68. Os princípios para cultivar e utilizar pessoas

(1) É necessário eleger e cultivar como líderes e obreiros pessoas de bom calibre, que amem a verdade e tenham senso de justiça. Fazer isso é benéfico para o trabalho da igreja;

(2) Pessoas que anteriormente foram substituídas, mas se arrependem genuinamente e depois são capazes de realizar trabalho prático, podem ser reeleitas, promovidas novamente e postas em uso;

(3) Novos crentes de um ou dois anos, contanto que sejam de boa humanidade e bom calibre, amem a verdade e tenham assumido responsabilidades, podem ser cultivados e utilizados sumariamente;

(4) Aqueles que, apesar de seu caráter arrogante e farisaico, não são maus, devem ser cultivados e utilizados, contanto que sejam de bom calibre e possam aceitar a verdade.

Palavras de Deus relevantes:

Desde o início de Sua obra em todo o Universo, Deus predestinou muitas pessoas para O servirem, incluindo pessoas de todos os estilos de vida. Seu propósito é satisfazer a Sua vontade e fazer com que Sua obra na terra se concretize sem dificuldades; esse é o objetivo de Deus ao escolher pessoas para O servirem. Toda pessoa que serve a Deus tem de entender Sua vontade. Essa obra Dele faz a Sua sabedoria e a Sua onipotência, e os princípios de Sua obra na terra, mais evidentes para as pessoas. De fato, Deus vem à terra para fazer a Sua obra, para entrar em contato com as pessoas de modo que elas possam conhecer Suas ações com maior clareza. Hoje, vocês, esse grupo de pessoas, são afortunados por servir ao Deus prático. Essa é uma bênção incalculável para vocês — verdadeiramente vocês são elevados por Deus. Ao escolher uma pessoa para servi-Lo, Deus sempre tem princípios Próprios. Servir a Deus não é, absolutamente, como as pessoas imaginam, apenas uma questão de entusiasmo. Hoje, vocês veem que quem quer que sirva a Deus em Sua presença o faz porque tem a orientação Dele e a obra do Espírito Santo, e porque são pessoas que buscam a verdade. Essas são as condições mínimas que todos os que servem a Deus devem ter.

Extraído de ‘O serviço religioso precisa ser purgado’ em “A Palavra manifesta em carne”

Como líderes da igreja, vocês devem aprender a descobrir e cultivar talentos e não ter inveja de pessoas talentosas. Dessa maneira, o dever de vocês será cumprido satisfatoriamente e vocês terão cumprido a sua responsabilidade; também terão feito o máximo para ser leais. Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que as pessoas deveriam possuir. Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Pessoas assim não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bons — mas você terá feito o maior esforço. Quando não estiver pensando em seus próprios desejos egoístas nem considerando seus interesses próprios nas coisas que faz, mas, em vez disso, estiver dando consideração constante ao trabalho da casa de Deus, tendo seus interesses em mente e desempenhando bem o seu dever, então, você estará acumulando boas obras perante Deus. Pessoas que realizam essas boas obras são aquelas que possuem verdade-realidade; como tais, elas têm dado testemunho. Se está vivendo sempre segundo a carne, constantemente satisfazendo os próprios desejos egoístas, então tais pessoas não possuem verdade-realidade; essa é a marca de trazer desonra para Deus.

Extraído de ‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Os escolhidos de Deus estão cientes de que, quando a casa de Deus promove e cultiva vários tipos de pessoas, a intenção não é criar algum tipo de milagre de produção de alta tecnologia nem realizar uma pesquisa sobre a história do desenvolvimento humano, muito menos porque a casa de Deus estaria fazendo qualquer tipo de plano para o futuro da humanidade. Por que, então, a casa de Deus promove e cultiva vários tipos de talento? (Isso é feito para espalhar o evangelho do reino.) (É feito para criar uma oportunidade de treinamento para todos que buscam a verdade.) Ambos estão corretos. Em parte, isso está relacionado à obra de Deus e, em parte, envolve buscas individuais e a entrada na vida. Ambos são temas vastos. Para ser específico, quando a casa de Deus promove e cultiva pessoas, isso tem a aparência externa de promover e cultivar alguém para encabeçar um grupo ou agir como supervisor, para ser líder de uma igreja ou distrito ou membro de um comitê de tomada de decisões etc. Isso é o mesmo que a promoção para um papel oficial? (Não.) Aqueles que são promovidos e cultivados são responsáveis por projetos ou trabalhos específicos que têm a ver com vários tipos de trabalho. Pode ser o trabalho de espalhar o evangelho, por exemplo, ou trabalho baseado em textos, ou trabalho relacionado à vida de igreja, ou trabalho geral etc. Como, então, eles executam trabalho específico? Eles o fazem de acordo com as exigências de Deus e com as verdades-princípio contidas em Suas palavras; essas pessoas também realizam várias tarefas da casa de Deus de acordo com seus arranjos de trabalho para cumprir os padrões e princípios que isso exige. O trabalho realizado por aqueles que foram promovidos e cultivados mostra que eles não têm títulos nem posições oficiais; ao contrário, eles assumiram responsabilidades e realizaram trabalhos específicos e tarefas especializadas. Pode-se até dizer que eles assumem comissões específicas ou que assumem deveres ou obrigações que trazem certo grau de responsabilidade. Esse é o significado, a importância específica de promover e cultivar vários tipos de talento. Promover e cultivar tais pessoas envolve treiná-las para realizar trabalhos específicos, instruindo-as a serem capazes de executar sistematicamente várias tarefas de acordo com as exigências e os arranjos de trabalho da casa de Deus e educando-as a aprender a executar o trabalho da casa de deus de acordo com as palavras de Deus e as verdades-princípio. É claro, existe um nível adicional de significado em sua promoção e cultivação: de um lado, eles lideram todos na execução conjunta dos arranjos de trabalho da casa de Deus; de outro, usam sua experiência, seu conhecimento, e usam dedicação e responsabilidade para liderar todos aqueles pelos quais são responsáveis para entrarem juntos nos princípios nos quais Deus exige que entrem. Esse é o trabalho específico que a promoção e a cultivação de vários tipos de talento envolvem.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

As definições desses diferentes tipos de talentos são muito amplas, não são? A primeira é o tipo de pessoa que pode ser encarregada de vários trabalhos. Quais são os padrões para tais pessoas? Acima de tudo, elas devem ser capazes de entender a verdade; devem possuir o calibre para entender a verdade. Essas são as coisas mais importantes. Mais especificamente, devem entender coisas espirituais, ser capazes de comer e beber das palavras de Deus sem ajuda, ser capazes de encontrar princípios para a prática em Suas palavras e ser capazes de perceber, por meio da leitura das palavras de Deus, os vários estados em que as pessoas se encontram. Devem ser capazes de experimentar por conta própria; devem ser aptas a refletir sobre si mesmas quando se depararem com um problema e recorrer às palavras de Deus ao experimentar os ambientes que Ele estabelece e aprender as lições que devem aprender. Possuir a capacidade e o calibre para entender a verdade é a primeira coisa que se exige delas. É claro, essas pessoas também devem ter consciência e senso, e sua humanidade deve estar à altura. Em segundo lugar, devem suportar um fardo. Se forem apenas de calibre bom e forem capazes de entender a verdade, mas forem preguiçosas e cobiçarem os confortos da carne, se trabalharem apenas quando for exigido ou indicado pelo Alto e, quando trabalharem, agirem apenas sem se envolver e raramente se empenharem no nível básico, e se não estiverem dispostas a sofrer ou pagar um preço e não carregarem um fardo, elas poderão ser consideradas talentos apropriados para serem cultivados? (Não.) Esta, então, é a segunda exigência: essas pessoas devem carregar um fardo. O terceiro ponto é que elas devem ser competentes em seu trabalho. Isso significa, além de executar o trabalho de acordo com os arranjos de trabalho da casa de Deus, que elas devem ser capazes de identificar e resolver problemas prontamente quando estiverem fazendo um trabalho específico; devem executar seu trabalho de modo eficaz e profundo, e não fazê-lo com desleixo; devem também ser capazes de determinar que trabalho devem fazer nos arranjos de trabalho da casa de Deus e, também, aplicar e realizar corretamente esses arranjos de trabalho. Se descobrirem um problema enquanto realizam uma tarefa específica, devem ser capazes de tratá-lo com referência aos regulamentos dos arranjos de trabalho da casa de Deus. Devem também ser capazes de discernir coisas ou situações específicas pelo que realmente são e, com base nisso, ser capazes de fazer uma avaliação correta e então providenciar a solução correta. É isso que significa ser competente no trabalho. Ser competente no trabalho se refere principalmente à capacidade de entender os pontos essenciais do trabalho, identificar problemas prontamente e resolver esses problemas de acordo com os princípios — isto é, ser capaz de se virar sozinho. Uma vez que o Alto entregou uma tarefa e também comunicou alguns princípios, essas pessoas devem ser capazes de entender os princípios e de executar o trabalho de acordo com eles; devem basicamente ser capazes de seguir o curso certo, sem muitos desvios ou muita supervisão. É isso que significa ser competente. Eis um exemplo: quando a casa de Deus exige que pessoas sejam expurgadas e expulsas e que os anticristos e os perversos sejam identificados de acordo com os princípios, o tipo de pessoa competente basicamente não se desvia ao realizar essa tarefa. Não leva muito tempo para expor e expulsar um anticristo uma vez que este se manifestou; aqueles que são competentes são capazes de rapidamente identificar um anticristo e de ajudar seus irmãos e irmãs a identificá-lo e não ser enganados. Juntos, todos são capazes de expor e abandonar o anticristo e, no fim, ter êxito na expulsão do anticristo. Quando pessoas competentes encontram os anticristos ou os perversos no escopo do seu trabalho, pelo menos 95% de seus irmãos e irmãs não sucumbem a ser enganados ou influenciados; às vezes, nem mesmo um é enganado ou desviado. As coisas são assim para as pessoas que são de calibre bom e competentes em seu trabalho; essas pessoas estão à altura do padrão para ser líderes e obreiros que possuem a verdade-realidade.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Existe certo tipo de pessoa que talvez não seja especialmente talentoso em nada — sabe escrever um pouco e seguir uma melodia quando canta ou grava um hino, mas não é o melhor nessas coisas. Esse tipo de pessoa é melhor em quê? Ele tem alguma medida de calibre, tem algum senso de justiça e tem certo olhar para como julgar e usar as pessoas. Além disso, seu ponto forte principal é sua habilidade organizacional. Quando você dá uma tarefa ou um trabalho a essa pessoa, ela consegue organizar pessoas para fazê-lo. Ao mesmo tempo, é capaz de fazer seu trabalho. Se você lhe dá um trabalho, ela tem a capacidade de completá-lo e garantir que seja feito corretamente. Sempre tem um plano em mente, com passos e progressão ordenada. Sabe como usar pessoas, como alocar tempo, e quem usar para quais tarefas. Se um problema aparece, ela sabe como discutir a solução com todos. Sabe como manusear e resolver todas essas coisas. Uma pessoa como essa não só é capaz de fazer seu trabalho, mas também fala relativamente bem. Suas palavras são claras e ordenadas, e não confundem as pessoas. Quando ela delega trabalho, todos entendem claramente o que cada pessoa deve fazer; não há descuidos cegos, e ninguém fica à toa. Sua explicação dos detalhes do trabalho também é clara e ordenada, e, para problemas particularmente complicados, ela oferece análises, comunhão e exemplos detalhados que permitem que todos entendam o problema, saibam como fazer o trabalho e como proceder. Além disso, ela sabe comungar sobre quais maneiras de fazer as coisas podem ser defeituosas, como diferentes métodos de trabalho influenciam a eficiência, do que as pessoas devem estar cientes ao longo do seu trabalho etc. Ela pensa mais do que os outros antes de começar a trabalhar — pensa em maior detalhe do que os outros e pensa de modo mais realista do que os outros. Ela tem inteligência e é eloquente nessa área. O fato de ser inteligente significa que ela faz as coisas de modo organizado, com passos ordenados e de acordo com um plano e com grande clareza. O fato de ser eloquente significa que sabe usar a língua para expressar clara e compreensivelmente os pensamentos, planos e cálculos de sua mente. Sabe como falar simples e concisamente, de modo que nenhum dos seus ouvintes se confunda. Ela se expressa em termos claros, corretos, verídicos e apropriados. É isso que significa ser eloquente. Uma pessoa como essa é eloquente, tem a capacidade de trabalhar, a capacidade de organizar, e, além de tudo isso, tem senso de responsabilidade, senso de justiça. Não é uma pessoa que concorda com tudo ou pacifica a qualquer custo. Quando vê pessoas perversas causando interrupções e perturbações ou aproveitadores e preguiçosos se virando com astúcia e enganação, ou aquele tipo de pessoa negligente ou fajuto que negligencia seu trabalho, ela se irrita. Isso a aborrece, e ela resolverá o problema prontamente e protegerá o trabalho e os interesses da casa de Deus. Esses comportamentos são aspectos excepcionais da humanidade desse tipo de pessoa, não são? (Sim.) Pessoas como essa podem não ser sociáveis ou podem não ser hábeis em nenhuma tarefa ou técnica específica, mas se possuírem as qualidades que acabei de descrever, elas poderão ser cultivadas como líderes e trabalhadores.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (6)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Outro tipo de pessoa que pode ser promovido e cultivado são aqueles que possuem talentos ou dons especiais e dominaram alguma especialidade ou habilidade. Qual é o padrão que a casa de deus exige de tais pessoas? Em primeiro lugar, no que diz respeito à sua humanidade, esse tipo de pessoa deve ser relativamente apaixonado por coisas positivas; não devem ser pessoas perversas. Algumas pessoas talvez perguntem: “Por que não dizer que são aqueles que amam a verdade?”. Amar a verdade é exigir um pouco demais dessas pessoas. Para essas pessoas, que são especialistas em algumas habilidades ou tarefas e têm uns pontos fortes, quando elas executam trabalho que exige alguma familiaridade com a habilidade e diz respeito à sua profissão na casa de Deus, elas só precisam ser relativamente íntegras, não devem ser perversas, não devem ser erradas ou absurdas em seu entendimento, devem ser capazes de suportar adversidade e estar dispostas a pagar um preço. Assim, a primeira exigência feita a essas pessoas é que sejam relativamente entusiasmadas com coisas positivas. Algumas pessoas talvez perguntem: “Então a capacidade delas de entender a verdade pode ser considerada alta? Depois de ouvir a verdade, elas podem despertar para a verdade-realidade? São capazes de entrar na verdade-realidade?”. Não é exigido que façam isso; essas pessoas devem não estar erradas e não ser absurdas em seu entendimento da verdade, e isso é tudo. Um dos benefícios quando essas pessoas fazem seu trabalho é que é improvável que causem interrupções ou façam algo ridículo. Veja a cor da indumentária dos atores, por exemplo: repetidas vezes, a casa de Deus emitiu exigências referentes a isso e comungou sobre os princípios relevantes, mas ainda existem aqueles que simplesmente não conseguem entender o que lhes é dito, que não compreendem o que ouvem, que são incapazes de entender e que são incapazes de encontrar os princípios dentro dessas exigências da casa de Deus — e que acabam escolhendo uma indumentária toda cinza. É isso que significa ter um entendimento falso e absurdo. Então, o que significa ser relativamente apaixonado por coisas positivas? Significa ser receptivo para palavras e coisas que são certas, para um entendimento puro e para declarações e princípios que são benéficos. Ainda que não consigam agir de acordo com essas coisas, no mínimo, lá no fundo, elas não devem ser insolentes nem resistentes. Essas pessoas são pessoas decentes. Como são caracterizadas as pessoas decentes? Elas sentem aversão, repulsa e ódio pelo mal cometido pelos incrédulos, bem como pelas tendências perversas que as pessoas buscam. Por exemplo, quando aqueles que se encantam com tendências perversas defendem que uma mulher deve encontrar um homem rico para se casar ou para ser amante dele, aqueles que amam as coisas positivas sentem revolta e dizem: “Mesmo se eu não conseguisse encontrar alguém com quem me casar, mesmo se estivesse em pobreza extrema, eu jamais agiria como uma dessas pessoas”. Eles desprezam e desdenham tais pessoas. Uma característica daqueles que gostam de coisas positivas é que eles acham odiosas e revoltantes as tendências malignas e odeiam aqueles que foram seduzidos por tais tendências. Essas pessoas são relativamente decentes; quando se fala em crer em Deus e ser uma pessoa boa, em seguir a senda certa, em temer a Deus e evitar o mal, em evitar tendências malignas e o comportamento perverso do mundo, lá no fundo, elas sentem que isso é algo bom. Não importa se são capazes de embarcar nessa senda, não importa quão grande é a sua ambição de crer em Deus e trilhar a senda correta, no fim das contas, lá no fundo, elas anseiam viver na luz e anseiam estar num lugar em que a justiça detém poder. Essas pessoas são decentes, e pessoas decentes são o tipo que é relativamente apaixonado por coisas positivas. Aqueles que são promovidos e cultivados pela casa de Deus devem, no mínimo, possuir essa qualidade humana.

A segunda exigência usa o padrão de que essas pessoas devem ser capazes de sofrer adversidade e pagar um preço. Isto é, quando se trata de causas ou trabalhos pelos quais são apaixonadas, elas são capazes de deixar de lado os próprios desejos, de deixar de lado os prazeres da carne ou um estilo de vida confortável e até de renunciar às próprias perspectivas futuras. Além disso, um pouco de adversidade ou sentir-se um pouco cansado não é problema para elas; contanto que estejam fazendo algo significativo que acreditam ser correto, elas renunciam com alegria a prazeres e benefícios físicos — ou, no mínimo, têm a disposição ou ambição de fazer isso. Algumas pessoas dizem: “Às vezes, essa pessoa ainda cobiça os confortos da carne: ela quer dormir até tarde ou comer comida boa, às vezes quer sair para passear ou ficar à toa — mas, na maior parte do tempo, ela é capaz de sofrer adversidade e pagar um preço; é só que, às vezes, seu humor a leva a tais pensamentos. Isso seria considerado um problema?”. Não seria. Seria pedir demais exigir que ela deixe de lado completamente os prazeres da carne, exceto em circunstâncias especiais. Em geral, quando você dá um trabalho para essas pessoas, seja um trabalho grande ou não, seja algo que queiram fazer ou não, contanto que você o confie a elas, não importa o tamanho da adversidade que tenham que suportar ou o preço que tenham que pagar, e não importa quão difícil seja o trabalho, você não precisa ficar de olho nelas, pois com certeza elas o farão corretamente. Essas pessoas podem também ser consideradas decentes; a capacidade de sofrer adversidade e pagar um preço é outra manifestação das pessoas decentes. O que significa ser capaz de sofrer adversidade e pagar um preço? Significa não ser igual àqueles preguiçosos, na sociedade, que são glutões e ociosos e que amam diversão e odeiam trabalho — tais pessoas não são decentes. Ser capaz de sofrer adversidade e pagar um preço: essa é uma manifestação, bem como um traço, do tipo de pessoa que é promovido e cultivado pela casa de Deus.

O terceiro ponto é ser correto em seu entendimento. O que significa que, tendo ouvido as palavras de Deus, as pessoas estão, no mínimo, cientes daquilo a que essas palavras se referem, são capazes de entender o que é dito e entendem sem distorção. Por exemplo, elas não entenderiam que aquilo que você diz ser azul é preto ou que aquilo que você diz ser cinza é lilás. Esse é o mínimo absoluto.

Em quarto lugar, essas pessoas precisam não ser malignas. Isso é fácil de entender? Não ser malignas significa no mínimo uma coisa: quando não conseguem alcançar o que se exige delas pela casa de Deus ou quando fazem algo de modo incorreto, essas pessoas ainda são capazes de se submeter e de obedecer quando são podadas e tratadas; elas não espalham negatividade ou noções, e não são resistentes. Além disso, não importa o grupo em que estejam, elas se dão bem com a maioria das pessoas e conseguem trabalhar com elas em harmonia; mesmo quando alguém diz algo desagradável, elas são pacientes e descontraídas. Se alguém tenta intimidá-las, assim que veem que essa pessoa é má, elas são capazes de manter certa distância e não tentam puni-la. Embora tais pessoas não possam ser chamadas de inocentes, no mínimo elas não tentam punir ou sabotar os outros. Além disso, essas pessoas não tentam estabelecer um reino próprio, ou agir em oposição à casa de Deus, ou espalhar noções sobre Deus, nem tentam julgá-Lo ou fazer qualquer coisa que interrompa ou que cause perturbações.

Os quatro pontos acima são os critérios básicos para promover e cultivar pessoas que têm alguns pontos fortes e que dominam habilidades ou uma profissão. Contanto que cumpram esses quatro critérios, elas são basicamente qualificadas para realizar certos deveres e executar certos trabalhos da maneira correta.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Existe também outro tipo de pessoa, aquele que não possui talentos específicos nem habilidades especializadas ou técnicas, e cujo trabalho não envolve nenhuma tecnologia avançada. Essas pessoas executam certos trabalhos de rotina na igreja e lidam com certas questões alheias ao trabalho da igreja. São a classe de pessoas que executam trabalhos de rotina. Qual é a principal exigência da casa de Deus para tais pessoas? A mais crítica de todas é que elas sejam capazes de defender os interesses da casa de Deus, não ajudem gente de fora à custa da casa de Deus e não trabalhem segundo o princípio de trair os interesses da casa de Deus a fim de agradar a gente de fora. Isso é tudo. Qualquer que seja a sua humanidade — pode ser uma recepcionista ou a elite da sociedade, ou ter algum talento extraordinário —, elas devem ser capazes de defender os interesses da casa de Deus quando realizarem certas tarefas especializadas para a casa de Deus ou assuntos relacionados ao mundo exterior. O que incluem os interesses da casa de Deus? Dinheiro, materiais, a reputação da casa de Deus e da Igreja, e a segurança dos irmãos e irmãs. Cada um destes é muito importante. Qualquer um que for capaz de alcançar isso possui humanidade e é suficientemente honrado, e é alguém que está disposto a praticar a verdade. Algumas pessoas têm uma humanidade perversa: elas são capazes de defender o trabalho da casa de Deus? (Não.) Existem aquelas que fazem muito para defender o trabalho da casa de Deus, mas têm uma humanidade perversa? (Não.) Então, se alguém é genuinamente capaz de defender os interesses da casa de Deus, ele certamente é de bom caráter e boa humanidade; não tem erro nisso. Se alguém ajuda gente de fora à custa da casa de Deus quando age em nome desta, e trai seus interesses, e não só causa grandes perdas econômicas e materiais à casa de Deus, mas também causa danos enormes à reputação da casa de Deus e da Igreja, ele é uma pessoa boa? Tais pessoas são sempre má notícia. Elas não se importam com a extensão dos danos materiais e financeiros que a casa de Deus sofre; o que mais importa para elas é fazer as coisas para a sua satisfação e para agradar aos incrédulos, aos quais enviam presentes e aos quais até fazem concessões constantes durante negociações, não pensando em lutar pelos interesses da casa de Deus. Mas elas mentem para a casa de Deus, falando de como realizaram o trabalho e impediram a casa de Deus de sofrer perdas — quando, na verdade, a casa de Deus sofreu grandes perdas e foi explorada em grande medida pelos incrédulos. Se, em todos os aspectos, uma pessoa é capaz de defender os interesses da casa de Deus ao tratar de assuntos externos, essa pessoa é uma boa pessoa? E então, se esse tipo de pessoa é incapaz de fazer qualquer outro trabalho na casa de Deus e só serve para esse tipo de trabalho de rotina, ele é promovido pela casa de Deus? (É.) Se, além de ser competente e capaz de realizar seu trabalho de acordo com os princípios exigidos pela casa de Deus, ele for capaz também de defender os interesses da casa de Deus, ele corresponde a um padrão aceitável, e pessoas como essa devem ser promovidas. Por outro lado, aqueles que prejudicam os interesses da casa de Deus, que põem em risco a segurança dos irmãos e irmãs e causam efeitos e consequências adversas para a reputação da casa de Deus e da Igreja — tais pessoas não devem ser promovidas nem cultivadas; se forem usadas, deverão ser substituídas rapidamente. Aqueles que são capazes de fazer trabalho de rotina são um tipo de talento especial.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Existe outro tipo de pessoa: aquele que pode ser dispensado. Algumas pessoas foram dispensadas por causa de seu comportamento ultrajante, porque são anticristos. Outras foram dispensadas porque carecem de experiência e não conseguem trabalhar. Outras, ainda, foram dispensadas porque seu calibre é baixo demais para serem líderes e não estão à altura da tarefa. As pessoas que foram dispensadas devem ser sensatamente realocadas, não condenadas, nem delimitadas. Devem fazer o que puderem e devem ser tratadas como deveriam ser. As pessoas dispensadas por seu calibre excessivamente baixo podem ser escolhidas novamente como líderes e trabalhadores ou como supervisores? (Não.) Por que não? Porque isso já foi tentado. Elas foram expostas e enxergadas. O calibre e as habilidades de trabalho de tais pessoas não são adequados para a tarefa de ser líder. Se não forem adequadas como líderes, isso significa que elas não são adequadas para nenhuma outra coisa? Não necessariamente. Se seu calibre é baixo demais para ser um líder, mas elas conseguem fazer outras coisas, então, contanto que nenhum outro problema, como uma humanidade maligna, as desqualifique para uma promoção, elas devem fazer tudo que são adequadas a fazer. Não devem ser privadas do direito de cumprir seus deveres. Elas ainda podem ser usadas. Algumas são dispensadas porque lhes falta a capacidade de trabalhar, ou não fizeram muito trabalho de igreja antes, ou não estão acostumadas com ele e, tendo trabalhado por um tempo, ainda assim não conseguem encontrar seu caminho e não sabem o que fazer. Ou são jovens demais e carecem de experiência, de modo que não podem assumir o trabalho e acabam dispensadas. Há espaço para pessoas como essas. Se tiverem calibre suficiente, poderão simplesmente ser rebaixadas ou fazer um trabalho mais adequado para elas. Uma vez que seu entendimento da verdade for claro e uma vez que tiverem sido expostas e tiveram experiência com o trabalho da igreja, essas pessoas podem voltar a ser promovidas e cultivadas com base em seu calibre.

Quais tipos de pessoas não podem ser promovidos novamente após serem dispensados? Um são os anticristos; outro é aquele cujo calibre é baixo demais; e um terceiro são pessoas que não são anticristos, mas cuja humanidade é pobre, que são egoístas ou enganosas, que podem ser preguiçosas ou desejam conforto carnal e são incapazes de suportar trabalho árduo. Mesmo que tais pessoas sejam de calibre bom, elas não podem ser promovidas novamente. O que seu calibre lhes permite fazer é aquilo que elas devem fazer. Arranjos apropriados podem ser feitos — mas elas não podem voltar a ser líderes ou trabalhadores. Além de ter o calibre e a capacidade de trabalhar, líderes e trabalhadores devem ser capazes de assumir responsabilidade, de trabalhar muito e suportar sofrimento. Devem ser diligentes, não preguiçosos, devem também ser relativamente honestos e corretos, e não astutos demais. Aqueles que são enganosos ou astutos demais sempre acabam tramando contra seus irmãos e irmãs, seus superiores e a casa de Deus. Passam seus dias nutrindo apenas pensamentos desonestos. Quando lidar com alguém assim, você precisa sempre adivinhar o que está realmente pensando, deve saber o que está fazendo a cada momento e deve sempre ficar de olho nele. Usá-lo é exaustivo demais. Se esse tipo de pessoa for promovido para cumprir deveres, mesmo que entenda um pouco de doutrina, ele não a praticará e esperará benefícios e recompensas por cada trabalhinho que fizer. Usar tais pessoas é exaustivo demais e trabalhoso demais, portanto tais pessoas não podem ser promovidas. Portanto, anticristos, aqueles que têm calibre excessivamente pobre, aqueles de humanidade má, os preguiçosos, aqueles que buscam conforto carnal, aqueles que não suportam trabalho árduo, e os astutos e enganosos — no momento em que esses tipos de pessoas são expostos e dispensados, eles são inelegíveis para uma segunda promoção. Uma vez que foram enxergados, não volte a usá-los incorretamente.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (6)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Por que a casa de Deus promove e cultiva aqueles que são capazes de entender a verdade, têm um fardo e são competentes em seu trabalho? Não basta deixá-los buscar a verdade normalmente com aqueles que estão abaixo, permitir que sejam como irmãos e irmãs comuns, comendo e bebendo as palavras de Deus, ouvindo sermões, vivendo a vida da igreja e experimentando as palavras de Deus e entrando na verdade-realidade juntamente com os irmãos e irmãs? Por que eles devem ser promovidos e cultivados para serem líderes e trabalhadores? Quando alguém tem a capacidade de entender a verdade, é competente no trabalho e tem um fardo, se deixarem que seja um irmão comum e não receba nenhum fardo, o progresso dele será lento e ele terá dificuldade de discernir diferentes pessoas, assuntos e coisas, e terá dificuldade de ganhar a verdade. Se tais pessoas forem promovidas, colocadas no controle de certa área de trabalho ou transformadas em líderes ou trabalhadores e receberem um fardo, então, em certo aspecto, elas terão a chance de aproveitar seus pontos fortes ao máximo, de ajudar mais pessoas e guiar mais pessoas para serem iguais a elas, entrando na verdade-realidade o mais rápido possível; em outro aspecto, para elas, pessoalmente, quanto maior for o fardo que receberem, mais trabalho elas farão e maior será o escopo do seu trabalho — caso em que suas experiências também aumentarão significativamente. É como alguém que é uma mãe, e outro que é uma criança: uma criança não conhece as trivialidades da vida, as necessidades do dia a dia — e não importa qual seja sua idade, ela nunca conhecerá as adversidades de ser uma mãe nem jamais será capaz de apreciar as coisas experimentadas por uma mãe. No entanto, assim que a criança se torna mãe e não é protegida da vida, ela se torna mais madura em suas experiências e percepções. Quando alguém é promovido e cultivado para ser líder, ele recebe um fardo maior e aprende a ser minucioso. Minucioso em quê? Ele aprende a identificar diferentes tipos de pessoas, a apoiar e prover para diferentes tipos de pessoas, a ajudar diferentes pessoas a entrar na verdade-realidade, e treina como resolver as dificuldades de pessoas diferentes e os vários desafios encontrados durante o trabalho. Dessa forma, lenta, mas firmemente, ele come e bebe mais e mais das respectivas palavras de Deus, é capaz de entrar em um número cada vez maior de verdades-realidade e — em medida maior do que os outros — de encontrar mais das situações estabelecidas por Deus. Isso é uma oportunidade de treinar essas habilidades, não é? Quanto mais dessas oportunidades as pessoas têm, mais rápido é seu crescimento, mais percepções elas têm e mais ampla é sua experiência. Mas se não fizerem esse trabalho, elas só são expostas às suas experiências pessoais e à sua existência, estados e corrupção individuais — tudo é apenas pessoal. Uma vez que se tornam líderes, elas encontram mais pessoas, mais incidentes, mais situações — o que as encoraja a vir para diante de Deus para buscar as verdades-princípio; para elas, essas pessoas, questões e coisas se tornam um fardo e também criam condições altamente favoráveis para sua entrada na verdade-realidade, o que é bom. E então, quando uma pessoa comum e um líder possuem calibre, um senso de fardo e competência em seu trabalho, a entrada da pessoa comum é lenta, enquanto a do líder é mais rápida. Para um indivíduo, é bom entrar na verdade-realidade rápida ou lentamente? (Rapidamente.) E por isso, a casa de Deus abre uma exceção para tais pessoas, promovendo-as — a não ser que não estejam pessoalmente dispostas. Sob circunstâncias normais, contanto que haja um fundamento para a crença em Deus de uma pessoa e ela satisfaça os critérios para ser líder ou trabalhador, então não há dúvida de que ela será promovida e cultivada, e colocada num papel de liderança, e durante esse tempo ela será instruída sobre como executar e alcançar corretamente trabalhos diferentes. Durante o período de instrução, a pessoa que está sendo cultivada entenderá os princípios de manusear diferentes tipos de pessoas, de resolver problemas diferentes e de lidar com as várias situações que talvez venha a encontrar. Tais ganhos não são experimentados por crentes comuns. Portanto, sob esse ponto de vista, é algo bom ou ruim quando a casa de Deus promove e cultiva alguém? É benéfico para ele ou é uma adversidade imposta a ele? É benéfico para ele. É claro, algumas pessoas ficam um pouco perturbadas quando acabam de ser promovidas; não sabem o que, exatamente, a casa de Deus quer que façam e dizem a si mesmas: “Não consigo fazer isso — não sei fazer nada!”. Isso é normal; quem já nasceu capaz de fazer tudo? Seria um problema se você fosse assim. E por que isso? Porque, se você soubesse fazer qualquer coisa, você seria arrogante e presunçoso, você não ouviria ninguém e provavelmente trilharia a senda dos anticristos — e nesse caso, você seria usado pela casa de Deus? E se for incapaz de fazer qualquer coisa, você deve aprender a ouvir e obedecer; isso lhe permitirá cumprir seu dever à altura de um padrão aceitável. Visto que a maioria das pessoas não consegue fazer algo tão simples, é de admirar que a casa de Deus não promove nem cultiva você? Se você é incapaz de ouvir — se até mesmo isso está fora do seu alcance —, a casa de Deus ousaria promover e cultivar você? (Não.) E por que não? Usar você seria arriscado demais, trabalho demais, preocupação demais! O que quero dizer com “arriscado”? Quando a casa de Deus o usa, você assume controle sobre pessoas e as conduz para a senda do mal — é por isso que é tão arriscado. Quando é usado, você se descontrola, você lança o trabalho num caos total, e deve ser substituído. Que incômodo! E quando é usado, você não consegue fazer nada, é totalmente ineficaz; todo o trabalho que faz deve ser supervisionado, monitorado e acompanhado pelo Alto, que precisa intervir em todos os assuntos — que sentido faz usar você? Você é preocupante demais! Pessoas como essa podem ser usadas? De jeito nenhum.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Já que você foi promovido pela casa de Deus, existem coisas que são exigidas de você. E quais são essas coisas? Exige-se que você aja de acordo com os princípios e requerimentos da casa de Deus; você deve fazer o que é exigido de você e da forma que é exigido, sendo, assim, treinado para obedecer a Deus e se submeter à verdade. Durante o tempo em que for cultivado, às vezes, a casa de Deus lidará com você e o podará; às vezes, o repreenderá severamente; às vezes, investigará o progresso do seu trabalho; às vezes, perguntará como, exatamente, o trabalho está indo e verificará seu trabalho; às vezes, testará quais são seus pontos de vista em relação a determinadas coisas. O objetivo desses testes não é colocá-lo na berlinda, mas fazê-lo entender as verdades que você deve entender e qual atitude deve ter, e qual é a vontade de Deus em tais questões. É isso que significa treinar e instruir as pessoas. E quais são a meta e o objetivo de instruir as pessoas? Levá-las a entender a verdade. Qual é o objetivo de entender a verdade? Capacitar as pessoas a obedecer à verdade, a agir de acordo com os princípios, liderar os irmãos e irmãs no entendimento da vontade de Deus e liderá-los na capacidade de cumprir seu dever corretamente, ficando em seu lugar e sendo fiel ao seu dever; é também permitir que liderem os irmãos e irmãs na entrada em diferentes verdades e em alcançar mudanças em seu caráter, enquanto cumprem seu dever. Essa é a responsabilidade de líderes e trabalhadores, e é o que devem realizar. Quando um líder ou trabalhador entende a verdade, aqueles que ele lidera também entendem a verdade; quando um líder ou trabalhador é capaz de entender muitas verdades, aqueles que ele lidera também são capazes de entender muitas verdades; quando um líder ou trabalhador compreende as verdades-princípio em determinado trabalho, aqueles que ele lidera também entram no princípio desse trabalho e entram na verdade-realidade. Esse é o objetivo de instruir líderes e trabalhadores. Visto que os líderes e trabalhadores que passam por instrução são mais competentes no trabalho do que outras pessoas, visto que seu calibre é um pouco melhor, é correto que devam ser instruídos. Primeiro são levados a entender as verdades-princípio e a entrar nas verdades-realidade — e então, porque lideram outros na entrada nas verdades-realidade, mais pessoas são levadas a entender as verdades-princípio. O que acham de tal abordagem? (É boa.) Tais pessoas não são muito cultas nem muito eloquentes, tampouco entendem muito de tecnologia ou de assuntos atuais e política. Podem não ser altamente habilidosas em tarefas específicas. Mas são capazes de entender a verdade e, após ouvirem as palavras de Deus, são capazes de executá-las — sabem como executá-las — e são capazes de identificar as verdades-princípio e liderar mais pessoas para entrar na realidade das palavras de Deus e obedecer às verdades-princípio.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Quando alguém é escolhido para ser um líder pelos irmãos e irmãs ou é promovido pela casa de Deus para fazer determinado trabalho ou cumprir certo dever, isso não significa que ele tem um status ou identidade especial nem que as verdades que ele entende são mais profundas e mais numerosas do que as de outras pessoas — muito menos significa que essa pessoa é capaz de se submeter a Deus e que não O trairá. Tampouco significa que ela conhece Deus e que é alguém que teme a Deus. Na verdade, ele não alcançou nada disso; a promoção e a cultivação são meramente promoção e cultivação no sentido mais direto. Sua promoção, sua cultivação significa simplesmente que ele foi promovido e aguarda cultivação. E o desfecho último dessa cultivação depende da senda que a pessoa trilha e daquilo que busca. Assim, quando alguém na igreja é promovido e cultivado para ser um líder, ele é meramente promovido e cultivado no sentido mais direto; não significa que já é um líder qualificado ou competente, que já é capaz de realizar o trabalho de um líder e que já pode fazer trabalho verdadeiro — este não é o caso. Quando alguém é promovido e cultivado para ser líder, ele possui a verdade-realidade? Ele entende as verdades-princípio? Essa pessoa é capaz de fazer com que os arranjos de trabalho da casa de Deus rendam frutos? Ela possui dedicação e senso de responsabilidade? Quando depara com um problema, ela é capaz de buscar a verdade e se submeter a Deus? Tudo isso é incógnito. Essa pessoa tem um coração que teme a Deus? E quão grande, exatamente, é seu temor de Deus? Ela é propensa a seguir a própria vontade quando faz as coisas? Durante o tempo em que realiza o trabalho de líder, ela vem para diante de Deus regular e frequentemente para buscar a vontade de Deus? Ela é capaz de guiar as pessoas na entrada na verdade-realidade? Tudo isso e muito mais aguarda cultivação e descoberta; tudo permanece incógnito. Promover e cultivar alguém não significa que ele já entende a verdade, nem significa dizer que ele já é capaz de cumprir seu dever satisfatoriamente. Qual, então, é o objetivo, o significado de promover e cultivar alguém? É que essa pessoa, enquanto indivíduo, é promovida a fim de ser treinada, de ser especialmente regada e instruída, capacitando-a a entender as verdades-princípio, e os princípios de fazer diferentes coisas, e os princípios, meios e métodos para resolver vários problemas, e também, quando encontrar vários tipos de ambientes e pessoas, a lidar e resolver com elas de acordo com a vontade de Deus e de um modo que proteja os interesses da casa de Deus. Isso indica que o talento promovido e cultivado pela casa de Deus é adequadamente capaz de realizar seu trabalho e de cumprir seu dever durante o período de promoção e cultivação ou antes da promoção e cultivação? É claro que não. Assim, é inevitável que, durante o período de cultivação, essas pessoas experimentarão tratamento, poda, julgamento e castigo, exposição e até mesmo substituição; isso é normal, estão sendo treinadas e cultivadas. As pessoas não devem ter expectativas altas ou fazer exigências irreais àqueles que são promovidos e cultivados; isso seria insensato e injusto com eles. Vocês podem monitorá-los e relatar as coisas que vocês acreditam ser problemáticas, mas eles também estão no período de cultivação e não devem ser vistos como pessoas que foram aperfeiçoadas, muito menos como pessoas irrepreensíveis ou como pessoas que possuem a verdade-realidade. Eles são como vocês: esse é o tempo em que são treinados. A diferença é que eles assumem mais trabalho e responsabilidades do que as pessoas comuns. Eles têm a responsabilidade e a obrigação de fazer mais trabalho, pagam um preço mais alto, sofrem mais adversidades, se empenham mais, resolvem mais problemas, toleram a censura de mais pessoas e, é claro, fazem um esforço maior, dormem menos, comem menos comida boa e se envolvem menos em conversa fiada do que as pessoas normais. É isso que há de especial neles; fora isso, são iguais a todos os outros. Por que Eu digo isso? Para dizer a todos que não devem interpretar erradamente a promoção e a cultivação de vários tipos de talentos feitas pela casa de Deus e que não devem ser duros nas exigências que fazem a essas pessoas. Naturalmente, as pessoas também não devem ser irreais em suas opiniões sobre elas. É tolo estimar ou reverenciá-las excessivamente, e não é humano ou realista ser excessivamente duro nas exigências que se fazem a elas. Qual, então, é a maneira mais racional de agir em relação a elas? Vê-las como pessoas comuns e, quando surgir um problema que precise ser investigado, comungar e aprender com os pontos fortes de cada um e complementar uns aos outros. Além disso, é da responsabilidade de cada um monitorar se os líderes e trabalhadores estão fazendo trabalho real e se são competentes no cumprimento de seus deveres. Se não forem e vocês enxergaram através deles, então não percam tempo em denunciar ou removê-los; escolham alguém e não atrasem o trabalho da casa de Deus. Atrasar a casa de Deus significa prejudicar vocês e os outros; não é bom para ninguém.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (5)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Anterior: 67. Os princípios para revocar líderes e obreiros

Próximo: 69. Os princípios para separar a igreja em grupos A e B

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro