139. Os princípios do tratamento de falsos líderes e falsos obreiros

(1) Falsos líderes e falsos obreiros de humanidade fraca que são capazes de fazer mal e que não aceitam a verdade devem ser substituídos, privados de seus cargos e eliminados;

(2) Os falsos líderes e os falsos obreiros que não conseguem fazer a obra prática devido ao seu fraco calibre devem ser substituídos e designados para deveres diferentes;

(3) Falsos líderes e falsos obreiros que têm humanidade relativamente boa, mas não buscam a verdade, que não são possuidores da obra do Espírito Santo nem podem fazer a obra prática, devem ser substituídos e designados para deveres diferentes;

(4) Falsos líderes e falsos obreiros com calibre e a capacidade de fazer algo da obra prática, mas que não têm experiência e não conseguem resolver problemas práticos, ainda podem ser treinados para uso.

Palavras de Deus relevantes:

Qual é a atitude que as pessoas devem ter em termos de como tratar um líder ou obreiro? Se o que ele faz é certo, então você pode lhe obedecer; se o que ele faz é errado, então você pode expô-lo e até se opor a ele e expressar uma opinião diferente. Se ele for incapaz de fazer obra prática e revelar ser um falso líder, falso obreiro ou anticristo, então você pode se recusar a aceitar sua liderança e também pode denunciá-lo e expô-lo. Entretanto, alguns entre o povo escolhido de Deus não entendem a verdade e são especialmente covardes; então não ousam fazer nada. Eles dizem: “Se o líder me expulsar, para mim acabou; se ele fizer com que todos me exponham ou abandonem, então eu não serei mais capaz de crer em Deus. Se eu deixar a igreja, então Deus não vai me querer e não me salvará. A igreja representa Deus!”. Essas formas de pensar não afetam a atitude de tal pessoa em relação a essas coisas? Poderia realmente ser verdade que, se o líder o expulsar, você não pode mais ser salvo? A questão de sua salvação depende da atitude de seu líder em relação a você? Por que tantas pessoas têm tal grau de temor? Se, assim que alguém que é um falso líder ou anticristo o ameaça, você não ousa denunciar aos superiores e até garante que, dali em diante, você terá o mesmo modo de pensar que o líder, então você não está perdido? Esse é o tipo de pessoa que busca a verdade? Não só você não ousa expor tal comportamento perverso como pode ser cometido por anticristos satânicos, mas, ao contrário, você lhes obedece e até toma as palavras deles como verdade, às quais você se submete. Esse não é o epítome da estupidez? Então, quando você é prejudicado, isso não é o que você merece? Deus fez com que você fosse prejudicado? Você mesmo desejou isso para si mesmo. Você tomou um anticristo para que fosse seu líder e o tratou como se fosse um irmão ou irmã — e isso é culpa sua. Qual é a atitude com a qual se deve tratar um anticristo? Ele deve ser exposto e combatido. Se você não consegue fazer isso sozinho, então muitas pessoas devem se unir e denunciá-lo. Quando descobriram que certos líderes e obreiros em posições mais altas estavam trilhando a senda do anticristo, fazendo os irmãos e as irmãs sofrer, não fazendo um trabalho real e cobiçando os benefícios do status, algumas pessoas assinaram uma petição para remover esses anticristos. Que trabalho fantástico fizeram essas pessoas! Isso mostra que elas entendem a verdade, que possuem certa estatura e que não são nem controladas nem enganadas por Satanás. Isso prova também que anticristos e falsos líderes não detêm uma posição dominante na igreja, e não ousam mostrar seu ser verdadeiro de forma demasiadamente clara em qualquer coisa que digam ou façam. Se revelarem a si mesmos, há pessoas para monitorá-los, identificá-los e expulsá-los. Isto é, no coração das pessoas que genuinamente entendem a verdade, o status, o prestígio e a autoridade de uma pessoa não são coisas que imperam; todos aqueles que entendem a verdade são capazes de ter discernimento e de repensar e refletir sobre que senda as pessoas devem seguir em sua fé em Deus e também como devem tratar líderes e obreiros. Também começam a pensar sobre quem as pessoas devem seguir, quais comportamentos constituem seguir pessoas e quais comportamentos constituem seguir a Deus. Tendo ponderado essas verdades por vários anos e ouvido sermões muitas vezes, elas inconscientemente vêm a entender as verdades sobre crer em Deus, e assim ganharam alguma estatura. Elas se puseram na trilha certa de crer em Deus.

Extraído de ‘Eles excluem e atacam aqueles que buscam a verdade’ em “Expondo os anticristos”

Se permitirem que os anticristos ajam descontroladamente numa igreja, se lhes derem rédea solta para gritar quaisquer slogans e argumentos que quiserem para controlar, ameaçar, enganar ou desviar os irmãos e irmãs, e os líderes não fizerem nada, por não terem discernimento e serem incapazes de expor de imediato esses anticristos e controlá-los, levando os irmãos e irmãs a serem manipulados e perturbados à vontade pelos anticristos, então os líderes dessa igreja são um lixo. Se os anticristos e perversos de uma igreja são rejeitados e detestados pelos irmãos e irmãs, se são algemados dentro da igreja, e todos têm discernimento deles, de modo que sua fala e slogans vazios, que desviam e enganam irmãos e irmãs, não funcionam na igreja, e se são mantidos sob controle e trancados, então os líderes dessa igreja estão à altura do padrão; são líderes que possuem verdade-realidade. Se uma igreja está sendo perturbada por um anticristo, e, após ser identificado e rejeitado pelos irmãos e irmãs, o anticristo se vinga oprimindo e abusando deles, e os líderes da igreja não fazem nada, os líderes dessa igreja são um lixo e devem ser eliminados. Como líderes de uma igreja, se eles são incapazes de resolver problemas usando a verdade, se não conseguem identificar, controlar e limitar a teimosia dos anticristos na igreja, são incapazes de defender os irmãos e irmãs e protegê-los para que possam cumprir seus deveres normalmente, e são incapazes de manter a execução normal do trabalho da casa de Deus, então os líderes dessa igreja são um lixo e devem ser eliminados. Se os líderes de uma igreja têm medo de abordar ou provocar um anticristo porque este é malévolo e cruel e, assim, permitem que ele corra solto na igreja, tiranizando para fazer tudo que quer e paralisando e imobilizando grande parte do trabalho da casa de Deus, então os líderes dessa igreja são um lixo e devem ser eliminados. Se, por temerem retribuição, os líderes de uma igreja nunca têm a coragem de expor um anticristo e nunca tentam limitar os atos malignos deste, causando assim uma perturbação na vida da igreja e impedindo e danificando significativamente a entrada na vida dos irmãos e irmãs, então os líderes dessa igreja são um lixo e devem ser eliminados. Vocês escolheriam esses líderes? (Não.) O que, então, vocês devem fazer quando encontram esses líderes? Devem perguntar a eles: “Os anticristos estão causando todos esses problemas na nossa igreja; eles agem como tiranos e exercem poder. Você os impedirá? Você ousa expô-los? Se não ousar, peça demissão. Se você estiver protegendo seus interesses carnais, se estiver entregando seus irmãos e irmãs aos anticristos e perversos porque você os teme, você merece ser amaldiçoado. Você não é digno de ser um líder. Demita-se!”. Não é desse jeito que vocês deveriam tratar líderes desse tipo? (Sim.) É exatamente desse jeito que vocês deveriam tratá-los. Líderes como esses não fazem trabalho prático. Na presença dos perversos, eles não protegem seus irmãos e irmãs. Em vez disso, curvam-se diante dos perversos, se comprometem com eles e imploram por sua misericórdia. Tais pessoas são lixo, são traidoras e devem ser rejeitadas.

Extraído de ‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (VIII)’ em “Expondo os anticristos”

Alguns falsos líderes são glutões e ociosos, amam o tempo livre e odeiam a labuta, são avessos a trabalho e a preocupação, não gostam de esforço nem de responsabilidade; desejam apenas conforto, adoram comer e jogar, e são preguiçosos. De manhã, quando todos terminaram de tomar o café matinal, eles ainda estão na cama; de noite, assistem a suas séries de TV até mal conseguirem manter os olhos abertos, ainda estão de pé quando todos estão dormindo. Passam o dia inteiro comendo, brincando e vagando por aí; vão para onde há diversão e jogam em qualquer máquina que prometa diversão. Digamos que um irmão cozinheiro não suporte isso e os repreenda. O que vocês acham, eles darão ouvidos a um cozinheiro? (Não.) Se Eu dissesse: “Você deve ser mais diligente. Você deve fazer o que deveria fazer. Você é um líder e deve estar presente em todo trabalho, não importa qual seja; quando outras pessoas trabalham por oito horas, você deve estar presente por, no mínimo, seis horas e meia ou sete horas. Você pode gastar o tempo restante cuidando de assuntos pessoais”, eles ouviriam? Não ouviriam. Então, não digo nada a tais pessoas — simplesmente digo ao grupo que toma as decisões que deve substituí-los, livrar-se deles, enviá-los para onde for preciso, para que façam o que sejam capazes de fazer. Se forem lixo e parasitarem onde quer que estejam e não forem capazes de nada, então expulsem-nos; não permitam que cumpram um dever. Não são pessoas; não possuem a consciência nem o senso de uma humanidade normal, e são descarados. Com esse tipo indolente de falsos líderes, assim que enxergarem através deles, substituam-nos imediatamente. Não há necessidade de aconselhá-los, nenhuma necessidade de lhes dar outras chances ou de colocá-los sob observação, nem adianta comunicar a verdade para eles. Eles ouviram pouco da verdade? Eles mudariam se fossem tratados e podados? Não. Se um deles tivesse calibre pobre, ou, às vezes, fosse absurdo em seu ponto de vista, ou fosse ignorante e bitolado na maneira pela qual vê as coisas, mas fosse diligente, carregasse um fardo e não fosse preguiçoso — tal pessoa, embora anormal em suas ações, poderia mudar ao ser tratada e podada; no mínimo, estaria ciente das responsabilidades de liderança e saberia o que deveria fazer e teria consciência e um senso de responsabilidade. Ele tem um coração. Mas essas pessoas que são preguiçosas, amam a ociosidade e odeiam o trabalho, que não têm senso de fardo — elas não podem mudar. Se não tiverem senso de fardo, seja o que for que alguém diga não terá efeito.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (4)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Algumas pessoas foram dispensadas por causa de seu comportamento ultrajante, porque são anticristos. Outras foram dispensadas porque carecem de experiência e não conseguem trabalhar. Outras, ainda, foram dispensadas porque seu calibre é baixo demais para serem líderes e não estão à altura da tarefa. As pessoas que foram dispensadas devem ser sensatamente realocadas, não condenadas, nem delimitadas. Devem fazer o que puderem e devem ser tratadas como deveriam ser. As pessoas dispensadas por seu calibre excessivamente baixo podem ser escolhidas novamente como líderes e trabalhadores ou como supervisores? (Não.) Por que não? Porque isso já foi tentado. Elas foram expostas e enxergadas. O calibre e as habilidades de trabalho de tais pessoas não são adequados para a tarefa de ser líder. Se não forem adequadas como líderes, isso significa que elas não são adequadas para nenhuma outra coisa? Não necessariamente. Se seu calibre é baixo demais para ser um líder, mas elas conseguem fazer outras coisas, então, contanto que nenhum outro problema, como uma humanidade maligna, as desqualifique para uma promoção, elas devem fazer tudo que são adequadas a fazer. Não devem ser privadas do direito de cumprir seus deveres. Elas ainda podem ser usadas. Algumas são dispensadas porque lhes falta a capacidade de trabalhar, ou não fizeram muito trabalho de igreja antes, ou não estão acostumadas com ele e, tendo trabalhado por um tempo, ainda assim não conseguem encontrar seu caminho e não sabem o que fazer. Ou são jovens demais e carecem de experiência, de modo que não podem assumir o trabalho e acabam dispensadas. Há espaço para pessoas como essas. Se tiverem calibre suficiente, poderão simplesmente ser rebaixadas ou fazer um trabalho mais adequado para elas. Uma vez que seu entendimento da verdade for claro e uma vez que tiverem sido expostas e tiveram experiência com o trabalho da igreja, essas pessoas podem voltar a ser promovidas e cultivadas com base em seu calibre.

Quais tipos de pessoas não podem ser promovidos novamente após serem dispensados? Um são os anticristos; outro é aquele cujo calibre é baixo demais; e um terceiro são pessoas que não são anticristos, mas cuja humanidade é pobre, que são egoístas ou enganosas, que podem ser preguiçosas ou desejam conforto carnal e são incapazes de suportar trabalho árduo. Mesmo que tais pessoas sejam de calibre bom, elas não podem ser promovidas novamente. O que seu calibre lhes permite fazer é aquilo que elas devem fazer. Arranjos apropriados podem ser feitos — mas elas não podem voltar a ser líderes ou trabalhadores. Além de ter o calibre e a capacidade de trabalhar, líderes e trabalhadores devem ser capazes de assumir responsabilidade, de trabalhar muito e suportar sofrimento. Devem ser diligentes, não preguiçosos, devem também ser relativamente honestos e corretos, e não astutos demais. Aqueles que são enganosos ou astutos demais sempre acabam tramando contra seus irmãos e irmãs, seus superiores e a casa de Deus. Passam seus dias nutrindo apenas pensamentos desonestos. Quando lidar com alguém assim, você precisa sempre adivinhar o que está realmente pensando, deve saber o que está fazendo a cada momento e deve sempre ficar de olho nele. Usá-lo é exaustivo demais. Se esse tipo de pessoa for promovido para cumprir deveres, mesmo que entenda um pouco de doutrina, ele não a praticará e esperará benefícios e recompensas por cada trabalhinho que fizer. Usar tais pessoas é exaustivo demais e trabalhoso demais, portanto tais pessoas não podem ser promovidas. Portanto, anticristos, aqueles que têm calibre excessivamente pobre, aqueles de humanidade má, os preguiçosos, aqueles que buscam conforto carnal, aqueles que não suportam trabalho árduo, e os astutos e enganosos — no momento em que esses tipos de pessoas são expostos e dispensados, eles são inelegíveis para uma segunda promoção. Uma vez que foram enxergados, não volte a usá-los incorretamente.

Extraído de ‘Identificando falsos líderes (6)’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

Falsos líderes e colaboradores são líderes e colaboradores que não possuem a obra do Espírito Santo e não conseguem fazer trabalho prático. Se os líderes e colaboradores estiveram sem a obra do Espírito Santo por muito tempo, isso mostra que eles não são pessoas que buscam a verdade. Isso é um fato absoluto. O povo escolhido de Deus está ciente de que qualquer um que acredita em Deus sem buscar a verdade não é uma pessoa que Deus aprovaria e, portanto, não possui a obra do Espírito Santo. Essas pessoas não entendem a verdade, não entram na realidade e não podem ser salvas. Isso é um problema sério. Líderes e colaboradores sem a obra do Espírito Santo são pessoas que Deus não aprova e que Ele não usará de forma alguma, por isso são chamados de falsos líderes e colaboradores. Todos esses falsos líderes e colaboradores que não buscam a verdade são revelados por meio de várias circunstâncias, posições, reputações e interesses. Como diz o provérbio: “Assim como a distância testa a força de um cavalo, o tempo revela a verdade do coração de uma pessoa”. Aqueles que não possuem a obra do Espírito Santo nunca são capazes de fazer o trabalho de regar e prover para os escolhidos de Deus para que estes possam entrar na verdade-realidade. Jamais podem realizar o trabalho de comungar sobre a verdade para resolver quaisquer problemas práticos que os escolhidos de Deus possam ter. Jamais podem realizar as tarefas exigidas pelos arranjos de trabalho. Após um período extenso, o povo escolhido de Deus será capaz de perceber e discernir essas pessoas. Quando os escolhidos de Deus identificam esses falsos líderes e colaboradores, que não possuem a obra do Espírito Santo, é justo e sensato e também lógico que essas pessoas sejam removidas ou designadas para trabalhos diferentes. Isso é bom para o povo escolhido de Deus e também para os líderes e colaboradores falsos, para que não continuem a expor ao perigo os escolhidos de Deus. Portanto, substituir todos os falsos líderes e colaboradores está completamente alinhado com a vontade de Deus.

Os falsos líderes e colaboradores são aqueles que são incapazes de fazer o trabalho prático que deve ser feito por líderes e colaboradores em vários níveis da igreja, pois eles não têm a obra do Espírito Santo. No entanto, entre os falsos líderes e colaboradores que não têm a obra do Espírito Santo, ainda existem diferenças em sua quantidade de feitos malignos e em sua qualidade de humanidade, que não devem ser tratadas da mesma forma. Todos os falsos líderes e colaboradores se inserem principalmente nos três tipos seguintes. O povo escolhido de Deus deve distingui-los. O primeiro tipo são pessoas de humanidade relativamente boa. Tais pessoas cometerem menos feitos malignos e provocaram menos ressentimento público. Elas não entendem a verdade porque acreditam em Deus há pouco tempo ou porque carecem do apoio e sustento das pessoas que entendem a verdade. Não entraram na trilha certa de acreditar em Deus ou não são capazes de buscar a verdade normalmente por causa do emaranhamento e controle de certas questões. O povo escolhido de Deus deve tratar os falsos líderes e colaboradores que se inserem nessa categoria com amor e mais ajuda e apoio, para que ainda haja esperança de que possam buscar a verdade e receber salvação. O segundo tipo inclui aqueles que têm natureza desonesta e enganosa, egoísta e desprezível; são pessoas de humanidade pobre. Essas pessoas têm mais transgressões e influências piores, gostam especialmente de buscar status e desejam os benefícios do status, se tornam depravadas por um pouco de status, entregando-se a vinho, comida e prazer. Sempre cumprem seu dever de qualquer jeito e nunca fazem trabalho prático. Gostam de se empoleirar em suas posições e passar sermões nos outros. Essas pessoas não têm um lugar para Deus em seu coração, muito menos qualquer senso de responsabilidade. São como os funcionários do grande dragão vermelho, sentados no alto, que acham que todos os outros estão abaixo deles. Sempre dão ordens e incessantemente reprimem o povo escolhido de Deus, não tolerando qualquer resistência. Não têm nenhum amor. Nunca simpatizam nem ajudam os outros, muito menos resolvem as dificuldades práticas de irmãos e irmãs. Na igreja, essas pessoas são como a polícia; são intrometidas e oficiosas. Não importa que tipo de trabalho façam, os irmãos e irmãs não recebem nenhuma edificação, muito menos recebem deles o sustento da verdade. Portanto, tais pessoas são os falsos líderes ou colaboradores que Deus mais detesta. Devem ser substituídos e segregados para que reflitam. Se desobedecerem e causarem perturbação, serão expulsos. O terceiro tipo são aquelas pessoas especialmente arrogantes e insensíveis que se recusam a obedecer a qualquer um, até o ponto da irracionalidade. São pessoas perversas, de fato. Essas pessoas se envolvem em todos os tipos de maldade, provocam intenso ressentimento público e não abrigam temor a Deus em seu coração. Têm um pouco de calibre e alguns dons e vieram a ter um pouco de experiência, por isso acham que são incríveis. Não dão atenção a ninguém, nem mesmo a Deus. Com um pouco de posição, desejam possuir o povo escolhido de Deus, agindo como se fossem o mestre do povo escolhido de Deus e tratando o povo escolhido de Deus como sua propriedade privada. Vaidosamente, competem com Deus pelas pessoas escolhidas de Deus para manter um número maior delas sob seu controle. Não há lugar para Deus no coração de tais pessoas que nunca adoram a Deus. Elas não oram a Deus em tribulação e sofrimento, muito menos buscam abrir seu coração para Deus. Após ganhar status, elas se mantêm no alto e dão início ao oficialismo. Não veem os arranjos de trabalho do Alto como deveres a serem implementados e não demonstram obediência alguma à obra de Deus. São pessoas perversas que se inserem na categoria de anticristos. Consideram que dar ordens e arranjar e manusear alguns assuntos gerais é capital, como se tivessem feito um trabalho maravilhoso que merece tratamento superior e banquetes extravagantes. Na verdade, não fizeram um pingo de trabalho essencial em serviço a Deus ou qualquer trabalho prático que realmente provê para o povo escolhido de Deus para que este possa alcançar entrada na vida. Não resolveram um único dos problemas encontrados pelos escolhidos de Deus ao longo de sua senda para entrar na verdade-realidade nem levaram os escolhidos de Deus a entender um único aspecto da verdade. Só fizeram algum trabalho administrativo para mandar nas pessoas e depois se inflar de orgulho e superioridade, como se fossem oficiais com algum mérito de conquista. O que os qualifica para desfrutar das bênçãos do status? São muito descarados! Essas pessoas perversas nunca levam a sério os arranjos de trabalho do Alto. Se considerarem os arranjos de trabalho desfavoráveis ou como ameaças para a sua reputação e posição, eles reterão esses arranjos de trabalho, denegrirão ou criticarão seu valor e significado, até afirmarão que eles vieram do homem, e não de Deus, e então usarão isso como meio para incitar as pessoas a abandonar esses arranjos de trabalho. Essas não são condutas que resistem a Deus? Isso não é uma retórica para manter reputação e posição? Isso não é uma revelação de sua natureza de anticristo? Essas pessoas rejeitam o julgamento e o castigo de Deus. Também não aceitam ser podadas e tratadas; acham que são intocáveis, como o traseiro de um tigre. Como podem alegar que estão experimentando a obra de Deus? É a senda dos anticristos que essas pessoas perversas estão trilhando. Quaisquer líderes e colaboradores que não conseguem contemplar corretamente os arranjos de trabalho e segui-los estritamente para implementá-los podem ser considerados mal-intencionados. Nenhum deles é obediente à obra de Deus. Portanto, quaisquer falsos líderes ou colaboradores que julgam, depreciam ou retêm os arranjos de trabalho devem ser substituídos e segregados, para que reflitam. Se essas pessoas perversas continuarem a exercer poder, os desastres e as consequências que eles trazem para o povo escolhido de Deus serão inimagináveis. Sem demonstrar arrependimento, esses falsos líderes e colaboradores devem ser expulsos, pois são os mais terríveis entre os falsos líderes e colaboradores.

Os três tipos de pessoas acima mencionados que são falsos líderes e colaboradores devem ser distinguidos estritamente e tratados de modo diferente. O primeiro tipo são pessoas com uma humanidade relativamente boa. Ainda são irmãos e irmãs que devem ser tratados com amor. Elas podem ser designadas para cumprir deveres diferentes, mas devem ser impedidas de assumir tarefas primárias; elas são aptas somente para cumprir deveres cooperativos ou outros deveres. O segundo tipo são pessoas com humanidade má que devem ser substituídas e segregadas para que possam se dedicar à autorreflexão. Pode-se permitir que cumpram seus deveres espalhando o evangelho como uma oportunidade de arrependimento. O terceiro tipo são aquelas pessoas perversas que são anticristos, que são bastante arrogantes e teimosas e que sempre querem controlar o povo escolhido de Deus. Embora não tenham se empenhado na construção de um reino independente, isso se deve meramente à falta de oportunidade. Com base em sua natureza-essência, é apenas uma questão de tempo até que se empenhem em construir seu reino independente. Portanto, esse tipo de pessoa cruel, arrogante e totalmente insolente deve ser substituído e segregado, para que reflita. Só deve receber permissão para pregar o evangelho se estiver disposto a cumprir seus deveres. Ele causou muito mal e prejudicou os outros seriamente, sem fazer trabalho prático; portanto, deve pregar o evangelho e conquistar pessoas para compensar suas transgressões. Espalhar o evangelho é o dever mais apropriado que pode cumprir. Se não cumprir nenhum dever, a igreja poderá expulsá-lo.

Extraído de “Arranjos de trabalho”

Anterior: 138. Os princípios do tratamento de líderes e obreiros que cometeram transgressões

Próximo: 140. Os princípios do tratamento de personagens religiosos

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro