1. O que são a igreja de Deus e grupos religiosos

Palavras de Deus relevantes:

O que, exatamente, é a casa de Deus? Se fosse definida teoricamente, a casa de Deus seria um lugar em que reina a verdade, uma assembleia de pessoas cujos princípios de prática são as palavras de Deus. […] A casa de Deus é o lugar onde Deus opera e fala, onde Deus salva pessoas, onde as palavras de Deus são praticadas e concretizadas por pessoas, onde o propósito e a vontade de Deus podem ser executados sem obstrução, e onde o plano de gerenciamento de Deus é implementado e realizado. Em suma, a casa de Deus é o lugar onde Deus detém poder, onda reinam as palavras de Deus e a verdade; não é um lugar em que qualquer indivíduo exerce autoridade, conduz operação própria ou alcança os próprios desejos, esquemas ou grandes planos.

Extraído de ‘Eles tratam a casa de Deus como seu lar pessoal’ em “Expondo os anticristos”

A cada estágio da obra de Deus correspondem exigências feitas ao homem. Os que estão dentro da corrente do Espírito Santo possuem a presença e a disciplina do Espírito Santo, e aqueles que não estão dentro da corrente do Espírito Santo estão sob o comando de Satanás e desprovidos de qualquer parte da obra do Espírito Santo. Os que estão na corrente do Espírito Santo são aqueles que aceitam a nova obra de Deus e que colaboram com a nova obra de Deus. Se os que estão dentro dessa corrente forem incapazes de colaborar e de colocar em prática a verdade requerida por Deus durante essa era, nesse caso serão disciplinadas e, na pior das hipóteses, abandonados pelo Espírito Santo. Os que aceitam a nova obra do Espírito Santo viverão dentro da corrente do Espírito Santo, e eles receberão o cuidado e a proteção do Espírito Santo. Os que estão dispostos a colocar em prática a verdade são iluminados pelo Espírito Santo, e os que não estão dispostos a colocar em prática a verdade são disciplinados pelo Espírito Santo, e podem até ser punidos. Independentemente do tipo de pessoa que são, se estiverem dentro da corrente do Espírito Santo, Deus assumirá a responsabilidade por todos que aceitam Sua nova obra para o bem de Seu nome. Os que glorificam Seu nome e estão dispostos a colocar Suas palavras em prática receberão Suas bênçãos; os que O desobedecerem e não colocarem Suas palavras em prática receberão Sua punição. As pessoas que estão na corrente do Espírito Santo são aquelas que aceitam a nova obra e, ao aceitarem a nova obra, devem cooperar apropriadamente com Deus e não agir como rebeldes que não cumprem seu dever. Essa é a única exigência que Deus faz ao homem. O mesmo não ocorre com as pessoas que não aceitam a nova obra: estão fora da corrente do Espírito Santo e a disciplina e a reprovação do Espírito Santo não se aplicam a elas. Todos os dias essas pessoas vivem na carne, vivem em sua mente e só agem de acordo com a doutrina produzida pela análise e pesquisa de seu próprio cérebro. Isso não é o que a nova obra do Espírito Santo exige, muito menos é cooperação com Deus. Os que não aceitam a nova obra de Deus são privados da presença de Deus e, ademais, desprovidos das bênçãos e proteção de Deus. A maior parte de suas palavras e ações se prendem a exigências passadas da obra do Espírito Santo; são doutrina, não verdade. Tais doutrina e normas bastam para provar que a reunião dessas pessoas não passa de religião; não são os escolhidos ou os objetos da obra de Deus. A reunião deles só pode ser considerada um grande congresso religioso e não uma igreja. Esse é um fato inalterável. Eles não têm a nova obra do Espírito Santo; o que fazem se assemelha a religião, o que vivem parece ser pleno de religião; eles não possuem a presença e a obra do Espírito Santo, muito menos são dignos de receber a disciplina ou a iluminação do Espírito Santo. Essas pessoas são cadáveres inertes e vermes desprovidos de espiritualidade. Não têm conhecimento da rebeldia e oposição do homem, não têm conhecimento de todos os malfeitos do homem, muito menos sabem tudo sobre a obra de Deus e a vontade atual de Deus. São pessoas ignorantes, reles, e são escória indigna de ser chamada de crente! Nada do que fazem tem qualquer relação com o gerenciamento de Deus, nem pode prejudicar os planos de Deus. Suas palavras e ações são repugnantes demais, patéticas demais e indignas de menção. Nada feito por aqueles que não estão dentro da corrente do Espírito Santo tem a ver com a nova obra do Espírito Santo. Consequentemente, não importa o que façam, estão desprovidos da disciplina do Espírito Santo e, além disso, desprovidos da iluminação do Espírito Santo. Pois são pessoas que não têm amor pela verdade e que foram detestadas e rejeitadas pelo Espírito Santo. São chamadas de malfeitores porque andam na carne e fazem o que lhes agrada debaixo da tabuleta de Deus. Enquanto Deus opera, elas são deliberadamente hostis a Ele e correm na direção contrária a Ele. O fracasso do homem em colaborar com Deus é em si um ato de extrema rebeldia, então aquelas pessoas que correm contrárias a Deus deliberadamente não receberão especialmente a sua justa retribuição?

Extraído de ‘A obra de Deus e a prática do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

“Digo-vos, porém, que aqui está o que é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é o Senhor” (Mateus 12:6-8). A que se refere a palavra “templo” aqui? Simplificando, ela se refere a um edifício alto e magnífico e, na Era da Lei, o templo era um local onde os sacerdotes adoravam a Deus. Quando o Senhor Jesus disse: “Aqui está o que é maior do que o templo”, a quem estava se referindo? Claramente, ao Senhor Jesus na carne, porque apenas Ele era maior que o templo. O que essas palavras disseram às pessoas? Elas disseram às pessoas que saíssem do templo — Deus já havia saído do templo e não estava mais operando nele, portanto as pessoas deveriam buscar os passos de Deus fora do templo e seguir Seus passos na Sua nova obra. Quando o Senhor Jesus disse isso havia uma premissa por trás de Suas palavras, que era que, sob a lei, as pessoas tinham passado a ver o templo como algo maior que o Próprio Deus. Isto é, as pessoas adoravam o templo em vez de adorar a Deus, por isso o Senhor Jesus as advertiu a não adorar ídolos, mas a, em vez disso, adorar a Deus, pois Ele é supremo. Assim, Ele disse: “Misericórdia quero, e não sacrifícios”. É evidente que, aos olhos do Senhor Jesus, a maioria das pessoas que vivia sob a lei não mais adorava a Jeová, mas estava apenas agindo sem se envolver nos sacrifícios, e o Senhor Jesus determinou que isso constituía idolatria. Esses adoradores de ídolos viam o templo como algo maior e superior a Deus. Em seu coração havia apenas o templo, não Deus, e se eles perdessem o templo, então eles perderiam sua morada. Sem o templo, eles não teriam onde adorar e não poderiam realizar seus sacrifícios. Sua chamada “morada” é onde eles usavam o pretexto falso de adorar a Deus Jeová a fim de permanecer no templo e tratar dos seus próprios assuntos. Seus supostos sacrifícios nada mais era do que eles levando a cabo suas próprias transações vergonhosas sob o disfarce de prestar seu serviço no templo. Foi por essa razão que as pessoas daquela época viam o templo como maior que Deus. O Senhor Jesus disse essas palavras como alerta para as pessoas, pois elas usavam o templo como fachada e os sacrifícios como disfarce para enganar as pessoas e enganar a Deus. Se vocês aplicarem essas palavras ao presente, elas são igualmente válidas e igualmente pertinentes. Embora as pessoas de hoje tenham experimentado uma obra de Deus diferentes da experimentada pelas pessoas na Era da Lei, sua natureza-essência é a mesma.

Extraído de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III’ em “A Palavra manifesta em carne”

Não importa quantas pessoas cumpram seu dever numa igreja, se são duas ou uma dúzia, no momento em que perdem a obra do Espírito Santo, elas não estão experimentando a obra de Deus e não têm conexão alguma com a obra de Deus nem têm parte nela. Tornaram-se um grupo religioso. Essas pessoas não estão em grande perigo? Nunca buscam a verdade quando confrontadas com problemas e não agem de acordo com as verdades-princípio, e estão sujeitas aos arranjos e manipulações de seres humanos. Há até muitas que, enquanto cumprem seu dever, nunca oram nem buscam as verdades-princípio; só perguntam aos outros e fazem o que os outros dizem, agindo de acordo com as deixas dos outros. Para onde quer que as outras pessoas apontem, é para lá que vão. Em sua fé, sentem que buscar a verdade é vago e incômodo, enquanto confiar nos outros e fazer o que os outros dizem é fácil e muito prático, e por isso fazem o que é mais direto e indolor, perguntando aos outros e fazendo o que os outros dizem em tudo. Como resultado, mesmo após crerem por muitos anos, quando confrontadas com um problema, essas pessoas não vêm para diante de Deus uma única vez orando e buscando a Sua vontade e a verdade, para então alcançar um entendimento da verdade, e agindo e se comportando de acordo com a vontade de Deus — elas nunca tiveram tal experiência. Tais pessoas realmente praticam fé em Deus? Eu me pergunto: por que, assim que algumas pessoas se tornam parte de um grupo, é tão fácil para elas — em forma — transformar-se imediatamente de alguém que acredita em Deus em alguém que acredita no homem, de alguém que segue a Deus em alguém que segue o homem? Por que elas mudam tão rapidamente? Por que se comportam dessa maneira mesmo após acreditar em Deus por tantos anos? Elas acreditaram em Deus por todos esses anos, mas, estranhamente, Deus nunca teve um lugar em seu coração. Elas nunca tiveram conexão alguma com Deus. Suas ações, palavras, vida, sua conduta e manuseio de assuntos, até o cumprimento de seu dever e seu serviço a Deus — tudo que fazem, todas as condutas que revelam, tudo que expressam e até cada um de seus pensamentos ou ideias — nada disso tem conexão alguma com a fé em Deus. Essa pessoa é, então, um dos crentes verdadeiros? A totalidade de anos em que uma pessoa teve fé pode revelar o tamanho de sua estatura em sua fé em Deus? Isso é prova de que ela tem um relacionamento normal com Deus? É claro que não.

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Se, em sua fé em Deus, as pessoas tratam a verdade como um conjunto de regras às quais aderir, então sua fé não será propensa a se transformar em apenas um monte de cerimônias religiosas? E quais são as diferenças entre essas cerimônias religiosas e o cristianismo? Essas pessoas podem ser mais profundas e mais progressistas no modo com que dizem as coisas, mas se sua fé passou a resumir-se a apenas um conjunto de regras e um tipo de cerimônia, não significa que ela se transformou em cristianismo? (Sim, significa.) Há diferenças entre os ensinamentos antigos e os novos, mas se os ensinamentos nada mais são que um tipo de teoria e se tornaram apenas uma forma de cerimônia ou regulamento para as pessoas — e, do mesmo modo, se elas não podem ganhar a verdade a partir dela nem usá-la para entrar na verdade-realidade — então a fé dessas pessoas não se tornou o mesmo que o cristianismo? Em essência, isso não é cristianismo? (Sim, é sim.) Portanto, em seu comportamento e no desempenho de seus deveres, em que coisas vocês mantêm pontos de vista e estados que são os mesmos ou similares aos dos crentes no cristianismo? (Ao aderir a regras e nos equipar com palavras e doutrinas.) (Ao focar na aparência de sermos espirituais e exibir bom comportamento, e ao sermos devotos e humildes.) Vocês buscam ter um bom comportamento aparente, fazem o máximo para revertir-se com uma espécie de aparência espiritual, e fazem algumas coisas que são relativamente aprovadas dentro das noções e da imaginação humanas, fingindo ser virtuosos. Defronte o púlpito elevado, pregam letras e doutrinas, ensinando as pessoas a fazerem o bem, a serem virtuosas e a compreenderem a verdade; pregam doutrina espiritual, dizendo as coisas espirituais certas; põem ares de serem espirituais e exsudam uma espiritualidade superficial em tudo que dizem e fazem, entretanto, na prática e no cumprimento de seus deveres, nunca buscam a verdade. Assim que encontram um problema, agem inteiramente de acordo com a vontade humana, pondo Deus de lado. Vocês nunca agiram segundo a verdade-princípio, e nem fazem ideia do que é a verdade, quais são as intenções de Deus, ou quais são os padrões que Ele exige do homem; vocês nunca levaram esses assuntos a sério, nem se preocuparam com eles. Essas ações externas e esses estados interiores das pessoas — isto é, esse tipo de fé — abrangem temer a Deus e evitar o mal? Se não há conexão entre a fé das pessoas e sua busca pela verdade, elas creem ou não creem em Deus? Não importa há quantos anos as pessoas que não têm conexão com a busca da verdade acreditam Nele, elas podem ou não realmente temer a Deus e evitar o mal? (Não podem.) Então, qual é o comportamento externo de tais pessoas? Que tipo de senda elas trilham? (A senda dos fariseus.) Com o que elas passam os dias se equipando? Não é com letras e doutrinas? Elas não passam os dias se armando, se revestindo com letras e doutrinas para serem mais parecidas com os fariseus, mais espirituais e mais como pessoas que supostamente servem a Deus? Qual é a natureza de todos esses atos? É a adoração a Deus? É a genuína fé Nele? (Não, não é.) Então, o que é que elas estão fazendo? Estão enganando a Deus; só estão percorrendo os passos de um processo, e engajando-se em cerimônias religiosas. Estão brandindo a bandeira da fé e executando ritos religiosos, tentando enganar a Deus a fim de alcançar seu objetivo de serem abençoadas. Essas pessoas não adoram a Deus, de modo algum. No fim, esse grupo de pessoas não acabará exatamente como aqueles dentro da igreja que supostamente servem a Deus e que supostamente acreditam em Deus e O seguem?

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Que nome Deus dá à religião daqueles que acreditavam em Jeová? Judaísmo. Eles se tornaram uma espécie de grupo religioso. E como Deus define a religião daqueles que acreditam em Jesus? (Cristianismo.) Aos olhos de Deus, o judaísmo e o cristianismo representam grupos religiosos. Por que Deus os define assim? Entre todos aqueles que são membros desses organismos religiosos definidos por Deus, há alguém que teme a Deus e evita o mal, que faz Sua vontade e segue Seu caminho? (Não.) Isso esclarece as coisas. Aos olhos de Deus, todos aqueles que nominalmente seguem a Deus podem ser os que Ele reconhece como crentes? Todos eles têm uma conexão com Deus? Todos eles poderiam ser alvos da salvação de Deus? (Não.) Então, chegará um dia em que vocês serão reduzidos ao que Deus vê como um grupo religioso? (É possível.) Ser reduzido a um grupo religioso — isso parece inconcebível. Se se tornarem parte de um grupo religioso aos olhos de Deus, as pessoas serão salvas por Ele? Elas são da casa de Deus? (Não, não são.) Então, tentemos resumir: essas pessoas que nominalmente acreditam no Deus verdadeiro, mas que Ele crê que pertencem a grupos religiosos — que senda elas trilham? É possível dizer que essas pessoas trilham a senda de brandir a bandeira da fé sem nunca seguir o caminho de Deus, e de acreditar Nele sem nunca O adorar e, ao contrário, abandoná-Lo? Ou seja, elas trilham a senda de crer em Deus, mas O abandonam e não seguem Seu caminho; o caminho delas é aquele no qual elas acreditam em Deus, mas adoram Satanás, adoram o diabo, tentam executar um gerenciamento próprio e tentam estabelecer o próprio reino. Não é essa a essência disso? Pessoas como essas têm alguma conexão com o plano de gerenciamento de Deus para a salvação da humanidade? (Não.) Não importa quantas pessoas acreditam em Deus, assim que sua crença é definida por Deus como sendo a de uma religião ou um grupo, Ele já determinou que elas não podem ser salvas. Por que digo isso? Num bando ou numa multidão de pessoas que estão sem a obra e a orientação de Deus, e que não O adoram de forma alguma, quem elas adoram? Quem elas seguem? Na forma e no nome, elas seguem uma pessoa, mas a quem elas seguem essencialmente? Em seu coração, elas reconhecem Deus, mas, na prática, estão sujeitas à manipulação, aos arranjos e ao controle humano. Elas seguem Satanás, o diabo; seguem as forças que são hostis a Deus, que são inimigas Dele. Deus salvaria um bando de pessoas como essas? (Não.) Por que não? Elas são capazes de se arrepender? (Não.) Elas são incapazes de se arrepender. Elas brandem a bandeira da fé, executam empreendimentos humanos e conduzem o próprio gerenciamento, e vão contra o plano de gerenciamento de Deus para a salvação da humanidade. Seu desfecho final é serem detestadas e rejeitadas por Deus; Ele jamais poderia salvar essas pessoas, elas jamais poderiam se arrepender, já foram capturadas por Satanás — estão inteiramente nas mãos de Satanás.

Extraído de ‘Somente vivendo diante de Deus o tempo todo você pode trilhar a senda da salvação’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 2. O que realmente significa ser arrebatado, e como alguém pode ser levantado para diante do trono de Deus

Próximo: 2. A igreja que aceita e obedece à nova obra de Deus é abençoada por Deus, enquanto o mundo religioso é amaldiçoado por Deus por resistir a Ele

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Conteúdo relacionado

1. Se “ser arrebatado” realmente significa ser levado para o ar ou o céu, e se o reino celestial está na terra ou no céu

Quando a humanidade tiver sido restaurada à sua imagem original, quando a humanidade puder cumprir com suas respectivas obrigações, manter seu próprio lugar e obedecer a todos os arranjos de Deus, Deus terá obtido um grupo de pessoas na terra que O adora, e Ele também terá instituído um reino na terra que O adora. Ele terá a vitória eterna na terra, e aqueles que se opõem a Ele irão perecer por toda a eternidade. Isso irá restaurar Sua intenção original ao criar o homem; isso irá restaurar Sua intenção ao criar todas as coisas, e isso também irá restaurar Sua autoridade sobre a terra, Sua autoridade perante todas as coisas e Sua autoridade perante Seus inimigos. Esses são os símbolos de Sua vitória total. Daí em diante, a humanidade entrará no descanso e entrará numa vida que segue pela trilha certa. Deus também entrará em eterno descanso com o homem e entrará na vida eterna compartilhada por Ele e o homem. A imundície e a desobediência na terra irão desaparecer, assim como os lamentos sobre a terra. Tudo na terra que se opõe a Deus não mais existirá. Somente Deus e aquelas pessoas que Ele salvou permanecerão; somente Sua criação permanecerá.

1. Como conhecer a essência divina de Cristo

Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância divina, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala.

5. Por que se diz que as duas encarnações de Deus completam o significado da encarnação

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus, essa substância não interromperá Sua própria obra e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua própria obra, nem jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua própria vontade.

5. A razão verdadeira por trás da opressão e perseguição selvagem da Igreja de Deus Todo-Poderoso pelo PC Chinês

Pastores e líderes do mundo religioso, por exemplo, confiam em seus dons e posições para realizar sua obra. As pessoas que os seguem por muito tempo serão infectadas por seus dons e influenciadas por parte do que eles são. Eles se concentram nos dons, habilidades e conhecimento das pessoas e dão atenção a algumas coisas sobrenaturais e a várias doutrinas irrealistas profundas (essas doutrinas profundas são obviamente inatingíveis). Não se concentram na mudança de caráter das pessoas, mas sim no treinamento das habilidades de pregar e operar delas, aprimorando o conhecimento das pessoas e ricas doutrinas religiosas. Não se concentram em até que ponto o caráter das pessoas é mudado ou até que ponto as pessoas entendem a verdade. Não se preocupam com a substância das pessoas, muito menos tentam conhecer os estados normais e anormais delas. Não contestam nem revelam as noções das pessoas, muito menos corrigem as deficiências ou corrupções delas. A maioria daqueles que os seguem servem através de seus dons naturais e o que eles expressam é conhecimento e verdade religiosa vaga, que estão desconectados da realidade e são totalmente incapazes de dar vida às pessoas.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro