cinco comportamentos prodigiosamente malignos:

1. Estão sempre pregando letras e doutrinas quando falam ou trabalham, repreendendo os demais com frequência, fazendo-os seguir regras e restringindo-os sem nunca conseguirem compartilhar experiências práticas nem o conhecimento verdadeiro de Deus, muito menos sabem como exaltar a Deus, dar testemunho por Deus ou usar a verdade para resolver problemas. Portanto, essas pessoas trabalham há muitos anos, mas não conduziram o povo escolhido de Deus à realidade das Suas palavras nem à trilha certa da crença em Deus. No entanto, não sentem remorso algum e continuam a se firmar em suas posições, exibindo-se, sempre falando e trabalhando em prol da sua reputação e posição. Se pessoas como essas trabalham há vários anos, porém não mudaram, então sua humanidade é certamente má, e elas não são, de maneira nenhuma, pessoas que buscam a verdade. Pessoas assim há muito perderam a obra do Espírito Santo e são gente que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus. Trabalham há vários anos, mas não conseguem conduzir o povo escolhido de Deus para a realidade e são insensíveis ao remorso. Além disso, são condescendentes e desfrutam avidamente das bênçãos do status; falam e trabalham pelo seu próprio bem, sempre mencionam letras e doutrinas para enganar os outros, o que prejudica o povo escolhido de Deus e interfere severamente na sua entrada na vida. Esse é o primeiro comportamento prodigiosamente maligno daqueles que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus.

2. Como líderes e obreiros, são insensíveis e não têm um coração amoroso para com os irmãos e as irmãs. Independentemente da dificuldade ou deficiência que alguém tenha, ficam totalmente indiferentes e a ignoram; são incapazes de compartilhar a verdade para resolver as dificuldades alheias, e são menos capazes ainda de suprir a vida das pessoas. Se descobrem alguém com um problema ou transgressão, só conseguem repreender a pessoa, podá-la ou lidar com ela, e até mesmo a atacam impiedosamente, sem se importarem se ela vai viver ou morrer; até desejam expulsá-la, como se sua capacidade de alcançar ou não a salvação não tivesse nada a ver com eles. Pessoas assim são cruéis como animais de sangue frio e cumprem seus deveres como oficiais, como se fossem a polícia da igreja. Fazem com que os outros tenham medo de se aproximar e sejam até menos capazes de abrir o coração para elas; esse tipo de pessoa é totalmente incapaz de um trabalho prático. Nada que façam levam os demais a crer em Deus; ao contrário, tornam-se oficiais religiosos, intrometidos que querem mandar nos outros e não têm humanidade. Esse tipo de pessoa, negligente com seus deveres, sempre intimida os demais, prejudica o povo escolhido de Deus e interfere seriamente na sua entrada na vida. Esse é o segundo comportamento prodigiosamente maligno dos que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus.

3. São injustos com as pessoas, egoístas, desprezíveis e trabalham apenas pelo status. Para proteger sua própria posição, cultivam seus seguidores de confiança e atacam aqueles cujas opiniões diferem das suas; excluem os que estão progredindo na sua busca da verdade, têm inveja dos que são melhores do que eles e fazem o máximo para oprimir e condenar os que buscam a verdade de modo genuíno e que são especialmente dignos de ser cultivados. Uma vez que percebem as deficiências ou transgressões destes, acusam-nos de ser “arrogantes e presunçosos”, e os expulsam para se livrarem da preocupação. Até expulsam ou expurgam arbitrariamente os que não se dão bem com eles, e não têm nenhuma consideração com o coração de Deus que ama e salva as pessoas. Alguns até são capazes de expulsar pessoas de forma privada, tomando uma decisão individual, sem a aprovação da maioria da igreja, empurrando as pessoas que estão em processo de serem salvas por Deus para fora da igreja e nas mãos de Satanás. Essa maneira de fazer as coisas perturba e interrompe a obra de Deus, prejudica o povo escolhido de Deus e interfere gravemente na sua entrada na vida. Esse é o terceiro comportamento prodigiosamente maligno daqueles que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus.

4. Durante desastres e provações, não se importam de modo algum em como está transcorrendo a entrada na vida dos irmãos e irmãs, se eles têm ou não dificuldades e problemas, se precisam ou não de apoio e provisão, se são capazes ou não de viver a vida da igreja, se os que estão sendo perseguidos e não podem voltar para casa foram ou não devidamente abrigados ou se estão ou não preocupados com qualquer coisa. Em particular, não se importam se as ofertas que o povo escolhido de Deus dedica a Ele estão sendo devidamente salvaguardadas ou não, e ignoram quando uma família custodiante fica em perigo, como se não isso tivesse nada a ver com eles. Preocupam-se apenas com seus próprios interesses, são completamente irresponsáveis quanto à segurança das oferendas a Deus, e o resultado é que a família de Deus sofre graves prejuízos econômicos – pessoas assim simplesmente não têm consciência nem razão. Aqueles que não se responsabilizam por esses poucos cargos presentes, dos mais necessários, buscam apenas seu próprio lucro e protegem sua própria reputação; não se importam nem um pouco se o povo escolhido de Deus vive ou morre, e apoiam menos ainda a obra da família de Deus. Seu egoísmo e mesquinhez atingiram o auge; eles prejudicam o povo escolhido de Deus e interferem gravemente em sua entrada na vida. Esse é o quarto comportamento prodigiosamente maligno daqueles que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus.

5. Nunca agem de acordo com os arranjos de trabalho do alto, mas, em vez disso, seguem seus próprios desejos e agem de maneira arbitrária; mantêm uma atitude de dúvida e conflito para com os sermões, comunhões e arranjos de trabalho do alto, são incapazes de obedecer plenamente e agem como se os arranjos de trabalho, os sermões e as comunhões do alto tivessem que ser revisados e aprovados por eles antes de ser enviados aos irmãos e irmãs. São incapazes de resolver as dificuldades que os irmãos e irmãs têm com a entrada na vida, mas não permitem que eles aceitem os sermões, comunhões e arranjos de trabalho do alto logo que possível, e até mesmo se recusam a aceitar ou enviar essas determinações, por duvidarem da sua veracidade. Eles só querem destinar o povo escolhido de Deus à morte e fazê-lo morrer de exaustão por não receberem rega nem provisão – que intenções tão malignas! E alguns realmente duvidam das gravações dos sermões do alto – que absurdo! É uma maneira de agir que interfere, intencionalmente, na entrada na vida dos irmãos e irmãs, e impede que a vontade de Deus seja realizada. Os que fazem isso são, de fato, lacaios de Satanás, e fomentam intenções sinistras. Esse tipo de pessoa espera, em vão, ganhar domínio sobre o povo escolhido de Deus e estabelecer seu próprio reino independente e, ao fazer isso, prejudica o povo escolhido de Deus e interfere severamente na sua entrada na vida. Esse é o quinto comportamento prodigiosamente maligno dos que aparentam servir a Deus, mas que, na verdade, desafiam a Deus.

Os cinco comportamentos prodigiosamente malignos descritos acima, de quem aparenta servir a Deus, mas, na verdade, desafia a Deus, são graves por natureza. Cada um deles é capaz de interferir gravemente na entrada na vida do povo escolhido de Deus, a ponto de causar-lhes a morte. As pessoas que são capazes de trazer tais consequências para o povo escolhido de Deus, com certeza, são demônios com um caráter maléfico e insidioso; apenas os lacaios de Satanás e os anticristos são capazes de fazer tais coisas. Cada um desses cinco comportamentos prodigiosamente malignos é mais grave do que o anterior. Na verdade, existem muitos líderes e obreiros que se engajaram no primeiro comportamento maligno, e a maioria deles tem esse problema em graus variados. Mas a maior parte das pessoas é capaz de se arrepender, aceitar ser podada e tratada, e buscar a verdade para entrar, gradualmente, na realidade; dessa forma, seus estados de desafio a Deus diminuem cada vez mais. Se alguém nunca busca a verdade, não entra na realidade e continuamente não obtém resultados no seu trabalho, este é um problema sério. Se, no entanto, a pessoa passa, então, a praticar o segundo e o terceiro comportamentos malignos, não se trata mais de um problema comum. Aqueles que são capazes de atacar e excluir boas pessoas e que incriminam falsamente os outros que são melhores do que eles mesmos, porque têm o coração invejoso, são, de fato, pessoas desprezíveis que têm o coração maldoso e insidioso, e estão totalmente sem a obra do Espírito Santo e devem ser substituídos. Se alguém se envolve no quarto e no quinto comportamentos malignos, deve ser substituído imediatamente, sem espaço para considerações; os que cometerem graves violações serão expulsos. Em particular, os que praticam o quinto comportamento maligno já constituíram as forças do anticristo, que impedem que a vontade de Deus seja realizada e tentam estabelecer um reino separado para que possam atuar como reis. Pessoas assim são genuínos anticristos, com toda a certeza! Todos os que desejam controlar o povo escolhido de Deus e estabelecer seus próprios reinos independentes são anticristos, e quando um deles é descoberto, precisa ser manejado – isso jamais pode ser errado. Portanto, os que praticam o quinto comportamento maligno devem ser substituídos, e os que cometem violações graves devem ser expulsos. Se alguém que se envolveu com o quinto comportamento maligno foi persuadido a isso ou enganado por outros e cometeu erros, se não se envolveu em nenhum outro aspecto de comportamento maligno e se a maioria do povo escolhido de Deus diz que essa pessoa parecia estar indo bem antes, então ele poderá ser usado em um nível inferior. Mas nunca poderá ser um líder principal – isso é absoluto e não pode ser mudado. Em suma, o povo escolhido de Deus pode discernir e fazer comparações entre as “expressões dos cinco comportamentos prodigiosamente malignos de quem aparenta servir a Deus, mas que, na verdade, desafia a Deus” e os líderes e obreiros de todos os níveis da família de Deus. Se alguém praticar três ou mais dos comportamentos prodigiosamente malignos e também tiver uma humanidade má e não buscar a verdade, então deverá ser substituído e rejeitado. Os que se envolverem inteiramente em quatro comportamentos prodigiosamente malignos – mediante verificação confiável e apropriada pela maioria das pessoas, incluindo as que conhecem o assunto em todos os aspectos, e se todas elas confirmarem que a pessoa em questão tem uma humanidade má e não busca a verdade – estes serão substituídos sem piedade. Se alguém se envolveu em todos os cinco comportamentos extraordinariamente malignos, então não resta dúvida de que essa pessoa é um anticristo e deve ser expulsa. Os que praticam o quinto comportamento prodigiosamente maligno devem ser substituídos ou expulsos caso se possa comprovar que não buscam a verdade. Se alguém apenas deixa um pouco a desejar nesses aspectos, mas ainda obtém alguns resultados em seu trabalho e é uma pessoa que crê sinceramente em Deus e busca a verdade, então isso compete a estados normais, e ela não deve ser condenada como praticante dos cinco tipos de comportamento maligno. O povo escolhido de Deus deve compreender que aqueles que têm humanidade podem simplesmente manifestar algumas impurezas e transgressões em seu trabalho, mas são incapazes de fazer qualquer coisa prodigiosamente maligna, ao passo que todos aqueles que são capazes de se envolver nos cinco tipos de comportamento maligno decerto têm uma natureza maléfica e não são boas pessoas, de modo algum. Vocês podem ajudar, com um coração amoroso, as pessoas boas que têm suas falhas, porém não devem mostrar clemência para com os perversos que praticam o mal; somente tratando-os de acordo com os princípios é que o povo escolhido de Deus pode ser salvo do controle desses. Portanto, os perversos devem ser expulsos, e agir dessa maneira está inteiramente de acordo com a vontade de Deus. Deus disse: “Os perversos devem ser punidos”. Todos os que simpatizam com os perversos e têm pena deles estão, portanto, simpatizando com Satanás e os demônios, o que é uma expressão de desafio a Deus.

Os líderes e obreiros de todos os níveis da igreja devem examinar quantas ocorrências, exatamente, existem na sua igreja local em que as pessoas se recusam a aceitar os arranjos de trabalho, os sermões e as comunhões do alto, exatamente quanto da obra da igreja sofre interferência, e se existe ou não alguém que deseja estabelecer seu próprio reino independente. Depois, devem relatar tudo isso para o alto, juntamente com os resultados de como lidaram com essas pessoas; os superiores desejam compreender a situação completamente e obter um entendimento confiável dela.

22 de maio de 2010

Anterior:Apenas quando entramos primeiro no caminho certo da crença em Deus podemos trilhar o caminho certo para servir a Deus

Próximo:Somente aqueles que alcançam três critérios são qualificados para ser usados por Deus